Conecte com a gente

E-farsas – Desvendando fake news desde 2002!

E-farsas – Desvendando fake news desde 2002!

Policial ferido é carregado por professor em manifestação em SP

Policial ferido sendo carregado por manifestante

Conspirações

Policial ferido é carregado por professor em manifestação em SP

Foto mostra a solidariedade de um professor ao carregar policial ferido durante manifestações em São Paulo. Será que essa história é real?

Em abril de 2012, uma fotografia muito curiosa começou a se espalhar pelas redes sociais. Nela podemos ver um homem carregando um policial ferido, em meio a um confronto entre a Polícia Militar e professores, em São Paulo.

Policial ferido sendo carregado por manifestante

Policial ferido sendo carregado por manifestante! (reproduçao: Facebook)

 

Será que isso é verdadeiro ou farsa?

A foto é real! O belíssimo flagra foi eternizado pelo fotógrafo Clayton de Souza, da Agência Estado, em março de 2010. O ato heroico ocorreu no dia 26 de março daquele ano, em confronto entre policiais e professores em uma assembleia promovida próxima ao Palácio dos Bandeirantes – no bairro do Morumbi, em São Paulo. Abaixo podemos ver outra foto[bb]tirada na sequencia:

 

Policial ferido é carregado por policial à paisana!

Policial ferido é carregado por policial à paisana! (reprodução)

 

A história da imagem

Quanto à história por trás da imagem, há muita controvérsia e muitas dúvidas ainda pairam sobre ela. Afinal, quem é o herói da história? Seria mesmo um professor[bb]?

Entre em contato com o E-farsas

(11) 96075-5663 - t.me/efarsas

As primeiras noticias publicadas nos principais jornais do país afirmavam que se tratava de um professor que se solidarizou com o policial ferido e resolveu carrega-lo até o atendimento. De acordo com o Estadão, 16 pessoas ficaram feridas durante o confronto entre policiais e manifestantes.

No entanto, no dia seguinte, quando as notícias foram apuradas com mais esmero, descobriu-se que o tal professor era, na verdade, um policial à paisana infiltrado no meio da manifestação e que o ferido era uma mulher, a soldado Erika Cristina Moraes de Souza Canavezi, que foi ferida com uma paulada no rosto.

A versão de que o “rapaz-herói” era um policial foi confirmada também pela própria Polícia Militar em seu blog.

Dúvidas

Algumas questões ainda ficaram sem resposta. Por exemplo:

  • O que o policial estaria fazendo disfarçado no meio da manifestação?
  • Qual é o nome desse sujeito?

Segundo o Viomundo, no dia 29 de março de 2010, os diretores de subsede da Apeoesp de Osasco passaram o dia investigando a possível origem do rapaz. Muitos se lembram de tê-lo visto em meio aos professores, mas chegaram à conclusão de que o suposto professor não fazia parte dos associados e que era, de fato, um policial militar do serviço reservado (ou secreto) da Polícia Militar paulista. “É um P2, como são chamados”, afirma o Viomundo.

Quanto à identidade do policial disfarçado, em nota ao Viomundo, a Polícia Militar disse que “por solicitação do policial, que pediu para ter o seu nome preservado, a PM não irá divulgar o nome dele”.

Questionada sobre o real motivo de o policial estar infiltrado no meio dos professores, a PM simplesmente respondeu: “Ele estava no local, não disse o que estava fazendo”, respondeu a assessoria de imprensa[bb]. Estranho, não é?

Conclusão

A foto é real! Porém o rapaz que salvou a policial não é um professor, é um policial disfarçado.

Sites citados

 

Continue lendo
29 Comentários

29 Comments

  1. Rafael Milléo

    8 de maio de 2012 em 15:32

    A presença de agentes disfarçados (chamados de P2) é muito comum em manifestações, e há quem diga que eles é quem incitam os atos de violência e mapeiam os possíveis “líderes” ou pessoas de voz mais ativa numa manifestação…

    • duda

      22 de maio de 2012 em 21:57

      desculpa amigo isso não é verdade, eles estão lá pra evitar que bandidos se aproveitem da situação e diante do tumulto pratiquem crimes.

      • jeci

        19 de junho de 2013 em 13:36

        kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

        • Daniel

          21 de setembro de 2016 em 9:57

          Nas manifestações de 2013 foi filmado um P2 lançando coquetel molotov na própria polícia. A manifestação estava ocorrendo sem violência até o momento em que o P2 fez isso. O acontecimento foi registrado por diferentes pessoas e está no youtube.

  2. Paulo H G Ramos Jr.

    9 de maio de 2012 em 7:57

    Prezados,

    INFELIZMENTE, no Brasil, a presença dos X-9 é muito comum…

    Em um ESTADO DEMOCRÁTICO, não devia ser…

    Felicidades.

    • Adalberto De Bastiani

      14 de maio de 2012 em 17:40

      Meu Deus, X9,não querer policial monitorando movimento com alegação de estado democrático de direito?
      Em qualquer país do mundo por mais democrático que seja a policia sempre vai monitorar qualquer tipo de manifestação para saber real intenção e se existe perigo para os policiais envolvidos e mesmo para a população, os argumentos e o pejorativo X9 que é gíria de bandido só demonstram a real necessidade de tal monitoramento, prova disso é que um pacífico professor usou um pedaço de pau contra uma mulher.

      • duda

        22 de maio de 2012 em 22:00

        gostei do seu comentário,falta de informação faz isso.

      • Pierri

        2 de junho de 2012 em 0:22

        Quem foi que falou que não queria a polícia monitorando?
        Ninguém, né? Vc que tirou isso do chapéu, certo?
        Que sejam monitorados como devem ser: abertamente, com policiais identificados como tal, de forma transparente, e não disfarçados, podendo fazer qualquer coisa e depois culpar os movimentos por enfrentamentos desnecessários.

        • Juliane

          13 de junho de 2012 em 10:32

          Falou e disse, Pierri.

    • mark

      24 de janeiro de 2013 em 17:55

      Cheio de pseudo-intelectual metido a revolucionário.puffff

  3. Luiz

    9 de maio de 2012 em 9:46

    Como professor, acho realmente que somos injustiçados. Filhos de outras pessoas são encaminhados à escola para receberem EDUCAÇÃO, mas isso se recebe em casa; à escola cabe apenas transmitir CONHECIMENTO.
    Como cidadão, acho que a ninguem é dado o direito de atacar quem quer que seja (principalmente uma policial) com uma “paulada no rosto”, a menos que vc esteja se protegendo e não atacando…

  4. BaHalus

    9 de maio de 2012 em 10:11

    Caraca! Me senti na época da ditadura agora!

    • Spektruz

      10 de maio de 2012 em 11:24

      Nessa época professor ganhava melhor e as pessoas não eram enganadas à mancheia por sindicalistas pelegos de partidos políticos, que se interessam mais em elegerem a si mesmos e seus colegas do que com seus representado.

      • Adalberto De Bastiani

        14 de maio de 2012 em 17:44

        Falou tudo amigo, naquela época fizeram as pessoas acreditar que o terror era instalado, mas naquela época professor tinha orgulho do seu trabalho e não era tratado como massa de manobra, quiçá usar movimento sindical de professor para entrar em confronto com a polícia e agredir mulheres com pedaços de pau.

        • Pierri

          2 de junho de 2012 em 0:24

          Como é que é? “fizeram as pessoas acreditarem que o terror era instalado”?
          De que dimensão vc veio? O terror ESTAVA instalado. Perseguiram, mataram, estupraram na frente dos filhos. E vc tem a cara de pau de dizer que “fizeram acreditar”?
          Ah, vá plantar batata, meu!

          • Spektruz

            13 de junho de 2012 em 13:11

            Por obséquio: mais fatos e menos discurso esquerdista.

    • duda

      22 de maio de 2012 em 22:05

      desculpa mas vc não sabe o que é ditadura.vc é da época ? que democracia é essa que o voto é obrigatório sujeito a restrições de direitos.

    • Malforea

      18 de dezembro de 2012 em 10:01

      Com a diferença que hoje quem manda na polícia é o pessoal que diz ter lutado contra a ditadura, mas na verdade só queria tomar o poder mesmo.

  5. Renato Martins Barcellos

    9 de maio de 2012 em 17:30

    Dwnnia Souza,
    Apesar do texto confuso e das palavras sem sentido, entendi que, para você, professor imbuído da “missão de formar cidadãos” não vai precisar de dinheiro para pagar o aluguel, a conta de luz, da água, a passagem, o supermercado… Então, tá! Só não entendi se você é uma pessoa tola ou de má-fé.

  6. Julio Costa Pereira

    9 de maio de 2012 em 20:02

    Ta longe de ser um professor que estava protestando que ajuda a policia que estava em confronto com eles, as pessoas não são tão boas assim!

  7. Jorge Alberto

    10 de maio de 2012 em 12:03

    É a coisa mais normal em manisfestações ter alguem infiltrado e se não tem atos criminosos não tem porque se preocupar e quanto a identidade tem mais é que ser preservada , ou quem sabe divulgar a identidade dos professores bagunceiros , devemos começar por ai.

  8. Andrey Canabrava

    13 de maio de 2012 em 16:46

    Temos que tomar muito cuidado.Quando tudo explodir,temos que ser organizados para matarmos esses iluminatis.Não entreguem suas armas idiotas.Vocês vão serem escravizados

  9. Pingback: Quebrando a corrente – Como identificar farsas virtuais

  10. Adalberto De Bastiani

    14 de maio de 2012 em 17:47

    E eu que estava achando que havia um professor evoluído ao ponto de carregar uma mulher agredida mesmo sendo ela uma policial, me enganei feio e depositei muita fé nessa categoria que estupidamente ao invés de formar cidadãos, transmitir conhecimento e ser exemplo estão partindo para cima da policia como adolescentes dos anos 70.

  11. Henrique

    23 de maio de 2012 em 21:28

    Difícil ser policial disfarçado ou a paisana… o cara tá com barba.. PM não pode usar barba/bigode… se ainda fosse Polícia Civil ou Federal… mas Militar acho dificil

    • Spektruz

      13 de junho de 2012 em 13:13

      Os membros das Seções de Serviço Reservado (S2/P2) não usam fardamento, portanto podem usar barba enquanto estiverem lotados nesses serviços.

  12. Alex

    16 de setembro de 2012 em 20:30

    Ninguem viu o colete do policial não, é um colete geralmente usado por delegados…

  13. Forgeron

    2 de novembro de 2012 em 14:58

    bem que professor(a) bonzinho(a) ne?
    batendo em mulher,imagina com os alunos(as)?

  14. PETERCOBEQUE

    18 de agosto de 2013 em 16:38

    cara normalmente em manifestações tem vários policiais disfarçados só pra ver quem tem cara de suspeito ou não.é comum ter isso em manifestações,tão procurando um serial killer não.eu fui em uma e ja´vi muitos com cara PM.

Deixe uma Resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mais Populares

Ajude a Manter o E-farsas!

Categorias

Parceiros

Voltando a Circular

Publicidade

Apoio técnico!

Topo