28.5 C
São Paulo
quarta-feira, janeiro 19, 2022

O povo do Cazaquistão derrubou o governo por não aceitar o passaporte da vacina?

- Publicidade -

O Cazaquistão caiu? O presidente e o primeiro-ministro fugiram do país? Texto e vídeo de manifestação afirmam que o passaporte da vacina foi o culpado! Será?

A publicação começou a se espalhar através de grupos de WhatsApp na segunda semana de janeiro de 2022 e afirma que o povo teria se revoltado contra o governo no Cazaquistão, após a aprovação de uma lei que libera o dinheiro das contas em banco somente mediante a apresentação do passaporte da vacina

O texto, que vem acompanhado de um vídeo de um protesto com várias pessoas na rua, também afirma que o presidente e primeiro-ministro fugiram do país e que soldados e militares estão sendo presos pelos manifestantes!

Será que isso é verdade mesmo?

Texto de uma das versões que se espalharam através do WhatsApp: “No Brasil vai ter que fazer assim  com o TRAIDORES DA PÁTRIA E DITADORES MALDITOS – Cazaquistão Caiu!! O presidente e o primeiro-ministro fugiram do país. O governo entrou em colapso. Soldados e militares também estão tentando fugir do país ou podem ser presos por manifestantes. Os manifestantes ocuparam estradas de aeroportos e também estão prendendo a polícia que não se junta a eles. Políticos estão sendo presos, pessoas que trabalham em centros de vacinação estão sendo presas. Os manifestantes estão armados e assumiram arsenais. Casas de políticos estão em chamas. Tudo começou quando as pessoas não conseguiam mais sacar dinheiro do banco sem o passaporte de vacinação e o código QR. A Mídia internacional está mentindo que o pivô se revoltou pelo aumento do preço do combustível.  A gasolina e gás são muito baratos lá pois o Cazaquistão é um dos maiores produtores de gás natural e petróleo do mundo e mesmo se o preço subisse,  não seria o motivo da revolta.” (foto: reprodução/WhatsApp)

Verdade ou mentira?

No começo de janeiro de 2021, uma série de manifestações tomou conta das ruas após o anúncio do preço do gás (que no Cazaquistão é usado como combustível). Nessa matéria do dia 05 de janeiro, a CNN explica que a população já vinha descontente com o governo e que o aumento foi o estopim para a revolta tomar conta do país:

Nesse meio tempo, o presidente daquele país, Kassym-Jomart Tokayev, aceitou a renúncia do primeiro-ministro e de toda a equipe governamental, mas ele ainda continua no comando. Após declarar que iria trocar todos os ministros, o site presidencial informou que manteve 11 dos 20 ministros.

Diferente do que a corrente de WhatsApp afirma, o presidente continua firme e, inclusive, autorizou a Polícia a “atirar para matar sem aviso prévio quem estiver nas ruas “causando problemas”.   

De acordo com levantamento feito no dia 10 de janeiro, cerca de 8 mil pessoas (leia-se “opositores”) já haviam sido detidas, além de 164 manifestantes mortos (incluindo aí 3 crianças) nos maiores protestos desde a independência do país em 1991.

- Publicidade -

Quanto ao ex-primeiro-ministro do Cazaquistão, Askar Mamin, não encontramos dados que comprovem que ele tenha fugido do país. Em seu lugar entrou o vice-primeiro-ministro Alikhan Smailov e ambos continuam no Cazaquistão.

Do alto escalão do governo, parece que apenas quem se deu mal mesmo foi o ex-chefe de inteligência do Cazaquistão, Karim Masimov, que foi preso sob a acusação de traição…

Contas bloqueadas para não-vacinados?

Essa também é uma das partes falsas do texto compartilhado em grupos de WhatsApp. Não há nenhuma lei no Cazaquistão bloqueando as contas bancárias de quem não se vacinou. Até porque a cobertura vacinal daquele país ainda está em pouco mais de 45% e seria muito difícil para o Governo implantar algo radical assim com mais da metade da população:

Fonte: Our World In Data

Origem do vídeo

O vídeo que se espalhou nas redes sociais foi publicado originalmente no perfil do Twitter do jornalista da BBC Abdujalil Abdurasulov. Na postagem, o jornalista – que está cobrindo os protestos de perto – diz que a polícia estava usando gás lacrimogêneo e granadas de choque para dispersar os manifestantes e que as autoridades introduziram o estado de emergência e o toque de recolher na região de Mangystau e em Almaty. O repórter também confirma que os protestos em massa eclodiram após o aumento do preço dos combustíveis (nada sobre vacinação):

Mas é claro que você não precisa acreditar nesses dados e tampouco levar a sério essa nossa checagem. Um vídeo publicado de forma anônima no WhatsApp, narrado por uma voz que você não sabe de quem é e que não apresenta nenhuma prova do que está dizendo parece ter muito mais credibilidade…

Conclusão

Os protestos ocorridos no Cazaquistão não têm relação com a obrigatoriedade de passaporte sanitário! O descontentamento do povo lá é por vários outros motivos e o estopim mesmo foi o aumento no preço do combustível. O presidente e primeiro-ministro continuam no país!

- Publicidade -
Gilmar Lopes
Gilmar Henrique Lopes é Analista de Sistemas. Trabalha com PHP e banco de dados Oracle e é especializado em criação de ferramentas para Intranet. Em 2002, criou o E-farsas.com (o mais antigo site de fact checking do país!) que tenta desvendar os boatos que circulam pela Web. Gilmar também tem um espaço semanal dentro do programa “Olá, Curiosos!” no YouTube e co-apresenta o Fake em Nóis ao lado do biólogo Pirulla!

Últimas Atualizações

- Publicidade -

Ajude a Manter o E-farsas

Checagens Relacionadas

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui