15.3 C
São Paulo
quinta-feira, abril 22, 2021

Alfred Hitchcock ensinou a cura para o fascismo?

- Publicidade -

Alfred Hitchcock foi um cineasta britânico. Apesar de ter falecido em 1980, ele é considerado até hoje como um dos mais influentes da história do cinema. Conhecido como o “Mestre do Suspense”, ele dirigiu 53 longas-metragens ao longo de seis décadas de carreira. Ele também produziu material anti-nazifascista, basicamente curtas-metragens, como parte de um esforço de propaganda durante a Segunda Guerra Mundial. O material foi considerado como “muito subversivo” para ser utilizado nesse sentido. Parte de sua obra acabou sendo divulgada somente na década de 1990, quase uma década e meia após a sua morte.

Entretanto, será que ele ensinou a “cura para o fascismo” em um dos filmes que produziu? É isso que alegam algumas imagens, tanto em inglês quanto em português, que circulam nas redes sociais, ao menos desde 2017. Essas imagens são geralmente divulgadas em páginas no Facebook, nacionais e internacionais, no Twitter e no Reddit.

Descubra a verdade agora, aqui, no E-Farsas!

Será que Alfred Hitchcock ensinou a “cura para o fascismo” em um dos filmes que produziu?

Verdadeiro ou Falso?

O segmento onde Alfred Hitchock aparece foi tirado de contexto! Na verdade, ele estava falando sobre a insônia, não sobre o fascismo. O segmento é a introdução de um episódio intitulado “A Bullet for Baldwin“, da série “Alfred Hitchcock Presents“, exibido em 1956.

Eis um trecho do episódio (você pode assistir ao episódio completo, clicando aqui):

A sinopse era: Quando um funcionário de escritório é demitido de seu emprego, ele atira em seu chefe até a morte, mas quando ele retorna ao escritório, seu chefe está vivo e não se lembra do incidente.”

Confira o vídeo referente a introdução desse episódio:

- Publicidade -

Eis o que Hitchcock originalmente disse:

Boa noite. Espero que vocês me desculpem se eu estiver um pouco animado, mas acabei de ter em mãos uma cura para a insônia. Ela vem em forma de cápsula. Para melhores resultados, elas devem ser tomadas internamente. Aqui está o aplicador prático. É um dispositivo incrivelmente simples. Um idiota pode operá-lo e, na verdade, muitos o fazem.”

É muito importante destacar que as introduções feitas por Hitchcock, para essa série, eram caracterizadas pelo chamado “humor negro”, um subgênero do humor que faz as pessoas rirem de situações mórbidas e politicamente incorretas. Não tinha viés político e muito menos qualquer apologia ao assassinato ou suicídio.

Conclusão

O segmento onde Alfred Hitchock aparece foi tirado de contexto! Na verdade, ele estava falando sobre a insônia, não sobre o fascismo. O segmento nada mais é do que a introdução de um episódio intitulado “A Bullet for Baldwin”, da série “Alfred Hitchcock Presents”, exibido em 1956. Aliás, diga-se de passagem, a introdução possui tom humorístico, e não faz qualquer apologia ao assassinato ou suicídio.

- Publicidade -
Marco Faustinohttp://www.e-farsas.com/author/marco
Jornalista e colaborador do site de verificação de fatos E-farsas entre janeiro de 2019 e dezembro de 2020. Entre junho de 2015 e abril de 2018, trabalhei como redator do blog AssombradO.com.br, além de roteirista do canal AssombradO, no YouTube, onde desmistificava todos os tipos de engodos pseudocientíficos e casos supostamente sobrenaturais.

Últimas Atualizações

- Publicidade -

Ajude a Manter o E-farsas

- Publicidade -

Checagens Relacionadas

3 COMENTÁRIOS

  1. Isso aí também é cura para youtubeiro com hiperglicemia retal que encheu o rabo de dinheiro falando e fazendo porra nenhuma e que atualmente está deprimidinho, com crisezinha existencial, crisezinha de identidade, cansadinho e outras frescuras do tipo e que quer abandonar o tubo (essa eu adoraria ver).

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui