Conecte com a gente

E-farsas – Desvendando fake news desde 2002!

E-farsas – Desvendando fake news desde 2002!

O Governo deu meio milhão para Cláudia Leitte publicar livro?

Famosos

O Governo deu meio milhão para Cláudia Leitte publicar livro?

É verdade que a cantora Claudia Leitte conseguiu financiamento do governo de R$ 365 mil para publicar a sua biografia?

A notícia apareceu no Facebook no dia 17 de fevereiro de 2016 e afirma que a cantora teria conseguido o aval do Ministério da Cultura para a liberação da quantia para a publicação de um livro contando a história da carreira da moça!

O assunto rendeu muito no dia 17, quando publicações de pessoas questionando o alto valor liberado pelo governo à cantora para a simples publicação de um livro tiveram milhares de compartilhamentos. Mas, afinal, será que essa notícia é verdadeira ou falsa?

claudia-leitte-460x486

Campanha contra o livro da Claudia Leitte fez sucesso nas redes sociais!

Verdadeiro ou falso?

A notícia é verdadeira, mas vamos com calma!

Conforme apurado pelo jornal O Estado de São Paulo, o projeto para o livro institucional da cantora Claudia Leitte foi aprovado pelo Ministério da Cultura em 2014, por intermédio da Lei Rouanet, mas a Produtora Ciel – responsável pela carreira da cantora – abortou o projeto em 2015.

Entre em contato com o E-farsas

(11) 96075-5663 - t.me/efarsas

O financiamento iria ser usado na impressão de 2 mil exemplares de uma biografia de Claudia Leitte, com fotos, entrevistas e partituras de músicas da cantora, mas o projeto foi cancelado pois, de acordo com representantes da empresa, as pessoas que estavam encabeçando o projeto não trabalham mais lá!

Segundo a Lei Rouanet, o aval do governo autoriza o artista a captar recursos de empresas privadas e os recursos, quando não captados, são arquivados pelo Ministério da Cultura!

O Ministro se Pronuncia

Talvez para “se sair bem na foto”, ou “cheio de boas intenções”, o ministro da Cultura, Juca Ferreira, disse em entrevista à Revista Fórum no dia 18 de fevereiro de 2016, que irá vetar o uso da Lei Rouanet para o que seria futuro livro da cantora Claudia Leitte. Juca explicou ao blog que o veto é uma demonstração de como a Lei Rouanet precisa ser discutida pela sociedade. O veto, se ocorrer mesmo, não fará muita diferença para a cantora, uma vez que a Ciel já disse ter abandonado o projeto!

De qualquer maneira, a discussão é sempre válida e a Lei Rouanet precisa mesmo ser reformulada!

Conclusão

A empresa que administra a carreira da cantora Claudia Leitte conseguiu autorização do governo para captar R$355.957,00 de empresas privadas, em 2014, para a publicação de uma biografia da artista, mas o projeto foi abortado em 2015!

Continue lendo
27 Comentários

27 Comments

  1. daniel

    19 de fevereiro de 2016 em 7:54

    Acho que se a pessoa quer lançar um livro ela tem que emprestar do banco, simples assim.

  2. sissi

    19 de fevereiro de 2016 em 9:01

    A empresa diz que abandonou o projeto… O ministro diz que vetou a Rouanet…
    Quem garante que por trás não é tudo mentira? É só um cala-boca?

    • helder

      19 de fevereiro de 2016 em 10:05

      calete boca com viajem ao futuro???
      O projeto foi aprovado em 2014 e desistiram em 2015 ESTAMOS EM 2016

  3. Iracema

    19 de fevereiro de 2016 em 9:58

    Não acredito nessa explicação, até o radio noticiou, sinceramente estão querendo amenizar essa história!

    • Eu™

      19 de fevereiro de 2016 em 10:29

      Ok, anotado.

      Agora todas as nossas vidas mudarão completamente, graças ao seu comentário.

      Obrigado!

  4. Bia Lunna

    19 de fevereiro de 2016 em 11:34

    Hahahaha. Sai uma MENTIRA, ela é desmentida por todos interessados e ainda tem gente que se agarra à primeira versão. Se cair de quatro sai pastando.

  5. JESSÉ

    19 de fevereiro de 2016 em 11:34

    Pq as pessoas são tão arrogantes nos comentários de outras pessoas que expressam sua opinião?

    • Eu™

      19 de fevereiro de 2016 em 12:44

      Porque é a internet, esse é o motivo.

    • Edio

      19 de fevereiro de 2016 em 15:41

      Começou a usar a internet hoje, que fofo.

      • Lucho

        20 de fevereiro de 2016 em 20:18

        Passar tempo demais no facebosta resultou nessa figura aí.

        Lembrando que tem muita gente que acha que facebosta é a Internet.

  6. Katia Rli Pereira

    19 de fevereiro de 2016 em 11:56

    Pelo menos isso, porque é uma vergonha esta lei está servindo para artistas famosos que podem desembolsar tais projetos. O mais coerente, já que se trata de nosso dinheiro, é de ser investido em projetos culturais para artistas e atores desconhecidos e que possuam bons projetos para a área. Basta de ver essa farra com o nosso dinheiro! Se é para a cultura que seja realmente utilizado para isso e não para satisfazer egos do meio artístico ou político.

    • Eu™

      19 de fevereiro de 2016 em 13:14

      ” já que se trata de nosso dinheiro”

      Aí é que está a questão. NÃO se trata do “nosso dinheiro”, seria como contar com o ovo no cu da galinha.

      Se o “imposto não pago por uma empresa” é “nosso dinheiro”, então é “nosso dinheiro” também as deduções que você faz todos os anos com saúde, médico, dependentes, etc, ao declarar o Imposto de Renda.

      Logo, se você gasta com médicos e deduz do IR, é o “nosso dinheiro” que você tá usando. A graduação ou MBA que você pagou? “Nosso dinheiro”.

      Quero minha parte!!

      • Eduardo

        2 de maio de 2016 em 8:09

        O problema é que indiretamente é “nosso dinheiro” sim, pois os valores que são desembolsados pelas empresas, são descontados no imposto de renda, ou seja, as empresas deixam de recolher valores aos cofres públicos por terem “financiado” estes projetos.

        • Eu™

          2 de maio de 2016 em 9:10

          Ok, então você não pode mais deduzir despesas no Imposto de Renda, já que também é nosso dinheiro. Pode dar a minha parte, por favor.

        • Guido Mantega

          2 de maio de 2016 em 11:31

          Não, definitivamente não é “nosso dinheiro”, você está equivocado. O valor pago pelas empresas para incentivos culturais entra como “despesas dedutíveis”, da mesma forma que pessoas físicas podem deduzir, conforme abaixo:

          – Despesas com dependentes
          – Despesas com educação
          – Despesas médicas
          – Pensão alimentícia
          – Contribuição à Previdência Social
          – Contribuição à Previdência Privada
          – Livro-caixa
          – Aposentadorias e pensões de maiores de 65 anos
          – Contribuição à Previdência Social do empregado doméstico

          Se pela sua lógica, considerar captação de recursos para a Rouanet equivalente a valores não pagos para a Receita, ao deduzir os valores gastos nos itens acima, você está deixando de pagar imposto, pois da mesma forma seriam considerados “valores aos cofres públicos não arrecadados”. Logo também seria “nosso dinheiro”.

          Por que VOCÊ pode e a empresa não?

          Seu argumento é completamente inválido.

  7. Cesar da Silva

    19 de fevereiro de 2016 em 13:10

    Essa conta não fecha: cada livro custaria quase R$178,00. Usariam folhas de ouro? Por quanto venderiam cada exemplar? Ah, esqueci q o dinheiro não sairia do bolso dos editores, mas os lucros seriam deles (“quem atira com pólvora alheia não mede distância”), mas a grande dúvida que fica é: onde “meio milhão” entra nessa história?

  8. Marina Ferreira

    19 de fevereiro de 2016 em 14:56

    Voces esqueceram que depois uma parte da grana volta para o governo (impostos)? Como diz o cumpadi washington “sabe de nada inocente” kkkkkk

  9. Pedro

    19 de fevereiro de 2016 em 20:36

    Estão fazendo tanto briga sem necessidade, nem ela e nem vcs vão vê um centavo,bando de coitados… A Cláudia vai ficar pobre com a opinião de vcs kkkkkkkkkkkkkkkkk povo besta!

  10. Manoel

    20 de fevereiro de 2016 em 0:34

    Na boa ? Foda-se !!!

  11. Deborah Souza

    20 de fevereiro de 2016 em 3:31

    O projeto foi aprovado na ata que aconteceu no dia 27 de Janeiro desse ano, e pode ser visto por qualquer pessoa no site do MinC.

    http://novosalic.cultura.gov.br/cidadao/parecer-consolidado?idPronac=501eac548e7d4fa987034573abc6e179MjAxNDA0ZUA3NWVmUiEzNDUwb3RT

    http://novosalic.cultura.gov.br/cidadao/dados-projeto?idPronac=501eac548e7d4fa987034573abc6e179MjAxNDA0ZUA3NWVmUiEzNDUwb3RT

    Ele estava na ata da CNIC nº 241.

  12. Raquel Edgar

    22 de fevereiro de 2016 em 20:35

    Parabéns para o governo, que além de tudo deve desviar também um pouco dessa grana…

  13. kali

    22 de fevereiro de 2016 em 22:59

    Já que ela se possui tanto dinheiro pq ela mesma não financia esse livro da história dela q por sinal não tem cultura nenhuma?! Sinceramente gosto das músicas dela mas jamais compraria um livro dela. Seria jogar dinheiro fora. E comô ela mesmo falou nos somos pobres e não podemos gastar dinheiro com inutilidade!

  14. Cristiane

    24 de fevereiro de 2016 em 8:38

    “Talvez para “se sair bem na foto”, ou “cheio de boas intenções”” Agora o e-farsas lê mentes pra descobrir a intenção que está por trás do que dizem as pessoas? Logo este site que se propõe a trabalhar somente com a verdade?

    • Gilmar Lopes

      24 de fevereiro de 2016 em 8:58

      A declaração do ministro é puramente política e dispensável uma vez que o projeto já foi aprovado e já que também a própria requerente desistiu de prosseguir com o livro.
      O ministro claramente se aproveitou de uma situação para querer se sair bem na foto. Por que essa Lei Rouanet não foi discutida antes? Por que o projeto do livro não foi indeferido (já que a Lei Rouanet não pode ser concedido para fins comerciais)?
      Depois que o pedido já foi julgado e aceito (e depois que a cantora desistiu do projeto) qualquer medida em cima disso é apenas político.

  15. Cindy

    2 de março de 2016 em 1:29

    [DENÚNCIA] To tentando mandar msg na parte “contato” mas da erro. É o seguinte, a tempos que falam que o filme OS DEZ MANDAMENTOS está ingressos vendidos e cadeiras vazias, até hoje vc (Gilmar) não postou nada sobre isso, significa que vc recebeu uma grana pra não postar, pois semana passada comprovei com meus olhos, os ingressos estavam esgotados! Até que um homem veio até a mim e perguntou “já assistiu os dez m?” respondi não, ele perguntou “quer assisti?” respondi não, ele disse “é grátis não paga” respondi não (ele estava com vários infressos na mão)

    Conclusão: ingressos esgotados comprado por manda chuva do pastor para da pras pessoas para que todos sejam alienados.

  16. Lima

    9 de março de 2016 em 15:51

    Esses iluminatis governantes do mundo
    Mas tudo é cumprimento da palavra de Deus

  17. Rito

    26 de março de 2016 em 15:38

    Mas mesmo a requerente tendo abortado o projeto antes do juíz Juca ter dado qualquer informação sobre ele, porque o requerimento de tudo consta na Salic e não diz logo lá que já desistiram do projeto para não dar essa confusão toda?!

Deixe uma Resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mais Populares

Ajude a Manter o E-farsas!

Categorias

Parceiros

Voltando a Circular

Publicidade

Apoio técnico!

Topo