Conecte com a gente

E-farsas – Desvendando fake news desde 2002!

E-farsas – Desvendando fake news desde 2002!

O Vale da Morte na Califórnia registrou recentemente a temperatura mais alta da Terra?

Indeterminado

O Vale da Morte na Califórnia registrou recentemente a temperatura mais alta da Terra?

O Vale da Morte na Califórnia registrou recentemente a temperatura mais alta da Terra?

Recentemente, um dos moderadores do nosso grupo no Facebook, o Marcelo, nos alertou sobre uma notícia bem estranha publicada no site da revista Vogue Brasil, tradicionalmente conhecida por seu conteúdo sobre moda e beleza.

Isso porque, no dia 17 de agosto de 2020, foi publicado um artigo intitulado “O Vale da Morte, na Califórnia, atinge 54º C e marca a temperatura mais alta da Terra” (arquivo).

Trecho do artigo publicado no site da revista Vogue Brasil.

No entanto, no decorrer do artigo o leitor se depara com diversas contradições em relação ao título.

Num determinado trecho é mencionado, que essa temperatura era “possivelmente a mais alta registrada na Terra“. Já no final é possível ler, que “o deserto no leste da Califórnia detém o recorde de temperatura mais quente já registrada no planeta – 134ºF (57ºC)“.

Enfim, será que o Vale da Morte, na Califórnia, realmente registrou recentemente a temperatura mais alta de Terra? Qual a verdade por trás dessas contradições? Descubra agora, aqui, no E-Farsas!

Verdadeiro ou Falso?

Indeterminado! O artigo publicado na Vogue é altamente problemático! Isso porque ele foi, aparentemente, baseado no que foi publicado pelo site do jornal norte-americano “The Washington Post” (TWP) no dia anterior (arquivo). O título e o conteúdo, no entanto, são bem diferentes.

Reparem no título do artigo do TWP: “O Vale da Morte vai a 130°F, potencialmente a temperatura mais alta da Terra desde pelo menos 1931“. No título, o TWP não afirmou que essa era a temperatura mais alta da Terra.

O TWP não afirmou que essa era a temperatura mais alta da Terra.

No decorrer do texto, o TWP cita um tuíte do Serviço Nacional de Meteorologia dos Estados Unidos (NWS) que dizia:

De acordo com os dados climáticos no xmACIS2, esta é a primeira vez desde 1913 que o Vale da Morte atingiu 130ºF. Em julho de 2013, atingiu 129ºF. Se validado, seria a temperatura mais quente de agosto no local em 3ºF

Segundo o TWP, se a temperatura fosse validada, também ficaria entre as três maiores temperaturas já medidas no planeta em qualquer época e poderia, de fato, ser a mais alta. Os dados, no entanto, estão em análise pela Organização Meteorológica Mundial (OMM).

E, para falar sobre isso, o TWP convidou o Christopher Burt, um historiador da meteorologia. Segundo Burt, dois recordes anteriores, o de 1913 (Furnace Creek/Vale da Morte) e o de 1931 (Kebili, Tunisia), que por sua vez é considerada a temperatura mais alta já registrada na África, possuiriam sérios problemas de aferição ou credibilidade.

E o Deserto de Lut, no Irã?

Pois é, aqui mora um problema que foi levantado pelo Marcelo.

Numa simples pesquisa no Google, qualquer um irá facilmente se deparar com o Deserto de Lut (ou Lute), no Irã, sendo considerado o lugar mais quente do planeta Terra! Lá foi registrada a temperatura de 70,7°C, em 2005! E por que Furnace Creek/Vale da Morte é tão exaltado? Preciosismo norte-americano?

No Deserto de Lut foi registrada a temperatura de 70,7°C, em 2005.

O “X da Questão”

Bem, entre 2003 e 2009 a NASA utilizou o MODIS um instrumento científico lançado na órbita da Terra pela agência espacial norte-americana em 1999 que entre outras coisas servia para medir a temperatura da superfície do solo e dos oceanos.

E aí que está o “x da questão”! O instrumento não mediu a temperatura do ar, mas a temperatura radiométrica da superfície do solo (um parâmetro diferente), que é consideravelmente superior à temperatura atmosférica.

Maiores temperaturas da superfície do solo obtidas pela NASA entre 2003 e 2009.

Entre em contato com o E-farsas

(11) 96075-5663 - t.me/efarsas

Gráfico mostrando o registro de 70,73°C no Deserto de Lut, no Irã, em 2005.

Para fazer uma leitura da temperatura do ar, de acordo com o padrão da Organização Meteorológica Mundial, um termômetro deve estar situado 1,2 a 2 metros acima do solo e protegido do sol direto, embora tampouco possa ser colocado à sombra de um edifício, montanha ou árvore.

As temperaturas do ar devem ser medidas fora da luz solar direta, porque os materiais dentro e ao redor do termômetro podem absorver a radiação e afetar a detecção de calor. Isso sem contar diversos outros detalhes, é claro.

Mais uma foto mostra uma parte do Deserto de Lut, no Irã,

Aliás, você sente isso com o seu próprio corpo: se ficar sob a luz direta do sol, você se sentirá mais quente, porque sua pele está sendo aquecida tanto pelo ar quanto pela energia do próprio sol. A temperatura do ar, em oposição à temperatura da superfície da solo, é que é o que o corpo humano, um edifício ou um ecossistema estão sentindo.

Então, é por isso que a temperatura registrada pela NASA, no deserto de Lut, não é considerada como “a temperatura mais alta da Terra” pela OMM.

Uma Diferença Bem Expressiva Entre Ambas as Temperaturas!

É interessante destacar que essa diferença entre a temperatura da superfície do solo e a temperatura do ar foi comparada pela primeira vez em junho de 1915! Isso ocorreu no deserto perto de Tucson, no estado norte-americano do Arizona.

No sol do meio-dia, a temperatura medida 0,4 centímetros abaixo da superfície do solo era de 71,5°C (160,7 ° F). Já a temperatura do ar, cerca de 1,2 m acima do solo, era de 42,5°C (108,5 ° F). Portanto, uma diferença bem expressiva!

E a Temperatura do Ar no Deserto de Lut?

Esse é outro problema! Não sabemos! A OMM possui mais de 11 mil estações cadastradas, e que obedecem os critérios determinados pela organização. No entanto, há quem critique isso e alegue que a organização ignora pontos remotos do planeta! Resumindo? Não sabemos a temperatura do ar desses locais, porque não há nenhuma estação da OMM!

E isso é meramente falta de vontade? Bem, o deserto de Lut (assim como alguns outros desertos) é tão climaticamente rigoroso e tão remoto, que o acesso para medições de rotina e manutenção de uma estação meteorológica é considerada impraticável. Assim sendo, alguns cientistas argumentam que o “lugar mais quente da Terra” deve ser enquadrado em termos da temperatura do solo, que poderia variar devido a inúmero fatores, mas não em termos da temperatura do ar.

Sacaram a diferença?

Consultamos a Meteorologista Samantha Martins, do Blog Meteorópole!

Segundo Samantha Martins, meteorologista, divulgadora científica e proprietéria do blog Meteorópole, há toda uma padronização pra fazer medidas meteorológicas: a maneira de instalar a estação meteorológica, a altura dos sensores etc. O recorde precisa ser obtido numa estação dentro desses padrões, que são naturalmente ditados pela OMM.

Em outras palavras, por mais cuidadosa que a pessoa seja e tenha uma estação meteorológica em sua propriedade, se essa estação não tiver um código da OMM (indicando que ela está padronizada), não adianta ela alegar q registrou um recorde! Enfim, não é nada fácil!

Conclusão

Indeterminado! Em primeiro lugar, a temperatura recentemente registrada no chamado Vale da Morte, no estado norte-americano da Califórnia, ainda precisa ser validada pela Organização Meteorológica Mundial (OMM). Portanto, ainda está sob um processo de investigação que, talvez, analise somente se essa temperatura foi a mais alta para o mês de agosto.

Oficialmente, a temperatura oficial mais alta da Terra é uma leitura também do Vale da Morte, de 10 de julho de 1913, quando a temperatura atingiu 56,7°C. A exatidão dessa leitura é muito disputada devido a uma série de fatores, incluindo sua inconsistência com outras leituras em toda a região naquele dia. Essa leitura, no entanto, é aceita como oficial, tanto pela OMM como pela NOAA (Administração Nacional Oceânica e Atmosférica dos Estados Unidos).

Segurem o forninho, porque é necessário aguardar as cenas dos próximos capítulos.

A Problemática Questão Levantada pelo Deserto de Lut, no Irã

Em segundo lugar, essa questão sobre a temperatura mais alta da Terra não é tão simples assim. Isso porque, em 2005, a NASA registrou a temperatura de 70,7°C no deserto de Lut, no Irã, mas a medição foi referente a temperatura radiométrica da superfície do solo! Isso não significa que essa fosse a temperatura do ar no exato momento da medição. Assim sendo, alguns cientistas defendem que haja uma divisão entre as maiores temperaturas já registradas na Terra.

Por outro lado, na prática, acaba valendo somente a medição obtida por estações padronizadas de acordo com a OMM. Isso é igualmente complicado, porque não há estações metereológicas no deserto de Lut ou alguns outros desertos, porque o acesso para medições de rotina e manutenção de uma estação meteorológica nesses locais, considerados climaticamente rigorosos, é considerada impraticável.

É importante que o leitor tenha esse discernimento, e que tais recordes são limitados a capacidade humana de medir a temperatura em locais remotos. Se tivéssemos uma cobertura maior, talvez, esses recordes já tivessem sido quebrados há algum tempo, sob outras circunstâncias, e em outros locais do planeta. De qualquer forma, isso não torna o problema do chamado aquecimento global menos importante. Recordes (ou possíveis recordes) de temperatura registrados recentemente em outros pontos do planeta, mostram que o problema é muito maior.

Continue lendo

Jornalista, redator, e pesquisador de comunicação social com foco no combate a disseminação de notícias falsas. Colaborador do site de verificação de fatos E-farsas.com desde janeiro de 2019. Entre junho de 2015 e abril de 2018, trabalhei como redator do blog AssombradO.com.br, além de roteirista do canal AssombradO, no YouTube, onde desmistificava todos os tipos de engodos pseudocientíficos, além de casos supostamente sobrenaturais.

2 Comentários

Mais Populares

Ajude a Manter o E-farsas!

Categorias

Parceiros

Voltando a Circular

Publicidade

Apoio técnico!

Topo