16.1 C
São Paulo
segunda-feira, setembro 27, 2021

Médicos negros salvam a vida de um homem da Ku Klux Klan?

- Publicidade -

Foto mostra médicos negros de plantão socorrendo um membro da seita racista Ku Klux Klan após ele ter se envolvido em ataques a uma comunidade negra! Será verdade?

A imagem irônica e chocante não é nova, mas voltou a aparecer nas redes sociais na última semana de março de 2016, após a notícia da pediatra que negou atendimento a uma criança por ela ser filha de uma vereadora petista.

De acordo com o texto que acompanha a fotografia, médicos negros que estavam de plantão em um hospital da Geórgia (EUA) acabaram salvando a vida de um homem da Ku Klux Klan, depois do mesmo ter se envolvido em ataques a uma comunidade negra próxima dali.

Algumas postagens com essa imagem chegaram a mais de 45 mil compartilhamentos no Facebook, mas será que essa foto é real? Esse socorro ocorreu mesmo?

Médicos negros salvam um membro da KKK em Geórgia! Será verdade? (foto: Reprodução/Facebook)
Médicos negros salvam um membro da KKK em Geórgia! Será verdade? (foto: Reprodução/Facebook)

Verdadeiro ou falso?

A mensagem que a foto tenta passar é até bem bacana, mas trata-se apenas de uma campanha publicitária de 2004!

Naquele ano, a Revista Large lançou uma campanha publicitária em parceria com a agência australiana DDB cujo o tema era “Para pessoas que se acham maiores do que elas são!”. Conforme explicado aqui, em inglês, as fotos foram feitas pelo fotógrafo australiano Sean Izzard!

A foto completa é essa aqui, onde podemos ver a marca da Large Magazine no rodapé:

Note que na foto original há o logotipo da revista Large!
Note que na foto original há o logotipo da revista Large!

A seguir, outras imagens que faziam parte da mesma campanha:

- Publicidade -

large_magazine_2

large_magazine_3

A vida imita a arte (que imita a vida)

Apesar da foto ser falsa, um caso curioso envolvendo a Ku Klux Klan ocorreu nos Estados Unidos em 1996. Uma jovem negra chamada Keshia Thomas, de 18 anos de idade, pulou na frente de um suposto membro da KKK para salva-lo de uma multidão enfurecida que queria lincha-lo no meu da rua!

Em entrevista à BBC, Keshia Thomas falou sobre o dia em que ela serviu de escudo humano para defender um homem – supostamente da KKK – que estava correndo sérios riscos de morrer ali, espancado pelos militantes locais!

Keshia Thomas salvou a vida de um suposto membro da seita racista Ku Klux Klan, em 1996! (foto: Reprodução)
Keshia Thomas salvou a vida de um suposto membro da seita racista Ku Klux Klan, em 1996! (foto: Reprodução)

Conclusão

A foto que mostra médicos negros atendendo a um membro da Ku Klux Klan é falsa! Trata-se de uma campanha de marketing de 2004 que voltou a aparecer novamente em 2016, só que sem a marca da revista no rodapé da imagem.

- Publicidade -
Gilmar Lopes
Gilmar Henrique Lopes é Analista de Sistemas. Trabalha com PHP e banco de dados Oracle e é especializado em criação de ferramentas para Intranet. Em 2002, criou o E-farsas.com (o mais antigo site de fact checking do país!) que tenta desvendar os boatos que circulam pela Web. Gilmar também tem um espaço semanal dentro do programa “Olá, Curiosos!” no YouTube e co-apresenta o Fake em Nóis ao lado do biólogo Pirulla!

Últimas Atualizações

- Publicidade -

Ajude a Manter o E-farsas

Checagens Relacionadas

14 COMENTÁRIOS

  1. Gilma se liga, a medica não negou atendimento. Isso faz parecer que ela negou um pronto atendimento mas oque ela negou foi o acompanhamento da criança apos comunicado. Do jeito que esta sendo difundido faz parecer que a médica negou um atendimento de urgencia e isso toma proporcçoes politicas para os dois lados. Bom nãose meter nisso

    • Concordo, a médica não negou atendimento pra criança, ela se disse incapaz de prestar um bom atendimento devido ao posicionamento político da mãe da criança. Estão tratando o caso como se a médica fosse uma monstra que deixou a criança morrer na porta do hospital, e na verdade ela disse que não iria mais atender e sugeriu para a mãe da criança que procurasse outro pediatra.

  2. Muito bom. Lembro da campanha, não lembrava que a foto em questão fosse parte dela.

    No entanto, o slogan era “Para pessoas que pensam maior que elas” (no sentido de além delas, além dos seus próprios umbigos), e não “Para pessoas que se acham maiores do que elas são”, que se não for lido com cuidado passa a mensagem exatamente oposta. Cuidado com traduções mal feitas. 😉

    • fiquei meio em dúvida em relação à tradução (acho que a ideia era que a mensagem ficasse meio dúbia mesmo, mas vou colocar a sua tradução que me pareceu mais correta). Valeu!

  3. Mais uma “e-farsa”, ou seja, uma farsa esquerdista!! Não é a primeira vez, e nem será a última que os esquerdopatas tetarão a qualquer custo colocar negros contra brancos, pobres contra ricos, nordestinos contra sulistas, héteros contra homos, etc. VALE TUDO PELO PODER, ATÉ COMPRAR DEPUTADOS E SENADORES, né??

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui