Conecte com a gente

E-farsas – Desvendando fake news desde 2002!

E-farsas – Desvendando fake news desde 2002!

“Flor de Lis” de Djavan é homenagem à mulher e filha mortas?

Falso

“Flor de Lis” de Djavan é homenagem à mulher e filha mortas?

É verdade que Djavan fez a música “Flor de Lis” em um momento de dor, em homenagem à mulher e à filha que morreram na hora do parto?

A história apareceu com bastante força nas redes sociais na segunda quinzena de janeiro de 2016 e explica a verdade por trás da letra da bela canção Flor de Lis, composta por Djavan e lançada em 1976.

Segundo o texto amplamente compartilhado no Facebook, Djavan teve uma mulher chamada Maria e o casal estaria esperando uma menina – que se chamaria Margarida -, mas teria havido complicações na hora do parto e ambas (mãe e filha) acabaram morrendo na sala de cirurgia! Para homenagear as duas, Djavan teria composto a música Flor de Lis!

Será que essa história é real? Ouça (e assista) Flor de Lis no canal oficial do cantor no YouTube:

 

Verdade ou farsa?

Pra começar, é preciso explicar aqui que esse boato circular pela web há muito tempo! Uma busca no Google mostra que em 2008 já tínhamos esse mesmo rumor sendo espalhado por aí.

Entre em contato com o E-farsas via WhatsApp: (11) 96075-5663

Djavan foi casado com Maria Aparecida dos Santos Viana de 1972 a 1998. Ela ainda está viva, desmentindo o boato de que teria morrido na hora do parto. Nessa publicação de outubro de 2000 da revista Istoé Gente é mencionado que a ex-esposa do cantor estaria entrando na justiça para receber rendimentos atrasados referentes à empresa que mantinham em sociedade!

Desmentido oficial

Em julho de 2008, o blog Syleide entrou em contato com a assessoria de Djavan a respeito desse rumor e a resposta foi a de que essa história é completamente falsa.

No dia 11 de setembro de 2008, o próprio site do cantor desmentiu esse boato! A postagem não está mais disponível online, mas podemos vê-la em um dos arquivos do sensacional WebArchive:

Site do cantor desmentiu esse boato em 2008! (foto: Reprodução/Djavan.com.br)

Site do cantor desmentiu esse boato em 2008! (foto: Reprodução/Djavan.com.br)

Conclusão

Essa história afirmando que Djavan teria feito a música Flor de Lis em homenagem à mulher e filha mortas na hora do parto é falsa!

Continue lendo
32 Comentários

32 Comments

  1. JESSÉ

    26 de janeiro de 2016 em 11:34

    As músicas de Djavan são muito boas, você pode ler sua lista de compras de forma cantada e pronto. Fica idêntico.

    Não sei que graça tem fazer músicas com palavras aleatórias “sem pé nem cabeça”.

    É um tipo de música que todo final de frase você pode exclamar da seguinte maneira:

    – Hââ!
    – Hein!
    – What!
    – WTF!
    – UATAFOKA!
    – UATARREL!

    Acho que a Dilma ouvia muito Djavan, os discursos dela parecem terem sidos escritos por ele. kkkkkkkk

    • Luthier

      26 de janeiro de 2016 em 20:43

      Jessé , vai ouvir funk , “músicas” com letras fáceis e pobres. Falta de cultura é um problema.

      • JESSÉ

        27 de janeiro de 2016 em 11:57

        Solidão
        de manhã
        poeira tomando assento
        rajada de vento
        som de assombração
        coração
        sangrando toda palavra sã
        A paixão
        puro afã
        místico clã de sereia
        castelo de areia
        ira de tubarão
        ilusão
        o sol brilha por si
        Açaí
        guardiã
        zum de besouro
        um imã
        branca é a tez da manhã
        (Açai-Djavan)

        OMG o que misturaram na maconha desse cara, bosta de cavalo?

        Para vc Luthier Realmente essa é uma música dificílima, uma super composição, uma música riquíssima e totalmente cultural.

        Consigo compor músicas muito melhores que essa cagando no banheiro.

        Mas enfim, gosto não se discute né?

        E com relação ao Funk eu tbém tenho minhas criticas, mas não estou criticando a MPB, mas sim as composições do Djavan.

        Prefiro mil vezes (em relação a composição musical) Roberto Carlos, Renato Russo, Humberto Gessinger, Tom Jobim, Milton Nascimento, Raul Seixas, Pinxinguinha, , enfim tem vários.

        Mas vamos cutucar vc mais um pouco e colocar Caetano Veloso Juntamente com Djavan no pedestal de compositores mais sem noção do Brasil.

        Veja que não estou criticando a MPB, da mesma forma que você esta criticando o FUNK, mas por mim pode colocar os compositores de FUNK no mesmo pedestal desses dois malas. Pois também não gosto de funk (com exceção das músicas de Claudinho e Buchecha ).

        • Alan Souza

          27 de janeiro de 2016 em 13:34

          Engraçado… compõe melhor que o Djavan mas não faz o mesmo sucesso que ele…

        • ARICELE

          29 de janeiro de 2016 em 6:44

          Legal… Roberto Carlos.. Faz letras ótimas…..tipo “gordinha” não esqueça de destacar Erasmo Carlos esse sim fez Roberto Carlos ser alguém. Erasmo fazia igual ao Nelson Cavaquinho, fazia letra e melodias e saia distribuindo para seus companheiros de boemia colocar o nome. Roberto Carlos gravou até Tim Maia porque não conseguia fazer uma música que prestasse. Ou seja, não fala merda cara…

        • anonimo

          29 de janeiro de 2016 em 9:45

          Já ouviu falar em licença poética? Então Djavan sabe usá-la muito bem… guarde seus comentários para si.

          • Cesar da Silva

            1 de fevereiro de 2016 em 10:25

            Parece que Jessé não sabe o que é arte.

  2. pedro tupina

    26 de janeiro de 2016 em 15:27

    Farsa ou verdade tem que respeita o talento do cara e outra se toda musica for por causa de separação e traição Amado Batista era farsa ou verdadeiro kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

  3. Lidiane Helena Marques

    26 de janeiro de 2016 em 22:14

  4. Petronilho José Alves

    27 de janeiro de 2016 em 21:19

    Letras que são simplesmente para encaixar na melodia.
    Vemos isso em vários compositores. Podemos citar Cazuza, Ed Motta e muitos renomados como Gil e Caetano e até o complicado Carlinhos Brown (também)..
    Ouçam e vejam apenas as do Altay Veloso e vejam o que é uma poesia musicada.
    Poderia citar vários mas, Altay Veloso já é o suficiente.

  5. Fozzy

    28 de janeiro de 2016 em 9:01

    Hahahahaha…. Tanto esse bunda mole do Jesse consegui compor músicas melhores cagando que nunca ouvimos nenhuma música dele sendo interpretada por algum músico de renome. Isso é um típico caso de um idiota com acesso a internet.

    • JESSÉ

      28 de janeiro de 2016 em 11:51

      Não ganho a vida compondo mas como ouvinte posso criticar o trabalho de um artista, do mesmo modo que não ganho a vida jogando futebol mas eu como torcedor também posso criticar a atuação de um jogador de futebol, e da mesma maneira que não ganho a vida como político eu como eleitor posso sim criticar a atuação de políticos. etc etc.

      Agora se vc acha que um cara compondo bosta e ganhando dinheiro de pessoas como você merece ser “endeusado” seja feliz meu irmão, vc tem todo o direito de “consumir bosta”.

      Espero que vc se enquadre no seu julgamento de que o direito de criticar deve ser precedido de vivência e fama a respeito do assunto ao qual esta criticando.

      Ou seja, Fozzy, você só poderia criticar a atuação de um Político de vc for um político famoso, você só poderia criticar a atuação de um jogador de futebol se vc for um jogador de renome mundialmente conhecido e jogando em um grande clube.

      Suas palavras ” …nunca ouvimos nenhuma música dele sendo interpretada por algum músico de renome. Isso é um típico caso de um idiota com acesso a internet.”

      Com relação ao “idiota” ja era de se esperar que uma pessoa sem condições mentais consiga manter um diálogo (comentário) com respeito a opinião sem baixar o nível utilizando-se de ofensas diretas.

      • Alexa Alves

        23 de novembro de 2016 em 11:53

        Jessé respeito sua opinião, é claro que todos tem o direito de ter a sua desde que não a imponha a ninguém não somos o dono da verdade, Não posso discutir sobre coisas que não entendo apenas dou minha opinião e respeito o das outras pessoas.
        Adoro Djavan em 1984 eu tinha 10 anos, foi quando ouvi uma canção sua chamada Lilás. a partir daí, passei a curtir suas canções. Se formos basear em fatos para saber se ele merece toda nossa admiração segue algumas informações para quem se interessar.

        Em 1981 e 1982 ele recebeu o prêmio de melhor compositor da Associação Paulista dos Críticos de Arte.
        No ano 2000, Djavan recebeu os Prêmios Multishow de melhor cantor, melhor show e melhor CD. Entre muitos outros.

        Constam da relação dos intérpretes de suas canções vários artistas brasileiros, como Leny Andrade, Rildo Hora, Roberto Carlos, Olívia Hime, Rosa Passos, Amaranto, Orlando Morais, Rosa Passos, Gal Costa, Augusto Martins, Fátima Guedes, Lica Cecato, Amelinha, Maria Bethânia, Trio Esperança, Zimbo Trio, Bena Lobo, Flora Purim, Zizi Possi, Pery Ribeiro, Jane Duboc, Os Cariocas, Mônica Salmaso, Olívia Byington, Emílio Santiago, Márcia Tauil, Tetê Espíndola, Paulinho Trompete, Leo Gandelman, Simone, Quarteto em Cy e MPB-4, Sergio Mendes, Milton Banana, Tim Maia, Danilo Caymmi, Cauby Peixoto, Raul de Souza, O Tao do Trio, Baby do Brasil, Verônica Sabino, Angela Maria, Nana Caymmi, Cássia Eller, Virgínia Rodrigues, Wanderléa, Jair Rodrigues, Elba Ramalho, Luciana Mello, Cristina Buarque, Gilberto Gil, Caetano Veloso e Quinteto Violado, entre outros, além de Carly Simon, Al Jarreau, Carmen McRae e Manhattan Transfer, no exterior. http://dicionariompb.com.br/djavan/dados-artisticos e muitos outros.

        Entrevista dada pelo Marcus Miller ( compositor e músico de jazz) ao site Terra em 07 de Agosto de 2014.
        Terra – Você conhece música brasileira? Quais são seus artistas preferidos?
        Marcus Miller – Djavan, Milton Nascimento, Ivan Lins. Estou interessado em conhecer novos nomes enquanto estiver por aqui.

        Seu álbum duplo gravado ao vivo, Djavan Ao Vivo, vendeu 1,2 milhões de cópias e sua canção “Acelerou” foi escolhida a melhor canção brasileira de 2000 no Grammy Latino.

        As músicas de Djavan são conhecidas pelas suas “cores”. Djavan retrata muito bem em suas composições a riqueza das cores do dia-a-dia e se utiliza de seus elementos em construções metafóricas de maneira destinta aos outros compositores. As músicas são amplas, confortáveis chegando ao requinte de um luxo acessível a todos. Até hoje é conhecido mundialmente pela sua tradição e o ritmo da música cantada.

        Aprendeu sozinho a tocar violão, acompanhando as cifras nas revistinhas do jornaleiro.
        além de varios premios de melhor musico e composição.

        Estas e muitas outras materias poderão ser encontradas na Wikipédia e em jornais como o Globo, jornal da cultura etc… e o proprio site oficial do compositor.

        Para mim Suas canções ” sem sentido para muitos” me fazem fechar os olhos e viajar com sua voz única que combina perfeitamente com suas canções.

        Mas é claro esta ultima é a minha opinião que como disse sou leiga no assunto apenas escuto aquilo que me toca.

        Abraço.

        Obs. Adoro as canções também do Ed Motta. Amei a Versão da musica You’ll Be in My Heart cantada em sua voz, coloquei na retrospectiva que fiz dos 5 primeiros aninhos da minha filha. todos se emocionaram. Adoro seus arranjos musicais.
        Que voz é essa! Vc brinca com a voz.

  6. Rodrigo

    29 de janeiro de 2016 em 7:37

    Tens o meu respeito Jessé. Não primeiras respostas, eu já estava puto com vc, mas lendo atentamente entendi seu pensamento. Mas por outro lado preciso dizer que vc não pode medir a qualidade de algo pelo seu prisma. Todos temos gostos diferentes e percepções diferentes, então se vc não gosta, não vê qualidade, nem nexo na letra, muitas outras pessoas gostam e muito. Gosto não se discute. Cada um deve respeitar o gosto do outro. Assim como vc rebateu a resposta do Fozzy, que foi contrária à sua e vc respondeu muito bem, não concordo quando vc diz “que continuem ouvindo bosta”, vc está fazendo o mesmo que os outros. Cada um ouve aquilo que acha bom. Muito fácil é sem discussão!!!

  7. Joice

    30 de janeiro de 2016 em 13:23

    Afinal de contas, existe ou náo uma história por trás da canção?

    • Eu™

      30 de janeiro de 2016 em 20:11

      Leia o post.

  8. Gleisom

    30 de janeiro de 2016 em 21:57

    Boa jesse.
    Realmente, música tem que fazer sentido.
    Eu até gosto de Djvan, embora tenha sim músicas sem sentido.

    Agora com respeito a gosto de opinião, cada um tem a sua, mas isso não significa que é uma boa opinião ou gosto.

  9. Fábio Ferreira

    31 de janeiro de 2016 em 20:18

    “rimas de ventos e velas. Vidas que vem e que vai. A solidão que fica e entra, me arremessando contra o cais” Jessé ?

    • JESSÉ

      1 de fevereiro de 2016 em 11:35

      “Vidas que vem e que vai” <<<< Gramaticalmente ta certo? Além de não fazer sentido podemos assassinar a gramatica?

  10. B.Guedes

    1 de fevereiro de 2016 em 13:02

    Quem é esse Jessé na fila do sus?

  11. Antonio Luiz

    7 de fevereiro de 2016 em 7:59

    De acordo com o momento emocional das pessoas, uma música, aparentemente sem sentido para uns, pode ter muito significado a outros. Essa do Jesse, pode ter erro de gramatica, mas pode significar um grande sofrimento e uma luta grande para não cometer suicídio. Pode também significar algum conflito relativo a viajar. Sei lá. Só seu que música pode até não ter letra e ter muito significado. Ao se ouvir uma música em um dado momento, ela pode ser uma chave de lembrança para esse momento. Qualquer música pode prestar para alguma pessoa. Não precisa agradar a todos.

  12. Luci

    9 de fevereiro de 2016 em 8:26

    Só vim pra ler os comentários ?

    • Anairda

      23 de abril de 2018 em 7:07

      Eu tb, rsrs….

  13. GOKU

    29 de junho de 2016 em 18:51

    Esses comentários são muito divertodos! Djavan é um poeta que brinca com a prosódia para trabalhar o ritmo totalmente quebrado de suas melodias… ao contrário do funk que falha na prosódia simplesmente por não saber fo que se trata. Tem umas músicas dificeis de se interpretar mesmo… mas a música é isso… causar a cada um sua própria interpretação. Tanto que mesmo músicas que “façam sentido” podem não estar dizendo o que você pensa. Citando renato russo lembro de Pais e filhos e Daniel na cova dis leões. Em uma fala-se sobre suicídio e na outra sobre boquete dele em outro homem. Sinceramente, o que importa é a sua interpretação e ao que a música te remete não o que ela realmente quer dizer.

  14. Sérgio

    5 de julho de 2016 em 7:58

    Leiam o Conto do Djavanês, na internet. Que é uma réplica do Conto de Lima Barreto “O homem que sabia javanês”.

    Vocês vão fazer uma tentativa para entender 90% das músicas de Djavan, sem está doidão!!!

  15. Lis

    31 de julho de 2016 em 13:37

    E a primeira coisa que se deve saber é que Djavan fala, nessa canção, sobre uma flor de lis. No entanto, não sobre uma flor propriamente dita, mas sim sobre alguém com uma personalidade de uma flor de lis. Uma mulher poderosa e pura. Uma flor de lis.
    O fato é que o eu lírico da canção acabou o seu relacionamento com a sua flor de lis. E este mesmo eu lírico implora perdão por um erro que sabe que cometeu, mas que não sabe qual foi. Ele diz: “Valei-me Deus / é o fim do nosso amor / perdoa, por favor / eu sei que o erro aconteceu / mas não sei o que fez / tudo mudar de vez / eu só sei que amei…”.
    E o eu lírico, por não saber qual foi o erro que cometeu para que se findasse o seu relacionamento, recorre à imaginação para formular justificativas para o fim daquele amor. Acaba questionando se fez certo em entregar-se àquele relacionamento, mesmo sem poder prever o futuro, mesmo sem saber se ele daria certo ou não, e até mesmo sem saber se seria ele a melhor pessoa para aquela mulher.
    É o que se vê nesses versos: “Será, talvez / que minha ilusão / foi dar meu coração / com toda força / pra essa moça / me fazer feliz / e o destino não quis / me ver como raiz / de uma flor de lis”.
    Então, ele chega a conclusão de que sim, foi o destino que não o quis com a flor de lis. E, foi por causa do destino, que acabou vendo o seu amor reduzido a pó. Seu relacionamento, seu amor, acabou morrendo. Talvez, também, por causa da falta de sentimentos de seu amor, que nesse instante adquire nome, Maria. “E foi assim / que eu vi / nosso amor na poeira, poeira / morto na beleza fria de Maria”.
    Chegamos, emfim, ao ponto mais bonito da música. “E o meu jardim da vida / ressecou, morreu / do pé que brotou Maria / nem margarida nasceu”. Diziam os falsos e-mails que esse trecho estava relacionado ao fato de Maria, suposta mulher de Djavan, não ter conseguido parir Margarida, filha do casal. No entanto, acho que deveriam esperar mais do homem que escreveu obras-primas como Te devoro, Se e Oceano.
    Ao falar que o seu jardim da vida ressecou e morreu, Djavan refere-se ao fato de estar traumatizado com o fim de seu relacionamento e, por isso, como tanta gente por aí, achar que sua vida acabou. E, tratando sua vida como um jardim, acaba tratando como árvores seus sentimentos e sensações. E falar que, do pé que brotou Maria (a árvore do amor, já que era Maria sua amada), nem margarida nasceu, significa que, depois de Maria, nunca mais amou outro alguém.

    • Alexa Alves

      23 de novembro de 2016 em 12:18

      Lis, se prestarmos atenção nas canções conseguimos interpreta-las, é claro que temos ai também a visão pessoal do interprete e ninguém melhor do que o proprio para falar delas. Djavan não é um compositor qualquer ele sabe muito bem oque faz. Vc colocou muito bem o que a canção representa.
      Gratidão.

  16. kellton

    17 de agosto de 2016 em 16:02

    http://youtu.be/pFoKjjcLopE o Djavan explica sobre as sua composições, realmente quem acha que a música dele é uma bosta, e não consegue encontrar sentido nas letras é realmente por não possuir tarimba intelectual para o mesmo… criticar dizendo que não compreendeu ou que acha o conteúdo das letras fraco,pode até ser considerado uma crítica saudável, mas dizer que faz o que o cara faz cagando, é mais que alienação, é ausência total de senso crítico de si mesmo.

  17. Dee

    3 de outubro de 2016 em 17:51

    Percebo um tanto desgostoso que cada vez mais as pessoas médias estão perdendo sua pouca capacidade de interpretação de texto, de reconhecer ironia e sarcasmo, de conseguir compreender o significado nas entrelinhas de algumas frases.

    Sabe-se que a sutileza da linguagem é por vezes traidora, porem nessa época em que grassam boçalidades a granel nas redes sociais, uma quantidade cada vez maior de seres precisa ter as coisas escritas em palavras pequenas com letras grandes, praticamente desenhado, para conseguirem entender algo óbvio.
    Os deltas de Huxley ou os Proles do Orwell existem e estão entre nós. E já são maioria…

  18. Icaro

    15 de fevereiro de 2017 em 8:24

    Respeito o Cantor, compositor e grande musico brasileiro Djavan, excelente:
    A flor de lis, tal como o lírio, simboliza a pureza, a virgindade, a beleza e a renovação espiritual. Esse símbolo é, na verdade, o lírio da realeza usado inicialmente pela realeza francesa desde o século XII, de modo que se tornou emblema da França, onde simboliza poder, soberania, lealdade e honra.

    A flor de lis está presente ha heráldica para indicar o status na filiação. Assim, ela indica o sexto filho de uma família.

    Além de outros significados, que veremos adiante, é também símbolo dos escoteiros e do escotismo.
    Pedagogia

    A flor de lis compõe o símbolo dessa profissão que frequentemente é associada à coruja em virtude da associação que essa ave faz à sabedoria. O símbolo da Pedagogia é, na verdade, um caduceu com uma flor de lis à frente.

    Saiba mais em Símbolo da Pedagogia.
    Espiritual

    Estamos diante também de um símbolo religioso. Para os cristãos, ela não só representa a virgindade de Maria e a pureza do anjo Gabriel, como as pessoas Pai, Filho e Espírito Santo num só Deus – a Santíssima Trindade.
    Valei-me, Deus!
    é o fim do nosso amor
    Perdoa, por favor
    Eu sei que o erro aconteceu
    Mas não sei o que fez
    Tudo mudar de vez
    Onde foi que eu errei?
    Eu só sei que amei,
    Que amei, que amei, que amei

    Beleza fia de Maria
    do pé que brotou Maria nem Margarida nasceu….
    Ele faz um trocadilho de palavras onde expressa seu desconforto com o cristianismo( Maria morta e seu fruto infrutífero, ou seja Jesus morreu sem produzir nada (Irônico e confrontador)
    retrata também a frustração de um relacionamento falido, decepção onde Deus seria culpado por seu desamor( nem margarida nasceu,* ele chama deus de incompetente*
    Eu não cometeria esta loucura, porem o cara é muito criativo e um excelente musico, dando um desconto da ignorância religiosa e até blasfemo……
    Sei que é um cara Sensível gosto dele porem aconselho que refaça seu relacionamento com Deus e se retrate com Jesus!
    Belo dia amigos(as)

  19. Marilene Sequeira

    23 de dezembro de 2018 em 23:05

    Jessé Faz um favor pra humanidade????MORRE!!!

Deixe uma Resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mais Populares

Ajude a Manter o E-farsas!

Categorias

Parceiros

Voltando a Circular

Publicidade

Topo