Conecte com a gente

E-farsas – Desvendando fake news desde 2002!

E-farsas – Desvendando fake news desde 2002!

Charlie Chaplin ficou em terceiro lugar num concurso de sósias de Charlie Chaplin?

Cinema / TV

Charlie Chaplin ficou em terceiro lugar num concurso de sósias de Charlie Chaplin?

Charlie Chaplin ficou em terceiro lugar num concurso de sósias de Charlie Chaplin?

Você não leu errado o título deste artigo! Recentemente, nos deparamos com uma história bem inusitada sobre Charlie Chaplin um dos mais famosos artistas cinematográficos da era do cinema mudo.

Segundo uma publicação datada de 11 de outubro de 2020, de um perfil chamado “Universo Curioso”, no Instagram (arquivo), em 1975, Chaplin participou de um concurso na França. Ele provavelmente pensou que iria ganhar o prêmio e todos teriam uma risada calorosa no final.

Contudo, ele ficou em terceiro lugar.

Publicação do perfil “Universo Curioso” no Instagram.

A publicação em questão já obteve quase 18 mil curtidas e capturas de tela vêm sendo disseminadas no Facebook (1,2,3,4,5) no formato de mensagens motivacionais.

A publicação em questão já obteve quase 18 mil curtidas e capturas de tela vem sendo disseminadas no Facebook.

Uma história incrível, não é mesmo? Entretanto, será que isso é verdade? Descubra agora, aqui, no E-Farsas!

Verdadeiro ou Falso?

Falso! Não há nenhuma prova isso tenha acontecido, ou seja, tudo não passa de uma lenda!

Em primeiro lugar, a foto utilizada na publicação não foi tirada em 1975, mas em 5 de novembro de 1921, em frente a um antigo teatro chamado Liberty, localizado na cidade de Bellingham, no Estado de Washington, nos Estados Unidos.

Tratava-se de um concurso de sósias de Charlie Chaplin para promover o filme “The Idea Class”. A foto foi tirada pelo fotógrafo canadense J.W. Sandison. Portanto, já sabemos que não se trata de quaisquer concursos eventualmente realizados em 1975.

A foto utilizada na publicação não foi tirada em 1975, mas em 5 de novembro de 1921, na cidade de Bellingham, no Estado de Washington, nos Estados Unidos.

Em segundo lugar, há diversas versões que circulam dessa história, o que já seria, no mínimo, suspeito! Há quem diga que Chaplin teria ficado em 20° lugar, 27° lugar ou em 2° lugar. Evidentemente, em nenhuma dessas versões Chaplin ganhou o concurso.

Em terceiro e último lugar, o próprio Charles Chaplin desmentiu essa história numa entrevista em 1966.

Um Pouco de Investigação

Para vocês terem uma ideia, essa história circula ao redor do mundo há mais de um século! E, há mais de um século, não há nenhuma prova que Chaplin tenha participado de um concurso de sósias de si mesmo! No passado recente e distante, diversos sites brasileiros já exploraram essa história, a exemplo do “Aventuras na História“, “Metamoforse Digital” e “Meio Norte“.

No passado recente e distante, diversos sites brasileiros já exploraram essa história, a exemplo do “Aventuras na História”…

…e o “Metamoforse Digital”.

De acordo com a lenda “original”, no entanto, o tal concurso teria acontecido entre 1915 e 1920.

A Pesquisa em Jornais Antigos

Eis o que noticiou o jornal singapurense “The Straits Times” em sua edição de 10 de agosto de 1920!

Lord Desborough, presidindo um jantar do clube Anglo-Saxão, contou uma história que terá uma vida duradoura. Vem de Miss Mary Pickford, que disse a Lady Desborough, ‘Certo dia, Charlie Chaplin estava numa feira nos Estados Unidos, onde a principal atração era uma competição para ver quem poderia imitar melhor a caminhar de Charlie Chaplin. O verdadeiro Charlie Chaplin achou que poderia ter uma chance, então ele se inscreveu, sem seu famoso bigode e suas botas. Foi um tremendo fracasso, e ficou na vigésima colocação

Texto publicado pelo jornal “The Straits Times” em sua edição de 10 de agosto de 1920!

Essa mesma história apareceu num jornal neozelandês, o Poverty Bay Herald, também em 1920. Já em março de 1921, o jornal australiano “Albany Advertiser” noticiou algo ligeiramente diferente:

Uma competição de imitadores de Charlie Chaplin foi realizada na Califórnia recentemente. Havia cerca de 40 competidores e, Charlie Chaplin, de brincadeira, entrou no concurso com um nome falso. Ele se fez passar por seu conhecido filme. Mas ele não venceu; ele ficou em 27º lugar na competição

Em março de 1921, o jornal australiano “Albany Advertiser” noticiou algo ligeiramente diferente.

As Pessoas Citadas nos Textos

Lord Desborough (ou William Grenfell) foi um atleta e político britânico, e obviamente Lady Desborough (ou Ettie Grenfell) era sua esposa. Já Mary Pickford foi uma atriz e produtora canadense-americana, e uma pessoa muito próxima de Charlie Chaplin.

Vale lembrar que em 1919, Charles Chaplin, Mary Pickford, Douglas Fairbanks e D.W. Griffith (dois atores dos mais famosos de sua época e dois diretores que marcaram a história do cinema) fundaram uma empresa chamada “United Artists”, que tinha a premissa de fazer frente às outras corporações de Hollywood.

De onde o Perfil “Universo Curioso” Tirou a Versão que Citava a França?

A versão citada pelo perfil “Universo Curioso” apareceu num texto publicado no site da revista “Newsweek”, em abril de 2015, que por sua vez alega ter retirado de um livro chamado “Hollywood Winners & Losers A to Z“!

Contudo, não há qualquer outra referência sobre isso.

A Suposta Participação de Charlie Chaplin num Concurso de Imitadores de Charlie Chaplin em 1915

Muitos sites alegam que essa história é verdadeira, porque, na verdade, Chaplin teria participado de um concurso em 1915. Essa nova versão para a história apareceu num livro chamado “Tramp: The Life of Charlie Chaplin“, que foi publicado em 1996.

Essa nova versão para a história apareceu num livro chamado “Tramp: The Life of Charlie Chaplin”, que foi publicado em 1996.

Eis o que é mencionado:

As casas de Vaudeville ainda exibiam filmes em 1915, e muitas estavam reverberando a moda de Charles Chaplin ao promover concursos de imitadores. Entre os primeiros vencedores estava Bob Hope, que levou o primeiro prêmio num concurso realizado em Cleveland. O próprio Charlie não teve tanta sorte. Quando ele entrou num concurso promovido por um teatro em São Francisco, ele não conseguiu nem chegar às finais. ‘Eu me senti tentado a dar aulas  sobre o caminhar de Chaplin’, disse ele a um repórter, ‘por pena e também pelo desejo de ver a coisa feita corretamente’“.

Contudo, toda essa história é um tremendo…

…Telefone sem Fio!

Repararam que essa história é um “telefone sem fio”? Alguém que teria contado pra outro alguém, que por sua vez teria contado para um grupo de pessoas? Além disso, vale questionar alguns pontos totalmente obscuros:

  1. Onde ficava localizado esse clube Anglo-Saxão? Esse clube realmente existiu?
  2. Quando ocorreu esse jantar no clube?
  3. Quando a feira, onde teria havido um concurso sósias de Chaplin, aconteceu?
  4. Qual o nome do concurso?
  5. Qual teatro de São Francisco promoveu o concurso?

Simplesmente, não há nenhuma resposta para nenhuma dessas perguntas. A melhor versão é aquela citada no livro “Tramp: The Life of Charlie Chaplin“, uma vez que a referência fornecida foi a de um jornal chamado “Chicago Herald”, em sua edição do dia 15 de julho de 1915.

Entretanto, também há problemas nessa história! O texto não menciona o nome do local, o nome do concurso, tampouco o nome do repórter. E, para piorar a situação, não há recorte mostrando que isso foi realmente publicado pelo jornal, que aparentemente circulou por apenas quatro anos com esse nome (entre 1914 e 1918).

Enfim! Tudo o que temos sobre essa história são publicações curtas, vagas, com escassez de detalhes. Basicamente, fofoca.

Entre em contato com o E-farsas

(11) 96075-5663 - t.me/efarsas

O Contato de um Usuário com a “The Association Chaplin”

Em 2012, um usuário chamado John Lyon respondeu a uma pergunta de um site de Q&A (perguntas e respostas) chamado “Stack Exchange” sobre esse assunto. Ele alegou ter entrado em contato com a “The Association Chaplin” uma associação criada por alguns filhos do Chaplin para proteger o acervo e a história do artista.

Eis um trecho da resposta:

“…A única referência real que já vi sobre essa história está em recortes de jornais ingleses de 1918, quando Mary Pickford estave em Londres num jantar no Clube Anglo-Saxão, e contou uma história a Lord Desborough, que a repetiu para a imprensa, dizendo que Charles Chaplin participou de um concurso de imitadores de seu caminhar numa feira nos Estados Unidos e ficou em 20º lugar.

Essa anedota foi contada por Lord Desborough, seja quem ele for, e foi amplamente divulgada na imprensa britânica da época. Não há outras referências ao tal concurso em quaisquer outros recortes de jornal que eu tenha visto, então posso apenas assumir que esta seja a fonte desse boato, lenda urbana, ou seja lá o que isso for.

No entanto, talvez seja verdade.

Também rabisquei em um pedaço de papel uma nota para mim mesmo há algum tempo, que Charles Chaplin Jr menciona o concurso em seu livro chamado ‘My Father’… mas não consegui encontrar a referência novamente naquele livro … (!)

Nesse ponto, vocês devem ter um fio de esperança que a história possa ter sido verdadeira, né? Contudo…

Não Encontramos Nenhuma Referência Sobre o Suposto Concurso no Livro “My Father”

Alugamos, gratuitamente, o livro “My Father” publicado em 1960 no Internet Archive.

Durante cerca de uma hora fizemos uma exaustiva busca por palavras-chave que pudessem nos indicar quaisquer concursos que Charlie Chaplin pudesse ter participado e perdido como imitador de si próprio.

Contudo, não encontramos absolutamente nada.

Não encontramos nenhuma referência sobre o tal concurso no livro “My Father”

O usuário John Lyon também alegou ler lido esse livro, mas, novamente, não encontrou nenhuma referência.

O Próprio Charlie Chaplin Negou Essa História Numa Entrevista de 1966

Não fiquem bravos, mas deixei o melhor para o final. Afinal de contas, era necessário que vocês soubessem como foram enganados ao longo de todo esse tempo, e as razões pelas quais deveriam ter desconfiado.

Em 21 de junho de 2016, o site “Open Culture” questionou a veracidade dessa história, mas sem realmente dar um veredito. No entanto, dois dias depois um usuário chamado Jeffrey Vance alegou nos comentários que essa história era falsa!

Comentário de Jeffrey Vance.

E quem era o Jeffrey Vance? O autor de um livro chamado “Chaplin: Genius Of The Cinema”, que foi lançado em outubro de 2003. Ele é um historiador de cinema, produtor, e já trabalhou como arquivista da empresa Roy Export S.A.S, pertencente a família de Chaplin, e que detém os direitos autorais sobre todos os filmes feitos por pelo artista.

Jeffrey Vance, autor de um livro chamado “Chaplin: Genius Of The Cinema”, que foi lançado em outubro de 2003.

Entramos em Contato com Jeffrey Vance!

Para saber mais detalhes sobre essa história entramos em contato com Jeffrey Vance. Segundo ele, embora essa seja uma ideia bem divertida, ela é completamente falsa!

Um famoso jornalista chamado Richard Meryman (1926 – 2015) entrevistou Chaplin, extensivamente, durante quatro dias, para uma edição da revista LIFE, que foi publicada em 1966. Apenas uma pequena parte das entrevistas foi publicada. Richard autorizou que Jeffrey publicasse cerca de 10 mil palavras do material em seu livro. Foi aí que Jeffrey descobriu que o próprio Chaplin havia desmentido essa história.

Ao ser questionado pelo jornalista se essa história era verdadeira (página 120), Chaplin negou e comentou:

‘Em primeiro lugar’, explicou Chaplin, ‘Estou trabalhando duro o dia todo. Certamente não quero fazer isso’

Segundo Jeffrey, essa informação foi publicada em primeira mão em seu livro! Ele também nos disse que atualmente está escrevendo um livro sobre a relação entre Chaplin e sua parceira de negócios na United Artists, a superestrela do cinema mudo Mary Pickford. Ele disse que sua pesquisa teria apontado para o surgimento dessa lenda no início da década de 1920. A fonte? Mary Pickford!

E aqui mora um detalhe interessante, porque segundo Jeffrey, um não gostava do outro, e a relação piorava a cada década! Embora a história fosse divertida, ao mesmo tempo acabava por menosprezar o Chaplin.

O marido de Mary Pickford, Douglas Fairbanks, era famoso por contar histórias fantásticas. Pickford, ocasionalmente, também teria pegado essa mania. A história do concurso é a melhor — e mais duradoura — história de Pickford.

Entramos em Contato com o Arquivo de Charlie Chaplin

Entramos em contato com o “Arquivo de Charlie Chaplin” para tentar obter uma cópia dessa passagem da entrevista para agregar ao nosso artigo! Portanto, caso haja alguma resposta (algo que pode demorar), publicaremos uma atualização!

Atualização #1 – 27/10 às 13h40

Kate Guyonvarch, diretora-geral do Arquivo Charlie Chaplin, nos respondeu!

Inicialmente, ela disse que havia apenas uma fotocópia contendo a transcrição de todos os quatro dias de entrevistas e, portanto, não tinha ferramentas para pesquisar no extenso material que possuem. Contudo, pouco tempo depois, recebemos outro email e, para nossa surpresa, Kate encontrou! É inacreditavelmente satisfatório receber esse pedaço do manuscrito e poder mostrar a vocês!

E sim, Chaplin desmentiu essa história conforme Jeffrey Vance havia mencionado!

Caso definitivamente encerrado! Um lenda secular derrubada com sucesso!

Atualização #2 – 04/12 às 10h40

Em novembro de 2020, fizemos um vídeo curtinho onde resumimos toda essa história para o programa “Olá, Curiosos!”:

Conclusão

Falso! Não há nenhuma prova isso tenha acontecido, ou seja, tudo não passa de uma lenda! Em primeiro lugar, a foto utilizada na publicação não foi tirada em 1975, mas em 5 de novembro de 1921, em frente a um antigo teatro chamado Liberty, localizado na cidade de Bellingham, no Estado de Washington, nos Estados Unidos.

Em segundo lugar, há diversas versões que circulam desa história, o que já seria, no mínimo, suspeito! Há quem diga que Chaplin teria ficado em 20° lugar, 27° lugar ou em 2° lugar. Evidentemente, em nenhuma dessas versões Chaplin ganhou o concurso.

Em terceiro e último lugar, o próprio Charles Chaplin desmentiu essa história numa entrevista dada ao jornalista Richard Meryman em 1966. Tudo isso teria sido eventualmente inventado por sua parceira de negócios, Mary Pickford, talvez como uma forma de menosprezá-lo.

Continue lendo

Jornalista, redator, e pesquisador de comunicação social com foco no combate a disseminação de notícias falsas. Colaborador do site de verificação de fatos E-farsas.com desde janeiro de 2019. Entre junho de 2015 e abril de 2018, trabalhei como redator do blog AssombradO.com.br, além de roteirista do canal AssombradO, no YouTube, onde desmistificava todos os tipos de engodos pseudocientíficos, além de casos supostamente sobrenaturais.

6 Comentários

Mais Populares

Ajude a Manter o E-farsas!

Categorias

Parceiros

Voltando a Circular

Publicidade

Apoio técnico!

Topo