Conecte com a gente

E-farsas.com – Desvendando farsas da web desde 2002!

E-farsas.com – Desvendando farsas da web desde 2002!

Será que o vídeo de decapitação do ISIS é falso?

Conspirações

Será que o vídeo de decapitação do ISIS é falso?

Será que o vídeo de decapitação do ISIS é falso?

Hackers teriam encontrado provas de que o vídeo da decapitação de jornalista, divulgada pelos extremistas islâmicos, é falso?

Na segunda semana de julho de 2015, um vídeo se espalhou pelas redes sociais mostrando que a execução do jornalista James Foley atribuída ao Estado Islâmico, em 2014, seria uma encenação produzida em um estúdio de Hollywood!

Publicado no YouTube no dia 11 de julho 2015, o filme de 5 minutos de duração mostra os bastidores do que seria uma encenação desse assassinato e, segundo o texto que acompanha essas imagens, o Estado Islâmico (“ISIS”) seria uma criação da CIA sob as orientações do presidente Obama!

Cenas de decapitação teriam sido feitas em um estúdio! Será?

Cenas de decapitação teriam sido feitas em um estúdio! Será?

Hackers teriam conseguido o vídeo com imagens do estúdio de gravação onde teriam sido gravada a falsa decapitação em um dispositivo eletrônico de um amigo do senador norte-americano John McCain.

Será que essa execução atribuída ao ISIS foi uma encenação produzida em um estúdio?

Envie suas dúvidas e sugestões para o nosso WhatsApp no (11)96075-5663

Assista no YouTube, clicando aqui:

Verdadeiro ou falso?

O vídeo publicado em vários canais do YouTube mostram um estúdio visto de longe com vários refletores e um fundo verde, juntamente com a produção e dois atores. Um deles seria o carrasco e o outro, o homem que estaria interpretando o jornalista.

Acontece que o vídeo que está sendo usado como prova de que tudo não passou de uma armação norte-americana é diferente da filmagem feita pelos terroristas islâmicos, em 2014!

O pessoal do fórum MetaBunk fez um estudo minucioso nas imagens e notou diferenças gritantes entre ambos os vídeos. Os movimentos dos atores são muito diferentes em relação ao vídeo real de decapitação, além das sombras, que estão em ângulos diferentes!

Comparando os dois vídeos: Diferenças gritantes! (Metadebunk.org)

Comparando os dois vídeos: Diferenças gritantes! (Metadebunk.org)

Não vamos colocar os vídeos comparativos aqui (apesar de que eles não mostram a decapitação em si, mas as cenas podem não agradar aos mais sensíveis), mas você pode entrar no MetaBunk e verificar que o vídeo do estúdio não tem nada a ver com o filme real da decapitação de James Foley.

Conclusão

Infelizmente, o jornalista James Foley foi mesmo executado por extremistas do ISIS em agosto de 2014. O vídeo publicado em junho de 2015 não se parece nada com o filme da decapitação do norte-americano.

Continue lendo
4 Comentários

4 Comments

  1. Canceroso

    3 de agosto de 2015 em 9:52

    Bom…. Geralmente filmes são feitos com varias filmagens diferentes. Onde se usam anglos diferentes, falas diferentes e até figurinos diferentes.
    Ou seja, o vídeo ainda pode ser uma prova de que o Estado islâmico é uma fraude… o registro denunciador seria de uma das muitas tomadas feitas e não da que definitivamente foi escolhida e editada para ser lançada na Web.

  2. Tailon Garcia

    22 de agosto de 2015 em 22:09

    Ainda pode ser falso. Nada a ver a comparação com os “movimentos dos atores” serem diferentes. Afinal se é um estúdio, pode haver vários ensaios antes, e a cena gravada seria outra.

  3. Tailon Garcia

    22 de agosto de 2015 em 22:11

    E observando outras decapitações(não que eu sou um maluco vendo vídeos disso), quando o cara usa apenas a faca, ele fura antes, e depois serra, ou seja, a faca não vai de lado como mostra.

  4. Tailon Garcia

    22 de agosto de 2015 em 22:14

    Ah se todos os assassinos do Brasil e do mundo fossem decapitados…

Deixe uma Resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


Mais Populares

Ajude a Manter o E-farsas!

Doe Bitcoin

15c5g4Y4vk84WuTNgVQ3ttqN9fv4JUbqNP

Categorias

Voltando a Circular

Links patrocinados

Publicidade

Topo