O arroz brasileiro está contaminado por vírus e bactérias?

Share Button

Será verdade que várias marcas de arroz estão contaminadas por vírus e bactérias e que o Governo e Ministério da Saúde estão escondendo isso da população?

O alerta surgiu nas redes sociais – sobretudo, no WhatsApp – no começo da segunda quinzena de outubro de 2016 e chama a atenção dos consumidores do arroz das marcas Carreteiro, Máximo, Ouro e Tio João para o perigo de uma infecção!

Segundo o texto, o Governo brasileiro estaria escondendo a informação de que estudantes universitários teriam contaminado propositalmente as plantações de arroz com vírus e bactérias que, se ingeridos, causam infecção no estômago podendo levar a morte.

Será que isso é verdade?

Perigo no arroz dos brasileiros! Será verdade? (foto: Reprodução/Facebook)

Perigo no arroz dos brasileiros! Será verdade? (foto: Reprodução/Facebook)

Verdade ou farsa?  

Como todo bom boato eletrônico que se preza, esse possui todas as características de uma e-farsa:

  • Trata de um assunto que chama a atenção do leitor;
  • Possui um tom alarmista e conspiratório;
  • Usa o nome de pessoas com cargos importantes e de instituições de renome;
  • É vago e não cita fontes;
  • Não é datado;
  • Pede para ser repassado para o maior numero de pessoas;

Analisando trechos do alerta que se espalhou através do WhatsApp, logo na primeira linha temos:    

O governo brasileiro está escondendo uma informação da população.

Texto típico desse tipo de boato: A ideia de que há uma informação importante e que o “governo” está escondendo da população!

Se essa informação está sendo mantida em sigilo, como é que essa pessoa sabe disso? O autor do alerta não diz…

A seguir:

A nova safra de arroz referente a colheita do mês de Outubro foi infectada com vírus e bactérias por estudantes universitários em visitas nas plantações. Esses vírus e bactérias causam infecção no estômago podendo levar a morte. O Ministério da Saúde não tem dinheiro para tirar a bacteria dessa safra de arroz.

Quando os estudantes universitários visitaram essas plantações? Onde foram essas visitas? Quais são essas bactérias e vírus?

Igualmente, o autor do texto também não explica.

No portal do Ministério da Saúde não há nenhuma nota a respeito de arroz contaminado (Ah, é! o Governo está escondendo isso da população muito bem, pois não há nenhuma menção a isso em nenhum jornal!).

Logo no meio do “alerta” temos:

REPASSEM para o maior número de pessoas, não deixe que elas comam arroz das marcas Carreteiro, Máximo, Ouro e Tio João pelos próximos meses. Vamos nos prevenir e denunciar. Parem de comer arroz!

Como todo bom boato alarmista, esse também pede para ser repassado ao maior número de pessoas.

E pra finalizar:

O médico Carlos Gouveia, CRM 32.234 tem mais informações a respeito no 0800-770-7900.

Uma busca pelo CRM 32.234 nos mostra 3 médicos: um de Minas Gerais, uma do rio Grande do Sul e outro de São Paulo. Nenhum deles se chama Carlos Gouveia!

Uma busca pelo nome do médico nos retorna vários médicos, mas nenhum com o CRM informado no boato.

Além disso, o número de telefone citado no boato é do SAC da empresa Top Therm, que nada tem a ver com contaminação de arroz!

Conclusão

Não há nenhuma contaminação no arroz brasileiro! Esse é um dos muitos textos alarmistas que se espalham pelo Whatsapp. Na dúvida, sempre pesquise antes de repassar esses boatos!  

Share Button
Conspirações, Correntes, Falso, Morte, Saúde
, , , , , , , , , ,

Comente pelo Facebook

23 comentários

  1. Se saiu no facebosta, é mentira.

    Ops!! Foi no zapzap. No fim das contas, é quase que o mesmo.

    E o pessoal fica puto quando bloqueiam o zapzap pois não teriam como passar notícias tão importantes como essa? Realmente é muito revoltante ficar sem zapzap.

  2. Cláudia Fragale

    Tudo mentira, pessoal igual ao comentário do feijão que tinha larvas.Pessoal porque só essas marcas não todas .Tudo invenção do povo falta do que fazer.

  3. Gente, o caso é que falaram dessas marcas de arroz é exatamente para vender as que estão contaminadas. Uma espécie de marketing de vendas como acordo dos outros fabricantes. Sacou

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *