Livro mostra Amazônia internacionalizada!

Share Button

E-mail mostra livro com fotos comprovando que a Amazônia foi internacionalizada!

Mais uma história tão bem inventada que muita gente acreditou e continua acreditando. Esse boato ganhou forças em 2001 e se espalhou pelo mundo em pouco tempo. O pior de tudo é que depois de tanto tempo ainda continuamos a receber essa mensagem. Trata-se de uma história muito mais antiga do que a Internet: A internacionalização da Amazônia.

O e-mail é cheio de informações falsas, traduções errôneas, pede para ser repassada ao maior número de pessoas possível, etc…

Seria fácil de acreditarmos nesse e-mail, afinal, desde a infância escutamos essa história de que os Estados Unidos estariam interessados em “comprar” a Amazônia. Por que será?

O doutor George Felipe Dantas, mestre pela “Graduate School of Education and Human Development” da “The George Washington University,” com atuações como consultor da ONU cita os seguintes fatores para que esse boato tenha sustentação:

1- a Amazônia é rica;

2- os brasileiros não teriam, supostamente, competência para administrar a região e preservá-la, nem para o Brasil, tampouco para o restante da humanidade;

3- existem países de maior capacidade de expressão do poder político/militar que o Brasil (os EUA sendo o maior deles);

4- a região amazônica já foi, inclusive, ‘virtualmente separada’ do território brasileiro nos tais dos mapas, (segundo a ênfase do conteúdo do boato).

Só com esses argumentos o boato já ganha força para que muitos acreditem. Além disso, tem outra coisa que não sai da cabeça da gente:

A ameaça da soberania brasileira seria motivada pelo fato de a Amazônia ser o pulmão do mundo? Afinal, sempre ouvimos que as plantas da região transformam o gás carbônico em oxigênio.

Não é bem assim! De fato, a enorme quantidade e diversidade de plantas existentes na Amazônia é de uma riqueza que não deve ser destruída. Mas, aproveitando para desmistificar mais essa lenda, o site do Projeto Ockhan há uma explicação bacana sobre esse mito de que Amazônia é o pulmão do mundo. Segundo eles, “parte do oxigênio produzido por uma árvore através da fotossíntese é consumido na obtenção de energia através de sua respiração celular. Outra parte dos carboidratos produzidos pela fotossíntese não são queimados e sim incorporados à estrutura da planta à medida que ela cresce (amido e celulose são carboidratos complexos). Em outras palavras, a planta “fixa” parte do carbono que ela remove da atmosfera… Em suma, podemos dar vários motivos para proteger as florestas, mas os níveis de oxigênio e dióxido de carbono da atmosfera não são um deles. Aliás, a própria escolha do termo “pulmão do mundo” já demonstra um certo desconhecimento de biologia. Afinal de contas, nossos pulmões absorvem oxigênio e liberam dióxido de carbono, e não o contrário.”

Mas então, como foi que esse boato surgiu?

Acompanhe como surgiu esse boato:

Cronograma do Boato:

1999 – um site mantido por ex-militares das Forças Armadas criou esse mapa (talvez, como forma de protesto!), mostrando que em 1816 os Estados Unidos já estavam de olho na Amazônia. E em pouco tempo, o mapa se espalhou pela rede.

2000 – Michelle Zwede – uma professora brasileira do Brazil Center da Universidade do Texas, em Austin – resolveu, indignada, mandar um e-mail para os criadores do site para questionar a veracidade do mapa.

Envie suas dúvidas e sugestões de pauta através do nosso WhatsApp pelo número (11) 96075-5663!

2000 – o mapa começou a recircular. Dessa vez, com o nome da professora anexado ilegitimamente ao texto, dando maior credibilidade ao embuste.

Maio de 2000 – O Jornal da Ciência da SBPC (Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência) não tomou o cuidado de certificar a veracidade da fonte e distribuiu o texto falso para milhares de assinantes, via e-mail.

23 de maio de 2000 – O Jornal O Estado de São Paulo publicou a notícia como verdadeira, tanto na versão impressa como na digital. A partir daí, o hoax passou a anexar também o nome do jornal ao corpo da mensagem, aumentando ainda mais a veracidade do mapa. Depois que o jornal descobriu a “derrapada”, tirou imediatamente a matéria do ar.

Junho de 2000 – O embaixador brasileiro nos EUA, Rubens Barbosa, e o embaixador dos EUA no Brasil, Anthony S. Harrington, desmentiram a notícia. Depois de várias investigações, o Jornal publica um pedido de desculpas.

Outubro de 2000 – O boato volta a se espalhar pela rede. Até hoje, em 2008, continuamos a receber esse maldoso hoax.

Só para encurtar um pouco essa nossa matéria, vamos direto aos pontos que denunciam a fraude:

O citado livro intitulado “Introdução à Geografia” não existe. Não encontramos em nenhum site de busca, em nenhuma livraria virtual e nem na biblioteca do Congresso Americano.

O suposto autor do livro – um tal de David Norman – não escreveu nenhum livro sobre geografia. David Norman é um paleontólogo e escreveu vários livros sobre dinossauros.

O jornalista Paulo Rebêlo afirmou em entrevista que os estudantes americanos não têm aula de geografia. Segundo o jornalista, a matéria não faz parte do currículo dos norte-americanos.

No site Novo Milênio há uma relação com os vários erros de escrita que, segundo eles, pode ter sido feito por um brasileiro, ou alguém de língua latina, que converteu o texto para o inglês.

Não encontramos nada a respeito da sigla PRINFA.

Em todos os livros (reais) que pesquisamos, as páginas pares são impressas no lado esquerdo. Como “76” é um número par, a editora teria cometido tal erro de imprimi-la no lado direito do livro?

Além de uma diagramação mal feita, há muitos erros na gramática. Será que alguma escola americana adotaria tal livro para ensinar seus jovens?

 

Só pra encerrar… (e pra variar) você pode perceber que o texto pede para que você repasse para todos os seus conhecidos. Quer um conselho? Não envie. A informação é falsa!

 

Share Button
Conspirações, Correntes, Falso, Lendas Urbanas, Regiões
, , , ,
  • Ivison Torres

    Concordo que esse e-mail e totalmente falso, tambem acredito que se isso mesmo verdade, a imprensa brasileira deveria ter feito muito estardalhaco na epoca.

    Eu lembro, que na mesma epoca que esse e-mail circulava, tambem existia um outro e-mail que circulou na epoca, que relatava a viagem de um sujeito por uma estrada dentro da floresta amazonica, que so podia passar por ela, se pagasse pedagio a uma tribo (essa estrada passava por dentro de uma reserva indigena) e que nas aldeias so se via as bandeiras do EUA, da Inglaterra e da Franca e que a maior parte dos indios nao falava portugues, so ingles ou frances.

  • O e-mail pode ser falso ,mas que os Estados Unidos da America deseja e cobiça a Amozonia isso está claro e nitido para o povo brasileiro ,Que eu como brasileira que sou ,não ousaria chamar meu povo de ignorantes. Porque eu respeito o mais mais simples dos brasileiros. È a minha gente. E o Estados Unido da America tende saber que um dia alguem moreu por está Pátria, e se preciso for haverá homens e mulheres dispostos a tudo outra vez. E o Brasil é um país pacífico mas soberano e digno de respeito a sua soberania.

  • wagner

    Com certeza este email deve ser falso, mesmo porque ele já é bem antigo, mas a pergunta que fica não é se essa mensagem é verdadeira e sim se a história é falsa. Existe um fundo de verdade nisso tudo. É só vermos o que vem acontecendo com as reservas indígenas naquela região. Quem está por trás delas? Na sua grande maioria ONGS multinacionais. Toda a nossa biodiversidade está sendo patenteada por empresas estrangeiras. O que quase aconteceu com a rapadura é um exemplo disso. Se esse doce não fosse um símbolo nordestino, ele já seria de propriedade alemã-americana. A pergunta que fica é: e resto que é feito por debaixo dos panos?

  • PERLA

    GILMAR LOPES…DE Q LADO VOCE ESTA???????????????? VC TEM CERTEZA Q E BRASILEIRO??????????????VC TEM CERTEZA Q AMA A NOSSAAAAAAAAAA PATRIA MAE??????????????

  • Marcos Vitório

    Verdade é que nos amamos a nossa pátria, mas quem está no poder está pouco se lixando. Eu acho que a mensagem é bem verdadeira. Brasileiro briga por futebol, mas não briga por seus direitos básicos. A primeira vez que vi este e-mail fiquei revoltado e bastante indignado. Mas hoje analisando friamente vejo que isso é bem verdade. Esse é o pais de povo manipulado e de pouco senso cívico. E quem está no poder se aproveita bem disso. E acho que vendem até mamãe para se manterem isso assim. Vejam o que está acontecendo agora na copa do mundo, vamos fazer uma copa e pagar dez.

  • Marcos Vitório

    Outra coisa, não acreditem piamente na imprensa. Ela também é manipulada. Acontece muita coisa na Amazônia que a gente nem fica sabendo. Tem reservas que brasileiro não entra. A imprensa só vai lá pra fazer reportagem ecológica e nada mais.

  • Fernando

    Norte-americanos falam muito sobre a “incompetência” brasileira de cuidar da floresta amazônica. Isso seria um “motivo” para eles tirarem o que é nosso e eu creio, sinceramente, que eles estão de olho na Amazônia sim. O problema com os norte-americanos é que aquilo que é deles, é deles e de ninguém mais, o que é dos outros, eles pensam que é deles e se não é deles, eles tomam.

    Os Estados Unidos é o que estraga o mundo. Não sou xenofóbico (juro que não sou), mas a verdade é que eles sempre arranjam desculpas para uma nova guerra. Vocês já reparam que eles falavam muito em armas químicas, mas onde estão as armas químicas? Para mim, aquilo foi apenas mais uma desculpa para eles in ventarem uma nova guerra. Eu sei que Bin Laden era um assassino e terrorista, mas será que ele era tão fdp assim ou ele estava apenas dando uma resposta aos norte-americanos? Pensem! Raciocinem pelo amor de Deus! É cômico (para não dizer trágico) quando eu vejo adolescentes brasileiros puxando o saco de norte-americanos. Enquanto brasileiros falam bem deles, eles detonam a gente. Coloquem uma coisa na cabeça: norte-americanos só gostam de norte-americanos!!! Eu li esses dias no ebay.co.uk, um inglês falando sobre Brasil. Ele dizia: “Estamos empobrecendo e eles estão tomando o que é nosso. Quem era China e Brasil há 20 anos?” Então, por favor, percebam que não são só os norte-americanos, mas outros países também. Engraçado ouvir isso: “Eles estão tomando o que é nosso”. Não estamos tomando nada de ninguém, mas o fato é que países do 1º mundo realmente não querem que o Brasil e países do chamado 3º mundo tornem-se países do 1º mundo, pois não há interesse nisso porque nós sustentamos a riqueza deles! Eu não ficaria surpreso se os Estados Unidos inventasse alguma guerra com o Brasil em um futuro distante apenas para evitar que nos tornemos uma nação poderosa, uma nação de 1º mundo! Eles estão assustados com a econômia brasileira crescendo (inclusive com o aumento do número da classe média) e nós devemos estar alertas! Eu penso que o Brasil deveria começar a investir em nossas forças armadas e criarmos um poderoso exército. Eu sou totalmente contra guerras, mas isso seria bom para nos protegermos caso alguma outra nação venha a fazer gracinhas com o Brasil. Observem que os Estados Unidos tem a maior força militar do planeta e eles fazem o que eles querem e se algum outro país reclamar, eles dizem “cala a boca” e os outros países se calam. Eu penso que nosso país deveria começar a investir nisto, não para fazer guerra, mas para se proteger de países que amam guerras (principalmente, os Estados Unidos). Acorda Brasil!

  • Fernando

    Esqueci de dizer algo importante… Estados Unidos entrou em várias guerras simplesmente metendo o nariz onde não eram chamados. Eles entravam nessas guerras dizendo que iam proteger um país ou outro, mas me digam com sinceridade: alguém realmente já viu os Estados Unidos protegendo outros países ou apenas alegaram isso para proteger os interesses deles??? Norte-americanos costumam fazer muitas coisas ruins contra outros povos, mas quando um país faz algo contra eles, simplesmente se fazem de coitadinhos. Eles se dizem tão preocupados com países que as pessoas são extremamente pobres, mas eles não fazem absolutamente nada para ajudar estes países, pois não há interesses em jogo!

  • Alguém em sã consciência em um debate ou conferência internacional sobre a preservação do meio ambiente,levantaria a questão da necessidade de interncionalizar o Alasca? E claro que não.
    Ora, quem colocaria em dúvida diante da comunidade internacional a questão da irreponsabilidade dos americanos em cuidar de parte do seu território, mesmo que fosse verdade, com este tendo o poderio militar que tem, quem? Ninguém.

    Quem colocaria diante da comunidade internacional de nações a necessidade de internacionalização das florestas chinesas, ou dos campos petrolíferos da russia, ou ainda, parte de seu território? Ninguém.

    Na verdade quando vejo cidadãos HIPOCRITAS de outros paises abrindo a boca para falar na necessidade de internacionalização da amazônia, o que eles estão dizendo ou ainda mostrando e que o Brasil ainda não possui uma política eficientemente madura no que diz respeito a necessidade de termos uma cultura de defesa militar a altura de um país com a infra estrutura que possui, assim como um território que e na verdade também cobiçado.
    E como se eles estivessem dizendo que condições militares vocês possuem para proteger e resguardar a amazônia? Nós temos.
    Eles conhecem a classe política que temos e que poderia alterar esta situação.

    A grande questão que envolve este tipo de situação esta na verdade na falta de uma cultura de defesa daquilo deve ser os interesses brasileiros, tanto em termos de política interna quanto externa, assim como a nível de defesa militar.

    Isto e realmente perigoso, mostra uma fragilidade no campo real da falta de visão estratégica quanto a questão da defesa de nossa soberânia.
    Não e de hoje, que eu escuta coisas como esta relacionado a amazônia, e isto porque quem fala sabe o que esta falando e sabe também sobre a questão da falta de recursos e condições de defesa militar brasileira naquela região.
    Isto implica dizer que quem fala sobre esta questão possui imformações estratégicas e sobre a incapacidade e irresponsabilidade dos políticos em brasília em se preocuparem com esta questão, deixando as forças armadas brasileira a minguá das das necessidades.

    Pouco antes de estourar a guerra franco prussiana de 1870/71, em uma entrevista a um jornal em Paris Napoleão III, disse; a França esta pronta até o último botão, o escritor francês Julho verne disse então; botões não vencem batalhas e guerras.

    Julho Verne estava certo, a derrota francesa foi algo terrívelmente vexatória, botões na vencem batalhas nem guerras.

    Será que estes que discursam pedindo a internacionalização da amazônia consideram que o Brasil esta preparado também até o último botão?

  • Pingback: Erro no Mapa do Brasil da NBC é Hoax()

  • antonio vita

    Geraldo Gabriel, Francisco Selles, Silvano Silva, Fernando e Gualter Mendonça ; sobre : Metais nobres e os dois Aquíferos (Guarani e Alter do Chão). – Serão os motivos da cobiça Mundial. – Americanos e China estão interessados nessa ‘nossa’ riqueza natural (e monumental). – Em 1968 esses movimentos de cobiça no Brasil, ou seja, da Amazônia, já eram intensas; imaginem agora, que, os Governantes atuais, a mais de 12 anos entregaram o Brasil às baratas; ou seja, AGORA as ONGs Internacionais, em especial, as Americanas; estão ‘livres’ para se apoderarem do FILÉ de nosso Território (toda a Amazônia, inclusive e principalmente, os dois AQUÍFEROS : Guarani e Alter do Chão).
    – Hoje em dia, o ‘clima’ está propício para isto; pois a SECA já não é privilégio só do Nordeste Brasileiro e sim de quase todo o Planeta. – É real, a cada dia a Água está cada vez mais ESCASSA no Mundo; e é aí, que mora o perigo !.

  • Os asnonymous conseguiram ressuscitar essa empulhação.

    Como sempre, viva a era e a sociedade da (des)informação, a época em que as pessoas estariam muito mais e melhor informadas sobre tudo que acontece.