Conecte com a gente

E-farsas – Desvendando fake news desde 2002!

E-farsas – Desvendando fake news desde 2002!

Vídeo mostra um derramamento de petróleo em Cantaura, na Venezuela?

Verdadeiro

Vídeo mostra um derramamento de petróleo em Cantaura, na Venezuela?

Vídeo mostra um derramamento de petróleo em Cantaura, na Venezuela?

Recentemente, uma usuária no Facebook publicou um vídeo de um suposto derramamento de petróleo numa localidade chamada Cantaura, na Venezuela (arquivo). Na descrição do vídeo, publicado no dia 17 de outubro de 2019, a usuária fez a seguinte alegação:

CADÊ MACRON? O PAPA? A MÍDIA MUNDIAL?

Há 6 dias este derramamento de petróleo acontece em Cantaura, no estado venezuelano de Anzoátegui. Como informa a denuncia, o óleo esta vazando há cerca de uma semana e nenhuma providência foi tomada. Ah! Mas é na Venezuela… Então pode…

Confira a publicação:

Publicação da usuária no Facebook.

Assim como o vídeo, que já visualizado mais de 240 mil vezes, e obteve mais de 19 mil compartilhamentos:

 

Diversos usuários mais exaltados começaram a questionar, através dos comentários, as razões pelas quais a mídia não estava falando nada sobre esse caso. Foi questionada também a falta de atuação ou denúncia de ecologistas sobre esse derramamento. No entanto, outros usuários de nosso grupo no Facebook, onde esse vídeo também foi compartilhado, começaram a alegar que ele poderia ser falso!

Enfim! Será que o vídeo foi realmente gravado na Venezuela? Trata-se realmente de um derramamento de petróleo? E se houve realmente um derramamento, ninguém fez absolutamente nada para contê-lo? Será que esse derramamento tem alguma relação com as manchas de óleo, que apareceram em diversas praias do Nordeste brasileiro? Descubra agora, aqui, no E-Farsas!

Verdadeiro ou Falso?

O vídeo é verdadeiro! Contudo, esse incidente, em princípio, teve uma dimensão bem modesta, e não afetou produtores rurais, moradores locais ou o abastecimento de água da região de Cantaura. Algumas informações que viralizaram através da publicação dessa usuária, no Facebook, foram, inclusive, disseminadas de maneira desatualizada e parcialmente equivocada. Além disso, caso alguém esteja se perguntando, esse incidente não teve nenhuma relação com as manchas de óleo que apareceram em diversas praias do Nordeste brasileiro!

A seguir, explicaremos melhor esse caso para vocês!

A Denúncia Publicada Pelo Site de Notícias “Mundo Oriental”

No dia 8 de outubro de 2019, uma terça-feira, o site de notícias “Mundo Oriental” noticiou que a Estrada Velha de Cantaura estava fechada devido a um derramamento de óleo bruto (petróleo). O local ficava a poucos metros da entrada da cidade, em frente a uma empresa chamada “INVERSIONES VERACER, C.A. Ainda segundo o site, o incidente já vinha sendo reportado desde o sábado anterior (5) por parte de trabalhadores da indústria petrolífera e motoristas que passavam pelo local.

Através de uma conta no Instagram, o “Mundo Oriental” divulgou duas fotos desse derramamento:

Fotos divulgadas pelo site “Mundo Oriental”.

Antes de continuarmos, no entanto, é necessário fornecer duas informações importantes a vocês.

Em primeiro lugar, Cantaura é a capital do município de Pedro María Freites, no Estado de Anzoátegui, e está localizada a cerca de 400 km a leste de Caracas. A localidade está a mais de 100 km de distância do litoral venezuelano, sendo que esse derramamento, em princípio, alcançou “tão somente” entre algumas centenas de metros a poucos quilômetros de distância (daqui a pouco falaremos sobre isso). Portanto, esse derramamento não tem nenhuma relação com as manchas de óleo, que apareceram nas praias do litoral do Nordeste brasileiro.

Em segundo lugar, a empresa “INVERSIONES VERACER, C..” presta serviço de transporte fluidos (principalmente óleo e resíduos de petróleo) para grandes indústrias, incluindo a “PDVSA”, a empresa estatal venezuelana que se dedica a exploração, produção, refino, comercialização e transporte de petróleo da Venezuela. Esta, por sua vez, possui uma filial em Anaco, que fica a cerca de 25 km ao norte de Cantaura. Portanto, de antemão, já era possível ter uma noção que a “INVERSIONES VERACER, C.A” e a “PDVSA” estivessem direta ou indiretamente envolvidas.

A Denúncia do Deputado Venezuelano Chaim Bucaran

Ainda no dia 8 de outubro, Chaim Bucaran, deputado da Assembleia Nacional da Venezuela pelo Estado de Anzoátegui, publicou um vídeo em sua conta no Twitter para denunciar esse derramamento em Cantaura.

Confira o vídeo, abaixo:

 

Na época, de acordo com o Chaim Bucaran, o incidente teria acontecido devido a falta de manutenção dos poços petrolíferos do país em decorrência de políticas irresponsáveis do regime de Nicolás Maduro. Tais políticas, ainda segundo o deputado, teriam sido extremamente nocivas a “PDVSA”.

A Denúncia de um Cidadão Chamado Ramón Sotillo

Fortes chuvas se abateram sobre Cantaura entre os dias 8 e 9 de outubro, e o resultado não poderia ter sido pior para a natureza. Todo aquele óleo (ou resíduos de petróleo) acumulado, que vimos nas duas fotos anteriores, simplesmente começou a vazar para outros pontos mais distantes. Isso ficou claramente perceptível através de fotos e vídeos gravados por um cidadão chamado Ramón Sotillo, morador de Cantaura, no dia 9 de outubro, mas que foram publicados no Facebook, no dia 10 de outubro (1 | 2 | 3 | 4 | 5).

Confira abaixo os dois principais vídeos que foram feitos por esse cidadão:

IMÁGENES DEL DERRAME PETROLERO QUE SE PRESENTO HACE VARIOS DÍAS A POCOS METROS DE LA ENTRADA DE CANTAURA.EL CRUDO FUE CONTENIDO CERCA DEL TERMINAL DE PASAJEROS, AL COLOCAR UN TAPÓN CON TIERRA ANTES DE LLEGAR A UNA ALCANTARILLA, PERO LAS LLUVIAS DE MIÉRCOLES EN LA NOCHE PARA JUEVES, SE LLEVO ESA CONTENCIÓN Y EL CRUDO CORRE LIBREMENTE POR UN CAUCE DE AGUAS DE LLUVIAS Y SE CORRE EL PELIGRO DE QUE LLEGUE AL RÍO ARAGUA Y, POSTERIORMENTE, A LA REPRESA DE ARAGUA DE BARCELONA…PDVSA ESTA TRABAJANDO DESDE HACE DÍAS, PERO LAS COSAS ESTÁN COMO USTED PUEDE VERLAS EN LAS FOTOS Y VÍDEOS QUE HEMOS PUBLICADO.

Posted by Ramón Sotillo on Thursday, October 10, 2019

IMÁGENES DEL DERRAME PETROLERO QUE SE PRESENTO HACE VARIOS DÍAS A POCOS METROS DE LA ENTRADA DE CANTAURA.EL CRUDO FUE CONTENIDO CERCA DEL TERMINAL DE PASAJEROS, AL COLOCAR UN TAPÓN CON TIERRA ANTES DE LLEGAR A UNA ALCANTARILLA, PERO LAS LLUVIAS DE MIÉRCOLES EN LA NOCHE PARA JUEVES, SE LLEVO ESA CONTENCIÓN Y EL CRUDO CORRE LIBREMENTE POR UN CAUCE DE AGUAS DE LLUVIAS Y SE CORRE EL PELIGRO DE QUE LLEGUE AL RÍO ARAGUA Y, POSTERIORMENTE, A LA REPRESA DE ARAGUA DE BARCELONA…PDVSA ESTA TRABAJANDO DESDE HACE DÍAS, PERO LAS COSAS ESTÁN COMO USTED PUEDE VERLAS EN LAS FOTOS Y VÍDEOS QUE HEMOS PUBLICADO.

Posted by Ramón Sotillo on Thursday, October 10, 2019

A Explicação de Ramón Sotillo

Segundo Ramón, realmente houve um derramamento de óleo em Cantaura, logo no início de outubro, próximo do terminal rodoviário da cidade (cerca de 300 metros de distância da rodoviária). Ao contrário do que foi mencionado pela publicação brasileira, a PDVSA teria agido rapidamente para tentar conter o derramamento. Inicialmente, teria sido feita uma barricada para impedir que o óleo chegasse até a rede de esgoto. Contudo, devido as fortes chuvas, essa barricada acabou se rompendo e o óleo acabou vazando para uma valeta de escoamento de águas pluviais.

O medo de Ramón era que o óleo chegasse até o rio Aragua e, posteriormente, até a Represa La Estancia, na cidade de Aragua de Barcelona. Diga-se de passagem, a represa fica localizada a cerca de 50 km a oeste de Cantaura, ou seja, era uma boa distância a ser percorrida.

Entre em contato com o E-farsas

(11) 96075-5663 - t.me/efarsas

Um dos Vídeos de Ramón Passou a Ser Compartilhado no Twitter

Foi justamente um dos vídeos de Ramón que passou a ser compartilhado no Twitter pela TVVenezuela (um canal norte-americano, a cabo, destinado a comunidade venezuelana nos Estados Unidos), no dia 11, e pelo deputado Chaim Bucaran, no dia 12 de outubro. Esse assunto, no entanto, não foi mais ventilado por essas duas contas posteriormente a essas datas.

Captura de tela mostrando o tuíte do deputado Chaim Bucaran.

Captura de tela mostrando o tuíte da TVVenezuela.

Um detalhe interessante é que tanto a denúncia de Ramón, quanto de Chaim Bucaran e da TVVenezuela tiveram um alcance bem inexpressivo se comparada a publicação brasileira. As publicações de Ramón, por exemplo, tiveram pouquíssimos compartilhamentos e um número ínfimo de visualizações. Aparentemente, nem os próprios venezuelanos, de modo geral, estavam tão preocupados assim com a situação.

De qualquer forma, um site independente de notícias chamado “El Pitazo” publicou uma informação importante no dia 12 de outubro. Segundo o site, Katiuska Homsi, diretora regional do Ministério do Ecossocialismo (Minec) teria informado a outros meios de comunicação que barreiras de contenção tinham sido colocadas para evitar que o derramamento se alastrasse. O “El Pitazo” tentou entrar em contato com Katiuska Homsi, mas não ela quis dar declarações sobre o assunto. Também não foi enviada nenhuma nota oficial sobre a situação.

Algumas Fotos do Local do Derramamento e Até Onde o Óleo Teria Chegado

Ramón Sotillo não publicou mais nenhuma atualização, especificamente sobre o incidente, entre os dias 11 e 19 de outubro. Nesse período, ele publicou fotos antigas de eventos festivos ocorridos na cidade ou localidades próximas. Ele também compartilhou publicações de terceiros, que envolviam o nome de Cantaura, mas nada relacionado ao derramamento de óleo.

Então, no dia 20 de outubro, Ramón resolveu publicar fotografias de oito pontos (1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 | 8), que ele teria identificado, e que teriam sido afetados pelo recente derramamento de óleo. As fotos, no entanto, foram tiradas no dia 17 de outubro. Segundo Ramón, o derramamento já tinha sido controlado nessa data. Portanto, na data da publicação brasileira, que é a mesma das fotos tiradas por Ramón, o derramamento já havia sido contido.

Enfim! Abaixo, publicaremos uma foto de cada ponto mencionado e registrado por Ramón Sotillo, desde o suposto local onde teria sido originado o derramamento/vazamento. Prestem muita atenção nas legendas, combinado?

1) O Suposto Local de Origem do Derramamento

Segundo Ramón Sotillo, esse seria o suposto local onde teria começado o derramamento de óleo (ou resíduos de petróleo). Esse local ficaria a 500 metros da entrada de Cantaura.

2) Um Ponto em Frente ao Suposto Local de Origem do Derramamento

Esse seria um ponto em frente ao local origem do derramamento de óleo (ou resíduos de petróleo) que começou a vazar através de um cano da rede de esgoto. Então, o óleo (ou resíduos) teria escorrido por uma valeta de águas pluviais, atravessando a estrada que dá acesso a rodoviária da cidade.

3) Próximo a Empresa “Inversiones Veracer C.A”

O terceiro ponto mostrado por Ramón seria próximo da empresa “Inversiones Veracer C.A”.

4) Entrada do Bairro El Gradadiño

O quarto ponto seria na entrada do bairro El Gradadiño, a poucos metros da rodoviária e da empresa “Inversiones Veracer C.A”.

5) De Volta a Estrada Velha de Cantaura-Ananco

Ramón Sotillo voltou pela Estrada Velha de Cantaura-Ananco num ponto a 300 metros do suposto local de origem do recente derramamento de óleo (ou resíduos de petróleo). Ramón cogitou a hipótese de ter havido um derramamento anterior que, talvez, aproveitaram a ocasião para arrumar. Ele alegou a existência de óleo fresco no local. No entanto, ele não soube fornecer mais informações.

6) Depósitos de Terra Contaminada

Ao longo da Estrada Velha Cantaura-Ananco, Ramón Sotillo alegou ter registrado grandes depósitos de terra contaminada. Ele disse acreditar que o local, a 600 metros do suposto local de origem do derramamento, estava sendo utilizado para essa finalidade.

7) 800 Metros de Distância do Suposto Local do Derramamento

Foto tirada por Ramón Sotillo a 800 metros do suposto local do recente derramamento de óleo.

8) Em Frente a Uma Empresa Chamada Rausseau

Foto tirada por Ramón Sotillo em frente a uma empresa chamada Rausseau, localizada a 800 metros do suposto local de origem do derramamento.

Pontos Importantes a Serem Considerados

Em uma de suas publicações, Ramón Sotillo disse que o derramamento atingiu alguns quilômetros de distância, mas não temos nenhuma foto ou vídeo mostrando a real extensão desse derramamento. Tudo o que temos são fotos de um ponto a 800 metros do suposto local de origem. Ele fez questão de dizer que não tinha embasamento técnico para explicar a presença de óleo (ou resíduos de petróleo) nos pontos mais afastados e, em nenhum momento, disse que o material atingiu algum rio ou represa da região.

Sim, o desastre ambiental é evidente, mas, aparentemente a PDVSA, embora tenha falhado em conter de forma adequada o material, teria consertado definitivamente o problema em algum momento entre os dias 10 e 17 de outubro. Portanto, faz alguns dias que não há mais derramamento na região de Cantaura. Tudo indica que o problema tenha sido numa tubulação, conforme exibido nas imagens. Outro detalhe é que, aparentemente, esse derramamento foi algo localizado e, conforme dissemos anteriormente, não teria afetado, por exemplo, produtores rurais ou o abastecimento de água da região.

Alguns sites de notícias repercutiram esse caso, assim como o site “El Pitazo” (1 | 2), “Primicias 24“, e “Noticia al Minuto“. Os grandes veículos de comunicação não deram muita atenção a esse caso, talvez, por dois motivos básicos:

  • A Venezuela é uma ditadura disfarçada de democracia, e a imprensa é basicamente cerceada pelo Estado. Nem todos estão dispostos a denunciar o que acontece no país, principalmente em localidades mais afastadas, por um medo natural de represálias;
  • O derramamento aconteceu numa pequena localidade venezuelana e a extensão do dano, em princípio, foi limitado a algumas centenas de metros. Nem é possível comparar com outros desastres ambientais ocorridos nos últimos anos no Brasil, por exemplo.

Por Outro Lado…

Tudo indica que essa não é a primeira vez que ocorre um derramamento/vazamento de óleo (ou resíduos de petróleo) em Cantaura. Em 2015, por exemplo, um político local compartilhou fotos tiradas pelo próprio Ramón Sotillo, no Twitter, de uma situação bem semelhante.

Isso não quer dizer que a frequência desses derramamentos/vazamentos de óleo (ou resíduos de petróleo) seja baixa ou irrisório na Venezuela, pelo contrário. É possível encontrar diversas denúncias de derramamentos/vazamentos antigos (1 | 2) e recentes (1 | 2), contestadas ou não pelo governo, que ocorreram em outras localidades, inclusive costeiras, do país.

Conclusão

O vídeo é verdadeiro! Entretanto, ao contrário do que foi mencionado pela publicação brasileira, a PDVSA teria agido rapidamente para tentar conter o vazamento/derramamento. Devido as fortes chuvas que se abateram sobre Cantaura, a contenção inicial do material feita pela PDVSA (talvez de maneira inadequada) acabou se rompendo. Assim sendo, o óleo (ou resíduos de petróleo) acabou se alastrando, em princípio, por um trecho de algumas centenas de metros.

O problema teria sido definitivamente sanado em algum momento entre os dias 10 e 17 de outubro de 2019. Portanto, no momento da publicação da usuária, no Facebook, o problema já havia sido resolvido. Alguns sites de notícias regionais chegaram a divulgar esse incidente que, novamente em princípio, teria sido de pequena proporção. Não houve nenhum relato dizendo que produtores rurais, moradores locais ou o abastecimento de água da região de Cantaura tivesse sido afetado. De qualquer forma, caso apareçam novas informações, atualizaremos este artigo.

Para terminar, esse incidente não é nada comparável com outros desastres ambientais ocorridos nos últimos anos no Brasil, por exemplo. Foi algo bem localizado e, caso alguém esteja se perguntando, não teve nenhuma relação com as manchas de óleo que apareceram em diversas praias do Nordeste brasileiro.

Continue lendo
8 Comentários

8 Comments

  1. Maria

    21 de outubro de 2019 em 20:13

    @Marco Faustino , EXCELENTE MATÉRIA! Esse é um dos exemplos em que os detalhes contam e muito se quisermos entender de fato o que aconteceu, a cadeia e a sequência dos eventos. O que a usuária do Facebook fez foi pegar um incidente de pequeno porte e tentar transformá-la num “DESASTRE AMBIENTAL GIGANTESCO” e/ou, em outras palavras, SENSACIONALISMO BARATO! Tentou culpar até o PAPA (o que ele tem a ver com isso?). 😉 KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK! 😀

  2. Maria

    21 de outubro de 2019 em 20:27

    Curiosidade: gosto muito do seriado Star Trek, especialmente do Spock. Dizem que vulcanos não mentem e quando Spock era confrontado respondia apenas que “exagerou”. Mas para mim não interessa, pois considero exageros e sensacionalismo baratos como MENTIRAS e/ou FAKE NEWS! 😉 KKKKKKKKKKKK! 😀

    • Raquel

      29 de outubro de 2019 em 16:38

      Só uma mente simplória nao concatena que qualquer rio desemboca no mar e SIM, se o derramamento la somente foi percebido e tomada providencias 10 dias depois de iniciado, SIM, incontestavelmente o que vazou antes foi um.grande volume que atingiu sim o atlantico e SIM chegou a Costa Brasileira.
      A ansia desse site em contestar coisas obvias e dizer que é fake só para ter audiência ficou ridicula. Tomem vergonha na cara.

      • Marco Faustino

        30 de outubro de 2019 em 5:59

        Olá Raquel!

        1) “Qualquer rio desemboca no mar” – Falso! Embora a maioria dos rios corra em direção ao mar, nem todos desembocam no mar. Muitos rios simplesmente têm o objetivo de abastecer lagos, lençóis freáticos e outros corpos d’água. Se você aprendeu isso na escola, de maneira genérica e global, sinto informar que lhe ensinaram errado.

        2) “O derramamento lá somente foi percebido e tomadas providências 10 dias depois de iniciado” – Novamente falso! O próprio Ramón Sotillo, o principal denunciante do vazamento/derramamento e morador antigo de Cantaura, disse que a PDVSA tentou fazer um barreira de contenção, que acabou sendo rompida devido as chuvas que se abateram sobre Cantaura. O vazamento teria ocorrido por volta do dia 5 e as chuvas entre os dias 8 e 9. Portanto, não demorou 10 dias para que as primeiras providências fossem tomadas.

        3) “Incontestavelmente o que vazou antes foi um grande volume que atingiu sim o Atlêntico e SIM chegou a Costa Brasileira” – Você tem alguma prova sobre isso? Porque nada indica isso. O próprio Ramón Sotillo jamais mencionou que o óleo (ou resíduos de petróleo) chegou até algum rio da região e muito menos que tivesse atingido o Atlântico. Para ter uma ideia, para chegar até a Represa La Estancia seria necessário atingir o rio Guaire (não o rio Aragua), um trajeto de cerca de 20 km (https://www.google.com/maps/dir/Inversiones+Veracer,+C.A,+Cantaura,+Anzoategui,+Venezuela/9.3565611,-64.5125698/@9.3439843,-64.5252447,13z/data=!4m14!4m13!1m10!1m1!1s0x8dd2a056f56f6c09:0x157e75d83c1b6d8a!2m2!1d-64.3770039!2d9.3075907!3m4!1m2!1d-64.480111!2d9.33772!3s0x8dd2a306de57b891:0x56b61e2e79a79174!1m0!3e0). E o rio Guaire mostra que você está errada desde o começo, porque ele desemboca na represa, não no mar. Diga-se de passagem a represa La Estancia não tem ligação com o mar e não há qualquer prova que o óleo (ou resíduos de petróleo) tenha chegado até lá.

        Já sobre o Rio Aragua, ele fica a uns 100 km ao norte de Cantaura (https://www.google.com/maps/dir/Cantaura,+6007,+Anzoategui,+Venezuela/Rio+Aragua,+6001,+Anzoategui,+Venezuela/@9.395646,-64.6847082,12z/data=!4m13!4m12!1m5!1m1!1s0x8dd2a05e02e77ce5:0x7f32ba9c1fb43db4!2m2!1d-64.3490085!2d9.297858!1m5!1m1!1s0x8c2d6c6e4a0c5d8f:0xe86fe94e5ae176d4!2m2!1d-64.6570145!2d10.0424721). Um trajeto ainda maior, e não há provas que isso tenha acontecido. O Rio Aragua também não desemboca no mar, ele desemboca primeiramente num rio chamado Neveri, sendo que é esse outro rio que desemboca no mar. Ambos cruzam partes de uma cidade litorânea chamada Barcelona – capital do Estado de Anzoátegui – que conta com 320 mil pessoas. E nenhuma dessas 320 mil pessoas registrou quaisquer manchas de óleo (ou resíduos de petróleo) passando por esses rios ou chegando até o mar.

        4) “A ânsia desse site em contestar coisas ábvias e dizer que é fake só para ter audiência ficou ridicula. Tomem vergonha na cara“. Não irei pedir para que você tome vergonha na cara por fazer tais acusações infundadas, porque sou educado. Contudo Raquel, peço, encarecidamente, que se informe corretamente antes de acusar pessoas ou sites, para evitar passar vergonha da próxima vez 🙂

        Abraços!

  3. ALEXANDRE DO NASCIMENTO MENDES

    22 de outubro de 2019 em 2:52

    Já já chega a turma que diz que o e farsas é de esquerda e esta passando pano para os bolivarianos que estão sujando as praias brasileiras

  4. Fransérgio Gomes Delgado

    30 de outubro de 2019 em 15:35

    Bela defesa, mas dá a dimensão do nível de conservação da malha petrolífera venezuelana. Chora mais.

    • ELENAOMEREPRESENTA

      30 de outubro de 2019 em 18:12

      ela defesa, mas dá a dimensão do nível de conservação da malha petrolífera venezuelana.
      E? De que forma isso prova que isso tenha alguma relação com as manchas do Nordeste??
      Chora mais.
      Você também deveria estar chorando, afinal o país que está sendo destruído pelo petróleo é o seu também. É uma pena que não tenha capacidade cognitiva para compreender a tragédia ambiental que estamos sendo vítimas.

  5. Pingback: Vazamento de óleo em Cantaura (Venezuela) chegou ao Atlântico e deixou Marinha em prontidão #boato

Deixe uma Resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mais Populares

Ajude a Manter o E-farsas!

Categorias

Parceiros

Voltando a Circular

Publicidade

Apoio técnico!

Topo