Conecte com a gente

E-farsas – Desvendando fake news desde 2002!

E-farsas – Desvendando fake news desde 2002!

Boneco de ventríloquo da Segunda Guerra Mundial piscou e mexeu a boca sozinho?

Falso

Boneco de ventríloquo da Segunda Guerra Mundial piscou e mexeu a boca sozinho?

Boneco de ventríloquo da Segunda Guerra Mundial piscou e mexeu a boca sozinho?

De vez em quando surgem histórias muito “curiosas” nos tabloides britânicos, e que acabam parando aqui no Brasil. Um exemplo recente disso foi a divulgação de um estranho caso por parte da página “Hora 7” (arquivo) envolvendo um boneco de ventríloquo. Segundo seu proprietário, um “colecionador” de Liverpool, na Inglaterra, o boneco teria sido fabricado num campo de prisioneiros mantido pelos nazistas em Czarne, na Polônia, durante a Segunda Guerra Mundial!

O boneco não virou notícia pelo seu suposto “valor histórico”, mas por supostamente ser capaz de piscar os olhos e mexer a boca sozinho! Para completar, o boneco também teria sido capaz de abrir a caixa de vidro onde vem sendo mantido!

O boneco não virou notícia pelo seu suposto “valor histórico”, mas por supostamente ser capaz de piscar os olhos e mexer a boca sozinho!

Entretanto, será que estamos realmente diante de um caso sobrenatural? O boneco foi realmente fabricado num campo de prisioneiros, em Czarne, na Polônia? Qual a realidade por trás de toda essa história? Descubra agora, aqui, no E-Farsas!

Por que Fazer um Artigo Sobre um Assunto Tão “Bobo”?

Resolvemos fazer esse artigo, porque servirá de aula sobre como um assunto aparentemente “bobo” move toda uma indústria concebida para enganar o leitor. Portanto, o artigo não será curto, visto que ele será do tamanho que julgo ser necessário para que haja uma plena compreensão do quão manipuladas as pessoas são, principalmente no âmbito “sobrenatural”. Caso deseje, pule direto para a conclusão. Agora, caso queira aprender algo além do “verdadeiro ou falso”, continue lendo.

Vamos começar sobre como isso foi originalmente divulgado pelos tabloides britânicos, combinado?

A Versão Apresentada Pelo “Daily Mail”

Em nosso artigo vamos utilizar o texto veiculado pelo “Daily Mail“, mas poderia ser qualquer outro (“The Sun“, “Daily Mirror” etc.), visto que não haveria uma diferença muito significativa (daqui a pouco explicamos o porquê). Adicionalmente, colocaremos algumas imagens divulgadas por outros tabloides para ilustrar melhor a situação.

O Título

Reparem no título da matéria: “Look who’s talking! Father fears creepy ventriloquist doll he was given as a gift is haunted after filming sinister puppet BLINKING and moving mouth at night(“Olha quem está falando! Pai teme que boneco de ventríloquo que lhe foi dado de presente seja assombrado após filmar o sinistro boneco PISCANDO e movendo a boca à noite”, em português).

Trecho da matéria publicada pelo “Daily Mail”.

O Início do Texto

Agora, vamos conferir o texto em si:

Um homem se sente convencido de que seu antigo e sinistro boneco de ventríloquo é assombrado após uma filmagem de circuito interno de segurança mostrar que ele estava piscando os olhos.

Michael Diamond, 48 anos, ganhou o Sr. Fritz — feito por um prisioneiro da Segunda Guerra Mundial do campo de Stalag II-B que ficava na Alemanha — há três meses.

E, o Sr. Diamond colocou uma câmera GoPro nas madrugadas dos dias 19 e 20 de setembro, após notar que o gabinete de vidro, onde estava o boneco, continuava abrindo.

Pelo menos uma ou duas vezes por semana, a porta se destrancava, então ele decidiu colocar uma câmera ‘por diversão’. Nas duas madrugadas a porta, onde o boneco de aparência incomum estava, abriu sozinha.

Confira o vídeo, abaixo:

A Descrição do que Aconteceu

No vídeo, seus olhos — inicialmente bem fechados — se abriram, assim como os lábios, como se o ventríloquo estivesse querendo dizer alguma coisa.

O Sr. Diamond disse que teve ‘um estranho pressentimento’, que é ‘difícil de descrever’, após reassistir o vídeo.

Os olhos do boneco se abriram e seus lábios se moveram. Em seguida, a porta da caixa de vidro é misteriosamente aberta.

Michael Diamond disse ter tido um pressentimento que era difícil de descrever.

Ele não tem medo do Sr. Fritz, mas admitiu que é ‘cauteloso’, e o mantém trancado em sua ‘sala das aberrações’ repleta de itens de colecionador. Isso inclui animais taxidermizados, crânios, e armas antigas.

Um Pai de Família

O Sr. Diamond acrescentou o quanto ele se ‘apega emocionalmente’ às suas coleções e a razão pela qual isso acontece é uma ‘pergunta de um milhão de dólares’.

Embora ele seja casado com Sally e tenha dois filhos, Amber, 19, e Caleb, 11, ele quer dar à sua boneca um lar permanente.

Michael Diamond, sua esposa, e seus dois filhos.

‘Não tenho ideia. Nem mesmo sei por onde começar. Não há janelas abertas na sala, nem corrente de ar. A porta está trancada e não deveria simplesmente abrir. Eu contei para Sally e para Amber sobre isso, e elas não gostaram nem um pouco. Para impedir que isso aconteça, coloquei uma corrente em volta da caixa e a cobri com um cobertor’, disse Diamond.

O pai de duas crianças especula que o prisioneiro, que criou o boneco, trabalhou como ventríloquo antes de ser preso em Stalag II-B.

Michael Diamond colocou uma corrente em volta da caixa de vidro, onde o boneco vem sendo mantido.

O Campo de Prisioneiros

Este campo foi um dos primeiros campos de concentração nazistas em 1933 para comunistas alemães e se tornou um campo de prisioneiros de guerra para soldados poloneses do exército Pomorze.

Fritz teria sido levado para os Estados Unidos após o fim da guerra e era de propriedade de uma loja de antiguidades em Myrtle Beach, Carolina do Sul, antes de chegar ao Reino Unido.

Verdadeiro ou Falso?

Falso! Há um forte conjunto probatório indicando que se trata de uma fraude para promover Michael Diamond, que é um mágico e ilusionista profissional de Liverpool, na Inglaterra (os tabloides britânicos “esqueceram” de mencionar esse “pequeno” detalhe). Contudo, para chegar a essa conclusão é necessário mostrar a vocês como nasce uma mentira de cunho “sobrenatural” nos tabloides britânicos.

O Modus Operandi dos Tabloides Britânicos

Nada do que é publicado nos tabloides britânicos é por acaso. Contudo, há um claro modus operandi, que muitas vezes passa despercebido ao leitor mediano. Vamos começar dizendo como essa e outras notícias do gênero normalmente chegam até os tabloides.

1) As Agências de Notícias do Reino Unido

Quase tudo que é publicado de caráter dramático, histórias de superação, histórias “inusitadas” ou até mesmo supostamente “sobrenaturais”, parte de agências de notícias do Reino Unido. Entre elas, destacaríamos três: Mercury Press and Media, Caters (considerada uma agência-irmã da Mercury) e SWNS. Essas três agências respondem por boa parte desse tipo de conteúdo, que é veiculado nos tabloides britânicos e, posteriormente, passa a ser disseminado ao redor do mundo.

E como elas encontram tais histórias? Basicamente de duas formas: monitorando as redes sociais através de captadores (pessoas pagas para vigiar a internet em busca do que está viralizando ou tem potencial de viralização) ou através do contato direto do interessado em vender sua história. A partir desse ponto, as agências coletam vídeos, fotos (tudo com a devida autorização do interessado), passam a ter os direitos autorais sobre o material, e redigem um texto-base sobre o assunto.

Uma vez que o “pacote” (fotos, vídeos e texto-base) é finalizado, ele é oferecido (leia-se vendido) aos tabloides britânicos, que por sua vez contam basicamente a mesma história, com as mesmas declarações e imagens. Alguns tabloides optam por alterar algumas palavras ou publicar uma ou mais fotos adicionais. Contudo, é praticamente a mesma coisa.

Nada do que é publicado nos tabloides britânicos é por acaso.

Evidentemente, existe todo um interesse financeiro por trás disso. Os interessados são pagos de acordo com o material e a história que possuem (há diversas categorias e subcategorias) e os valores podem variar consideravelmente. Uma história de superação “inacreditável”, repleta de fotos, vídeos e depoimentos pode valer até £ 1000, por exemplo. Vídeos e fotos de fantasmas geralmente valem a partir de £ 100 se forem bem interessantes. Enfim, essa é uma indústria legítima, gostando ou não dela.

Um Problema Grave

Embora legítima, há um problema muito grave: não há qualquer tipo de pesquisa, investigação, cruzamento de informações ou preocupação se o conteúdo oferecido é falso, manipulado ou enganoso de qualquer forma, ou seja, depende de você meramente acreditar no que é contado pelas pessoas através de meros relatos (meras evidências anedóticas). Essa é a famosa “indústria do paranormal” no Reino Unido, onde qualquer coisa pode ser tornar inexplicável na mão das agências de notícias e dos tabloides britânicos.

2) Como Induzir as Pessoas a Acreditar Nas Histórias que São Contadas

Uma vez que o material chega até os tabloides britânicos é necessário que as pessoas acreditem naquilo que será publicado. Por exemplo, quase sempre você irá ler que “fulano” ou “fulana” é mãe ou pai de “x” filhos. A princípio parece algo normal de ser mencionado, mas não é. Isso geralmente é repetido à exaustão no texto. E por qual motivo isso acontece? Para tentar forçar uma aura de credibilidade sobre aqueles que venderam suas histórias.

Trechos de diversos artigos publicados no Daily Mail.

Os tabloides têm consciência do quão frágeis e exdrúxulas são muitas das histórias que publicam. Eles tentam fazer as pessoas acreditarem que uma mãe ou um pai de família jamais mentiria. Jamais iria expor os filhos, esposa (ou marido) e parentes de forma tão grotesca. Para vocês terem uma ideia, certa vez realizei perguntas para um escritor de ficção, que até hoje tenta fazer algumas pessoas acreditarem que existe uma “cidade paralela”, do “além” (para um bom entendedor meio “além” basta). Ao lado de sua filha menor de idade, num determinado momento do vídeo de resposta, ele virou e disse: “Sou empresário, não tenho porquê mentir”. Entenderam como funciona o esquema de credibilidade?

A verdade é que pais e mães também mentem, assim como qualquer outra pessoa. Uma mãe casada com três filhos, e que trabalha servindo café numa empresa, não necessariamente mente mais ou menos que um empresário solteiro e sem filhos. Contudo, isso é usado para fazer você acreditar no que é contado pelos tabloides.

Outros Detalhes

Existem, é claro, outros detalhes. Geralmente as fotos das pessoas e familiares são de baixa qualidade e os vídeos também são divulgados com a qualidade mais baixa possível (ainda que exista uma versão de melhor qualidade). Muitas vezes, sequer a profissão verdadeira da pessoa é mencionada no texto. Isso tudo acaba influenciando na credibilidade e, por seguinte, na opinião final do leitor.

Raramente você verá pessoas que notaram algo “diferente” em suas fotos no momento que tiraram, e sempre haverá aquela história que a pessoa mostrou para diversos amigos e familiares, e que todos concordam que seja algo “sobrenatural”. Como se isso não bastasse, de vez em quando surgem alguns “médiuns” (ou grupos de investigação paranormal) para “corroborar” com a versão fantasiosa apresentada por essas pessoas. E o que acontece quando uma fraude é descoberta? Nada. Na absoluta maioria das vezes, sequer há uma nota no rodapé da absoluta maioria dos textos.

Como Nasce uma Mentira: Um Homem Chamado Dan Baines

Assim sendo, essa história não nasceu exatamente nos tabloides britânicos. Foi apenas parar nos tabloides através da SWNS. Contudo, como que a SWNS ficou sabendo dessa história? Tudo indica que tenha sido através do blog de um homem chamado Dan Baines. Ele é um escultor e um “illusion designer” para mágicos de Londres, na Inglaterra. Basicamente, ele cria truques e ilusões para outros mágicos. Ele também já trabalhou como consultor forense, técnico em efeitos especiais, entre outras profissões. Enfim, ele é relativamente famoso por lá.

Dan Baines é um escultor e um “illusion designer” para mágicos de Londres, na Inglaterra. Basicamente, ele cria truques e ilusões para outros mágicos.

Em seu site pessoal é mencionado, que ele passou a infância coletando ossos de animais e mergulhado em livros de fantasia, no oculto e no paranormal. Criado com uma dieta básica de filmes de terror, histórias de fantasmas e música gótica, sua apreciação do grotesco e bizarro começou desde cedo.

A Fama de Dan Baines

Dan acabou ficando famoso no mundo inteiro em 2007 através da “Fada Mumificada de Derbyshire“, que acabou sendo considerada uma das maiores farsas que se tem notícia. Isso porque, poucos dias antes de 1º de abril de 2007, Dan Baines postou imagens em seu site mostrando os supostos restos mortais de uma fada.

Ele alegou que os restos mumificados tinham sido descobertos por um homem, que estava passeando com cães em Firestone Hill, no vilarejo de Duffield, Derbyshire. O “corpo” tinha orelhas, asas, cabelo, pele e dentes intactos! E, segundo Baines, “tinha sido examinado por antropólogos e especialistas forenses, que confirmaram que o corpo era autêntico”. Ainda segundo o site, exames de raios-X mostraram que a estrutura do corpo da “fada” era igual a do corpo de uma criança.

Dan acabou ficando famoso no mundo inteiro em 2007 através da “Fada Mumificada de Derbyshire”, que acabou sendo considerada uma das maiores farsas que se tem notícia.

Agora, pasmem, Dan ainda conseguiu vender sua farsa por meio de um leilão online por cerca de £ 300 (cerca de R$ 1.500 na cotação atual). E, como se isso não bastasse, até hoje ele recebe emails de pessoas que acreditam que o esqueleto seja realmente de uma fada, embora já tenha sido amplamente divulgado que se trata de um hoax.

Seja Vidente por Alguns Segundos

E onde a história do “ventríloquo da Segunda Guerra Mundial” começou a ser propagada na internet? Justamente no blog de “Dan Baines”, no dia 15 de outubro de 2019.

Quem é Michael Diamond?

Michael Diamond, o tal proprietário do ventríloquo, foi citado por Dan Baines como um “artista alternativo“. Esse detalhe é interessante, porque o “Daily Mail” não mencionou a profissão de Michael. Já os sites dos tabloides “The Sun” e “Daily Mirror” se limitaram a dizer que Michael era um “artista” que viajava pelo país realizando performances com seu museu repleto de itens de colecionador.

Michael Diamond, o tal proprietário do ventríloquo, foi citado por Dan Baines como um “artista alternativo”.

No entanto, tudo isso é um belo “eufemismo” (para não dizer outra coisa), visto que Michael é um mágico e ilusionista profissional! Sim, ele inclusive tem um site bem interessante para mostrar o seu trabalho! Nele podemos ver que Michael já trabalhou para inúmeras empresas, e está nesse ramo há muitos anos.

Entre em contato com o E-farsas

(11) 96075-5663 - t.me/efarsas

Michael Diamond é um mágico e ilusionista profissional.

Outro detalhe interessante é que, ao acessarmos o perfil público de Michael, no Facebook, não há nenhuma menção antiga sobre o ventríloquo, exceto recentemente. Curiosamente, no dia 2 de setembro (na imagem irá aparecer dia 3 devido ao fuso horário), Michael publicou no seu Facebook que precisava de um novo desafio/projeto. Sugestivo, não é mesmo? Perceberam como as coisas vão se encaixando?

Curiosamente, no dia 2 de setembro (na imagem irá aparecer dia 3 devido ao fuso horário), Michael publicou no seu Facebook que precisava de um novo desafio/projeto

A História que Foi Criada para o Ventríloquo: Muito Papo e Nenhuma Comprovação num Conto Repleto de Imprecisões e Subterfúgios

Segundo Dan Baines, um conhecido negociante de artefatos militares da Segunda Guerra Mundial, em Liverpool, se aproximou de Michael num festival, no qual ambos estavam trabalhando durante o verão (no Hemisfério Norte). Ele teria visto a exposição itinerante de curiosidades de Michael, e pensou que o “Sr. Fritz” (nome dado ao ventríloquo) se encaixaria perfeitamente. Fritz foi descoberto numa loja de antiguidades em Myrtle Beach, EUA, e uma vez que o negocioante ouviu falar da conexão com um campo alemão de prisioneiros de guerra, sentiu-se compelido a comprá-lo e trazê-lo para o Reino Unido. Foi então que as coisas começaram a acontecer.

OBS: No verão de qual ano isso aconteceu? Segundo o “Daily Mail” teria sido há três meses. Qual o nome do “conhecido negociante”? Em qual festival ambos estiveram presentes? Qual o nome da loja de antiguidades, onde o “Sr. Fritz” teria sido encontrado? Essas são perguntas que o texto não faz nenhuma questão de responder.

O “Conhecido Negociante Anônimo”

O negociante, que desejava permanecer anônimo, teria começado a notar algo estranho quando colocou o Sr. Fritz em exposição em seu “showroom“. Ele o trancava à noite e, quando voltava pela manhã, via que a porta do gabinete do “Sr. Fritz” estava aberta, mesmo após ter sido firmemente fechada. Isso acontecia toda noite. Então, as coisas começaram a ficar mais estranhas. O “Sr. Fritz”, às vezes, aparecia com os olhos abertos, quando normalmente estavam fechados. Sua boca também mudava de posição.

Fritz foi descoberto numa loja de antiguidades em Myrtle Beach, EUA, mas não há nenhuma prova sobre isso.

Enfim, isso teria se repetido por um tempo. Num belo dia ele tirou o “Sr. Fritz” do “showroom” e o colocou no galpão do jardim, onde ficou por mais seis meses. Os filhos desse negociante teriam relatado que ouviram risos oriundos do galpão, enquanto brincavam no jardim, e ninguém ousava chegar perto dele. Assim sendo, o “Sr. Fritz” precisava ir embora.

Assim que Michael adotou o boneco de ventríloquo, essas mesmas coisas teriam começado a acontecer. Inicialmente, uma ou duas vezes na semana, mas depois teria passado a acontecer em todas as noites/madrugadas.

OBS: Não há nenhuma foto, vídeo ou áudio anterior mostrando o comportamento relatado pelo tal “negociante conhecido anônimo”. Aliás, quem realmente compraria ou aceitaria de graça algo assim sem pensar no bem-estar da própria família?

A Criação do “Sr. Fritz”

Segundo Dan Baines, um pequeno bilhete escrito à mão, que acompanhava o boneco, explicava que ele era originalmente um boneco de ventríloquo, que era usado para entreter prisioneiros aliados de guerra, durante a Segunda Guerra Mundial, em Stalag IIB, entre 1943 e 1945.

OBS: Onde está esse bilhete escrito à mão? Ele passou por alguma perícia para que pudéssemos datar o papel e o quão antiga era tinta usada para escrever o tal bilhete? Existe alguma foto desse bilhete? Evidentemente, como era de se esperar, nada disso veio à tona.

Segundo Dan Baines, um pequeno bilhete escrito à mão, que acompanhava o boneco, explicava sua origem. Contudo, esse tal bilhete não foi apresentado.

O Campo de Prisioneiros de Stalag II-B

Ainda segundo Dan Baines, Stalag II-B foi um campo alemão de prisioneiros de guerra, situado a 2,4 quilômetros a oeste do vilarejo de Hammerstein, na Polônia. Em 1933, foi estabelecido como um dos primeiros campos de concentração nazistas, tendo sido usado para abrigar comunistas alemães. No final de setembro de 1939, o campo começou a abrigar prisioneiros de guerra, tais como soldados poloneses e, em agosto de 1943, os primeiros prisioneiros norte-americanos chegaram, tendo sido feitos prisioneiros na campanha da Tunísia. Segundo Dan Baines, mais de 600 prisioneiros de guerra dos Estados Unidos foram mantidos em Stalag II-B. Para completar, a vida por lá teria sido dura, consistindo em longos dias de trabalho pesado em fazendas vizinhas.

Os presos tentaram superar essas dificuldades educando-se e realizando apresentações musicais e de comédia. Entre os prisioneiros com energia suficiente para entreter os demais estaria o soldado “Billy” Booth, que havia sido um artista voltado para o público infantil e marionetista antes do início da guerra. Ele teria feito o Sr. Fritz com jornais alemães embebidos em amido de batata, e o pintou com um pote contrabandeado de tinta rosa que um fazendeiro polonês havia lhe dado, e que por sua vez havia sido usado para pintar o berço da filha.

Delegação da Cruz Vermelha Internacional liderada pelo Prof. Carl Jacob Burckhardt inspecionando prisioneiros de guerra em Stalag II-B, em 9 de agosto de 1941.

A Suposta Morte de “Billy” Booth

Por quase 18 meses, “Billy” Booth e Fritz entretiveram os prisioneiros do Stalag II-B com piadas e canções. Ele era tão bom, que até mesmo alguns guardas alemães o acharam engraçado. Infelizmente, no dia 14 de janeiro de 1945, duas semanas antes da libertação do campo, “Billy” e nove outros prisioneiros de guerra dos EUA foram levados para um campo, forçados a cavar um grande poço e foram mortos a tiros por não trabalharem o suficiente.

Quando o campo foi finalmente libertado em 28 de janeiro de 1945, “Fritz” foi levado de volta aos Estados Unidos por um companheiro de prisão e entregue à família de “Billy” Booth como um lembrete da coragem de seu filho e de sua capacidade de elevar a moral nas condições mais adversas.

OBS: Embora o campo de Stalag II-B tenha realmente existido e abrigado soldados de diversas nacionalidades, inclusive norte-americanos, é notável que os dados sobre o campo foram retirados de um verbete da Wikipédia. Além disso, a narrativa convenientemente usa os nomes “Fritz” e “Billy”, ou seja, um nome alemão e outro norte-americano extremamente comuns.

Fato é que não existe nenhuma citação e muito menos comprovação histórica relacionada a um homem chamado “Billy” Booth ou a presença de um ventríloquo criado por ele dentro desse campo de prisioneiros. Outro detalhe é que, apesar dos pesares, teriam ocorrido poucas mortes em Stalag II-B, mas nenhum assassinato em massa por tal motivo, conforme relatado na narrativa acima. Segundo os alemães, tais mortes seriam decorrentes da tentativa de fuga por parte de prisioneiros, mas, na verdade, documentos teriam apontado que tais mortes seriam decorrentes de homicídios deliberados por parte de soldados alemães.

Existe Algum Indício no Próprio Vídeo Mostrando que Ele Foi Forjado/Manipulado Digitalmente?

Sim, existem ao menos dois indícios, sendo um deles aponta diretamente para a utilização de fios de nylon. E olha que nem precisa ser especialista em edição de vídeo para identificar um deles!

Confira abaixo o vídeo publicado pelo Dan Baines, em seu canal no YouTube, no dia 15 de outubro de 2019:

Notaram alguma coisa estranha? Não? Então, tentem reassistir entre 1:00 e 1:13. É justamente nesse intervalo de tempo que vemos o que parece ser um fio de nylon esticado cruzando a tela, em direção ao gabinete. Logo em seguida, misteriosamente, há uma espécie de “corte” na imagem, e esse fio “some”. Talvez ele tenha sido realocado ou simplesmente “apagado” posteriormente durante a edição.

Confira o fio, abaixo.

É justamente nesse intervalo de tempo que vemos o que parece ser um fio de nylon esticado cruzando a tela, em direção ao gabinete. Logo em seguida, misteriosamente, há uma espécie de “corte” na imagem, e esse fio “some”.

Já a versão divulgada pelos tabloides britânicos é bem mais curta, e já não conta com a presença desse fio de nylon. “Curioso”, não é mesmo?

 

O segundo indício ocorre quando a cabeça do boneco abre a boca (por volta de 2:50). É possível notar que a cordinha à direita, logo abaixo da cabeça, se move para baixo. Isso indica um acionamento mecânico da boca. Afinal de contas, por que um “fantasma” precisaria puxar uma cordinha para abrir a boca de um boneco?

Confira o trecho, abaixo:

Para finalizar, no vídeo publicado por Dan Baines é mencionado que “orbes” passam pela imagem como fosse um indício de algo sobrenatural. Não, não é! São simplesmente partículas de poeira que foram captadas muito próximas a lente da câmera! Tão somente e nada além disso!

Mais Um Indicativo de Uma Possível Fraude por Parte de Michael Diamond

Não encontramos nenhuma foto mostrando a tal “sala das aberrações” de Michael Diamond, mas encontramos um detalhe que pode indicar uma possível prática fraudulenta de sua parte: o comércio de supostos objetos antigos falsificados.

Numa publicação datada de 26 de setembro de 2019, no Facebook (arquivo), Michael colocou à venda alguns itens, sendo que entre eles havia um “Vampire Killing Kit“.

Em setembro deste ano, Michael colocou à venda alguns itens, sendo que entre eles havia um “Vampire Killing Kit“.

No passado, quando eu trabalhava para um outro blog, fiz uma matéria extremamente completa mostrando que todos esses “kits para matar vampiros” são falsos. Nenhum é tão antigo, quanto alega ser e, por incrível que pareça, ainda assim acabam sendo vendidos ou leiloados por verdadeiras fortunas. Na verdade, eles são composições modernas. Até hoje não apareceu nenhum kit autêntico desse gênero, e muito menos indícios que algo assim tenha sido realmente fabricado com esse intuito em séculos passados.

Portanto, embora Michael não tenha se referido ao kit colocado à venda como autêntico, de antemão podemos dizer que ele não é.

Conclusão

Conforme vocês puderam notar, existe um fortíssimo conjunto probatório apontando que o vídeo seja falso, ou seja, forjado e/ou manipulado digitalmente. Tudo indica que a narrativa sobre o boneco de ventríloquo foi simplesmente inventada, provavelmente em virtude do Halloween, quando a incidência de supostos casos “sobrenaturais” costuma aumentar na mídia britânica e norte-americana. Geralmente, esses casos tratam-se de ações de marketing devido a popularidade da data, mas também surgem alguns espertalhões aleatórios querendo ganhar um dinheiro extra.  Especificamente nesse caso há uma forte possibilidade de se tratar de ação orquestrada entre Dan Baines e Michael Diamond.

Não há nenhuma citação ou comprovação história sobre praticamente nada do que foi alegado, exceto pelo campo de prisioneiros que realmente existiu. Os detalhes mais importantes e que ajudariam a atestar ou não a veracidade da narrativa foram simplesmente omitidos. Isso denota que tanto Dan quanto Michael tentaram fazer com que as pessoas acreditassem tão somente no que foi contado por eles, mas sem apresentar nada de relevante. Não houve qualquer perícia, análise técnica do boneco ou de terceiros em ambiente controlado.

Os tabloides britânicos também colaboraram para esconder a verdade do leitor ao evitar mencionar a profissão de Michael Diamond e o envolvimento de Dan Baines nessa história. E, para finalizar, como se nada disso bastasse, ainda encontramos um trecho de vídeo apontando para utilização de fios de nylon.

Portanto…

Diante de tudo o que mencionamos anteriormente, classificamos esse caso como “falso”. Enfim, esperamos que tenham gostado e que o artigo sirva de aprendizado para que vocês evitem em cair em tais histórias, que muitas vezes são repercutidas de forma indiscriminada por sites ou canais do YouTube, que visam apenas lucrar com o seu clique.

Continue lendo
3 Comentários

3 Comments

  1. David F Nóbrega

    28 de outubro de 2019 em 20:37

    Depois do movimento da boca (perto dos 3′), há um clarão a direita, que parece outro reflexo apagado do fio de nylon…

  2. Maria

    1 de novembro de 2019 em 14:25

    Isso me lembra daqueles(as) estátuas de santos(as) que “choram”, “mexem a boca”, “piscam” etc. TUDO Fake! 😐 KKKKKKKKKKKKKKK! 😀

  3. Abenilde

    8 de novembro de 2019 em 14:40

    Parece o veio da Havan

Deixe uma Resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mais Populares

Ajude a Manter o E-farsas!

Categorias

Parceiros

Voltando a Circular

Publicidade

Apoio técnico!

Topo