today-is-a-good-day
17.2 C
São Paulo
quinta-feira, abril 18, 2024

A prefeitura de Belo Horizonte (MG) anulou eleição para o Conselho Tutelar após falhas nas urnas eletrônicas?

- Publicidade -

É verdade que erros descobertos nas urnas eletrônicas fizeram com que a prefeitura de Belo Horizonte anulasse a eleição para o Conselho Tutelar?

A afirmação começou a se espalhar através das redes sociais na segunda semana de outubro de 2023, além de ser bastante compartilhada também através de grupos do WhatsApp. De acordo com o que viralizou, a prefeitura de Belo Horizonte, em Minas Gerais, teria anulado as eleições de 2023 para o Conselho Tutelar após detectar falhas nas urnas eletrônicas.

As publicações usam o ocorrido para colocar em dúvida o resultado das eleições presidenciais de 2022, mas será que isso é verdade ou mentira?

Texto de uma das versões compartilhadas no Twitter: “BOMBA: ACABAM DE SER ANULADAS AS ELEIÇÕES DO CONSELHO TUTELAR DE BH! MOTIVO:ENCONTRADAS IRREGULARIDADES NAS URNAS ELETRÔNICAS. ORA..ORA..MAS ELAS NÃO SÃO INDEVASSÁVEIS,SACROSSANTAS,INEXPUGNÁVEIS,INQUESTIONÁVEIS? INCLUSIVE A PESSOAS DA DIREITA PRESAS POR QUESTIONÁ-LAS!” (foto: Reprodução/Twitter)

Verdade ou mentira?

No dia 4 de outubro de 2023, a Defensoria Pública de Minas Gerais (DPMG) acionou o poder judiciário solicitando a anulação da eleição para o Conselho Tutelar da capital mineira, além da suspensão da homologação do resultado e dos vencedores do pleito ocorrido no dia 1º daquele mês. 

A defensoria determinou uma nova eleição sob a alegação da impossibilidade do direito ao voto de muitos eleitores por causa de falhas no sistema de votação, ausência de transporte coletivo gratuito no dia do pleito e da presença de fiscais fazendo campanha para candidatos dentro das salas de votação. A prefeitura de Belo Horizonte acatou o pedido, optando por anular essas eleições e marcando novas votações para o dia 03 de dezembro de 2023.

Essa é a parte real da história!

Quanto à parte referente à falhas nas urnas eletrônicas, temos aqui um pequeno detalhe: a votação para o Conselho Tutelar em Belo Horizonte não foi feita em urnas do Tribunal Superior Eleitoral, mas em equipamentos desenvolvidos pela Empresa de Informática e Informação do Município (Prodabel).

A DPMG explicou em nota que Belo Horizonte foi a única cidade de Minas Gerais que optou por não utilizar urnas fornecidas pelo Tribunal Regional Eleitoral.  

Durante a votação, o sistema apresentou lentidão e caiu diversas vezes, provocando filas e reclamações. Em muitos casos, o uso de cédulas de papel foi necessário, causando ainda mais demora e filas.

- Publicidade -

Segundo apurado pelo portal G1, os municípios de Belo Horizonte e de Maceió foram as únicas capitais que não utilizaram as urnas eletrônicas cedidas pelo Tribunal Regional Eleitoral (TRE).

A prefeitura de Belo Horizonte explicou que uma lei municipal impossibilitou a parceria com o TSE.

Conclusão

É verdade que falhas nas urnas eletrônicas contribuíram para o cancelamento das eleições do Conselho Tutelar em Belo Horizonte, mas é mentira que as urnas são as mesmas que foram utilizadas nas eleições gerais de 2022!

- Publicidade -
Gilmar Lopes
Gilmar Henrique Lopes é Analista de Sistemas. Trabalha com PHP e banco de dados Oracle e é especializado em criação de ferramentas para Intranet. Em 2002, criou o E-farsas.com (o mais antigo site de fact checking do país!) que tenta desvendar os boatos que circulam pela Web. Gilmar também tem um espaço semanal dentro do programa “Olá, Curiosos!” no YouTube e co-apresenta o Fake em Nóis ao lado do biólogo Pirulla! Autor do livro de ficção Marvin e a Impressora Mágica!

Últimas Atualizações

- Publicidade -Compre o livro Marvin e a impressora Mágica de Gilmar Lopes

Ajude a Manter o E-farsas

- Publicidade -

Checagens Relacionadas

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui