13.7 C
São Paulo
quinta-feira, setembro 29, 2022

Primeira linha ucraniana: O povo se rebelou contra as vacinas da COVID na Ucrânia?

- Publicidade -

Vídeo mostra manifestantes invadindo prédios do governo e texto afirma que o ato é a primeira linha ucraniana contra as vacinas! Será verdade?

O vídeo tem pouco mais de 3 minutos de duração e começou a ser compartilhado nas rede sociais na primeira quinzena de dezembro de 2021. De acordo com o texto que acompanha as imagens de manifestantes invadindo o que parece ser um órgão público, essa seria a primeira linha ucraniana contra a nova ordem invadindo palácios do governo daquele país!

O intuito dos protestos, segundo o texto, seria o total banimento das vacinas contra a COVID ou todos os políticos serão mortos pelo povo.

As publicações se espalharam no Facebook, no Twitter e também através de diversos grupos de WhatsApp, mas será que isso é verdade mesmo?

 

Texto de uma das versões compartilhadas nas redes sociais na primeira quinzena de dezembro de 2021: “A primeira linha ucraniana contra a nova ordem está invadindo os palácios do governo… Ou o governo ucraniano bane as vacinas assassinas do covid da ucrânia ou os políticos serão todos mortos pelo povo.” (foto: Reprodução/WhatApp)

Verdade ou mentira?

O vídeo é real, mas ele não tem nenhuma relação com as vacinas contra a COVID-19, pois esse flagrante foi gravado em 2014.

Em janeiro daquele ano, moradores da cidade ucraniana de Vinnytsa, no oeste do país, confiscaram os edifícios da administração regional e do conselho regional. Os manifestantes exigiam a renúncia do governador da região de Vinnytsia, Ivan Movchan. 

Podemos ver em publicações de 2014 como foi a ação dos manifestantes e o confronto com a Polícia:

- Publicidade -

Protestos semelhantes ocorreram simultaneamente no país naquela ocasião, conforme relatado por agências de notícias.

A lista oficial de mortos durante a revolução ucraniana de 2014 tem 130 nomes, sendo 18 policiais e 112 civis. 

Baixa adesão à vacinação

Apesar do vídeo de 2014 estar sendo compartilhado erroneamente como se fosse do povo ucraniano se rebelando contra a vacina em 2021, é verdade que o país está sofrendo com a baixa adesão à vacinação contra a COVID-19.

Segundo dados levantados pela agência de notícias portuguesa SIC Notícias, a Ucrânia é um dos países europeus com menor taxa de vacinação, com menos de 25% das 44 milhões de pessoas imunizadas. A baixa imunização fez explodir os casos da doença no país, que tem registrado um aumento de mortes em decorrência do coronavírus.

Também é verdade que pequenos grupos se organizaram para protestar contra a vacinação, como aconteceu em novembro de 2021, quando cerca de mil ucranianos se reuniram em Kiev para pedir o fim das vacinas.

Apesar do barulho gerado pelos protestos, não encontramos publicações que confirmem ameaças de morte contra os políticos como as publicações feitas nas redes sociais afirmam.

Conclusão

O vídeo que mostra manifestantes invadindo um prédio público foi filmado na Ucrânia, mas em 2014, e não tem nada a ver com a pandemia do novo coronavírus que só viria a ocorrer 6 anos depois!

- Publicidade -
Gilmar Lopes
Gilmar Henrique Lopes é Analista de Sistemas. Trabalha com PHP e banco de dados Oracle e é especializado em criação de ferramentas para Intranet. Em 2002, criou o E-farsas.com (o mais antigo site de fact checking do país!) que tenta desvendar os boatos que circulam pela Web. Gilmar também tem um espaço semanal dentro do programa “Olá, Curiosos!” no YouTube e co-apresenta o Fake em Nóis ao lado do biólogo Pirulla!

Últimas Atualizações

- Publicidade -

Ajude a Manter o E-farsas

- Publicidade -

Checagens Relacionadas

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui