Conecte com a gente

E-farsas – Desvendando fake news desde 2002!

E-farsas – Desvendando fake news desde 2002!

Bandeira antifascista no prédio do Partido Comunista Alemão é verdadeira ou falsa?

Fotos

Bandeira antifascista no prédio do Partido Comunista Alemão é verdadeira ou falsa?

Bandeira antifascista no prédio do Partido Comunista Alemão é verdadeira ou falsa?

Circula nas redes sociais, principalmente no Twitter (arquivo), uma foto que mostraria a bandeira antifascista na fachada da sede do antigo Partido Comunista Alemão (“Kommunistische Partei Deutschlands” ou “KPD” em alemão)!

Trata-se de uma foto em preto e branco, que retrata o antigo prédio (Casa Karl Liebknecht) que abrigava esse partido, que por sua vez foi dissolvido em 1956.

Tuíte publicado na manhã de hoje (12).

Atualmente, o prédio, que passou por inúmeras reformas, mas que continua se chamando Casa Karl Liebknecht, abriga a sede do Partido de Esquerda (“Die Linke“, em alemão).

A Casa Karl Liebknecht que atualmente abriga a sede do Partido de Esquerda (“Die Linke”, em alemão).

Interessante destacar nesse ponto, que na Alemanha Oriental o KPD foi fundido, por decreto soviético, com remanescentes do Partido Social Democrata (SPD) para formar o Partido Socialista Unificado (SED), que governou a Alemanha Oriental de 1949 até 1989-1990. Essa fusão forçada foi contestada por muitos social-democratas, que acabaram fugiram para as zonas ocidentais. Mais para frente vocês vão entender o porquê eles não curtiram muito essa ideia.

Após a queda do Muro de Berlim, os reformistas assumiram o comando do SED e o renomearam para Partido do Socialismo Democrático (PDS). Em 2007, o PDS posteriormente se fundiu com um outro partido chamado “WASG” para finalmente formar o que conhecemos atualmente como “Partido de Esquerda” (o tal “Die Linke“).

Voltando ao Objeto de Nossa Análise!

Enfim, voltando ao objeto de nossa análise, muitos usuários rapidamente alegaram que a foto se tratava de uma montagem!

Muitos usuários rapidamente alegaram que a foto se tratava de uma montagem.

Entretanto, será que estamos realmente diante de uma montagem ou será que a foto é autêntica? Descubra agora, aqui, no E-Farsas!

Verdadeiro ou Falso?

A foto é verdadeira, ou seja, não estamos diante de uma montagem! Ela foi tirada pelo fotógrafo alemão Carl Weinrother, em 1932! Além disso, a fotografia consta no Bundesarchiv (Arquivo Federal Alemão) com a seguinte legenda:

Propaganda eleitoral na Casa Karl Liebknecht para a eleição do Reichstag (Parlamento) em 1932

A fotografia consta no Bundesarchiv (Arquivo Federal Alemão)!

Calma aí, o artigo não acaba aqui! É interessante destacar o que aparece escrito ao redor dessa bandeira: “Antifaschistische Aktion“.

Antifaschistische Aktion

Antes de mais nada, o verdadeiro significado do termo “antifa” é algo complexo na Alemanha desde que o finado Partido Comunista da Alemanha (KPD) adotou o termo e o símbolo composto pelas duas bandeiras para a campanha eleitoral de 1932. Eles bagunçaram a história toda, e usaram o termo ao bel prazer deles, meio que surfando na onda do antifascismo ao criar uma espécie de guerra de narrativas, onde só eles queriam ter a razão (daqui a pouco chegaremos nesse ponto).

Assim sendo, por definição, podemos dizer que o “Antifaschistische Aktion” foi um movimento militante antifascista da então República de Weimar, que foi iniciada por membros do KPD. E, oficialmente, esse movimento durou apenas dois anos (entre 1932 e 1933). Depois disso veio o Hitler e sabemos que ele não curtia muito esse negócio de oposição.

Entre em contato com o E-farsas

(11) 96075-5663 - t.me/efarsas

Ah, só para ninguém ficar perdido, a República de Weimar é a designação histórica pela qual ficou conhecida a república estabelecida na Alemanha após a Primeira Guerra Mundial, em 1919, e que durou até o início de 1933.

Todo Mundo era Fascista para o KPD

O KPD via o fascismo, primordialmente, como o “estágio final do Capitalismo”, não como um movimento ou grupo específico. Portanto, o KPD aplicava o termo a todos os outros partidos, que não pensavam como ele. Sim, todo mundo que não concordava com o KPD era fascista ¯ \ _ (ツ) _ / ¯ .

Assim sendo, o KPD atirava para todo lado e comumente atacava o Partido Social Democrata da Alemanha (SPD), de centro-esquerda, a quem eles se referiam como fascistas sociais e consideravam o “principal pilar da ditadura do Capital”. Tava na cara que isso não ia dar certo!

Para vocês terem uma ideia, eis a irônica descrição que o KPD dava ao “Antifaschistische Aktion” :

Uma frente vermelha unida sob a liderança do único partido antifascista, o KPD“.

Congresso do Antifaschistische Aktion organizado pelo Partido Comunista da Alemanha em 1932.

Até hoje, no entanto, não se sabe quantas pessoas faziam parte do movimento, visto que não havia carteirinha de filiação ou algo do tipo.

A Inspiração Pós-Guerra

Na era pós-guerra, o movimento “Antifaschistische Aktion” inspirou inúmeros movimentos, grupos e indivíduos diferentes na Alemanha e em outros países, que amplamente adotaram variantes de sua estética e algumas de suas táticas. Contudo, segundo a cientista política alemã Antonia Grunenberg, os grupos modernos autointitulados “Antifa” não teriam uma conexão organizacional direta com o “Antifaschistische Aktion” original.

Para vocês terem uma ideia da extensão da divisão atual, os grupos antifa não conseguem nem mesmo concordar com a formato do símbolo utilizado por eles. Alguns, por exemplo, preferem deixar a bandeira maior na cor preta, com uma bandeira vermelha menor abaixo, dentro de um círculo com a borda preta. Definitivamente, o consenso não é o ponto mais forte do movimento.

Um Detalhe Peculiar que Pode Passar Despercebido!

Sabe aquele símbolo utilizado pelo “Antifaschistische Aktion“? Então, o símbolo original do movimento criado pelo KPD eram duas bandeiras vermelhas (socialistas), soprando para a direita, com os mastros inclinados para a esquerda. A maioria agora mostra as bandeiras soprando para a esquerda. E, provavelmente, a versão mais comum agora possui a bandeira inferior na cor preta, não vermelha, como uma espécie de aceno para o elemento anarquista do movimento, e também para o lado socialista.

Uma vez que estamos diante de fotos em preto e branco esse detalhe pode passar despercebido!

O símbolo original do movimento criado pelo KPD eram duas bandeiras vermelhas (socialistas), soprando para a direita, com os mastros inclinados para a esquerda.

Com a Palavra, a Bundesverfassungsschutz

Segundo um artigo recentemente publicado no site da “Deutsche Welle”, a agência de inteligência interna da Alemanha, a Bundesverfassungsschutz, descreve o movimento antifa como o “principal campo de agitação” para grupos esquerdistas autônomos.

A agência também observa que alguns adeptos também apoiam “ações militantes voltadas, principalmente, para oponentes políticos, especialmente ‘nazistas’ reais ou supostos. Isso geralmente pode resultar em danos consideráveis à propriedade, mas também, às vezes, a indivíduos “.

Conclusão

A foto é verdadeira, ou seja, não estamos diante de uma montagem! Ela foi tirada pelo fotógrafo alemão Carl Weinrother, em 1932! De qualquer forma, recomendamos fortemente a leitura deste artigo para que vocês possam ter ao menos uma ideia de como o movimento chamado Antifaschistische Aktion nasceu e para qual finalidade ele foi criado!

Continue lendo
19 Comentários

19 Comments

  1. Guilherme

    12 de junho de 2020 em 21:55

    Bom, o uso que o KPD fazia de antifascismo e o ato de chamar todos os opositores deles de fascistas perdura até hoje. Qualquer um que desafie qualquer coisa que alguns setores da esquerda defende é chamado de fascista, provavelmente por gente que nem tem ideia do que seja fascismo. Ótimo artigo.
    Também é bom que as pessoas enfiem na cabeça que ser anti-fascismo não é ser Antifa, e o contrário também não é verdade, pois hojhe em dia os ANTIFA usam táticas bem parecidas com um certo grupo que usava camisas marrons uns 80 anos atrás…

    • Marco Munista

      13 de junho de 2020 em 10:55

      Curiosamente o “efeito ferradura” se aplica nos dias de hoje. Qualquer um que desafie o presidente e qualquer coisa que alguns setores da direita defende é chamado de comunista, provavelmente por gente que nem tem ideia do que seja comunismo.

    • Simon Wiesenthal

      15 de junho de 2020 em 21:57

      Qualquer um que desafie qualquer coisa que alguns setores da esquerda defende é chamado de fascista, provavelmente por gente que nem tem ideia do que seja fascismo.

      Abaixo estão algumas características comuns atribuídas a alguns governantes – Mussolini e Fujimori incluídos -, levantadas pelo escritor Laurence W. Britt, após analisar 7 regimes fascistas:

      http://www.hartford-hwp.com/archives/27/076.html

      1. Empoderamento nacionalista contínuo.
      2. Desdém por direitos humanos.
      3. Identificação do inimigo como causa unificadora.
      4. Supremacia militar.
      5. Sexismo desenfreado.
      6. Controle de mídias de massa.
      7. Obsessão com segurança nacional.
      8. Governo e religião interligados.
      9. Poder/direitos corporativistas protegidos.
      10. Poder/direitos de trabalhadores suprimidos.
      11. Desdém pelos intelectuais e pelas artes.
      12. Obsessão por crime e punição.
      13. Corrupção e nepotismo desenfreado.
      14. Eleições fraudulentas.

      Agora faça um X na frente de todos os itens que seu presidente se encaixa e veja que se ele (ainda) não é fascista, está caminhando a passos largos para se tornar um. Se você não sabe o que é fascismo, o problema é com você, única e exclusivamente.

      • Luciano

        23 de junho de 2020 em 15:44

        A gente vai lendo e vai aprendendo. Nunca tinha ouvido falar desse Laurence Britt. Fui pesquisar, já que o nosso companheiro Wiesenthal o cita com tanta pompa e circunstância. Resultado? Um novelista sem formação acadêmica em nenhum campo do conhecimento humano. A opinião dele sobre o que é fascismo não passa de uma visão particular. Agora, se formos à Escola Austríaca de Economia, teremos informações bem mais fundamentadas sobre o que é o fascismo visto que, por uma questão simples e fundamental, as ideologias se definem principalmente pela forma como conduzem a vida ECONÔMICA e social de uma nação. A partir daí podemos começar a discutir o fascismo.

        • Simon Wiesenthal

          30 de junho de 2020 em 12:50

          Jovem, vou auxiliá-lo com a interpretação de textos: Abaixo estão algumas características comuns atribuídas a alguns governantes – Mussolini e Fujimori incluídos -, levantadas pelo escritor Laurence W. Britt, após analisar 7 regimes fascistas:
          1) Citei que o Laurence é escritor. Não afirmei em nenhum momento que ele seja alguma sumidade no assunto;
          2) A análise feita por ele cita características comuns encontradas entre governantes citados pela história como fascistas;
          3) As características batem com as do atual governante. Quer dizer que ele é um fascista? Pode ser que não, pela definição da “Escola Austríaca de Economia” – que ao meu ver, ao contrário do citado pelo Lawrence, abrange APENAS os aspectos econômicos relacionados ao fascismo;
          4) Pela definição de fascismo da Wikipedia, conforme segue:
          https://pt.wikipedia.org/wiki/Fascismo
          Ele é fascista e fim de papo. Pare de passar pano pra político fascista, que tá ficando feio.
          Ps.: Antes que venha com “ain, wikipedia, mimimi, bla bla bla”, as fontes estão no final da página. Divirta-se e envergonhe-se por ter votado num FASCISTA.
          Em tempo: Tem cara de fascista, tem jeito de fascista, tem cor de fascista, tem AÇÕES de fascista… logo, ele é o que?
          https://noticias.uol.com.br/politica/ultimas-noticias/2020/06/01/bolsonaro-posta-video-facebook.htm

        • Simon Wiesenthal

          30 de junho de 2020 em 12:53

          Sem falar que você não refutou NENHUM dos argumentos levantados pelo autor – cujas referências estão todas listadas no final do link postado – apenas tentou atacá-lo pessoalmente em uma clara demonstração de ad hominem, sem sequer apresentar argumentos válidos. Falácias não vão te dar razão, apenas demonstrarão seu desespero e despreparo.

        • Trago Verdades

          3 de julho de 2020 em 19:32

          Curiosa a tática de atacar a PESSOA e não o argumento. O cara pode ser um novelista sem formação acadêmica em nenhum campo do conhecimento humano, mas usou parte do tempo para analisar e compilar uma lista de características que são comuns aos líderes fascistas analisados por ele, e você foi incapaz de mostrar que ele está errado, apenas atacou as credenciais dele. Vamos lá, ele fez essa análise e postou as referências, e você? É capaz de fazer o mesmo que ele fez e apontar onde ele errou em sua análise? Quero ver se é capaz ou se é só mais um bozominion falastrão que defende políticos.
          Valendo!

      • Barts

        25 de junho de 2020 em 1:47

        Até parece que o socialismo teve nos anais da historia algum exemplo de humanitarismo, muito pelo contrário, foi tão pior quanto o nazismo e próprio fascismo.

        • Simon Wiesenthal

          30 de junho de 2020 em 12:42

          …Como se essas fossem apenas as únicas opções, né? Se não é fascista, é automaticamente socialista. Mesmo discurso binário dos apoiadores do presidente atual, “ou você está com o presidente, ou é comunista.” Discurso limitado e raso, como sempre.

      • Rodrigo Vilela

        10 de julho de 2020 em 0:09

        Permita-me compartilhar???

        • Simon Wiesenthal

          10 de julho de 2020 em 21:41

          Fique à vontade!

  2. Maria

    13 de junho de 2020 em 4:06

    Que interessante! Só que em História (Ciências Humanas) aprendi que tanto o Modo de Produção Capitalista como o Socialista e Comunista MATARAM MUITA GENTE, assim como os demais modos: Primitivo, Regadio (Hidráulico, Asiático), Escravista e Feudal. 😉

  3. Marcelo Olegário ignez

    13 de junho de 2020 em 14:52

    A foice o o martelo estão ali de zuera…sacanagem deles, para a gente interpretar como apenas um movimento republicano. Tá de sacanagem, tão passando pano para fake news.

  4. Alexandre Ribeiro da Silva

    13 de junho de 2020 em 17:57

    Vou fundar o movimento Anti Palavras Alemães Com Mais De 10 Letras e Com Mais De 60% Consoantes.

  5. Alexis Fernando

    17 de junho de 2020 em 3:30

    Ao que parece não houve muita mudança de atuação da esquerda que faz uso desse termo “fascista”, pois “fascista” para eles são todos que os contrariem. Lamentável mesmo a banalização dessa expressão. Os antifas não lutavam por democracia, mas por uma ditadura, lutavam contra autoritários que não os beneficiavam, mas eram eles tão autoritários quanto.

    • Marco Munista

      17 de junho de 2020 em 13:54

      Ao que parece não houve muita mudança de atuação da direita que faz uso desse termo “comunista”, pois “comunista” para eles são todos que os contrariem. Lamentável mesmo a banalização dessa expressão.

      • Gilmar Lopes

        17 de junho de 2020 em 14:17

        Nos grupos pró-Bolsonaro onde fomos inseridos, a “ameaça da invasão comunista” é uma constante nas publicações. Perguntei quais as fontes, mas ninguém responde!
        whatsapp

Deixe uma Resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mais Populares

Ajude a Manter o E-farsas!

Categorias

Parceiros

Voltando a Circular

Publicidade

Apoio técnico!

Topo