Conecte com a gente

E-farsas – Desvendando fake news desde 2002!

E-farsas – Desvendando fake news desde 2002!

Carregador de carros elétricos é alimentado por gerador a diesel! Será verdade?

Veículos

Carregador de carros elétricos é alimentado por gerador a diesel! Será verdade?

Carregador de carros elétricos é alimentado por gerador a diesel! Será verdade?

Será verdadeira a foto que mostra um carregador de veículos elétricos (EV) sendo alimentado por um gerador a diesel?

Talvez você já tenha visto essa foto, cuja legenda, um tanto quanto irônica, viralizou nas redes sociais. Isso porque, para algumas pessoas a foto é verdadeiro absurdo. O motivo? A princípio, não parece fazer muito sentido que combustíveis fósseis sejam utilizados para manter instalações, equipamentos ou veículos considerados sustentáveis, por assim dizer. Assim sendo, para muitas pessoas a foto mostraria a loucura que os indivíduos, supostamente preocupados com o meio ambiente, estariam dispostos a cometer para dizer que estão colaborando para o bem-estar global.

Somente uma única publicação de um usuário brasileiro, datada de 11 de outubro de 2019, no Facebook (arquivo), já alcançou cerca de 5 mil compartilhamentos! Contudo, essa foto já circula há um certo tempo no Twitter (arquivo), quando um usuário canadense chamado Mr. Frank McVeety, em agosto deste ano, começou a ironizá-la.

Publicação de um determinado usuário brasileiro, no Facebook.

Tuíte de um usuário canadense chamado Frank McVeety.

Entretanto, será que a foto é verdadeira? Estamos realmente diante de um gerador a diesel alimentando um carregador de veículos elétricos? Qual será o contexto por trás dessa foto? Descubra agora, aqui, no E-Farsas!

Verdadeiro ou Falso?

A foto é verdadeira! Estamos realmente diante de um carregador de veículos elétricos alimentado por um gerador a diesel! Entretanto, tanto o usuário brasileiro quanto o usuário canadense – os principais responsáveis por propagar essa foto – não explicaram para vocês a realidade por trás da imagem.

Confira a seguir tudo (ou quase tudo) que você precisa saber sobre essa foto!

Onde e Quando a Foto Foi Tirada?

A foto foi tirada no início de dezembro de 2018, num campo de testes na cidade de Perth, na Austrália!

Toda a estrutura que vemos na foto  – apelidada de ChargePod – foi basicamente pensada e financiada por um cidadão chamado Jon Edwards, que é um engenheiro aposentado da cidade. Ele estava procurando por uma solução que pudesse resolver o problema de motoristas, que realizam viagens transcontinentais utilizando seus carros elétricos! Bem, ao menos até que as estações de energia solar se tornem algo mais comum no país.

A foto foi tirada no início de dezembro de 2018, num campo de testes na cidade de Perth, na Austrália!

Assim sendo, Jon Edwards e um grupo de colegas – todos proprietários de carros elétricos – se reuniram para testar se um carregador de veículos elétricos – um Tritium Veefil 50kW DC – acoplado a um gerador a diesel, seria não apenas uma solução confiável, mas também se a quantidade de combustível utilizada era, no mínimo, comparável ao de um carro movido a diesel.

Um Importante Adendo Antes de Continuarmos!

É necessário ter em mente que a Austrália é um país de dimensões continentais. E, quando estamos falando de carros elétricos, a questão da autonomia é um problema muito sério. Se estivermos na cidade de Perth, na Austrália Ocidental, e resolvermos ir até Adelaide, na Austrália Meridional, é preciso ter em mente que iremos percorrer quase 3.000 km. Na prática, atualmente qualquer viagem acima de 200 km é um risco para o proprietário de um carro elétrico. Depende de diversos fatores, é claro, mas é bem possível que o motorista fique na mão em trechos muito distantes.

Essa é uma das principais razões para os carros elétricos representarem apenas 0,2% do total de carros novos vendidos na Austrália. Uma rede precária de abastecimento, o elevado custo da energia elétrica, e o hábito dos motoristas de rebocar grandes quantidades de cargas nas estradas também colaboram para o irrisório número de vendas. Além disso, segundo a cientista australiana, Joanne Nova, os chamados “carregadores rápidos” (“fast chargers“, em inglês) para carros elétricos são como adicionar “20 casas” à rede de energia, ou seja, prejudicam o sistema ou exigem bilhões de dólares australianos em termos de infraestrutura.

Ironicamente, 80% da energia consumida por carros elétricos, na Austrália, é proveniente de fontes que utilizam combustíveis fósseis. Num mundo ideal, o certo seria que 100% dessa energia consumida viesse de fontes da chamada energia limpa. Contudo, essa é uma realidade muito distante por lá.

Os Testes de Jon Edwards

Embora o esquema montado por Jon Edwards soe visualmente ineficiente, os testes apontaram que a utilização indireta do diesel é ligeiramente mais eficiente do que sua utilização direta nos carros (dependendo muito do veículo e do estilo de condução, é claro). Simplificando, um carregador de veículos elétricos alimentado por um gerador a diesel seria, em princípio, ligeiramente mais sustentável do que carros movidos diretamente por motores a diesel.

Rob Dean, presidente do Clube de Proprietários de Teslas da Austrália Ocidental (TOCWA) e membro da Associação Australiana de Veículos Elétricos (AEVA), participou dos testes, que foram realizados na propriedade de Jon Edwards, em Perth. Cerca de 10 motoristas participaram desses testes que envolveram carros da Tesla (das linhas S e X) e uma BMW i3 (pertencente ao Jon).

Em entrevista ao site “The Driven“, Rob enfatizou que o objetivo não era fornecer um carregador de veículos elétricos movido a diesel como solução definitiva, mas tão somente uma alternativa intermediária até que a instalação de baterias e carregadores movidos a fontes renováveis se tornem financeiramente viáveis.

Foto divulgada por Jon Edwards.

Mais uma foto divulgada por Jon Edwards.

Entre em contato com o E-farsas

(11) 96075-5663 - t.me/efarsas

Os Resultados

Segundo o site “The Driven”, os testes foram metódicos. Usando o total de kWh adicionado a todos os carros e dividindo pelo combustível total consumido, foi estabelecida uma média de quilowatt-hora por litro de diesel consumido: 3,392 kWh por litro, ou seja, esta seria a performance do ChargePod.

E mais uma foto divulgada por Jon Edwards.

E como chegaram nesse número? Ao utilizar o carregador por 9 horas e 15 minutos foram consumidos 108,6 litros de diesel para carregar os 10 veículos elétricos. Isso representou um consumo total de energia (conforme registrado pelos sistemas de gerenciamento) de 368,4 kWh, que foi entregue a uma taxa média de 3,392 kWh por litro.

Convertendo em valores convencionais de consumo de combustível, e usando a média de vida útil de kWh por quilômetro (algo que depende do carro e do estilo de condução), o BMW i3 foi o mais eficiente. Registrou-se uma taxa de consumo de combustível de 4,392 litros/100 km! Isso foi ligeiramente melhor que um BMW Série 3 movido diretamente a diesel, que apresenta um consumo entre 4,7 e 7,9 litros/100 km (depende muito do modelo).

Os modelos da Tesla, apesar de terem sido menos eficientes que o BMW i3 (entre 5,011 e 6,014 litros/100 km no Modelo S, e 5,689 a 6,957 litros/100 km no Modelo X) consumiram ligeiramente menos que veículos de tamanho semelhante em suas categorias. Por exemplo, um Holden Commodore, movido a diesel, consome 5,7 litros/100 km, enquanto um VW Touareg (um SUV movido a diesel) consome 7,2 litros/100 km).

Tabela com alguns cálculos.

Os Próximos Passos de Jon Edwards

De acordo com o site “The Driven”, Jon Edwards pretendia testar o sistema em Jurien Bay, uma cidade costeira localizada a 220 km ao norte de Perth. Seu “ChargePod” seria instalado num posto de combustível local, onde o público poderia utilizá-lo por cerca de três meses. Todo o lucro obtido seria revertido para a manutenção do próprio sistema na cidade.

Embora não tenhamos encontrado qualquer notícia sobre uma estrutura do porte que vimos na foto ou testes subsequentes, nos deparamos com um usuário, no Twitter, que agradeceu Jon Edwards pelos seus esforços em levar um carregador de veículos elétricos para Jurien Bay, em julho deste ano (arquivo). Segundo o usuário, a estrutura seria permanente.

Tuíte de um usuário que agradeceu Jon Edwards pelos seus esforços em levar um carregador de veículos elétricos para Jurien Bay, em julho de 2019.

O Sistema de Jon Edwards Compensa? É Realmente “Verde”?

Segundo Jon Edwards, seu sistema é melhor do que colocar diesel diretamente num carro. Isso porque, de acordo com ele, a taxa de funcionamento constante do gerador utiliza o combustível com mais eficiência do que ficar acelerando e freando um carro. E, além disso, não haveria uma maior complexidade em termos de instalação dos equipamentos.

É muito simples, funciona muito bem, e é fácil de instalar. Basta deixar no lugar que o proprietário do posto quiser e colocar para funcionar“, disse Jon Edwards.

Agora, e a questão de ser realmente verde? Bem, de fato, não é. Digamos que é, na melhor das hipóteses, apenas “ligeiramente menos pior” do que um carro movido diretamente a diesel. Para ser realmente verde seria necessária uma estrutura completamente diferente do que vemos nas fotos. Atualmente, isso é insustentável em larga em escala. Afinal de contas, tudo tem um preço.

Alguns Pontos Interessantes

Durante a entrevista de Jon para o “The Drive” foi dito algo muito peculiar. Jon alegou ser um cidadão que pagava impostos, e que dirigia um carro elétrico. Logo, por qual motivo não havia uma infraestrutura capaz de atendê-lo, assim como os demais proprietários de veículos elétricos? No entanto, um usuário chamado Pedro comentou que os proprietários de veículos elétricos não pagavam os impostos sobre combustíveis, que seriam justamente os responsáveis pela manutenção das estradas, nas quais os veículos elétricos circulavam.

Outro ponto interessante foi a pergunta de um usuário sobre o motivo da não utilização de uma “bateria movida a energia solar”.

A Resposta de Jon

Eis a resposta de Jon:

Para preencher o espaço entre Clare/SA e Perth/WA são necessários 14 pontos de recarga a aproximadamente 200 km de distância um do outro para criar uma rodovia em que os veículos elétricos possam trafegar. Até que a rodovia seja criada, o número de veículos elétricos circulando por esse trecho permanecerá abaixo de 10 por ano… um número no qual governos, empresas e investidores não ficarão empolgados. Então, na minha humilde opinião, o caminho para termos 14 pontos, de modo a criar uma rodovia, é montar 14 ChargePods e espalhá-los por aí.

Num mundo ideal, um governo inteligente ofereceria um subsídio a cada localidade para comprar uma unidade. Então, cada localidade teria a propriedade da unidade, a abasteceria, faria a manutenção e, com o tempo, ganharia algum dinheiro… Portanto, do meu ponto de vista, apesar de termos provado equivalência, não se trata de consumo de combustível, mas de criar uma rodovia que atualmente não há nenhum modelo de negócios que a suporte.

E, antes que qualquer leitor diga: “mas por que você não usa energia solar?” Calcule o custo de uma bateria de 300 kWh (considerando as perdas, ela pode suprir 2 Teslas de 100 kWh no mesmo dia), um inversor de 60 kw, um carregador de 50 kw e, digamos, 100 kw de painéis, todos os controles, sistema de gerenciamento de bateria, fiação elétrica, contêineres, trabalho de instalação, concreto, guindastes, comissionamento, acomodação, repelente de insetos, filtro solar e água engarrafada, em Caiguna/WA, para um sistema de dois carros por dia, que leva três para recarregar. Então, compare com um ChargePod e tenha um sistema para 24 carros por dia. Trata-se de criar uma rodovia instantânea, e posteriormente torná-la verde quando os números valerem a pena.

Conclusão

A foto é verdadeira! Ela foi tirada no início de dezembro de 2018, num campo de testes na cidade de Perth, na Austrália! No entanto, embora estejamos diante de um carregador de veículos elétricos alimentado por um gerador a diesel, a estrutura que vemos fazia parte de um teste realizado por um engenheiro aposentado australiano chamado Jon Edwards. Ele estava procurando por uma solução que pudesse resolver o problema de motoristas, que realizam viagens transcontinentais utilizando seus carros elétricos pela Austrália.

Segundo Jon Edwards, o sistema era melhor do que colocar diesel diretamente em carros. Em termos de consumo de combustível, no entanto, os resultados apontaram que, na melhor das hipóteses, o sistema era apenas ligeiramente melhor do que abastecer carros movidos diretamente a diesel. Por outro lado, Jon disse num comentário que o foco não era o consumo de combustível, mas dar mais mobilidade a motoristas de veículos elétricos, de forma rápida e com o menor impacto ambiental possível para, posteriormente, quando os números valessem a pena, tornar o sistema inteiro realmente verde.

Essa opinião foi similar a de Rob Dean, presidente do Clube de Proprietários de Teslas da Austrália Ocidental (TOCWA) e membro da Associação Australiana de Veículos Elétricos (AEVA). Ele enfatizou que o objetivo não era fornecer um carregador de veículos elétricos movido a diesel como solução definitiva, mas tão somente uma alternativa intermediária até que a instalação de baterias e carregadores movidos a fontes renováveis se tornem financeiramente viáveis.

Para ser realmente “verde” seria necessária uma estrutura completamente diferente do que vemos na foto. Atualmente, isso é insustentável em larga em escala. Afinal de contas, tudo tem um preço.

Continue lendo
21 Comentários

21 Comments

  1. Maria

    19 de outubro de 2019 em 11:17

    Uma das coisas que ecologistas, defensores e simpatizantes não entendem é que ser “ecológico“, “verde“, “sustentável“ etc NÃO QUER DIZER NECESSARIAMENTE que seja barato, prático, viável e/ou possível, depende das circunstâncias. Um exemplo atual e recente aqui no Brasil é que a Aneel inviabilizou projetos de energia solar gerada em domicílio cobrando TAXAS. Outro exemplo é essa mania do Estado vincular o preço do Etanol com a variação de preços de outros combustíveis fósseis. Palhaçada! 🙁

    • Regis Campos

      19 de outubro de 2019 em 13:23

      A foto é verdadeira, bas, eu preciso dar uma volta inteira para dizer isso só para passar um pano para os ecochatos.

      • Renato

        20 de outubro de 2019 em 17:27

        Fez um exercício mental para justificar essa bizonhice mas deixou de fora um detalhe que demoliria toda essa passagem de pano: e a bateria que polui absurdos? O qué vão fazer com elas quando acabarem?

        • Gustavo Freitas Lins

          27 de outubro de 2019 em 5:29

          É sério que você quer comparar a poluição de uma bateria com a da queima de combustíveis fósseis?😂

    • Victor Henrique Gonçalves

      20 de outubro de 2019 em 19:20

      Não é o Estado que vincula os preços, é o mercado. Tanto que essa vinculação só começou a existir com o surgimento do carro flex.

      • Maria

        21 de outubro de 2019 em 9:15

        @Victor Henrique Gonçalves , eu não vejo o preço do açúcar que, assim como o Etanol, é derivado da cana de açúcar variando de preços conforme varia o preço dos combustíveis fósseis. 😐

      • Antonio

        26 de outubro de 2019 em 14:57

        Diesel é verde. Só é um verde envelhecido bilhões de anos.

  2. Jose Luis da Silva Coelho

    19 de outubro de 2019 em 12:47

    Manicómio, é português de Portugal, logo o deve ter sido um português que publicou a foto, não um brasileiro.

    • Marco Faustino

      19 de outubro de 2019 em 16:04

      Olá Jose Luis! O usuário citado no artigo, aquele começou a disseminar recentemente essa foto/texto (esse “meme” por assim dizer), e que chegou até o nosso conhecimento foi um brasileiro. Inclusive, o link original da publicação está no artigo. Já o “meme” em si está em português de Portugal. Provavelmente, foi originalmente criado por um português, que não sabemos exatamente quem é, mas tudo indica que não teve tanta força em termos de viralização por lá.

      • Marcelo

        20 de outubro de 2019 em 11:11

        Mesmo que não fosse viável e gastasse mais Diesel pra carregar o veículo elétrico do que para abastecer um carro ainda sim poderia ser mais eficiente. Afinal isso eh uma solução temporária para viagens. Quando as pessoas não estivessem em viagens, estariam nas cidades carregando os carros 100% com energia verde.

  3. Pingback: elétricos a diesel! | ctrl-v

  4. antonio

    19 de outubro de 2019 em 18:50

    conclusão carros eletricos ainda são bem inviáveis passaram 100 anos aperfeiçoando motores a combustão agora em 10 querem fazer um elétrico eficiente tem muito a fazer ainda.

    • Gabriel Mendez

      20 de outubro de 2019 em 8:02

      Óbvio, o mercado de carros elétricos é o futuro. Nos EUA é completamente viável ter um, há carregadores rápidos espalhados no país todo. Além do Tesla ser extremamente seguro por causa do autopilot. Os carros elétricos existem há muito tempo, olha só o Gurgel Itaipu no Brasil em 1974… O monopólio do combustível fóssil atrasa demais o avanço, provoca guerras e polui.

  5. Pingback: Carregador de carros elétricos é alimentado por gerador a diesel! Será verdade? – Zip Viral

  6. RABUGENTO

    20 de outubro de 2019 em 8:10

    Até hoje os apreciadores não me deram uma resposta decente informando onde serão descartadas as baterias altamente poluidoras desses veículos elétricos.

    Só apareceram respostas que não levaram a um resultado realmente eficaz.

    • Matheus Henrique dos Santos

      20 de outubro de 2019 em 23:59

      Vai uma resposta eficaz: Parem de ser preguiçosos e andem de bicicleta. Parem de ser egoistas e soberbos e andem e ônibus e trem.

    • Pedro Lucio Ribeiro

      21 de outubro de 2019 em 6:56

      Não nada estranho, na Austrália. Aqui no Brasi, não. Pretendo comprar um desses veículos 100% elétricos e viajar pelo Brasil afora porque temos postos de abastecimento de eletricidade aos borbotões…

  7. ALEXANDRE DO NASCIMENTO MENDES

    20 de outubro de 2019 em 15:33

    A Aneel quer taxar em 68% quem produz energia solar em casa e devolve pra rede… é so o que tenho a dizer aos eco chatos

    • Pedro Lucio Ribeiro

      21 de outubro de 2019 em 7:00

      Nesse caso, opto pela produção egoísta, só para mim, se um dia eu conseguir capital para fugir dos custos da bandeira vermelha.

      • Maria

        21 de outubro de 2019 em 9:27

        @Pedro Lucio Ribeiro , o problema é que NÃO COMPENSA. Você teria que comprar baterias de Chumbo-Ácido e/ou de Líthium que são cara e poluem mais o ambiente. Além do mais, você perderá mais dinheiro com o CUSTO DE OPORTUNIDADE, pois painéis solares são CAROS, tem vida útil relativamente curta e manutenção cara. Em outras palavras, de acordo com a situação atual, ainda não vale a pena investir em energia solar doméstica. 😐

  8. Lucho

    27 de outubro de 2019 em 15:37

    Sem contar que, entre Perth e Adelaide, além de mais de 3000 km há ainda um enorme, um gigantesco deserto, um lugar cheio de nada. Ficar na mão numa situação dessas é a coisa mais provável do mundo.

    E aqui em Campinas, ônibus elétricos eram recarregados com geradores a diesel – https://www1.folha.uol.com.br/cotidiano/2015/11/1711467-onibus-eletrico-movido-100-a-bateria-divide-usuarios-em-campinas-sp.shtml

Deixe uma Resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mais Populares

Ajude a Manter o E-farsas!

Categorias

Parceiros

Voltando a Circular

Publicidade

Apoio técnico!

Topo