Conecte com a gente

E-farsas – Desvendando fake news desde 2002!

E-farsas – Desvendando fake news desde 2002!

Um padre maranhense foi preso por se recusar a realizar um casamento gay?

Conspirações

Um padre maranhense foi preso por se recusar a realizar um casamento gay?

É verdadeira ou falsa a notícia afirmando que um padre foi preso no Maranhão por ter se recusado a realizar um casamento entre dois homens?

Essa história surgiu em diversos sites e blogs no final de janeiro de 2018 e narra a triste história de um padre da cidade maranhense de Caxias, que acabou sendo preso pela promotora de justiça da cidade por se recusar a fazer o casamento entre dois gays.

De acordo com a notícia, a promotora Paula Leiz pediu a prisão temporária do padre da igreja católica matriz pois, para ela, a atitude do padre foi homofóbica e intolerante, ao dizer que sua moral e religião não permitem a realização do casamento.

O padre, segundo o que diz na reportagem, continua preso na cadeia local aguardando julgamento que poderá acontecer na próxima segunda feira!

Será que isso é verdade ou mais uma farsa da web?

Padre teria sido preso por se recusar a casar dois gays! Será verdade? (foto: Reprodução/Facebook)

Verdade ou mentira?

Uma busca por essa notícia só nos retorna o mesmo texto, que parece ter sido copiado de uma publicação feita em um site obscuro chamado O Detetive, no dia 08 de janeiro de 2018. Basta uma olhada nas “notícias” feitas nesse site para perceber que a grande maioria das suas postagens é de fake news (inclusive, várias dessas mentiras já foram desmentidas aqui no E-farsas).

O nome da promotora, Paula Leiz, (que é o único nome disponível nessa “notícia”) não aparece em nenhum resultado no site JusBrasil. Curioso o fato de uma promotora nunca ser mencionada em um processo sequer…

O nome da citada promotora também não aparece no site do Ministério Público Federal!  

Em 2014, o promotor titular de Caxias era Willians Silva de Paiva e podemos verificar na lista de promotores da cidade que não há ninguém com esse nome!

Entre em contato com o E-farsas via WhatsApp: (11) 96075-5663

A foto do padre

Voltando ao padre (que convenientemente não teve o nome divulgado), a foto usada para ilustrar a matéria é de outra notícia que nada tem a ver com o assunto.

Em outubro de 2011, Cristiano Santos Silva foi preso quando se preparava para celebrar uma missa na Igreja de São João Batista, no Vinhais Velho, o mais antigo templo católico da capital maranhense.

O motivo da prisão?  Cristiano não era um padre de verdade!

De acordo com o Blog O Estado, o falso padre contou aos policiais, ao ser preso, que foi criado por padres em sua cidade natal e, por isso, ele conhecia bem a religião católica e suas celebrações.

Além de apresentar-se como sacerdote, o falsário enganava muitos fiéis incautos dizendo ser formado em Medicina”, diz a reportagem

O casamento gay na Igreja Católica

O papa Francisco já deixou bem clara a posição da Igreja em relação ao casamento entre pessoas do mesmo sexo. Em abril de 2016, o sumo pontífice pediu respeito aos gays, mas disse que o casamento não está no “desenho de Deus”.

Na verdade, o papa segue o que determina a Igreja, como podemos verificar em um documento publicado em junho de 2003 pela Santa Sé chamado “Considerações sobre os projectos de reconhecimento legal das uniões entre pessoas homossexuais” onde é afirmado que:

“Nas uniões homossexuais estão totalmente ausentes os elementos biológicos e antropológicos do matrimônio e da família, que poderiam dar um fundamento racional ao reconhecimento legal dessas uniões. Estas não se encontram em condição de garantir de modo adequado a procriação e a sobrevivência da espécie humana. A eventual utilização dos meios postos à sua disposição pelas recentes descobertas no campo da fecundação artificial, além de comportar graves faltas de respeito à dignidade humana, não alteraria minimamente essa sua inadequação.”

Mesmo com a proibição imposta pela Igreja a seus sacerdotes, alguns padres realizam casamentos entre pessoas do mesmo sexo, como aconteceu em junho de 2017, em Botucatu (SP), quando o padre Francisco Daniel – mais conhecido como Padre Betocelebrou e abençoou a união dos cabeleireiros Gabriel Dias Verdelho e Juliano Roberto Paulino.

Conclusão

A notícia a respeito de um padre que teria sido preso no Maranhão por se recusar a fazer um casamento gay é falsa!   

Continue lendo
Clique para comentar

Comente

Deixe uma Resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mais Populares

Ajude a Manter o E-farsas!

Categorias

Voltando a Circular

Publicidade

Topo