Conecte com a gente

E-farsas – Desvendando fake news desde 2002!

E-farsas – Desvendando fake news desde 2002!

Funcionário é demitido por não usar numero 666 no braço

666 é considerado o numero besta na bíbila

Demoníaco

Funcionário é demitido por não usar numero 666 no braço

Empregado de uma fábrica de plásticos é demitido por se recusar a usar adesivo com o numero 666 em seu pulso! Será que essa história é verdadeira ou falsa?

Texto que circula pela web conta que Billy E. Hyatt estaria processando uma empresa que lhe mandou embora porque [ele] se recusou a usar um adesivo com o numero 666 em seu pulso. O numero, segundo o texto, seria a quantidade de dias consecutivos que a fábrica já teria alcançado sem acidentes, mas para o religioso Billy, seria o “número da besta” citado na Bíblia.

Será que essa história é verdadeira ou falsa?

666 é considerado o numero besta na bíbila

666 é considerado o numero besta na Bíbila

A notícia é real!

O fato aconteceu em 2010, mas só apareceu na mídia em novembro de 2011. É que agora o desempregado entrou com uma ação contra a Berry Plastics.

Aconteceu mais ou menos assim:

Billy E. Hyatt – cidadão e devoto fervoroso de alguma religião cristã – foi contratado em junho de 2007, como Operador de Linha de Extrusão em uma empresa que fabrica produtos de plástico na Geórgia (Estados Unidos). Na época de sua contratação, Billy foi avisado de que todos os funcionários da fábrica são “obrigados” a usar o adereço no pulso. No tal bracelete estariam marcados há quantos dias consecutivos a empresa já estaria operando sem acidentes.

Até aí, tudo bem!

Só que, na medida em que os dias foram passando, o trabalhador percebeu que a fábrica já estava chegando aos 666 dias sem acidentes. Foi então que ele teve que dar uma palavrinha com seu superior para avisar que não usaria o tal adesivo em seu pulso no 666° dia. Segundo o próprio Billy, seu gerente garantiu que ele não teria que usar o número. “Pode ficar tranqüilo. Ninguém vai te obrigar a nada!” – teria dito ele.

Foi aí que chegou o dia em 12 de março de 2010. Hyatt procurou um gerente de novo para dar aquela lembrada sobre o seu pedido e teria tido a seguinte resposta:

Suas crenças são ridículas! Você terá que usar o adesivo em seu pulso ou será suspenso por três dias!

Entre em contato com o E-farsas

(11) 96075-5663 - t.me/efarsas

De acordo com o CBS News, o cristão Billy E. Hyatt manteve-se fiel à sua crença e não usou o tal adereço “demoníaco” e, como lhe foi avisado, ficou de suspensão por três dias e, no dia 17 de novembro, foi mandado embora!

Essa história teria ficado por isso mesmo, não fosse uma ação movida pelo advogado de Billy em novembro de 2011 contra a Berry Plastics Corporation. Stephen Mixon – o advogado – explica que o processo busca indenizações e salários atrasados. Mixon conta que a empresa teria obrigado seu cliente a “abandonar suas crenças religiosas”.

Até agora, a Berry Plastics não se pronunciou dobre o assunto.

O texto da Ação Civil n° “4:11-cv-278-HLM-WEJ” pode ser lido, na íntegra, aqui:

O numero 666

No Livro das Revelações – na Bíblia -, o número “666” está associado à marca da besta. Em Apocalipse 13:18, o texto bíblico afirma: “Aqui há sabedoria. Aquele que tem entendimento calcule o número da besta, porque é número de homem; e o seu número é seiscentos e sessenta e seis.

Alguns estudiosos afirmam que pode ter havido um erro de tradução no versículo e que o numero da besta pode ser o “616”.

De qualquer maneira, caso a história do funcionário seja mesmo verdade (até onde se sabe, só conhecemos a versão dele!), a empresa parece ter sido muito radical em obrigar seu colaborador a usar um acessório tão desnecessário como esse. No entanto, ao assinar seu contrato de trabalho, é de imaginar que Billy já estava ciente de que teria que passar por isso.

E você? O que acha dessa história? Deixem seus comentários!

Conclusão

História real! Agora é aguardar a versão da empresa e o fim do processo.

Sites pesquisados

Continue lendo
43 Comentários

43 Comments

  1. Vinícius

    28 de novembro de 2011 em 9:38

    Cara essa empresa não tem o direito de fazer isso, a suspensão dele até é um pouco aceitavel pois ele assinou um contrato, mas, a demissão é sem causa justa.

  2. D

    28 de novembro de 2011 em 15:42

    Não tem nada de satanico nisso, é só um fanático religioso vendo o diabo aonde não tem…
    666 é só um numero, meu CPF tem o numero 666, issoq uer dizero alguma coisa?
    não!

    • vi

      17 de maio de 2012 em 16:57

      Aqui esta a sabedoria. Aquele que tem entendimento calcule o número da besta, pois é número de homem. Ora, esse numero é seiscentos e sessenta e seis (apocalipse 13.18)

      • Sakeh

        29 de outubro de 2012 em 13:05

        Claro e se tira essa informação do mesmo livro que fala que se deve apedrejar os filhos rebeldes né? O mesmo livro com varias contradições e claro o livro em que deus mata varias pessoas bem mais que o diabo se me permite dizer, ÓTIMO LIVRO PARA TIRAR ESSA IDEIA, é só um numero e nada mais!!!

  3. D

    28 de novembro de 2011 em 15:45

    O cara podia ter criado um acidente, machucado-se mesmo, assim a contagem iria recopmeçar… e uma vez a cada 600 dias ele sofreri aum acidente… e impedia o fim do mundo, ou o que fosse que ele tinha na cabeça que iria ocorrer por usar esse numero…

    • Gilmar Lopes

      28 de novembro de 2011 em 18:59

      Hehehehe! É verdade! Boa idéia! 🙂

  4. Felipe.S

    28 de novembro de 2011 em 16:27

    Se fosse um ateu daria risada do numero… mas como é crente tem medo de simbologia.

    • fatima

      29 de novembro de 2011 em 13:10

      felipe..vc disse bem,quando diz se fosse ateu: mas não sendo tem todo direito de ser respeitado. não se trata de medo ..e sim de escilhas..e cada um de nós temos esse direito.

      • fatima

        29 de novembro de 2011 em 13:12

        desculpe..eu quis dizer escolha. temos nossa propria decisão de escolher essa questão,de crer ou não crer.

        • Felipe.S

          29 de novembro de 2011 em 22:32

          Minha mãe é católica, e eu sou ateu, o numero de registro da faculdade dela os 3 primeiros números dela são 666, ao invez de ficar achando picuinhas, ela só ri e nunca reclamou disso.

    • Pedro Rocha

      30 de novembro de 2011 em 8:44

      Nunca ouvi falar de alguém que tivesse medo de uma ciência que estuda símbolos. Sua demonstração de preconceito descortinou ainda mais ignorância sobre o assunto.

      Gosto muito desse site, mas a conivência do moderador, se é que há moderação aqui, para com esses comentários de baixo nível vai acabar desabonando esse espaço de conhecimento.

      Comentário absurdo e sem fundamento é uma coisa, mas trollagem e preconceito não merece espaço!

  5. Carol

    28 de novembro de 2011 em 17:49

    Estudo Recursos Humanos. É lamentável saber que ainda existem profissionais desta área que usam o poder hierárquico que têm para causar constrangimento aos funcionários. Lamentável e inconcebível. O único uso de que podemos obrigar nossos funcionários é do Equipamento para Proteção Individual (EPI), justamente porque é algo que afeta a saúde e segurança do colaborador. Como não é o caso acima, a atitude do superior não tem justificativa, é incorreta.

    • Everton

      29 de novembro de 2011 em 8:26

      Acredito que esta lei se aplica somente ao Brasil.

      • Ester

        5 de janeiro de 2016 em 15:56

        Bom…geralmente as normativas de segurança são internacionais as famosas ISOs entre várias outras..No caso a obrigatoriedade do uso seria se a vida do funcionário estiver em risco ou a não utilização colocar alguém em risco, o que não ocorreu. Sou da CIPA da minha empresa há dois anos e trabalho em local de risco, e sempre frisamos as normas internacionais.
        Sou evangélica nunca faltei ao trabalho só por faltar como está sendo muito falado aqui, acho que péssimos profissionais não são desta ou daquela religião, simplesmente não tem caráter. Mas no caso acima se o empregado avisou ao encarregado que concordou…logo quem agiu de má fé foi o encarregado, que poderia ter dito que era usar o número ou ser demitido, assim o profissional poderia ter tomado a decisão de usar ou não.

        Agora…no mês de novembro aqui na minha empresa, foi fornecido a todos os funcionários uma fita azul que representava a campanha do Novembro Azul e todos foram recomendados a usar, porém não é obrigatório (só usou quem quis, nem todo mundo gosta). Acho uma falta muito maior da empresa, pois essa demissão foi uma das mais idiotas que eu já vi, nenhum funcionário pode ser coagido a usar algo que vá contra seus princípios morais, religioso…É falta de ética, imagina se vc é ATEU e só pq eu sou sua chefe e sou evangélica invento de te obrigar a usar no uniforme ou uma pulseira com os dizeres: “Só Jesus salva!”…assim como a frase poderia ser considerada uma ofensa a qualquer pessoa de outra religião (africanas e afim) ou até mesmo ateus…o número “666” ofende muitos cristãos. Se é só o número ou o número da besta, basta a cada um sua fé.

  6. Leandro

    28 de novembro de 2011 em 18:46

    que bobagem, o cara perdeu o emprego por ser um religioso fanático, não custava nada ele usar o numero 666 no braço, esse negócio de numero da besta é coisa de religioso fanático, nada haver, a empresa fez certo em demiti-lo

  7. D

    28 de novembro de 2011 em 19:29

    to baixando um seriado agora ta em 66% e é a 6 temporada e o ep 6…
    ohhhhhhhhh

    • Gilmar Lopes

      28 de novembro de 2011 em 19:56

      Cuidado! Isso pode ser perigoso! 🙂

  8. Mauro

    28 de novembro de 2011 em 23:03

    Uma correção: o número 666 provavelmente não é um erro de tradução, o que acontece é que alguns manuscritos antigos mostram o número 616 em vez de 666.
    Uma explicação plausível é que ele representava o imperador Nero. “Nero César” pode ser escrito de duas maneiras em caracteres hebraicos. Uma dessas maneiras dá a soma 666 e a outra dá 616.

    Fonte: “The New Testament”, Bart Ehrman

    • BaHalus

      29 de março de 2012 em 16:24

      hmmm… 616 é o número do meu trabalho. >medo< :^D

  9. andre matos

    29 de novembro de 2011 em 8:45

    onde fica o respeito de crença?

  10. Nayara

    29 de novembro de 2011 em 8:55

    Não entendi uma coisa:
    todos os dias os caras usavam um adesivo indicativo de um número de dias no pulso?
    quanto se gastava com essa marcação?

    • Gilmar Lopes

      29 de novembro de 2011 em 18:37

      É mesmo! Não tinha pensado nisso!

  11. cleristom

    29 de novembro de 2011 em 9:39

    Acho que a crença em Deus é valida, porem ignorâncias deste tipo que são absurdas, e o incrível é que alguns ainda concordam. Eu quero ver se ao final do processo o juiz declarar a favor do empregado a indenização de 666 mil dólares se ele vai se recusar a receber também… “não meritíssimo, me recuso a receber porque é o numero da besta, só posso receber os 66 mil”.

    • cleristom

      29 de novembro de 2011 em 9:48

      ressaltando: a demissão já fica a cargo de como é que esse empregado tentou negociar sua própria ignorância né rsrss ele pode muito bem ter falado pro seu gerente: “olha só, nao vou usar esse numero nem que me mate. Nem você, nem dono, nem juiz, nem autoridade nenhuma vai me fazer usar essa merda de pulseirinha do capeta, sabe o que vc faz com ela? sabe? ou então se você quiser eu faço pra você. fala duvido! fala pra você ver se eu e meu deus não iremos fazer você engolir essa pulseirinha, seu desgraçado…”

  12. Math

    29 de novembro de 2011 em 17:27

    Tá certo que eu acho isso de 666 uma besteira, é só um número, e EU não veria problema em usar.
    Mas eu acho que a empresa também não fez certo em demitir o cara por causa disso. Era da religião dele, eu acho que toda religião deve ser respeitada
    E se haviam dito pra ele que ele não seria obrigado a usar, porque voltaram atras depois?

    Sério, dessa vez eu achei que a empresa agiu bem errado, mesmo o cara sendo fanático e tal…

  13. Jhow

    29 de novembro de 2011 em 20:44

    O respeito mandou lembranças pra um pessoal aí de cima.

    Não é questão de ser fanatico, está escrito na biblia que no fim dos tempos os pecadores condenados teriam esse numero gravado para se diferenciar dos que seriam salvos. Uma pessoa que crê nisso vai querer usar uma pulseira com esse numero?! Claro que não, e outra, custa a empresa atender UM pedido de um funcionário? Bem feito pelo processo, tomara que perca rios de dinheiro pela ignorancia e desrespeito!

    • Dora

      27 de abril de 2012 em 21:46

      Jhow eu tenho o 666 no meu CPF e quer dizer que para voce eu já estou condenada? Quem mal eu fiz?

  14. Luiz Felipe

    4 de dezembro de 2011 em 11:03

    Sou evangélico e desconheço qualquer norma ou regra, seja institucional ou bíblica, que leve uma pessoa se recusar a utilizar uma pulseira que simbolize dias sem acidentes, mesmo que seja 666 (aliás, acabo de escrevê-lo). O apocalipse fala de um número que será símbolo de um imperador mundial, e depois informa que as pessoas que se submeterem ao imperador (anti-cristo), levariam uma marca na testa ou na mão direita, (sem a qual, não se poderia comprar coisas, serviria como uma moeda, inclusive) e adverte que os compromissados com Cristo não aceitassem tal marca, o que não significa que a marca se trata de uma pulseira com 666. A marca da besta pode ser qualquer coisa/símbolo que indique que aquela pessoa aderiu ao sistema em questão.
    Ora, se o significado da pulseira é o de dias sem acidentes, em nada implica à submissão a um sistema anti-cristo. Ademais, a marca da besta será no corpo e não um adereço. Houve quem dissesse, há algum tempo, que seria o código de barras, hoje já evoluiu para o chip dentro da pele, mas o fato é que ninguém ainda sabe qual é a marca.
    A orientação bíblica é a de não se sujeitar ao anti-cristo e ao sistema dele, o que, de certo, não ocorreria apenas utilizando uma simples pulseira de uma empresa por um dia, cujo significado, como já vimos, era outro.
    Há também, por outro lado, o exagero por parte da empresa, tanto em colocar esse tipo de coisa em contrato, como em penalizar alguém por causa de um dia apenas, pela crença, ainda que infundada, de alguém.

  15. pedrosantos737

    19 de dezembro de 2011 em 13:56

    Luiz Felipe, se vc é evangélico. Vc é tão imbecil quanto os caras da empresa talvez justamente por ser evangélico. Primeiro que vc nem entendeu as passagens que explicou, ser ruminante, e, em segundo, a ojeriza ao número que faz parte da crença independente do significado REAL da pulseira.
    Se faz parte da crença rejeitar aquele número, é o sentimento e o significado da programação neurolinguística de estar usando ele que vale. E SE TE FALASSEM PRA USAR BATONZINHO E PERUQUINHA MAS QUE VC NAO É GAY E QUE É SÓ POR USAR POR UM OUTRO MOTIVO? vc não gostaria independente de significar que vc é uma bichona ou não (isso é CASO vc seja homem de verdade). O desconforto psicológico de uma postura a qual não se aceita tem um significado REAL independente do significado também real da necessidade do uso da pulseira. Pesando as 2 coisas, que a pulseira é pra manter na cabeça a idéia constante de prevenção de acidentes, como princípio, por meio de uma ferramenta (também) de programação neurolinguística, e da reversão do efeito da pulseira no funcionário nestes casos. É tanto interesse da empresa quanto do funcionário dispensar o uso neste caso. O imbecil do chefe dele prejudicou tanto a empresa quanto o trabalhador. e ESTE SIM tem uma crença imbecil que a crença do outro é futilidade de fanático.

  16. Erica

    4 de janeiro de 2012 em 4:01

    Acho tão engraçado… esse povo quer pagar de super inteligente, moderno e maiores combatentes do preconceito, mas não pensam duas vezes em ficar falando idiotices sobre as crenças das pessoas! Que contradição e hipocrisia!!! TODOS merecem respeito! Ninguém está comentando sobre o dono da empresa ter dito que as crenças dele são ridículas, sendo que isso foi sinal de ignorância e preconceito! Vocês iriam gostar que desrespeitassem suas crenças e modos de vida sendo eles o que forem? ENTÃO APRENDAM A RESPEITAR A TODOS! E deixem de ficar defendendo o fim do preconceito contra só o que os convém!

  17. marcos

    10 de janeiro de 2012 em 12:38

    o cara foi mandado embora porque ele era BURRO! era só ele FALTAR neste dia e pronto!, no dia seguinte o número estaria no 667 hahahhahuahua

    Era só ele falar que tava com dor de barriga/enjoado/gripado etc

    • Gabriel

      8 de junho de 2012 em 22:18

      Booa , kkk’

  18. Aline Cerqueira

    13 de fevereiro de 2012 em 15:01

    Eu acho ele certíssimo, se fosse eu faria a mesma coisa. Buscai primeiro o reino de Deus e as outras coisas vos serão acrescentada.

    • Sakeh

      29 de outubro de 2012 em 13:26

      Alienação evangélica é foda hem..

    • Rute

      2 de janeiro de 2013 em 8:42

      eu concordo com vc Aline pq esse povo de hj em dia sao incredulos. eis q o dia esta chegando pois Deus vira buscar os seus, por isso deixo o recado.
      ” apressa-te enquanto a tempo pois breve o sinal da besta estara em todo o mundo e qnd os q nao aceitarem o numero 666 e acreditarem em Deus e ser fiel, Jesus vira sobre as nuvens arrebatar seu povo”.

  19. BaHalus

    29 de março de 2012 em 16:34

    Primeiro que essa idéia da pulseirinha com os dias é ridícula. Toda empresa com esse sistema costuma usar placas com o número de dias, não milhares de pulseirinhas.

    Segundo que o cara tem o direito de crer no que quiser e não usar a tal pulseirinha por um dia não iria prejudicar em nada a empresa e não justifica de forma alguma suspensão de 3 dias. Se muito justificaria suspendê-lo e cortar o salário dele por aquele dia em específico (mesmo isso considero injustificável porque não usar uma bendita pulseirinha não prejudicaria em nada o serviço).

    O único fanático idiota que eu vi na notícia foi o chefe do cara com sua estupidez inflexível. O cara tinha (tem) uma convicção religiosa. Não importa se concordas com ela ou não, se ela parece justificável ou não. Nada justifica forçar o cara a ir contra suas crenças.

    E no contrato não dizia que ele teria que usar uma pulseira com o número 666, ele só foi perceber que esse dia chegaria quando chegou perto. E era somente um dia isso, poxa!

    Se fosse um contrato que dizia que o cara tinha que trabalhar no sábado toda semana e o cara depois de assinar dissesse que não por suas convicções religiosas, aí sim eu até daria razão para o chefe, pois isso seria algo contínuo que poderia prejudicar o trabalho.

  20. Oz666

    2 de maio de 2012 em 19:53

    kd um acredita nq keh continuem aumentando a conta bancaria de seus pastores, padres e etc isto sim eh certo neh?, n sqnta ele foi mandando embora mais o pastor ira alimenta-lo com cestas basicas!!! hsaushausahsau

    Oz666

  21. Gabriel

    8 de junho de 2012 em 22:16

    ta e se o patrão dele vem e oferece pra ele um salario de 666 mil dolares… ele tambem iria dizer que pelas crenças da religiao dele o numero é do capeta e bla bla ? eu acho que nao ne . Me polpe o cara exagerou.

  22. Romulo

    29 de julho de 2012 em 21:56

    soal a questão é que ele como funcionario assinou um contrato que dizia que ele teria que usal tal adesivo, e a partir disso pode-se ter uma ideia que em algum momento se chegaria ao tal numero de dias (666), então, sendo ele remunerado pelo trabalho que faz e concordando com as regras da empresa não deveria ter se imposto, entretando já que a crença dele é que o numero da besta é o 666, ele poderia ter simplesmente faltado o dia, seria somente um dia é tao mais facil desviar do problema do que bater de frente com ele. Ele nao abandonaria a sua crença, não haveria um problema com a empresa e todos sairiam felizes!

  23. Bruno

    17 de julho de 2013 em 0:43

    Eu uso o 666 tatuado no braço todos os dias, e quero ver algum EXvangélico(ex-prostituta, ex-estuprador, ex-drogado, ex-assassino, etc..) vir falar merd…

  24. simone silva

    25 de abril de 2015 em 11:15

    n sei pq mas fico apavorada com o numero 666

  25. OSVANI CANTALICIO GONCALVES

    1 de agosto de 2015 em 19:41

    o CARA NAO ERA BURRO, BURRO SAO ESSES QUE SE QUER NUNCA PASSARAM A MAO NA BIBLIA PARA LER O QUE DIZ A PALAVRA DE DEUS, ELE NAO TEVE O DIREITO DE SER UM CRISTAO E ADORAR SEU dEUS VIVO,,,,, PARA QUEM NUNCA LEU A GENUINA PALAVRA DE DEUS, VAI AQUI MEU CONSELHO, PROCURE SERVIR A DEUS O QUANTO ANTES, PARA QUE TENHAS O DIREITO A VIDA ETENA… O NUMERO 666 SERA EXECUTADO POR UM GOVERNO QUE VAI SE LEVANTAR NO MUNDO E VAI MARCAR A POPULACAO MUNDIAL COM ESTE NUMERO, E SO PODERAR COMPRAR OU VENDER QUEM ACEITAR ESTE NUMERO,,, E AI ESTA A REPOSTA PARA OS CRENTES QUE VAO PREFERIR ESTAR COM DEUS DO QUE ACEITAR ESTE NUMERO DE HOMEM PORQUE E PROFECIA A SER CUMPRIDA,,,

  26. Gabriele

    7 de novembro de 2015 em 6:04

    Demitir um funcionario por causa de um simples adesivo que ele se recusou a usar é algo ridiculo. Fora o discurso desrespeitoso com a crença do cara

Deixe uma Resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mais Populares

Ajude a Manter o E-farsas!

Categorias

Parceiros

Voltando a Circular

Publicidade

Apoio técnico!

Topo