Conecte com a gente

E-farsas – Desvendando fake news desde 2002!

E-farsas – Desvendando fake news desde 2002!

Um condenado morreu ao ser enganado que seu sangue estava sendo drenado?

Falso

Um condenado morreu ao ser enganado que seu sangue estava sendo drenado?

Um condenado morreu ao ser enganado que seu sangue estava sendo drenado?

É verdade que um cientista do Arizona provou com um experimento que basta o cérebro acreditar que está havendo uma hemorragia para fazer com que o corpo pare de funcionar?

A história do experimento é antiga, mas voltou a aparecer nas redes sociais na segunda semana de novembro de 2019. De acordo com o texto, um cientista de Phoenix, no estado norte-americano do Arizona, queria provar que ao fingir uma hemorragia em uma pessoa, a cobaia acabaria morrendo por parada cardíaca!

Para conseguir provar sua teoria, o cientista teria conseguido um condenado à morte que iria ser executado na penitenciária de St Louis (Missouri) e havia lhe proposto fazer um pequeno corte em seu pulso. Caso o sangue coagulasse, o detento seria libertado e, caso contrário, a cobaia iria falecer pela perda do sangue.

O texto, publicado no Twitter pelo perfil @Catsorti no dia 17 de novembro de 2019 (arquivado aqui), teve mais de 66 mil curtidas e foi retuitado mais de 32 mil vezes e fala ainda que o condenado teria aceitado participar do experimento e, sem saber que não era seu sangue que estava vazando e, sim, gotas de soro, acabou morrendo por causa de uma parada cardíaca!

Será que isso é verdade mesmo?

Experimento feito com um condenado à morte teria causado uma parada cardíaca ao fazer o cérebro acreditar que havia uma hemorragia! Será verdade? (foto: Reprodução/Twitter)

Verdade ou mentira?

A mensagem por trás dessa história é a de que seu cérebro pode fazer coisas incríveis, desde que você acredite… Ou seja, “papo de coach“ sem nenhum embasamento científico!

Uma busca na web por mais detalhes sobre esse “experimento científico” e nos deparamos com versões dessa mesma história (com algumas variações) datadas de 2003Na ocasião, a mensagem afirmava que o tal experimento da “perda de sangue” teria sido uma das reportagens da revista Superinteressante, informação negada pela revista.

Entre em contato com o E-farsas

(11) 96075-5663 - t.me/efarsas

Origem

Ao que tudo indica, essa lenda surgiu primeiramente em inglês, com uma variação de um texto publicado no livro Drunkcow Landmines, de Daryl Meakes. Na versão original, o artigo fictício queria provar o poder da hipnose e a cobaia tinha apenas uma toalha molhada na cabeça (que lhe deu a impressão de que sua cabeça estava sangrando).

Mais antiga ainda é outra versão – também em inglês – onde um sujeito teria morrido “congelado” após ficar preso em um freezer… desligado! Como o cérebro não sabia desse detalhe, o homem acabou acreditando que estava congelando dentro do aparelho e teria falecido.

A falta de detalhes nesse tipo de mensagem denuncia a farsa. O nome do pesquisador e/ou da “cobaia” nunca é revelado. Assim como o nome da instituição onde o experimento teria ocorrido.

Uma curiosidade nesse texto de autoajuda é que o estado norte-americano do Missouri não tem a pena de morte por eletrocução. Segundo o site Death Penalty Information Center, no Missouri há na lei “apenas” a possibilidade de execução por injeção letal e gás.  

Além disso, não há nenhum estudo científico a respeito desse estudo e tampouco nenhuma comprovação de que o cérebro faça o coração parar apenas por “acreditar” que o sangue foi drenado. 

Conclusão

Assim como outras historinhas de autoajuda apresentadas por coaches famosos, mais uma vez, estamos diante de uma lenda urbana. Esse experimento nunca existiu!

Continue lendo
32 Comentários

32 Comments

  1. Cem

    19 de novembro de 2019 em 2:21

    Vamos todos tentar fazer essa experiencia em nos mesmos vou fazer meu cérebro a creditar que sou muito forte bonito e dotado sera que meu corpo vai mudar e você Gilmar no que vai fazer seu cérebro acreditar?💪😎↗

    • Jamerson

      19 de novembro de 2019 em 8:58

      Que Lula é inocente, sem dúvidas…

      • Gilmar Lopes

        19 de novembro de 2019 em 11:08

        O que tem a ver o Lula com essa postagem?

        • Figueira Santos

          19 de novembro de 2019 em 11:30

          O que tem o Lula a ver Gilmar? Simples que não tem o que comentar escreve asneiras como o senhor Jamerson que é uma corruptela de Ja Merdha Son. Ou seja o filho do Merdha.

          • FABIO FERNANDES DIAS

            19 de novembro de 2019 em 23:05

            Meus parabéns…pelo excelente trabalho…e esclarecimento…

        • Freud de Taipas

          19 de novembro de 2019 em 12:18

          Isso se chama OBSESSÃO. O cara deve se masturbar diariamente pensando no Lula. Eu explico.

          • Mary Soares

            22 de dezembro de 2019 em 0:20

            Melhor uma “estorimha” fictícia de auto ajuda do que papo de cético. Os céticos são chatos e estraga prazer.

        • luidi santos

          28 de novembro de 2019 em 18:22

          Gilmar, tá se doendo por um bandido porque cara?
          Pena que se voce votou jamais vai admitir, quer dar uma de isentão, mas essas suas mancadas dão muito na vista, se é critica contra algum outro politico não vejo uma reação tão imediata…
          Fica se doendo por politico corrupto, deixa o povo criticar!!
          Se voê fosse isento não se incomodaria, mas pelo visto tem uma gratidão imensa por esse ladrão, pena que jamais vai admitir publicamente!!
          Parece bobo, cara, dá raiva de ver teu site por causa disso, se comportando que nem um eleitor que não pode ver seu idolo sendo criticado…

          • Jaime

            29 de novembro de 2019 em 17:09

            Cara…..o Gilmar só perguntou o que o Lula tem a ver com a postagem 😂 obviamente a obsessão de vocês pelo Lula e tão grande que só falta colocar um pôster dele no quarto escrito “ladrão”. Acorda, amigo, Lula não tá mais no poder, ficar se doendo todo por causa dele não vai fazer os seus problemas sumirem. E mesmo se o Gilmar gostasse do Lula, qual é o problema? Liberdade de opinião, certo? Cada um tem a sua e vida que segue, não fique querendo impor suas crenças em cima dos outros….isso é errado

          • Monika

            16 de dezembro de 2019 em 9:04

            Falou tudo,se falar no ladrão o povinho fica bravo.
            Tem que ficar bravo e com o ladrão que deixou o País na miséria o esse aí deve ter contribuído para tal.

      • Rodrigo felipe

        23 de novembro de 2019 em 11:53

        Cara..de fato a hipnose pode ajudar bastante na diminuição de dores e etc, mas causar algo assim sla é impossivel dmais

      • Isaac Leal

        24 de novembro de 2019 em 9:11

        Que viagem… o cara mete o Lula no meio, manooo!!! kkkkkkkkkkkk

  2. Pedro Lucio Ribeiro

    19 de novembro de 2019 em 6:51

    Como não leio autoajuda, nem sabia dessa lenda urbana…

    • marcio antonio

      22 de março de 2020 em 21:29

      Meus caros, o assunto se desviou um pouco do objetivo, mas eu tenho uma “estorinha” pra vocês:
      Na década de 70 fui a um circo em minha cidade natal no Maranhão e lá vi uma coisa muito interessante.
      O palhaço do circo que se chamava Remendão, chamou um voluntário da plateia e um colega nosso de escola foi até lá. O palhaço disse a ele que ia hipnotizá-lo. Fez alguns gestos, falou algumas palavras, estalou os dedos e depois perguntou ao jovem (seu nome é José Antonio, hoje ele é caminhoneiro), se ele gostava de maçã.
      Ele respondeu que sim. Aí ele – o palhaço – acenou para alguém atrás da cortina do palco e uma garota de mais ou menos 16 anos trouxe uma bandeja com algumas cebolas. Foi dado uma delas ao José Antonio e ele abocanhou vorazmente o tubérculo como se fosse a coisa mais gostosa do mundo.
      O palhaço perguntou a ele o que ele estava comendo e se estava gostando, ele afirmou categoricamente que era maçã e que estava gostosa, ao que os presentes na plateia caíram na gargalhada.
      Bem, guardadas as devidas proporções quanto ao “encantamento” da hipnose realizado pelo palhaço no caso presente, pois cada um reage de forma diferente, eu acho que não é de todo impossível que a mente nos induza a acreditar no que lhe está sendo dito e assim, provoque alterações psíquicas e até metabólicas na pessoa.
      O mais interessante é que no dia seguinte, perguntei a ele sobre o ocorrido e ele disse que tinha certeza que o que ele viu na bandeja era maçã e ao mastiga-la tinha o gosto da referida fruta.

  3. Janio Rocha

    19 de novembro de 2019 em 12:43

    Eu conhecia essa história sendo de oficiais nazistas e prisioneiros de guerra.Eles para não se comprometerem,falavam para os prisioneiros que eles morreriam sangrando.Os mesmos eram amarrados em uma cama com olhos vendados.Furavam com uma agulha a pele da carótida e ficavam derramando água morna no local.Em menos de uma hora o cara tava morto pelo medo. Ouvi numa roda de buteco.

    • Fernanda Paes

      23 de novembro de 2019 em 10:15

      Então, era no Arizona ou no Missouri? Pesquisou tanto pra misturar os Estados? 😂

      • Carla Maria

        24 de novembro de 2019 em 10:15

        Amada, leia com atenção. Arizona foi o local onde “aconteceu a tal experiência”. Missouri é onde a “cobaia estava presa e condensada a morte”.

    • Cesar Mendonça

      7 de dezembro de 2019 em 7:31

      Para uma história de boteco é bom, mas os nazistas preocupados de se comprometer com umas gotas de sangue? A breja estava muito boa nesse dia rsr

  4. Emil Casseb

    19 de novembro de 2019 em 13:48

    E eu sempre acreditei nessa história…

  5. Dan

    20 de novembro de 2019 em 12:54

    Eu gosto muito do conteúdo do e-farsas mas bem que podiam fazer o site começar em HTTP pra mostrem mais confiança

    • Gilmar Lopes

      20 de novembro de 2019 em 16:35

      Estamos fazendo os procedimentos para transformar em https.

      • Thais

        24 de novembro de 2019 em 9:06

        Amo sua página! Muito bacana antes mesmo e Facebook etc…. sempre venho aqui para confirmar certas notícias rs. Obrigada!

  6. luidi santos

    28 de novembro de 2019 em 18:39

    Chega a ser hilário ver o Gilmar se doendo quando criticam o Lula, ele no fundo tem admiração por esse cara mas quer dar uma de isentão, de que não tem viés partidário…
    Ninguém pode criticar o amado politico de estimação dele, pena que ele jamais vai admitir isso, mas ele inconscientemente MOSTRA que tem lado…

    • Gilmar Lopes

      28 de novembro de 2019 em 21:06

      Nossa, meu! Do que você tá falando?

    • Alessandro

      29 de novembro de 2019 em 17:11

      Bolsonaro é um lixo. Desculpa, mas é verdade

  7. Andréa

    29 de novembro de 2019 em 14:14

    Gilmar Lopes, que importância tem saber se isso foi verdade ou não se de fato você acreditar ser incapaz, incapaz você se tornará? A história da humanidade está repleta de gente que muda a realidade, porque acredita ser possível mudá-la. E de gente que não consegue mudar a realidade (morre, adoece, etc), porque acredita ser impossível mudá-la. Os casos de “superação” já seriam suficientes pra desbancar o seu desprezo por esta história. Você está preocupado se esta historia é verdadeira ou não quando a única coisa importante é o recado que ela dá ao final e que pode ajudar muita gente a confiar em si e se superar. Se este prisioneiro acreditou que estava sangrando e morreu, se pergunte no que você acredita que faz você ter os problemas que você tem na sua vida. Não me leve a mal, falo isso apenas porque vejo que o mundo está repleto de gente que traz dúvidas e falta gente que traga esperança.

    • Elianai Saturnino da Silva

      11 de dezembro de 2019 em 0:12

      Andréa querida, o foco da página é mostrar se a notícia é verdadeira ou não, quem vem aki quer saber. Está página não foi feita para desiludir ninguém e sim para nos ajudar a saber se as informações que rolam na internet e whatsapp são verídicas.

    • Elianai Saturnino da Silva

      11 de dezembro de 2019 em 0:19

      Gilmar, o povo falando de Lula, de Bolsonaro… O povo viaja né?
      Parabéns pelo e-farsas! Venho sempre aki e nunca comentei.
      Ignora estas doideiras aí. Ótimo trabalho!

    • JACKSON LUIZ

      19 de dezembro de 2019 em 2:45

      Concordo com você, Andréa. “O homem, não sabendo que era impossível, foi lá e fez.” O administrador, autor do post, seja lá o que for, diz não haver nenhuma prova científica do tal experimento, muito menos provas de que algo assim possa ocorrer, tipo o efeito placebo. Mas talvez ele jamais tenha parado pra pensar no que aconteceria se a imaginação fosse instantaneamente desligada no mundo. Até esse site desapareceria.

  8. Pingback: Condenado à pena de morte morreu de infarto ao participar de experiência com cientista #boato

  9. Pingback: Fake em Nóis: As Fakes dos Coachs!

  10. Guilherme Schroeder de Azevedo

    5 de março de 2020 em 20:32

    Olá Gilmar, recentemente eu topei com algo parecido com isso, estava estudando as relações entre mente e corpo (nas ideias do Dualismo e Monismo) pra um trabalho de filosofia meu, acabou que me deparei nesse site em inglês (https://www.simplypsychology.org/mindbodydebate.html) que até certo ponto dá algumas informações legais sobre o que buscava, até que em um paragrafo o site começou a dar uma de parcial e arrancou um argumento “contra” o monismo citando um experimento de hipnose (que cita os supostos autores dos experimentos mas ao procurar eu não achei nada, e tal experimento deveria ter repercussão mundial, não? Creio que deveria ser algo pra ser posto na tal da página da Wikipédia dos seus pesquisadores). O parágrafo diz o seguinte (em uma tradução livre feita por mim):

    ” […] Biologistas e comportamentalistas não puderam contar com o fenômeno da Hipnose. Hilgard e Orne estudaram isso. Eles colocaram participantes em um estado de transe hipnótico e através de sugestões hipnóticas inconscientes eles falaram aos participantes que seriam tocados por um pedaço extremamente quente de metal quando na verdade foram tocados por uma caneta.
    Os participantes em um transe profundo tiveram uma reação na pele (bolhas de água) como se tivessem sido tocados com um pedaço de metal quente de verdade. Este é um exemplo de que a mente que controla a reação do corpo. Resultados semelhantes foram encontrados em pacientes que receberam hipnose para controlar a dor.
    Isso contradiz a abordagem do monismo, pois o corpo não deve reagir a sugestões inconscientes dessa maneira. Este estudo apóia a idéia do dualismo, a visão de que a mente e o corpo funcionam separadamente[…]”

    Até o momento e até onde pude buscar todas as “evidências” apontam que este experimento citado acima nunca aconteceu e não passa de balela pseudocientífica, mas e ai Gilmar, o que você acha disso?

Deixe uma Resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mais Populares

Ajude a Manter o E-farsas!

Categorias

Parceiros

Voltando a Circular

Publicidade

Apoio técnico!

Topo