Conecte com a gente

E-farsas – Desvendando fake news desde 2002!

E-farsas – Desvendando fake news desde 2002!

DNA de crânios alongados de Paracas é de origem alienígena?

Conspirações

DNA de crânios alongados de Paracas é de origem alienígena?

Descobertos em 1928, coleção de crânios alongados pode não ser de humanos e levanta a hipótese de uma possível raça extraterrena!

A notícia apareceu na web em fevereiro de 2014 e afirma que exames de DNA feitos em uma série de crânios alongados sugerem que o achado não é de origem humana. As caveiras, encontradas por um arqueólogo peruano – em 1928 – na Costa do Peru, possuíam uma característica peculiar: Todos elas tinham o topo do crânio alongado, em forma de cone!

De acordo com textos que circulam em diversos sites e blogs, exames feitos nas ossadas sugerem que elas pertenceriam a uma raça diferente da humana. Essa notícia fez com que se levantassem algumas hipóteses sobre a origem dos tais seres: Seriam eles alienígenas ou seriam a prova da existência dos gigantes de Nefilins citados na Bíblia?

Caveiras de Paracas seriam de Ets! Verdade ou farsa? (foto: Reprodução/Facebook)

Caveiras de Paracas seriam de Ets! Verdade ou farsa? (foto: Reprodução/Facebook)

 

Verdadeiro ou falso?

Bom, os crânios existem e estão expostos no Museu de História de Paracas. No entanto, não há nada de extraterreno neles!

A deformação craniana artificial era uma prática bastante comum entre diversas culturas do mundo todo (e em períodos diferentes da história). Há muitas formas de se desenvolver pessoas com cabeças nesse formato. Em geral, apertava-se a cabeça de um recém-nascido com tornos de madeira por alguns anos e pronto.

Abaixo, uma imagem com alguns dos métodos usados pelo povo Maia para criar crânios alongados:

Métodos para deformação craniana artificial usados pelos maias! (imagem: Reprodução/Wikipédia)

Métodos para deformação craniana artificial usados pelos maias! (imagem: Reprodução/Wikipédia)

Atualização: 16/02/2014

A foto abaixo mostra como o povo Mangbetu (localizado na República Democrática do Congo) fazia esse tipo de modificação corporal em alguns membros da sua tribo:

Modificação de crânio feita em um membro do povo Mangbetu, na República Democrática do Congo (foto: Reprodução/Wikipédia)

Modificação de crânio feita em um membro do povo Mangbetu, na República Democrática do Congo (foto: Reprodução/Wikipédia)

Fim da atualização do dia 16/02/2014.

Entre em contato com o E-farsas

(11) 96075-5663 - t.me/efarsas

No entanto, ao contrário do que muitos sites e blogs estão afirmando, não há nenhum exame de DNA comprovando que as ossadas não são humanas!  Apenas existem especulações e teorias, nada mais.

Telefone sem fio

Um exemplo de como um boato eletrônico pode ser prejudicial com a disseminação de informações erradas e desencontradas: Um blog famoso em ufologia publicou essa matéria em português que, segundo eles mesmos, foi traduzida do inglês de uma publicação do Disclose.tv (um site sensacionalista que adora polemizar com assuntos “misteriosos”). O Disclose, para não ficar com a responsabilidade da afirmação toda só para si, afirmou no final do seu artigo que a fonte deles seria o Ancient-Origins.

O referido blog também não apresenta as provas dos supostos testes de DNA, mas se esforça e tenta ouvir “especialistas” no assunto, como Brien Foerster (que não é geneticista). Note que nessa entrevista concedida ao Ancient, Foerster ainda não havia conseguido fazer os tais exames de DNA nos tais crânios.

(foto: Divulgação/Museu de Paracas)

(foto: Divulgação/Museu de Paracas)

 

E por falar em testes de DNA

Como muitos sites afirmaram que foram feitos exames em amostras desses crânios, resolvemos fazer uma busca mais refinada pela web. Afinal, se tanta gente está afirmando, pode ser que seja verdade…

Mas o fato é que alguns pedaços desses crânios (cabelo com raízes, ossos, pele e dentes) foram enviados para Lloyd Pye, um sujeito curioso por assuntos ligados à paranormalidade que acreditava que a Terra foi povoada por alienígenas (que se misturaram com os humanos) e ficou famoso pelo estudo que fez no Crânio Starchild (que depois de exames de DNA se revelou ser de uma criança que tinha anomalias congênitas). Ah! E só pra contar, ele não era geneticista (Pye faleceu em dezembro de 2013)!

Lloyd Pye, na verdade, repassou essas amostras a um “pesquisador” famoso chamado Dr. Melba Ketchum. Para quem não conhece, Ketchum ganhou fama depois de publicar uma análise que ele alega ter feito provando a existência do Pé-Grande norte-americano. Nem é preciso dizer que nenhuma revista científica quis publicar o seu artigo, né?

O Dr. Melba não divulga, em momento algum, o nome do(s) especialista(s) que está(ã0) fazendo os tais testes nos crânios. Estranho…

Conforme muito bem explicado por Martin Clemens em seu blog People Paranormal, a afirmação feita por Ketchum sobre o fato do DNA dos crânios possuírem mutações desconhecidas (se é que foram feitos testes) não significa que o achado seja de origem extraterrena:

[…] Na melhor das hipóteses, [essa análise] é inconclusiva. O DNA seria identificado como humano, mas com anomalias; anomalias que poderiam ser causadas ​​por uma série de contaminantes ou por falhas processuais. Pode ser que este DNA realmente fornecer resultados incomuns, mas a única coisa que se pode dizer de que neste momento é que ele requer um estudo mais aprofundado. O lançamento sensacional de informações não confirmadas e não verificável como este em um programa de rádio, não é digno de atenção esta história está recebendo.”, afirma o pesquisador Martin em seu blog.

Martin ainda relembra outro caso semelhante que ocorreu em 1913:

Há crânios fossilizados de uma raça de proto-humanos chamado Man Boskop . Eles foram encontrados perto de uma pequena cidade na África do Sul com o mesmo nome, e esses crânios provocaram um acalorado debate entre os antropólogos e arqueólogos, quando eles foram apresentados em 1913. Eles foram dados como evidência para uma espécie de humano que tinha um cérebro significativamente maior e, portanto, uma maior inteligência do que as espécies contemporâneas. Os crânios Boskop ofereceram uma capacidade craniana de 40-50% maior do que qualquer outra espécie humanoide conhecida, mas foi demonstrado que isso não significa necessariamente maior inteligência. Mais nem sempre é mais.

Conclusão

Não foi feito nenhum exame de DNA que sirva de base para comprovar que os crânios de Paracas sejam de origem extraterrena. O fato está servindo para que alguns “pesquisadores” ganhem mais dinheiro vendendo livros sensacionalistas com informações longe da realidade. De qualquer forma, o caso ainda está em aberto e a Ciência trará respostas mais precisas em breve. Por enquanto, nada de aliens! Que pena…

Continue lendo
40 Comentários

40 Comments

  1. Alexandre Aguiar

    14 de fevereiro de 2014 em 8:57

    Ou seja, um picareta passa pra outro, que repercute o que outro picareta disse. Ao final, temos uma colonia de picaretas enganando os incautos.

    • Fabio

      16 de fevereiro de 2014 em 21:25

      Hmm, só que não tem nada disso escrito na reportagem original, nada de terem descoberto DNA alienígena. Nada de terem enviado amostras de DNA para Lloyd Pye, afinal de onde vocês tiraram estas informações!?!? No texto original é citado várias vezes o nome do falecido Lloyd Pye por seus estudos anteriores mas nada sobre ele ter recebido amostras para fazer testes de DNA, vocês pelo menos leram o texto original?

  2. Mirian

    14 de fevereiro de 2014 em 11:17

    Obrigado por tirar mais essa curiosidade, um site como esse é muito útil, pois o que mais tem na internet é gente compartilhando informação sem saber se e verdade, então um site como esse como certeza faz a diferença ;D

  3. Angelica

    14 de fevereiro de 2014 em 13:10

    A ciência sempre vai achar respostas pra anormalidades dizendo ser doenças e tals, a verdade é que mesmo se aliens se misturarem entre nós não saberemos!
    Parabéns, esse é um dos melhores sites q exstem! Bjs

  4. Mak

    14 de fevereiro de 2014 em 14:47

    Lembrei do povo Mangbetu (Congo-África)que utiliza artifícios para alongar o crânio. De onde será que veio essa idéia?!

    • Renato

      16 de fevereiro de 2014 em 8:53

      Vamos sugerir uma hipótese: o povo de pouca cultura pouco domínio tem sobre as coisas da natureza. Daí um bb cai de cabeça e o pai amarra um pano para ele parar de sangrar. Como os bbs tem moleira e espaço não calcificado entre as placas cranianas, acaba alterando a forma da cabeça.

      Milagrosamente o bb sobrevive (outros que caem de cabeça e não tiveram a cabeça amarrada não sobreviveram). Qual a conclusão? Que o “deus que gosta de cabeças compridas” salvou o bb.

      Para todos na tribo terem a proteção do “deus que gosta de cabeças compridas”, todos têm suas cabeças amarradas, mesmo que não tenham batido e se cortado.

      • Mak

        16 de fevereiro de 2014 em 21:39

        Ah, meu querido antropólogo! O interessante desse costume é que, assim como outras modificações corporais (os pés deformados das mulheres chinesas de antigamente, o pescoço esticado das “mulheres-girafa”, os dentes serrados de nativos africanos e,posteriormente, povos sul-africanos e também os alargadores labiais em tribos indígenas brasileiras e também africanas) está ligada à padrões de aristocracia e beleza. Não disse, em momento algum, que era inspirado em Aliens. Aliás, não há explicação certeira e absoluta para tais costumes…e mais, “deus gosta”, para tais tribos não existe deus, existem deuses ou entidades. E mais, se tu pensas que estamos sozinhos nesse universo…hahahah…é pensas que é demasiado especial meu amigo! O universo é grande de mais para tanta certeza!

  5. Valquiria

    14 de fevereiro de 2014 em 16:54

    Saiu no History Channel que eles fizeram sim o DNA nos crânios e que existem indícios deles não serem humanos!!! Vejam a matéria http://noticias.seuhistory.com/cranios-deformados-encontrados-no-peru-possuem-mutacao-genetica-desconhecida-video

    • Gilmar Lopes

      14 de fevereiro de 2014 em 20:55

      O History não lê o E-farsas! Certeza!

    • Jeff

      14 de fevereiro de 2014 em 23:25

      “Seu History”

      Yeah, sure. O site do History Channel, com certeza

    • Renato

      15 de fevereiro de 2014 em 10:31

      Mas é tão simples: se foi feito teste de DNA de um achado tão importante, então ele DEVE ser publicado numa revista científica. Pois fazer teste de DNA qq um faz, é só ir no Ratinho (hehe), mas saber interpretar é que são elas. Veja bem, estou supondo que realmente eles não tenham mentido, e o teste realmente tenha sido feito. Isso porque é DNA mitocondrial, que possui uma série de restrições ao DNA nuclear:
      http://pt.wikipedia.org/wiki/DNA_mitocondrial

      Outra coisa, o History Channel, como o próprio nome diz, é, além de uma mídia que tem que dar lucro (ou seja, audiência), um site de História. Não é, necessariamente, uma fonte científica irrefutável.

      Vc pode até justificar que cientistas já estão tão cansados de ver tanta enganação nesse mundo de alienígenas, que ninguém se interessa em analisar nada, e depende de curiosos tocarem investigações. E quando curiosos tocam investigações e percebem que descobrindo que a suspeita não se confirma perderam tempo e dinheiro, enquanto que, se ocultarem determinadas provas científicas, podem vender reportagens sensacionalistas e ganhar bastante dinheiro, gera um círculo vicioso: cada vez mais cientistas não querem perder tempo com alienígenas (mesmo que as suspeitas sejam grandes), e cada vez mais curiosos tentam se aprofundar em investigações sem pé nem cabeça (o que não quero dizer que seja este caso).

      Infelizmente acho que ETs não atraem mais a curiosidade dos nerds (cientistas). E quando atraem, os nerds descobrem que estão cercados de tantos esquizofrênicos que preferem sair fora deste mundinho de doidos.

    • Ivo

      17 de fevereiro de 2014 em 19:26

      History???
      kkkkkkkkkkkkkkkk…

      Cuidado com o que se vê no History. Não se esqueça que ele virou um canal sensacionalista que só mostra balela.

  6. Herege

    14 de fevereiro de 2014 em 23:17

    É verdade que um jogador de basquete bateu no Justin Bieber?

  7. Observador

    15 de fevereiro de 2014 em 11:37

    Bom, posso provar que o meu alongamento peniano tem origem alienígena!!!

  8. Sodré Gonçalves Jesus Neto Brasil

    16 de fevereiro de 2014 em 12:30

    Porque ainda não fizeram o teste de DNA ?

  9. Adriano

    16 de fevereiro de 2014 em 13:59

    matéria de 2011, contradizendo a afirmação do site que o boato começou a circular em 2014

    • Gilmar Lopes

      16 de fevereiro de 2014 em 14:49

      Essa história existe desde 1924, quando esses crânios foram encontrados pela primeira vez. Desde então, muitos “curiosos” tentam dar explicações mais incríveis para o achado. Agora, em 2014, o texto começou a se espalhar com força, depois do Disclose espalhar essa “nova” teoria dos crânios não serem de origem terrena. No caso desse link que você passou, trata-se de outro crânio.
      Obrigado pela dica.

  10. LelioT

    21 de fevereiro de 2014 em 13:00

    Acho que o grande erro do ser humano moderno é acreditar cegamente nas instituições universitárias. Infelizmente somos induzidos e condicionados a isso. Somos induzidos, também, a não perceber que estas instituições não passam de marionetes de bancos de investimento e corporações que a financiam. Isso faz com que a credibilidade delas seja altamente questionável.
    Se uma EXON, JP Morgan, Castrol ou “Monsanto da vida” injeta dinheiro em uma universidade, ela controlará não só o que será produzido pela universidade em termos de conhecimento, mas controlará também o discurso que será veiculado por essa universidade. Isso já vem ocorrendo há décadas. O potencial dos acadêmicos vem sendo desperdiçado e utilizado porcamente em obsolecência planejada e estudos para a industria bélica. Se eles não tivessem que perder tempo com isso, nem com teorias que desmoralizem os defensores dos UFOS, poderiam gastar seu tempo tentando desenvolver tecnologias reais pra proporcionar real benefício público.

    Questionam-se cientistas que produzem estudos não vinculados a grandes universidades, mas ninguém tende a querer questionar um estudo feito por um grande instituto ou universidade. A maior parte desses estudos é recheada de amostras viciadas e tendenciosas, mas infelizmente as pessoas são induzidas a ver essas instituições como veiculadoras da “palavra da verdade”, tal como a palavra de uma religião cega e segmentadora.
    Existem estudos, por exemplo, que sugerem diretamente que os crânios Paracas são mais pesados e tem mais volume que um crânio humano (não tem como fazer um crânio ficar mais pesado e ter mais volume se você o pressionar com processos mecânicos). Brien Foester, um geneticista americano, faz afirmações que vão na contramão dessa teoria do “pressionamento mecânico”, sugerindo que existem alguns indícios que sugerem que o DNA verificado nos crânios não é um DNA humano. Ao invés de denegrir o cara, porque essas pessoas não vão buscar as fontes dele, estudar e tentar realmente entender como ele alcançou esses resultados?
    Não fazem isso porque o objetivo não é tentar entender esses fenômenos, mas sim criar uma nuvem que fará com que as pessoas esqueçam dessas idéias e teorias. Essa nuvem mediocrizante de ceticismo só afasta o se humano de realmente tentar entender o que realmente está acontecendo neste planeta. Se ficarmos denegrindo e desmerecendo qualquer explicação fora do padrão convencional, nunca conseguiremos avançar o nosso conhecimento sobre nada.
    Na verdade, enquanto essas mega corporações da economia de mercado continuarem mandando na Universidade, dificilmente conseguiremos realmente progredir o nosso conhecimento sobre a realidade que nos cerca.

    • Lucho

      22 de fevereiro de 2014 em 14:19

      Para de assistir ao History, decorador.

      • Marisol

        12 de março de 2014 em 1:21

        Nossa! “Grande” argumento o seu. Vcs são os reis das falácias.

        • elton

          18 de março de 2014 em 23:31

          Pena que não é só o History a tender para a mentira: “120 artigos científicos eram fraude e ninguém percebeu” e “Estudo falso é aceito em mais de 150 revistas”, em Criacionismo.com – o uso de uma fonte cristã é apenas irônica; há outras. Mas a palhaçada já está feita, de um jeito ou de outro. Não dá pra confiar nem na Ciência, que apenas cria teorias, e o History não tem culpa; só as publica. (Risos) Esse que é o bom e engraçado da Ciência, pessoal: não se há certeza de nada; só teorias (e tem pessoas que as defendem, mesmo sem comprovação VERÍDICA, acreditando ser verdade). Melhor ainda quando há discussão entre criacionistas, ateus, céticos, ufólogos e outros. Todos defendendo seu “deus” falso/TEÓRICO. Engraçado.

          • Paulo Bandeira

            23 de abril de 2014 em 15:38

            The History tem prestado um desserviço à ciência. Nada de investigações, nada de aprofundar o tema.
            Lamentável.

    • Taranto

      25 de junho de 2014 em 15:44

      Vc disse para eles fazerem algo de util para a sociedade e eu te pergunto: o que a ufologia traz de avanço tecnologico CONCRETO e que já foi PROVADO e que seja ÚTIL à sociedade?

    • AMARAL

      5 de março de 2019 em 17:48

      Só um detalhezinho…as placas dos crânios de paracas sao completamente diferente dos crânios ‘humanos’….

  11. Fabio

    12 de março de 2014 em 10:03

    O interessante aqui não é se é alienígena ou não, e com certeza não é. A questão aqui é como se originou esse costume de deformar o crânio ou outra partes do corpo, que em muitos caso tem a ver com as divindades desses povos como no caso africano que alongam os crânios de suas criança ou seja tentam ser iguais ao seus deuses.

  12. eddie

    1 de agosto de 2014 em 14:25

    por que não mostram um cranio de uma tribo do congo para comparar?

  13. eduardo cardoso

    15 de fevereiro de 2015 em 11:31

    é de doer este site.

    Tentam castrar todas as explanações sobre o que somos, nossa essência, sobre onde podemos chegar.

    Dá dó deste pessoal limitadores de seus semelhantes.

    • Gilmar Lopes

      15 de fevereiro de 2015 em 16:02

      Explanar é uma coisa. Tentar enfiar mentiras na cabeça das pessoas é outra!

  14. Gilberto Muncinelli

    18 de agosto de 2015 em 19:09

    Achei interessante a teoria de que os crânios alongados o foram por força de faixas e outros que tais. Contudo, lembro que tal procedimento não tem o condão de aumentar o volume craniano, apenas de modificar sua configuração. Os crânios expostos têm um volume craniano maior que o normal. Daí vem a dúvida que alimenta toda sorte de especulação. Não ficava bem mais fácil algum órgão sério fazer a tal da análise cromossômica? Em Valeta, capital de Malta, tem desses crânios alongados que foram descobertos há 104 anos e estão esperando para serem analisados. Ainda não deu tempo? Situações assim fazem prosperar o mercado de especulações de vários matizes. Não existem cientistas sérios interessados em saber a quem pertencem esses ossos?

  15. Ezequias Trindades

    21 de agosto de 2015 em 13:41

    Sem evidencias físicas não a uma afirmação Verdadeira.

  16. daniel

    3 de janeiro de 2016 em 20:56

    Se são crânios humanos onde estão suturas? E também me questiono o fato, claro que alguns povos fizeram uso de algumas modificações, mas onde surgiu isto?, porque civilizações tinham está prática? Tenho certeza de que não era por achar bonito.
    Todo fato é de certa forma manipulado pelo interesse de alguém, seu dia-a-dia, o que você assisti nos jornais ou como alguns aí que toda noite tem que ver a novela da globo. Pra depois vir justificar tudo que é pouco explicável há visão cética de pessoas presas ao egocentrismo.

  17. Mecholsky

    11 de maio de 2016 em 23:30

    Entre em contato com Brien Foerster, e depois apague este texto porque é um desserviço à humanidade.

  18. MC. NETO

    18 de agosto de 2016 em 19:20

    E POR ISSO QUE ESSES FILHA DA PUTA LÁ DE BRASILIA ACHA ESSES BANDO DE BABACA BRASILEIROS SEM EDUCAÇÃO E FAZ O QUE FAZ COM A NAÇÃO… VÃO PROCURAR MULHERES DE VERDADE PARA DAR DIREÇÃO NAS VIDAS DE VCS BANDO DE DESOCUPADOS… IDIOTAS …

    • Ricardo

      19 de agosto de 2016 em 22:19

      O Universo tem aproxd 15 bilhões de nos luz. Sabe que isso. Ata vc é muito inteligente. Alias acho nessa imensidão vc é o mais inteligente. Claro existe vida fora daqui seu espertao.

  19. Ricardo

    19 de agosto de 2016 em 22:16

    Alguns crânios são sim feitos propositalmente. Decorrentes da adoração dos antigos seres, esses sim verdadeiros. Foi feito sim testes em 2002 qdo estava inciando a genética. Esse não muito conclusivo. No entanto foi feito outro em 2012 ja com genética bem evoluída. Constataram sim não humanos. So um leigo em matemática e física não entende o qto universo é imensamente grande. somos um grão de areia na praia do universo. Essa pretensão humana de nós somos os melhores. quem acha msm só existe vida inteligente na aqui na terra realmente não entende dimensão do grande cosmo. Vc desse blog q é uma farsa kkk

  20. Hercules

    22 de junho de 2017 em 0:19

    Nao vou usar o portugues correto aki.
    N sei c sao de aliens, anomalia ou um forma diferente dos humanos, mas a teoria de usar as ferramebtas da imagem ta sem logica, usando a ferramenta da figura para “achatar”,faria tbm aumentar divisao celular na formasao do cranio para alcançar akele tamanho!!!!!!????

    Mas kero deixar explicito aki nao somos os unicos seres vivos biologicos no multiverso, Milhoes de estrelas, nao sei quantos milhoes de galalixias e apenas aki no “planeta azul” existe vida!!?? Kkkk usem o celebro!

    • Cético

      22 de junho de 2017 em 13:18

      Tá, e cadê as provas de tudo isso que você zurrou aí?

  21. Pingback:  Nossa sociedade relaciona artificialmente nudez a sexo. E daí? | Homero Ottoni

  22. Sara

    5 de agosto de 2018 em 10:24

    Estes craneos de Paracas nao foram formados artificialmente porque entre eles foram encontrados esqueletos e cabeças de fetos dentro de mulheres gestantes todos com cabeças alongadas. Isto significa que a henetica deles é assim. Em peru sabemos que ja existiram seres distintos dos humanos, gigantes e inteligentes basta olhar o machu pichu para creres. Nossa cultura inca tem outra visao da antiguidade que vós brasileiros deveriam aprender.

Deixe uma Resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mais Populares

Ajude a Manter o E-farsas!

Categorias

Parceiros

Voltando a Circular

Publicidade

Apoio técnico!

Topo