O E-farsas debate com jornalistas sobre rumor e notícia na web!

Share Button

Gilmar Lopes foi convidado pelo Social Media Week para debater com jornalistas sobre o processo de apuração jornalística nas notícias que chegam aos milhares pela internet.

Como saber se a informação que recebemos a todo instante através das ferramentas online são reais ou não?

Alguns jornalistas ainda não se adequaram a essa “nova” forma de se apurar os fatos?

Como fazer apuração jornalística nas redes quando as informações vêm de todos os lugares e urgem?

Essas e outras perguntas foram postas na mesa do debate promovido pela organização do Social Media Week, o maior evento de mídias sociais do mundo que ocorreu simultaneamente em várias cidades do planeta.

No dia 14 de fevereiro de 2012, Gilmar Lopes, o criador e editor do E-farsas, bateu um papo bem descontraído com Marcelo Zorzanelli (editor da Revista Alfa e redator do Sensacionalista), Rosana Hermann (blogueira, escritora, Gerente de Inovação do R7), Jose Luiz Goldfarb (RedeMIS) e Diego Iraheta (Brasil 247) sobre essas questões. Afinal, a apuração de notícias é uma tarefa árdua?

O que é rumor e o que é verdade nas noticias da web!

Marcelo Zorzanelli (Sensacionalista), Gilmar Lopes (E-farsas), Rosana Hermann (R7), Diego Iraheta (Brasil247) e Jose Luiz Goldfarb (Redemis) - foto: Sheila Lopes / 247

 

Morte de celebridades no Twitter

Ultimamente, muitas celebridades tem “morrido” na web. Na maioria das vezes, a notícia da morte é falsa e a verdade vem à tona rapidamente. Muitos sites acabam publicando a história como real e, tempo depois, precisam corrigir a “barrigada”.

Rosana Hermann em debate!

Rosana Hermann em debate. "O jornalista também tem que saber usar um pouco da sua intuição e muito da sua experiência!"

Rosana Hermann falou sobre a morte de Michael Jackson. Na época, muita gente criticou o fato do site de fofocas TMZ ter sido tão rápido em noticiar o ocorrido. “Se a CNN, por exemplo, não tivesse que confirmar a informação com pelo menos três fontes, poderia ter a sua credibilidade abalada”, afirma a gerente de inovação do portal R7. Rosana disse também que o jornalista tem que usar um pouco de sua intuição e juntar com sua experiência para separar os fatos dos boatos.

Gilmar Lopes lembra que o tempo de espera para se apurar bem uma história é fundamental. “Quem dá a notícia depois, dá com mais certeza […] Uso somente a internet para fazer essa apuração [do que é verdadeiro ou falso] e prefiro publicar apenas no dia seguinte e ter mais tempo para averiguar melhor as histórias”, revela.

Criando um boato

Diego Iraheta comentou sobre o desafio de se criar um boato online proposto ao blogueiro Maurício Cid – do Não Salvo – durante a edição de 2012 da Campus Party. Em fevereiro de 2012, o blogueiro conseguiu espalhar na web a morte do ator que interpretava o Sr. Barriga, do seriado Chaves. Em pouco mais de 4 minutos, o hoax já estava nos trending topics (ferramenta que mede os assuntos mais comentados no microblog) mundial do Twitter. De acordo com o coordenador da #REDEMIS, José Luiz Goldfarb, o uso de mídias sociais para espalhar mentiras em questões mais delicadas é que preocupa. “Temos que usar [essas ferramentas] de forma consciente, pois a rede social pode derrubar até ditadores.”. Goldfarb lembra que, na Síria, os manifestantes estão solicitando envio de celulares para que eles possam denunciar os crimes ocorridos por lá!

Gilmar Lopes explicando o processo de apuração das noticias no E-farsas!

Gilmar Lopes explica o processo de apuração das noticias no E-farsas! (foto: Sheila Lopes / 247)

 

Notícias falsas em tempo real

Marcelo Zorzanelli, editor do humorístico Sensacionalista, diz que apesar de sempre deixar claro que as notícias postadas em seu site não devem ser levadas à sério, muita gente acaba acreditando e repassando como se fossem reais. Zorzanelli também comentou que fica muito irritado com usuários das redes sociais que ficam transmitindo noticias falsas sobre um assunto sério, em tempo real. Marcelo cita como exemplo o episódio ocorrido em Pinheirinho, em São José dos Campos – SP – onde houve confronto entre PMs e moradores para a desapropriação da área. “Pessoas tuitavam que muita gente estava sendo morta pela polícia quando, na verdade, não houve nenhuma notícia de morte durante o trabalho da polícia”.

O evento Social Media Week de 2012 aconteceu no Museu da Imagem e do Som, em São Paulo.

Agradecimentos

Fotos: Sheila Lopes/Brasil247

Share Button
E-farsas
, , , , , , , , , , ,

Comente pelo Facebook

2 comentários

  1. Pingback: Um resumão do que rolou no E-farsas em fevereiro de 2012 | E-farsas.com - 9 anos desvendando as farsas da web!

  2. Pingback: Retrospectiva: Tudo o que rolou no E-farsas em 2012! : E-farsas.com – 10 anos desvendando as farsas da web!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *