22.1 C
São Paulo
domingo, fevereiro 25, 2024

Família embalsamou a avó em resina e a transformou em objeto de decoração! Será?

- Publicidade -

É verdade que uma família norte-americana eternizou o corpo da falecida avó em resina e transformou ela em um objeto de decoração no centro da sala?

A notícia surgiu em diversos sites e blogs na segunda quinzena de junho de 2023 e afirma que uma família teria feito uma homenagem à avó falecida recentemente. De acordo com o que foi compartilhado também nas redes sociais, o corpo da idosa teria sido colocado na resina e o imenso bloco translúcido teria sido colocado na sala dos netos, que moram nos Estados Unidos!

Será que essa história é real?

Família norte-americana transformou o corpo da avó morta em uma peça de decoração! Será verdade? (foto: Reprodução/Twitter)

Verdade ou mentira?

Assista ao desmentido em vídeo que fizemos para o programa Morde e Assopra da rádio Energia 97 FM:

Logo de cara, em uma rápida análise, podemos perceber algumas falhas nas mãos da senhora dentro do cubo. A direita (no círculo vermelho) tem 6 dedos e a mão direita está deformada. Mesmo levando em conta que a resina talvez tenha distorcido a imagem, mãos deformadas em fotos como essa podem denunciar que ela tenha sido criada por inteligência artificial:

Mão da direita (no círculo vermelho) tem um dedo a mais!

Através de busca reversa dessa imagem, encontramos uma publicação feita no dia 18 de junho de 2023, no perfil do Twitter do supervisor de efeitos visuais hollywoodianos Kelly Port, onde ele mostra uma montagem feita por ele de um cão conservado em resina:

- Publicidade -

No dia seguinte a essa publicação, outro usuário do Twiter, Free Willie Urbs, entrou na brincadeira e respondeu à postagem de Kelly Port com uma montagem em cima da sua montagem, só que com uma senhora dentro da resina no lugar do cachorro:

Na mesma publicação podemos ver outras variações da imagem e, mais adiante, uma resposta do usuário Free Willie Urbs explicando que alterou a foto com uma ferramenta de Inteligência Artificial presente na versão beta do software de edição de imagens Photoshop:

É possível fazer isso?

A ideia de conservar corpos de entes queridos em caixões translúcidos não é coisa recente. Em 1903, por exemplo, o inventor russo Joseph Karwowski patenteou um caixão de vidro sólido para eternizar defunto. 

Na patente, Karwowski apresenta as opções preservação do corpo inteiro ou apenas da cabeça do morto:

Patente de 1903 para a conservação de defuntos para exposição! (foto: Reprodução)

Do ponto de vista legal, como cada estado que compõem os Estados Unidos tem legislações diferentes para questões funerárias, teríamos que saber onde o caso aconteceu (caso fosse verdade) para só então verificar qual seria a penalidade por se conservar um corpo na sala de casa naquele país. No entanto, o que apuramos é que, em geral, a família tem alguns dias para alertar a morte às autoridades.

Em alguns estados é possível enterrar um familiar no quintal de casa, mas ainda assim é necessária uma autorização para isso.   

Apenas a título de curiosidade, utilizamos a mesma ideia na ferramenta ChatGPT, que também usa algoritmos de inteligência artificial para criação de textos, para responder à seguinte pergunta:

“É contra a lei embalsamar um defunto na resina e transformar ela em uma peça de decoração?”

A resposta da máquina foi:

“Esse é um tópico bastante interessante, e a resposta pode variar dependendo do contexto jurídico. Em geral, é ilegal manter um corpo em casa por várias razões, incluindo questões de saúde pública, respeito pelos mortos e questões legais em torno da certificação da morte. No Brasil, por exemplo, o Código Penal tem um artigo (212) que trata do vilipêndio a cadáver, considerando crime a ação de desrespeitar um corpo humano, seja através de atos de violência, profanação ou qualquer outro meio de desprezo. Além disso, a legislação brasileira prevê que o óbito deve ser registrado e o corpo deve ser enterrado ou cremado, de acordo com as normas de saúde pública. No caso específico de “embalsamar” um corpo em resina e mantê-lo como peça de decoração, há várias implicações legais e éticas. Seria necessário obter permissão explícita da pessoa antes de sua morte, e mesmo assim, ainda haveria questões legais complicadas a serem resolvidas. Em resumo, é muito provável que manter um corpo embalsamado em casa, especialmente como uma peça de decoração, seria ilegal na maioria dos contextos. No entanto, se você quiser informações mais específicas, eu posso fazer uma pesquisa mais detalhada.”

No caso da conservação por resina acrílica, esse método não impede que o material orgânico imerso nela se decomponha com o tempo. O canal Waterjet, no YouTube, experimentou (literalmente) uma banana após 180 dias “conservada” na resina e a fruta estava estragada:

Em outro vídeo, o usuário Jedrek29t deixou um pedaço de carne na resina por 60 dias e ao serrar o objeto notou que ela apodreceu com o tempo:

Conclusão

A foto que mostra o corpo de uma senhora dentro de um cubo de resina é falsa! Trata-se de uma brincadeira feita com um software que usa inteligência artificial! 

O programa Morde e Assopra vai ao ar de segunda à sexta, a partir das 10h da manhã na Rádio Energia 97 FM, na frequência 97.7 MHz (em São Paulo) ou pela internet.

- Publicidade -
Gilmar Lopes
Gilmar Henrique Lopes é Analista de Sistemas. Trabalha com PHP e banco de dados Oracle e é especializado em criação de ferramentas para Intranet. Em 2002, criou o E-farsas.com (o mais antigo site de fact checking do país!) que tenta desvendar os boatos que circulam pela Web. Gilmar também tem um espaço semanal dentro do programa “Olá, Curiosos!” no YouTube e co-apresenta o Fake em Nóis ao lado do biólogo Pirulla! Autor do livro de ficção Marvin e a Impressora Mágica!

Últimas Atualizações

- Publicidade -Compre o livro Marvin e a impressora Mágica de Gilmar Lopes

Ajude a Manter o E-farsas

- Publicidade -

Checagens Relacionadas

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui