19.4 C
São Paulo
terça-feira, setembro 28, 2021

Vídeo mostra o primeiro dinossauro clonado pelos chineses?

- Publicidade -

Nos últimos dias um determinado vídeo mostrando o que seria o primeiro dinossauro clonado pelo chineses viralizou nas redes sociais. Inúmeros perfis no Twitter que exploram indiscriminadamente o conteúdo produzido por terceiros vêm disseminando o vídeo com legendas nos mais diversos idiomas.

Confira abaixo alguns exemplos de tuítes em inglês, espanhol e português (1,2,3,4,5)!

Exemplo de tuíte que viralizou recentemente.

Outro exemplo de tuíte que viralizou recentemente.

Mais um exemplo de tuíte que viralizou recentemente.

Ufa! E mais um exemplo de tuíte que viralizou recentemente.

Assim como o vídeo que viralizou:

 

Entretanto, será que estamos diante do primeiro dinossauro clonado por chineses? Descubra agora, aqui, no E-farsas!

Verdadeiro ou Falso?

- Publicidade -

Fora de Contexto! Na verdade, estamos diante de um animatrônico (embora algumas pessoas aleguem que é o braço direito do homem que controla os movimentos do dinossauro), que faz parte de uma atração chamada “Jurassic World: The Movie Exhibition“, que está localizada em Chengdu, na China.

Essa atração foi oficialmente aberta ao público em meados de julho de 2020!

Conforme o próprio nome diz, trata-se de uma atração imersiva destinada aos fãs da franquia “Jurassic Park” — um dos filmes mais icônicos da história do cinema.

A Receita da Desinformação

Cinco ingredientes foram os principais responsáveis por tornar um vídeo destinado a divulgação dessa atração em uma peça de desinformação:

  • A massiva e indiscriminada utilização de conteúdo de terceiros sem nenhum crédito com o intuito de ganhar curtidas e seguidores (em última instância dinheiro ao adicionar peças publicitárias em tuítes subsequentes ao que viralizou);
  • A ausência de legendas que contextualizassem corretamente o vídeo;
  • A utilização do Twitter como fonte primária de informação;
  • A crença de irrestrita de muitas pessoas em tudo que circula nas redes sociais;
  • Uma parte importante do vídeo original foi cortada (intencionalmente ou não) e isso dificultou sua correta contextualização.

A combinação desses cinco ingredientes é, invariavelmente, a receita perfeita para a desinformação e responsável por inúmeros casos que nos deparamos todos os dias. Aliás, a combinação de pelo menos dois desses ingredientes já seria potencialmente desinformativa.

E Como Tudo Isso Começou?

O vídeo foi em grande parte impulsionado, no Twitter, através do perfil “Jurassic Outpost” onde já obteve mais de 4,3 milhões de visualizações. Embora uma parte importante do vídeo original tenha sido cortada/ocultada, foi deixado claro que se tratava de uma novidade presente na atração “Jurassic World: The Movie Exhibition“.

Portanto, uma rápida pesquisa em mecanismos de busca seria mais do que suficiente para solucionar o caso.

Posteriormente, um perfil japonês no Twitter divulgou esse mesmo vídeo deixando claro que não se tratava de um animal verdadeiro, mas tão somente de uma atração.

Já outros perfis divulgaram uma versão “mais completa”, onde aparecia uma faixa escrito “Jurassic World: The Movie Exhibition, mas ainda assim não se importaram em dizer o contexto do vídeo, deixando o seguidor à mercê de sua própria interpretação.

Embora em todas as versões fosse possível notar o logo de “Jurassic Park” na camisa de uma pessoa que aparece ao fundo, esse corte acabou favorecendo a descontextualização do vídeo.

Confira abaixo a versão onde aparece essa faixa:

https://twitter.com/cctv_idiots/status/1309701532347232256

Conclusão

Fora de Contexto! Na verdade, estamos diante de um animatrônico que faz parte de uma atração chamada “Jurassic World: The Movie Exhibition“, localizada em Chengdu, na China. Essa atração foi oficialmente aberta ao público em meados de julho de 2020, sendo basicamente destinada aos fãs da franquia “Jurassic Park” — um dos filmes mais icônicos da história do cinema.

- Publicidade -
Marco Faustinohttp://www.e-farsas.com/author/marco
Jornalista e colaborador do site de verificação de fatos E-farsas entre janeiro de 2019 e dezembro de 2020. Entre junho de 2015 e abril de 2018, trabalhei como redator do blog AssombradO.com.br, além de roteirista do canal AssombradO, no YouTube, onde desmistificava todos os tipos de engodos pseudocientíficos e casos supostamente sobrenaturais.

Últimas Atualizações

- Publicidade -

Ajude a Manter o E-farsas

Checagens Relacionadas

4 COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui