Conecte com a gente

E-farsas – Desvendando fake news desde 2002!

E-farsas – Desvendando fake news desde 2002!

Corpo de jovem que será beatificado na Itália foi encontrado incorrupto?

Falso

Corpo de jovem que será beatificado na Itália foi encontrado incorrupto?

Corpo de jovem que será beatificado na Itália foi encontrado incorrupto?

Recentemente, vem circulando nas redes sociais e por uma parte da imprensa brasileira, que o corpo incorrupto de um jovem foi exposto num santuário na Itália.

Somente uma publicação no Facebook já obteve mais de 17 mil compartilhamentos desde o dia 1º de outubro de 2020 (arquivo)! Nela é mencionado, em caixa alta (letras maiúsculas), que estaríamos diante do corpo INCORRUPTO de jovem chamado Carlo Acutis, que por sua vez será beatificado no próximo dia 10 de Outubro.

Também foi informado que o jovem morreu em consequência de uma avassaladora leucemia (guardem bem essa informação) no ano de 2006.

Publicação que viralizou no Facebook!

Contudo, conforme dissemos anteriormente, uma parte da mídia também resolveu propagar essa história.

Segundo um texto publicado no site da rádio Jovem Pan, o corpo de Carlos não se decompôs (arquivo). O blog “Ancoradouro”, do site do jornal “O Povo”, também divulgou que estamos diante de um corpo incorrupto (arquivo).

Captura de tela mostrando um trecho da notícia divulgada pelo site da rádio Jovem Pan.

Captura de tela mostrando um trecho da notícia divulgada pelo blog “O Ancoradouro”.

Algo semelhante reportou o site “Notisul” ao dizer que o corpo do jovem se encontrava em perfeito estado (arquivo)!

Captura de tela mostrando um trecho da notícia divulgada pelo site “Notisul”.

O Que é um Corpo Incorrupto

Basicamente, um corpo incorrupto é o corpo humano que apresenta a propriedade, sem que tenham sido utilizados métodos de embalsamamento, de não se decompor após a morte.

Entretanto, será que estamos realmente diante de um corpo incorrupto? O jovem não foi encontrado em estado de decomposição? Descubra agora, aqui, no E-farsas!

Verdadeiro ou Falso?

Falso! Não estamos diante de um corpo incorrupto, tampouco o corpo jovem foi encontrado em perfeito estado! O corpo foi encontrado em estado de decomposição, mas há toda uma narrativa que tenta, indevidamente, minimizar essa situação e fazer parecer que estamos diante de algo inexplicável ou milagroso.

A situação é tão peculiar, que até mesmo o site do Vaticano não soube divulgar corretamente esse caso ao se apoiar tão somente no discurso proferido pela mãe do jovem (arquivo).

Enfim, a seguir vamos explicar direitinho essa história para vocês!

Entenda o Caso

Segundo o G1, Carlo Acutis foi um adolescente católico italiano que realmente morreu de leucemia em 2006, aos 15 anos.

Ele ficou conhecido como “padroeiro da internet” entre os fiéis e será beatificado no dia 10 de outubro pelo Vaticano, que reconheceu o que considera ser um milagre realizado por ele no Brasil. Nascido em Londres, na Inglaterra, Carlo Acutis foi criado em Milão, na Itália, onde ainda criança tornou-se católico e devoto da Virgem Maria.

Curiosamente, apesar do extravagante título de “padroeiro da internet”, ele era pouco conhecido na Itália.

Segundo o G1, Carlo Acutis foi um adolescente católico italiano que realmente morreu de leucemia em 2006, aos 15 anos.

Além da igreja, Carlo Acutis gostava de computadores e tinha um conhecimento de ciência da computação muito acima da média para garotos da sua idade. Ele conseguiu unir as duas paixões ao criar um site dedicado à catalogação cuidadosa de cada milagre já relatado e para evangelizar — façanha que lhe rendeu o título de “padroeiro da internet”.

Após ser diagnosticado com leucemia, Carlo Acutis morreu em 12 de outubro de 2006, dia da Nossa Senhora Aparecida, considerada pela igreja católica a padroeira do Brasil.

Qual Foi o Milagre Atribuído ao Jovem?

Depois de sua morte, o padre Marcelo Tenório, da Paróquia São Sebastião, em Campo Grande, passou a realizar a missa anual de Nossa Senhora Aparecida sempre com a exposição de uma roupa que teria sangue do italiano.

Em uma dessas missas, no ano de 2010, um avô desesperado com o diagnóstico do neto doente o levou até a paróquia. Segundo a família, o garoto foi curado após tocar a vestimenta. A alegação é que a criança era raquítica e tinha problemas no pâncreas. Enfim!

O Artigo Publicado pelo Site “O Catequista”

Ainda no dia 1° de outubro de 2020, o site “O Catequista” expôs a verdade sobre esse caso (arquivo). A equipe do site entrou em contato com a diocese de Assis —  uma circunscrição eclesiástica da Igreja Católica —  para saber mais detalhes sobre esse caso.

Ainda no dia 1° de outubro de 2020, o site “O Catequista” expôs a verdade sobre esse caso!

Eis o que foi respondido através de uma nota por email:

A respeito de algumas notícias impróprias que estão circulando na mídia, o bispo comunica que não é verdade que o corpo do próximo beato tenha sido encontrado não corrompido.

Quando foi exumado no cemitério de Assis, o que se realizou a 23 de janeiro de 2019 com vista à sua transferência para o Santuário – explica Dom Sorrentino – encontrava-se no estado normal de transformação, típico da condição cadavérica. No entanto, como os anos de sepultamento não foram muitos, o corpo, embora transformado, mas com as várias partes ainda na sua constituição anatômica, foi tratado com aquelas técnicas de conservação e integração habitualmente praticadas para expor com dignidade os corpos dos fiéis à veneração dos beatos e santos. Uma operação feita com arte e amor.

A reconstrução do rosto com máscara de silicone foi particularmente bem-sucedida. Com um tratamento específico foi possível recuperar a preciosa relíquia do coração que será aproveitada no dia da beatificação

Por Trás das Doces Palavras

A diocese de Assis foi muito cuidadosa com as palavras e usou uma expressão para minimizar a situação: “estado normal de transformação”. Cientificamente falando, o corpo do jovem estava se decompondo.

Portanto, aquela imagem do rosto em estado perfeito não corresponde ao estado em que o corpo foi encontrado após a exumação. Trata-se de uma máscara de silicone. Além disso, o bispo de Assis, Domenico Sorrentino, disse durante uma missa por ocasião da abertura do túmulo, naquele mesmo dia, que o corpo de Acutis foi “remontado com arte e amor”.

Hoje nós … o vemos novamente em seu corpo mortal. Um corpo que passou, nos anos de sepultamento em Assis, pelo processo normal de decadência, que é o legado da condição humana depois que o pecado o afastou de Deus, fonte da vida. Mas este corpo mortal está destinado à ressurreição

Entendam que não queremos tirar a fé de quem acredita numa eventual inexplicabilidade de corpos incorruptíveis (daqui a pouco falaremos sobre isso), mas fica claro que não estamos diante de um corpo incorrupto.

Com a Palavra, a Própria Diocese de Assis!

Você não precisa acreditar em nós, nem no site “O Catequista”, mas que tal nas próprias palavras da diocese de Assis?  Isso porque a diocese publicou essa mesma nota enviada ao “O Catequista” no dia 1° de outubro de 2020 em seu site (arquivo)!

Você não precisa acreditar em nós, nem no site “O Catequista”, mas que tal nas próprias palavras da diocese de Assis?

Então, se você discorda, por preferir acreditar piamente na narrativa que mais lhe agrada, oriunda de numa agência de notícias enviesada, e ignora toda uma questão biológica, histórica e científica envolvida (calma, já vamos abordar esse ponto), recomendamos que entre em contato com a diocese de Assis, e nos prove que estamos errados.

Estamos sempre abertos ao diálogo.

Os Órgãos Internos Estavam Bem Conservados! É um Milagre?

Não se trata de milagre, se trata de Ciência!

Alguns sites reconheceram que a narrativa sobre a não corrupção do corpo não dava mais para ser propagada diante da nota da diocese de Assis. Então, muitos adotaram um discurso de “não está incorrupto, mas bem completo”, e que os órgãos internos estavam bem preservados. Contudo, nenhum fez questão de dizer vocês que essa situação não é inexplicável, tampouco milagrosa.

Geralmente isso acontece devido a condições de preservação favoráveis: baixas temperaturas que podem estar associadas ou não ao material que o caixão foi feito (bronze, chumbo ou ferro fundido), tipo de solo, tratamento dado ao corpo antes de ser enterrado (em alguns casos isso é omitido), ausência de oxigênio no interior do caixão, entre outros. Com o conhecimento forense que temos hoje, dificilmente teríamos algo realmente inexplicável perante uma análise séria e independente.

1) O Caso da Pequena Miranda

Entre os anos 2016 e 2017 escrevi sobre o caso da pequena Edith Howard Cook, que será eternamente chamada por mim de Miranda. Tratava-se do corpo de uma garotinha incrivelmente preservado dentro de um pequeno caixão de bronze encontrado durante a reforma da garagem de uma casa na cidade de São Francisco, Califórnia, nos Estados Unidos. Recomendo muito que vocês leiam o artigo que escrevi num outro blog.

Para resumir, através de uma pequena janela de vidro no caixão, era possível ver a pele perfeitamente preservada, os cabelos loiros e cacheados da menina, que usava um vestido longo e branco, com flores de lavanda tecendo o seu cabelo encaracolado. Colocado sobre o coração havia uma cruz feita com mais flores de lavanda, sendo que folhas de eucalipto ornamentavam as laterais de seu corpo. A criança estava segurando uma rosa vermelha na mão direita, e não havia nada escrito em seu caixão forrado com um veludo de cor roxa, que pudesse ajudar a identificá-la.

O corpo de uma garotinha incrivelmente preservado dentro de um pequeno caixão de bronze encontrado durante a reforma da garagem em 2016, nos Estados Unidos.

O rosto, assim como o corpo da menina, estavam muito bem preservados.

De acordo com os registros históricos, a casa ficava próxima do local onde um dia foi um cemitério, dentre tantos que havia na cidade. Acreditava-se portanto, que a criança era uma das cerca de 30.000 pessoas que foram enterradas no antigo Cemitério dos Odd Fellows, que ficou em atividade entre 1860 e 1890.

Posteriormente, houve toda uma investigação forense sem precedentes que conseguiu descobrir o nome da menina, seus pais, onde estava enterrada e até a provável causa de sua morte! A investigação foi tão completa, que conseguiram encontrar até mesmo um parente da menina, que ainda estava vivo!

E Como Explicar o Estado de Conservação de Miranda?

Miranda, que não precisou de nenhuma máscara de silicone, assim como inúmeros corpos muito bem preservados que foram realocados de quatro grandes cemitérios de São Francisco, no início do século XX, nunca foram considerados corpos incorruptos.

Entre em contato com o E-farsas

(11) 96075-5663 - t.me/efarsas

No caso de Miranda tudo indica que as condições do terreno onde ela foi sepultada, atreladas a um caixão de bronze perfeitamente selado, ajudaram a conservar seu corpo. Isso porque, ao inadvertidamente abrirem seu caixão, o pequeno corpo de Miranda começou a se deteriorar.

Já no caso de inúmeros corpos realocados, a combinação de caixões de ferro fundido inundados por águas subterrâneas atuaram como conservantes. Foi exatamente isso que disse William A. Proctor, num relatório do Departamento de Planejamento da Cidade de São Francisco, em 1950.

2) Rosália Lombardo: Um Corpo Embalsamado com uma Técnica Muito Sofisticada

Vocês já ouviram falar da Rosália Lombardo? Uma menininha que foi vítima de pneunomia e morreu quando tinha apenas dois anos de idade em Palermo, na Itália, no início do século XX?

Muita gente acredita que Rosália seja uma santa devido ao seu corpo extremamente bem preservado, mas não é bem assim.

Muita gente acredita que Rosália seja uma santa devido ao seu corpo extremamente bem preservado, mas não é bem assim.

Logo que a menina faleceu, seu corpo foi deixado aos cuidados do químico Alfredo Salafia (1869-1933) para embalsamá-lo conforme a sua inovadora e duradoura técnica. Uma vez mumificado o corpo, este foi transladado à Capela dos Meninos das Catacumbas dos Capuccinos de Palermo, sendo um dos últimos corpos a serem aceitos na cripta.

O resultado do embalsamamento foi tão bom, que um estudo demonstrou que o corpo, inclusive os órgãos, se encontrava em excelente estado de conservação e com um grau de deterioração muito leve.

Salafia consistia numa mistura de formol diluído em água que atuava como desinfetante e eliminava às bactérias, saturada em sais de zinco. Também incluía álcool, que junto ao clima particularmente seco das catacumbas poderia ter secado o corpo de Rosália e permitir deste modo sua mumificação; ácido salicílico, que evitava a proliferação de fungos, e glicerina, que prevenia o secamento excessivo dos tecidos corporais.

Outros fatores-chave que intervieram na perfeita conservação do corpo de Rosália foram o clima particularmente seco das catacumbas e a aplicação de parafina dissolvida em éter no rosto da menina, o que favoreceria a sua perfeita conservação ao longo do tempo.

3) Quando uma História é Boa Demais para Ser Verdade!

Pesquisas encomendadas pela Igreja Católica já revelaram fraudes em muitos supostos corpos incorruptos. Esse foi o caso da santa católica Margarida de Cortona, morta em 1297 e venerada na região da Toscana.

Ezio Fulcheri, professor da Universidade de Gênova, descobriu que o corpo preservado exposto na Catedral de Cortona, apresentava incisões nas coxas, na barriga e no peito, onde haviam sido injetados conservantes.

Posteriormente, Fulcheri debruçou-se sobre documentos da Igreja, e descobriu que Margarida fora mumificada a pedido dos fiéis.

Posteriormente, Fulcheri debruçou-se sobre documentos da Igreja, e descobriu que Margarida fora mumificada a pedido dos fiéis.

Ao longo dos séculos, no entanto, fiéis continuam venerando seu o cadáver como um sinal de santidade. A tradição religiosa católica, inclusive, recorda-a como protetora dos órfãos, mães solteiras, prostitutas, sem abrigo.  Além disso, há quem a reconheça como a padroeira das ex-prostitutas.

4) O Caso de João XXIII

Em 2001, a revista “IstoÉ” divulgou que quatro décadas depois de sua morte, o corpo de João XXIII, papa que chefiou a Igreja Católica de 1958 a 1963, havia sido encontrado em perfeito estado.

Na época, um cardeal chamado Angelo Sodano, secretário do Estado do Vaticano, levantou a hipótese que o estado de conservação do corpo teria relação com sua santidade. E o que reforçava isso? O fato do corpo não ter sido embalsamado! Milagre? Não! Nada de milagre!

Em primeiro lugar, o corpo de João XXIII ficou protegido por três caixões: um de cipreste, outro de carvalho e um terceiro – ainda mais vedado – de chumbo. Depois de tudo isso, os esquifes foram colocados numa tumba fria de mármore. Tanta proteção deve ter impedido a presença de oxigênio, essencial para que a carne se desfizesse.

Em segundo lugar também havia o fato que o corpo tinha recebido preparos químicos que permitiram sua preservação. Embora não tivesse sido embalsamado, o corpo de XXIII foi banhado em substâncias químicas para se manter em bom estado durante os cinco dias de cerimônias fúnebres.

Aliás, nesse caso também havia a suspeita de ter ocorrido um processo chamado de adipocere ou saponificação.

5) Alguns Casos Ocorridos no Brasil

Não precisa ser católico, tampouco religioso para que o corpo de alguém seja encontrado em bom estado de conservação. Aqui no Brasil, por exemplo, já tivemos alguns casos bem peculiares.

O Caso de Guaíra/SP

Em 2003, o site do jornal “Estadão” divulgou o caso de uma menina morta há 10 anos, cujo corpo foi encontrado “intacto”, em Guaíra, na região de Ribeirão Preto, interior do Estado de São Paulo.

No entanto, havia explicações possíveis: o local onde a menina foi enterrada pode ter se transformado numa câmara, com temperatura, umidade, acidez e basicidade ideiais para a conservação do corpo. Para saber o real motivo, no entanto, o corpo precisava passar uma pesquisa mais aprofundada, algo que, aparentemente, nunca aconteceu.

O Caso de Santa Cruz do Rio Pardo

Em 2007, o corpo de uma senhora, morta há 7 anos, foi motivo de surpresa para moradores de Santa Cruz do Rio Pardo, no interior do Estado de São Paulo! Isso porque seu corpo não estava totalmente decomposto. Muitos anteciparam que a mulher deveria ter virado  “santa”, acreditanto em uma lenda popular de que os corpos dos santos não se decompõem.

Um frei chamado Lourenço Papin, no entanto, desmentiu essa história. Ele afirmou que realmente muitos corpos de santos não entraram em decomposição, mas nenhum deles foi canonizado devido a este fato.

É um fenômeno físico, que encontra explicação na ciência. Isso pode acontecer devido a medicamentos que a pessoa tomou, ou mesmo pelo tipo de terra ou gases que envolvem a sepultura”, esclareceu.

Eder Silvestre, administrador do Cemitério da Saudade, local onde o corpo se encontrava, contou que, nos sete anos em que trabalhava no local, já tinha visto duas situações parecidas com essa.

Um caso aconteceu em 2001, quando uma menina que faleceu aos 15 foi exumada. Ela estava inteira porque morreu envenenada. Na outra ocaisão, um homem que morreu de câncer não se decompôs, mas isso foi um efeito dos medicamentos fortes. No caso de Inês de Deus Pereira, provavelmente algo parecido aconteceu, embora os familiares garantam que ela morreu de morte natural e não tomava medicamentos“, disse Silvestre.

6) Crianças de Llullaillaco

Em 1999, no topo do vulcão Llullaillaco, nos Andes, uma equipe de arqueólogos fez uma descoberta formidável: os cadáveres bem conservados de três crianças incas. Todos os órgãos das chamadas  “Crianças de Llullaillaco” estavam intactos, e havia sangue congelado no coração. Elas foram sacrificadas aos deuses há mais de 500 anos!

A preservação dos corpos foi totalmente obra da natureza, ou seja, pelo extremo frio e alta umidade. Nada de milagre por aqui!

Um Processo Conhecido Como Adipocere (Saponificação)

Há condições específicas que levam corpos a passarem por um processo natural de mumificação através de um processo conhecido como adipocere (também chamado de cera cadavérica ou saponificação).

Há condições específicas que levam corpos a passarem por um processo natural de mumificação através de um processo conhecido como adipocere.

Corpos de mulheres, crianças e pessoas obesas são particularmente propícios a formação de adipocere devido ao maior teor de gordura. Na ausência de umidade e da temperatura favorável à putrefação, a gordura da pele adquire aparência e consistência de sabão.

O Fator Câncer e a Influência do Tratamento em Vida

Outro ponto é que não incomuns relatos de corpos de pessoas, que estavam sofrendo de algum tipo de câncer, serem encontrados bem preservados. Isso porque processos como a radioterapia e quimioteria, considerados fortemente esterelizantes, também têm suas parcelas de responsabilidade na preservação dos corpos, mesmo aqueles depositados em jazigos mais simples.

Se vocês guardaram bem uma informação que demos no começo deste artigo, Carlo Acutis sofria de leucemia, um tipo de câncer no sangue.

Por que Essa Obsessão por “Corpos Incorruptíveis”?

Antigamente, a Igreja costumava declarar como miraculosamente incorrupto o corpo de uma pessoa de vida santa que, muitos anos após a morte, foi encontrado em estado de preservação incomum, sem sinais de putrefação.

Esse seria um sinal de Deus, indicando que aquele santo a tal ponto se afastou do pecado que sua carne foi preservada da corrupção. Assim, ele estaria sendo preparado para a gloriosa ressurreição do corpo. Esse sinal contava “pontos” a favor do fiel falecido, em um processo de beatificação ou canonização.

A principal referência para definir o que são corpos incorruptos é o capítulo De Cadaverum Incorruptione do clássico tratado do Cardeal Lambertini (que depois seria o Papa Bento XIV): De servorum dei beatificatione et beatorum canonizatione.

A principal referência para definir o que são corpos incorruptos é o capítulo De Cadaverum Incorruptione do clássico tratado do Cardeal Lambertini: De servorum dei beatificatione et beatorum canonizatione.

Hoje em dia, a Igreja não leva mais em conta o estado de preservação do corpo em um processo de canonização. O motivo? Com as novas descobertas arqueológicas e científicas, sabe-se que certas condições de uma sepultura podem suprimir quase que totalmente a ação das bactérias e outros agentes deteriorantes!

Quer saber mais? Recomendamos que acesse uma matéria do site “O Catequista” chamada “O Guia Definitivo sobre os Corpos de Santos Incorruptos “. No texto você encontrará uma dose realidade por trás dos corpos de Santa Bernadette Soubirous, Santo Padre Pio de Pietrelcina, Santa Rita de Cássia, Santa Clara de Montefalco, Santa Catarina Labouré, Santa Jacinta Marto, Santa Zita de Lucca, São Vicente de Paulo, Santa Clara de Assis e São Charbel.

Conclusão

Falso! Não estamos diante de um corpo incorrupto, tampouco o corpo de um jovem que foi encontrado em perfeito estado! O corpo foi encontrado em estado de decomposição, mas há toda uma narrativa que tenta, indevidamente, minimizar essa situação e fazer parecer que estamos diante de algo inexplicável ou milagroso.

Vale ressaltar nesse ponto, que o fato de alguém acreditar em algo não o torna necessariamente verdadeiro. Respeitamos, é claro, todos os envolvidos nesse processo, mas não podemos permitir que mentiras sejam disseminadas de maneira deliberada. Gostando ou não, crenças são irrelevantes diante uma verificação de fatos.

Continue lendo

Jornalista, redator, e pesquisador de comunicação social com foco no combate a disseminação de notícias falsas. Colaborador do site de verificação de fatos E-farsas.com desde janeiro de 2019. Entre junho de 2015 e abril de 2018, trabalhei como redator do blog AssombradO.com.br, além de roteirista do canal AssombradO, no YouTube, onde desmistificava todos os tipos de engodos pseudocientíficos, além de casos supostamente sobrenaturais.

38 Comentários

Mais Populares

Ajude a Manter o E-farsas!

Categorias

Parceiros

Voltando a Circular

Publicidade

Apoio técnico!

Topo