Conecte com a gente

E-farsas – Desvendando fake news desde 2002!

E-farsas – Desvendando fake news desde 2002!

Bíblia achada na Turquia afirma que Jesus não foi crucificado?

E-farsas TV

Bíblia achada na Turquia afirma que Jesus não foi crucificado?

É verdade que uma bíblia de mais de 1500 anos encontrada na Turquia estaria revelando que Jesus não foi crucificado? Assista e descubra!

No vídeo de hoje vamos falar sobre um achado que teria abalado o cristianismo: Uma bíblia de 1500 anos com o evangelho de Barnabé, afirmando que Judas teria sido crucificado no lugar de Jesus!

A descoberta desse livro foi anunciada em fevereiro de 2012, mas o assunto sempre volta a cirular pela web de tempos em tempos.

A bíblia teria sido encontrada em Ankara, na Turquia, e o seu conteúdo teria deixado o Vaticano em estado de choque!

A tal bíblia teria sido apreendida de traficantes em uma operação realizada na Turquia no ano 2000, e depois de ser estudada na Turquia por 12 anos, o livro foi transferido para o Museu Etnográfico de Ankara, com escolta policial!

O manuscrito ficou famoso porque carrega trechos da Bíblia escritos em letras douradas em couro, com linhas de escrita siríaca com dialeto aramaico e o que chama a atenção nele é que o texto seria o Evangelho de Barnabé afirmando que Judas teria morrido na cruz no lugar de Jesus!

Para explicar um pouco a respeito desse achado, fizemos o vídeo abaixo!

Bíblia de 1500 teria deixado o Vaticano preocupado! (foto: Reprodução/YouTube)

Bíblia de 1500 teria deixado o Vaticano preocupado! (foto: Reprodução/YouTube)

Nesse episódio:

  • Descubra como uma bela peça de antiguidade pode causar tanta polêmica;
  • Aprenda quando surgiu a medida em libras;
  • Veja o quanto o Vaticano se preocupou com o assunto;

E muito mais!

Assista ao nosso vídeo clicando no Player abaixo e aproveite para se inscrever no nosso canal:

 

Entre em contato com o E-farsas

(11) 96075-5663 - t.me/efarsas

Prefere as nossas pesquisas em texto?

Para os nossos queridos leitores que andaram reclamando que nossos artigos em vídeo não tinham transcrição, taí a explicação em texto do que descobrimos a respeito dessa bíblia:

Em primeiro lugar, não há nenhuma prova de que essa bíblia tenha deixado o Vaticano em pânico. Tanto é que essa notícia é de 2012 e o Vaticano se pronunciou a respeito somente uma vez, mostrando que há algumas falhas que mostram que essa bíblia é falsa!

Algum veículo de comunicação deve ter achado que o Vaticano iria se importar com isso e inventou que eles estavam aflitos, mas a verdade é que de lá pra cá não se falou mais no assunto…

Além disso, há uma série de desencontros entre as notícias publicadas a respeito dessa bíblia. Alguns sites publicaram a manchete afirmando que a bíblia possui 1500 anos e em outros, a bíblia é do ano de 1500!

Bíblia conteria o evangelho de Barnabé!

Bíblia conteria o evangelho de Barnabé!

Na verdade essa bíblia possui menos de 500 anos de idade e as “profecias” escritas nela são apenas relatos de coisas que ocorreram anos antes! Ou seja, profetas do passado (a gente conhece vários desses que vivem aqui no Brasil, né?)

A Agência Internacional de Notícias Assíria explica que há muitos erros de ortografia nesse livro, coisa inaceitável entre os monges que o teriam feito.

Além disso, a escrita dessa bíblia é toda em assírio moderno que só foi padronizado em 1840, o que prova que o livro não é autêntico.

Outro fato que ajuda a desmentir essa história é que essa bíblia usa libras como unidade de medida, que surgiu somente no Império Otomano lá pelo ano de 1200 da Era Comum.

Atualmente, essa bela peça de antiguidade está no Museu

Atualmente, essa bela peça de antiguidade está no Museu Etnográfico de Ankara, na Turquia!

Conclusão

A “bíblia de 1500 anos” encontrada na Turquia é uma belíssima peça de antiguidade, mas o seu conteúdo foi escrito há poucos séculos e é uma ótima falsificação!

Sites pesquisados

Gilmar Lopes veste Comics Camisetas

Continue lendo
23 Comentários

23 Comments

  1. Pingback: Bíblia achada na Turquia alega que Jesus não foi crucificado? - Cidadão Repórter

  2. Sedgewick Sexton

    17 de maio de 2016 em 8:11

    Valeu pela forma escrita Gilmar.
    Abraço.

    • Gilmar Lopes

      17 de maio de 2016 em 8:59

      Vamos tentar fazer isso nas próximas! Valeu!

  3. Info São Desidério

    17 de maio de 2016 em 9:42

    Eu acompanho todos os dias o site e também prefiro a forma escrita. Valeu.

  4. Bruno

    17 de maio de 2016 em 11:47

    Bem melhor escrito, muito obrigado.

    • Gilmar Lopes

      17 de maio de 2016 em 12:20

      Se puder dar um like no vídeo mesmo assim, agradeço! 🙂

  5. JESSÉ

    17 de maio de 2016 em 12:43

    Legal manter a forma escrita, mesmo assim não deixo de assistir o vídeo 🙂

  6. Alex Oliveira

    17 de maio de 2016 em 16:14

    Falsificação da falsificação, rsrs

    • Marcelo

      13 de março de 2019 em 14:36

      Jesus tá longe né? 2019 anos se passaram e ainda não voltou como prometeu. E ainda disse que “eis que cedo venho” ou “sem demora”… conversa pra boi dormir! Farsa pura este Jesus.

    • Angela

      10 de julho de 2019 em 13:19

      Pior! Rsrsrs

  7. Rodrigo Luiz de Magalhães Fabrini

    18 de maio de 2016 em 15:10

    Eae Gilmar ,tranquilo,tenho aqui um desafio para voçe,vi sua publicação da Biblia encontrada na Turquia,e é sobre esse asunto de Biblia e Deus que quero comentar.Estive pesquisando sobre o filho de Deus,que as pessoas chamam de Jessus,mas segundo alguns estudiosos e professores,tendo em vista que o filho de Deus era judeu e que naquela época a lingua falada e escrita era o Hebraico aramaico”Hebraico antigo”,e segundo alguns professores do hebraico antigo,nunca existiu a letra “J”(jota),e que as letras escritas acima da cruz,ou melhor ,o que eles denominam trindade,eram as letras YHWH,seria possivel escrever Jesus em hebraico utilizando essas letras?Será que Jesus é mesmo o nome do filho de Deus?Pesquisa aí,o site onde encontrei sobre isso é esse http://biblia-hebraica.blogspot.com.br/2015/01/e-errado-falar-ou-escrever-deus.html.

    • JESSÉ

      19 de maio de 2016 em 12:57

      Jesus é o nome “aportuguesado” .

      Na verdade Jesus possui vários nomes desde antes da criação do mundo.

      Mas fique tranquilo amigo, podes continuar chamando ele de Jesus sem problema nenhum, mesmo sabendo que a escrita e a pronuncia de seu nome era outra.

      • Elton Henrique

        11 de março de 2019 em 16:23

        Aportuguesado mas o mundo inteiro usa. Estranho.

    • Observador Perspicaz

      20 de maio de 2016 em 14:01

      Primeiramente, é impossível escrever o nome “Jesus” com o tetragrama, isto é, com as letras YHWH. Isso por que tais consoantes se referem ao nome de Deus, o Pai, não do Filho (Quanto ao dogma da Trindade, faça uma pesquisa imparcial a respeito do histórico do mesmo e as asseverações de trinitaristas. Verá que tal crença não tem respaldo bíblico). Tal nome não foi afixado acima da “cruz”. O título que foi afixado no instrumento de execução, o qual o Filho foi pregado, é mencionado em João 19:19, 20 (note que o título não foi escrito apenas em hebraico, mas também em grego e latim).

      Quanto à letra J não existir no hebraico, tenha em mente que um idioma nunca é igual a outro. Não é possível haver “perfeita” equivalência quando se traduz um texto do inglês para o português, por exemplo. O tradutor terá de adaptar algumas expressões para o idioma alvo (isso envolve expressões idiomáticas, pois estas podem perder o sentido em determinados idiomas). Quando se traduz a Bíblia, translitera-se para que haja uma “razoável” correspondência fonética em português com a língua hebraica original. Se se apegar à “teoria” de que deve haver correspondência “exata” quando se traduz um texto, o tradutor ficaria sem alternativas em alguns casos. Além disso, os próprios cristãos do I século não se apegaram inflexivelmente à ideia de que os nomes que constam na Bíblia Hebraica deveriam ser pronunciados da forma hebraica. A língua internacional naquela época era o grego e eles pronunciavam os nomes contidos no “Velho Testamento” (nomes hebraicos) no grego comum. Será que eles estavam errados ao fazerem isso? Será que “mudaram” o nome de personagens bíblicos conhecidos? É óbvio que não. Apenas usavam os nomes correspondentes em grego.

      Mas por que no português (e em outros idiomas) o nome do Filho é pronunciado com J, ou seja, Jesus? Não deveria ter como inicial a letra Y ou I? Durante a Idade Média, as formas dos modernos I e J foram usadas intercambiavelmente, isto é, ambas as formas representavam a mesma letra. A diferenciação de tais letras foi feita primeiro em espanhol. No século XVI, com o início da impressão, o “J” passou a ser usado como consoante e o “I” como vogal. Mesmo assim, as letras “I” e “J” continuaram por muitos anos a ser consideradas como meramente formas diferentes da mesma letra, até que no início do século XIX, dicionários interligaram palavras com o I e o J em uma série.

      A conclusão do assunto deve ser que a própria Bíblia não apresenta o hebraico (ou o grego) como sendo um idioma insubstituível. Nada na Bíblia indica que o nome de Deus, o Pai (YHWH ou JHVH [isto é, Jeová em português]), nem que o nome do Filho (Jesus em português) devam ser pronunciados em hebraico ou grego apenas. Portanto, segue o conselho do nosso amigo Jessé: “podes continuar chamando ele de Jesus sem problema nenhum, mesmo sabendo que a escrita e a pronúncia de seu nome era outra”. Abração.

  8. Valdemir

    20 de maio de 2016 em 5:04

    Eu também acredito em teoria parecida, até por que o nome do filho do rei não é jesus, imagine que você nasce em um pais onde essa letra não existe e do nada colocaram esta letra no nome, você sabia que a 500 anos atras o nome de jesus era iesus, depois foi pariesous, e agora esse tal de jesus. Só pra lembrar os curiosos antes que comecem a me xingar, a letra j não existe nem no aramaico nem no hebraico e nem no grego, então de onde saiu essa ltra j. rsss falou galera.

  9. Dorta

    21 de maio de 2016 em 9:23

    Idiotas Jesus é Jesus nosso Deus… E eu creio nossa crença esta baseada na fé! Crê ou não crê!?

    • Gilmar Lopes

      21 de maio de 2016 em 9:40

      O seu deus é tão bacana que acha bonito você ficar chamando quem não acredita nele de idiotas?

      • Observador Perspicaz

        21 de maio de 2016 em 14:59

        Nem adianta perder tempo com pessoas desse tipo. O processo de alienação é muito profundo. Pessoas assim não sabem argumentar, apenas atacam. Não acrescentam nada de bom, apenas abstraem. E parabéns pelo blog. Continue desmistificando farsas com as quais nos deparamos na rede (sejam políticas, religiosas, dentre outras). Também não ligue para ofensas de pessoas desprovidas de senso crítico (estava lendo uns “comentários” no post sobre “feministas merecerem o calvário das viúvas”). Uma pena que os brasileiros tenham chegado no estágio de apoiar atrocidades históricas. Abração.

  10. Delgado

    22 de maio de 2016 em 22:32

    Tem vários livros que foram retirados da bíblia “oficial”, os chamados apócrifos; sempre de acordo com as conveniências da igreja católica, que decidia isso em seus concílios. O que eles não julgavam de seu interesse era simplesmente suprimido e marginalizado.

  11. B.b

    22 de junho de 2016 em 10:53

    1-Quantas vezes a biblia foi alterada???
    2-Existe algum livro de alguma religiao que ate hj nao foi alterado?
    3-vdd que Judas teria sido crucificado no lugar de Jesus?

  12. jillions foundation

    14 de março de 2019 em 10:48

    Sou o maior colecionador do mundo de bíblias antigas e estou em tentado em comprar essa bíblia!

Deixe uma Resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mais Populares

Ajude a Manter o E-farsas!

Categorias

Parceiros

Voltando a Circular

Publicidade

Apoio técnico!

Topo