Conecte com a gente

E-farsas – Desvendando fake news desde 2002!

E-farsas – Desvendando fake news desde 2002!

O própolis espanta o mosquito da dengue e do zika?

Falso

O própolis espanta o mosquito da dengue e do zika?

É verdade que o consumo do própolis ajuda a espantar o mosquito Aedes aegypti além de acabar com os sintomas do zika e da dengue?

A receita caseira apareceu nas redes sociais, e em diversos sites e blogs, em janeiro de 2016, junto com o aumento no interesse pelo zika, uma doença transmitida pelo mesmo mosquito da dengue.

De acordo com o texto, uma médica do Hospital de Câncer de Barretos teria descoberto que o consumo de própolis funcionaria como um repelente natural para o mosquito Aedes aegypti, transmissor dos vírus da dengue, da zika e da chikungunya.

A receita seria o consumo diário de apenas 5 gotas da substância, que seria suficiente para ser expelida pela pele, afugentando o inseto.

Será que essa receita é eficaz? O própolis é um repelente natural para o mosquito do zika?

Própolis serve como repelente de mosquito?

Própolis serve como repelente de mosquito?

Verdadeiro ou falso?

Esse é um boato antigo, mas que ganhou força novamente em 2016, quando os casos de dengue no Brasil aumentaram drasticamente e o zika ficou mais conhecido. Em 2008, por exemplo, esse mesmo rumor já se espalhava pela web, mas o doutor citado era outro.

A notícia da “descoberta” foi parar até no site da Unicamp, que rapidamente retirou os texto e se pronunciou, explicando que:

Entre em contato com o E-farsas via WhatsApp: (11) 96075-5663

“Atualmente circula na internet um e-mail que remete a esta página com uma reportagem sobre o uso de própolis no combate à dengue e à malária. Apesar da página ter hospedado a notícia, é importante salientar que a pesquisa tratada nela não se refere a nenhum trabalho feito na Unicamp. Por isso, a Universidade não atesta a veracidade do sugerido e recomenda cuidado na divulgação da informação, uma vez que esta pode levar ao incentivo à automedicação. A notícia foi retirada do ar para evitar quaisquer equívocos.”

O portal da Unimed também desmentiu essa história e explica que não há nenhuma comprovação de que qualquer uma dessas “fórmulas mágicas” funcione para repelir o mosquito Aedes aegypti.

Em entrevista a um jornal carioca, o professor de infectologia Edimilson Migowski, diretor do Instituto de Pediatria da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) , explica que o suor pode expelir certas substâncias que pode atrair ou repelir o mosquito, mas que apenas 5 gotas de própolis é insuficiente para que cause alguma alteração no suor!

Migowski explica também que o uso de repelentes tradicionais, à base de DEET, icaridina ou IR3535, é a maneira mais eficaz de se proteger das picadas do Aedes aegypti.

Em 2015, pesquisadores da Universidade Estadual do Novo México (EUA) testaram a eficácia de 10 tipos de repelentes contra o mosquito da dengue e os resultados foram publicados no Journal of Insect Science.

Os estudos revelaram que os mosquitos foram fortemente repelidos por todos os produtos que continham DEET em sua fórmula. Infelizmente, não houve testes com própolis!

Conclusão

Não há nenhuma comprovação de que o própolis funcione de forma eficaz como repelente do mosquito da dengue e do zika! A melhor forma de se proteger contra o Aedes e sua turma é usar roupas que cubram grande parte do corpo e usar bastante repelente no lugar do própolis! Ajude também a não aumentar os focos de mosquitos, acabando com a água parada!

Continue lendo
25 Comentários

25 Comments

  1. Marcelo

    23 de fevereiro de 2016 em 10:35

    Essa eu vou aguardar a resposta, agora com essa epidemia que afeta completamente todo o Brasil, se for verdade a FioCruz poderia estudar e buscar alguma forma de nos ajudar. A situação esta altamente critica.

  2. JESSÉ

    23 de fevereiro de 2016 em 12:49

    Concordo que reduzir os focos farão os mosquitos se afastarem das casas, mas essa ação não vai eliminar o mosquito. Por mais que todo mundo elimine os lugares com água parada o mosquito não vai deixar de colocar ovos, ele vai dar um jeito e continuar se procriando. É impossível reduzir a população de mosquitos apenas com a ação de reduzir os locais de água parada. Essa propaganda toda na TV de reduzir os focos é uma maneira de transferir a culpa do problema na própria população.

    Para que nenhum idiota venha distorcer o que eu disse, afirmando que estou sendo contra o controle de focos do mosquito, vou repetir: Reduzir os focos ajuda sim a afastar o mosquito de sua residência, mas não vai eliminá-lo, pois independente se você tenha, ou não, foco em sua casa, o mosquito vai continuar se procriando.

    Existem algumas ações que já estão acontecendo em escala muito pequena mas que farão uma real redução na população de mosquitos:
    -Mosquitos transgênicos: faz com que a fêmea produza descendentes estéreis.
    – Focos Controlados/Armadilhas: Faz com que o mosquito coloque ovos em locais de fácil acesso para limpeza,
    – Aumentar o número de predadores naturais: Ótimo controle biológico.

    E o mais importante que as autoridades não fazem, é o de real identificação de pessoas infectadas e seu isolamento. Pois o mosquito não nasce com a doença, ele pica alguém doente pra depois transmitir para outra pessoa sadia. Se a pessoa infectada fosse rapidamente identificada e isolada poderia ter bilhões de mosquitos na sua casa que vc não pegaria dengue. Mas essa mania de chamar tudo de virose e mandar o infectado para casa só faz aumentar a epidemia. A falta de estrutura dos hospitais e postos de saúde também fazem com que muitos infectados desistam até de procurar atendimento pra saber o que tem e ficam em casa tentando se curar sozinhos.

    ESSE É O NOSSO BRASIL DE DILMA E PT, SEMPRE TERCEIRIZANDO A CULPA E RESPONSABILIDADE DOS PROBLEMAS. DE ACORDO COM AS CHAMADAS NA TV A CULPA DESSA EPIDEMIA É DA PRÓPRIA POPULAÇÃO QUE DEIXA ÁGUA NO VASINHO DE FLOR. KKKKKKKKKKK

    • Cesar da Silva

      23 de fevereiro de 2016 em 14:25

      Esse Jesse disse bastante besteira.
      “aumentar o número de predadres naturais”: que predadores seriam esses, sabidão? Morcegos? O governo deveria importar milhões de morcegos ou produzí-los em cativeiro como gado?
      “focos controlados”: aham… E quem vai cuidar da limpeza desses criadouros, o exército? Ou o povo que tem preguiça de jogar o copinho na lixeira e o larga ali mesmo na rua?
      “identificação de pessoas infectadas e seu isolamento”: se pusessem em quarentena quem tem dengue, a grande maioria dos doentes nem chegariam perto de um hospital. Passar três ou quatro dias preso num quarto de hospital só pra proteger a saúde do vizinho…quem quer isso? Eu não quero e não conheço ninguém que queira.
      Sacrifício pelo bem de todos é coisa do comunismo, não do mundo real.

      Pra finalizar: o povo já era burro e preguiçoso antes do Lula vencer aquela eleição de 2002 (se o povo não fosse ignorante, Lula venceria? Ahm?), logo não dá pra culpar o PT pela burrice dessa gente.

  3. Cesar da Silva

    23 de fevereiro de 2016 em 14:23

    Esse Jesse disse bastante besteira.
    “aumentar o número de predadres naturais”: que predadores seriam esses, sabidão? Morcegos? O governo deveria importar milhões de morcegos ou produzí-los em cativeiro como gado?
    “focos controlados”: aham… E quem vai cuidar da limpeza desses criadouros, o exército? Ou o povo que tem preguiça de jogar o copinho na lixeira e o larga ali mesmo na rua?
    “identificação de pessoas infectadas e seu isolamento”: se pusessem em quarentena quem tem dengue, a grande maioria dos doentes nem chegariam perto de um hospital. Passar três ou quatro dias preso num quarto de hospital só pra proteger a saúde do vizinho…quem quer isso? Eu não quero e não conheço ninguém que queira.
    Sacrifício pelo bem de todos é coisa do comunismo, não do mundo real.

    Pra finalizar: o povo já era burro e preguiçoso antes do Lula vencer aquela eleição de 2002 (se o povo não fosse ignorante, Lula venceria? Ahm?), logo não dá pra culpar o PT pela burrice dessa gente.

    • JESSÉ

      24 de fevereiro de 2016 em 12:49

      Falou o mestre. KKKKKKKKKKKKKKK

      A falta de respeito pelo opinião alheia não é muito o seu forte também.

      Leia novamente meu comentário, reflita e depois leia o seu.

      Paz a vc meu querido.

      • Neydemar de Almeida Castaneda

        10 de março de 2019 em 15:39

        Parabéns pelo posicionamento cultural, educacional e familiar , a má interpretação e a resposta impensada na ponta da língua , é uma norma no mindo de hoje. Parsbend novamente Jesse!

        • Neydemar vieira de almeida

          10 de março de 2019 em 15:41

          No Mundo de Hoje. Parabéns. Corrigindo

  4. Rodrigo

    23 de fevereiro de 2016 em 19:31

    É preciso haver conscientização de todos para que esse mosquito seja exterminado, mas muitas pessoas matam sapos, lagartixas e ainda deixam água nos vasinhos. Assim fica difícil!

    • JESSÉ

      24 de fevereiro de 2016 em 13:03

      Realmente tem que haver uma conscientização de todos, eliminar os focos faz parte do processo, mas precisamos agir em todas as frentes de batalha contra essa doença.

      Lembrando que o problema não é o mosquito, mas sim o virus, pois o mosquito não nasce com o virus, ele é um transmissor, pra ele infectar alguém ele deve primeiro picar outra pessoa que tenha o virus.

      A cada ano que passa o gasto em propagandas e com agentes fiscalizador de focos aumenta, e do mesmo modo a cada ano aumenta os casos de contaminação. Ou seja, somente eliminar os focos não é a solução do problema.

      Para Refletir

      “Não é o meu vasinho de flor com água que provocou essa epidemia no Brasil, mas sim o meu vizinho com dengue que foi liberado para ficar em casa com o diagnóstico de virose.”

      Mesmo que tirasse a água do vazinho de flor, o mosquito iria encontrar um outro lugar qualquer para depositar centenas de ovos. Prefiro ter meu vazinho de flor com água, deixar o mosquito depositar seus ovos nele para que eu possa eliminar as larvas antes que se tornem novos mosquitos, (a cada 4 dias mais ou menos)

      • DERCINÉA L. DE SOUZA SILVA

        18 de abril de 2016 em 10:47

        OI JESSÉ, PAZ! NÃO O CONHEÇO, MAS O Q VC DISSE EU ASSINO EM BAIXO. TENHO EXEMPLOS AQUI EM CASA. MEU SOGRO MORA EM BAIXO DA NOSSA CASA. ELE FOI O PRIMEIRO A CONTRAIR ESTA MALDITA, DEPOIS FOI MINHA SOGRA, MINHA CUNHADA, A NETA Q MORA C/ ELES E POR FIM MEU ESPOSO. EU GRAÇAS A DEUS ESTOU SOBREVIVENDO. CLARO ESTOU EVITANDO E ME CUIDANDO. PQ JÁ Q MEU ESPOSO CONTRAIU SERIA FÁCIL EU PEGAR TAMBÉM. MAS É ISSO GENTE VAMOS CUIDAR DO NOSSO ESPAÇO E PRINCIPALMENTE DE NÓS MSM. INFELIZMENTE SE DEPENDERMOS DOS GOVERNANTES ESTAREMOS TODOS ‘MORTOS’. SÓ DEUS P/ NOS DAR LIVRAMENTO.

  5. Sedgewick Sexton

    25 de fevereiro de 2016 em 16:44

    Enquanto lia a reportagem, o que mais me chamou a atenção foi o fato de aparecer no E-farsas a propaganda da pilula que transformou um gari em técnico da receita federal, sendo que o site já desmentiu essa história.
    Ironia do destino.

    • Gilmar Lopes

      25 de fevereiro de 2016 em 16:56

      kkkkkk verdade! Culpa do Google!

    • Lucho

      25 de fevereiro de 2016 em 20:02

      É o AdSense.

  6. Tiago

    27 de fevereiro de 2016 em 8:56

    O que Jesse falou tem sim uma lógica de fácil compreensão e que em momento algum feriu ninguém.
    1° O mosquito é apenas um vetor, se ele não tem acesso a uma pessoa infectada, não transmite o vírus .
    2°é impossível exterminar o mosquito pois a natureza por si só possui inúmeros criadouros naturais em plantas que acumulam naturalmente água (vão levar a extinção todas essas plantas também?).
    3° Criadouros controlados são de fácil acesso para que possa diminuir a população do mosquito nas imediações de nossas residências com a preservação dos predadores naturais maior será a eficiência no combate (ninguém falou em criar morcegos, até pq os insetívoros preferem os insetos de porte maior)
    4° a população é alienada e não percebe que o governo passa a responsabilidade para ela, não unicamente o governo do PT mas quase todos os governantes.
    Não sou doutor na área, apenas um graduado em Ciências Biológicas pela UFPE

  7. wallace

    10 de março de 2016 em 12:44

    O Jessé falou e disse. Parabéns pelas sábias palavras.

  8. Paula

    4 de abril de 2016 em 16:42

    Faço a gentileza de enriquecer essa matéria e enfatizar mais uma vez que o site E-Farsas deveria ter mais consciência e não ficar jogando matérias no ar só pra fazer quantidade e não qualidade. Acho ridículo a forma como vocês escrevem as matérias, como se fossem donos da verdade, humildade zero.
    “Verdadeiro ou falso?
    Esse é um boato antigo…”

    Quem disse que isso é BOATO? Mais uma vez se acham donos da verdade…
    Sabe quem é o pesquisador do própolis como repelente para dengue? Gilvan Barbosa Gama.
    Ele pesquisa as abelhas desde 1973 e já enviou seus estudos para todos os órgãos e instituições possíveis a fim de comprovarem seus estudos mas nenhum deles teve INTERESSE. Existe uma grande diferença entre PROVAR e TENTAR. Não há provas simplesmente porque NEM AO MENOS TENTARAM averiguar se funciona ou não. Enfim, deixemos de ser INGÊNUOS pessoal…. Por que será que ninguém quer saber do própolis…? Quanto custa um repelente? Se a eficácia do própolis for comprovada, toda a indústria de repelentes do mundo inteiro iriam à falência.

    Faço ainda a gentileza de deixar dois links para apreciação de quem se interessar sobre o verdadeiro pesquisador:
    https://www.yumpu.com/pt/document/view/13069475/entrevista-com-o-pesquisador-gilvan-barbosa-gama-governo-do-

    http://www.scielo.br/pdf/rsbmt/v26n3/10.pdf

  9. Flávio L. Santos

    5 de abril de 2016 em 14:43

    Eu sou apicultor há mais de 20 anos, e durante todo esse tempo venho estudando o assunto. O uso da Própolis não irá exterminar o mosquito e muito menos acabar com as doenças por ele transmitidas. No entanto o seu uso regular, não continuo, poderá sim deixar o corpo imunizado. Mas isso associado a uma boa alimentação, uma qualidade de vida regada de harmonia e equilíbrio. Essa imunização não acontece da noite para o dia, é preciso que venha se fazendo o uso pelo menos há 6 meses, tomando por exemplo de 10 a 30 gotas diárias, em semanas alternadas. Isso é claro não substitui qualquer orientação médica. Qualquer alteração no quadro de saúde, o médico deverá ser consultado. A medicina popular é praticada desde os tempos de Hipócrates e sempre foi contestada pela medicina tradicional. Espero ter contribuído com os leitores.

  10. Maria

    12 de maio de 2016 em 15:51

    Acho que a melhor solução seria as pessoas cuidarem das suas casas,pois é impressionante como o povo acumula sujeira deixa garrafas , baldes. Não sei como com não se concientizam.

  11. Pingback: Pesquisa revela: Comer picanha emagrece! - Vet da Deprê

  12. cristina

    28 de julho de 2016 em 13:26

    Acho que a melhor forma de acabar com o mosquito seria cada um limpar seu quintal ,e a prefeitura cuidar da sua parte, infelizmente ainda existem muitas pessoas sem consciência ,e sem educação por causa de alguns muitos pagam

  13. Bota o Lula na Cadeia

    25 de janeiro de 2017 em 23:20

    O extrato de própolis verde passado nos braços e rosto em quantidades bem pequenas afasta mosquitos. Mas precisa ficar renovando caso faça atividade que implique em suar muito como uma caminhada longa ou escalada. Faça o teste e comprove.

  14. Juliana

    13 de fevereiro de 2017 em 17:08

    O Própolis é o melhor antifungicida que existe, usei bastante para aumentar minha imunidade quando eu tratava de um problema de candidíase recorrente, que na verdade era causado por um fungo que se manifestava por problema de baixa imunidade, espetacular. E o própolis verde que estou falando, apesar de não saber muito a diferença esse que é o ideal, pelo menos para o que me recomendaram…

  15. Reinaldo

    4 de abril de 2018 em 15:40

    A revista VEJA publicou que se você tomar todos os dias própolis na agua, espantaria o mosquito da Dengue e Zica, porém não detalhou mais a respeito do tempo que você poderá tomar.

    • Carlos Roberto

      28 de fevereiro de 2019 em 10:54

      Onde li pela primeira vez recomendavam tomar 30 a 34 gotas de 6 em 6 horas, entretanto tenho tomado 30 gotas duas vezes ao dia e assim tem se mostrado eficaz para mim.

  16. Carlos Roberto

    28 de fevereiro de 2019 em 10:49

    Eu era uma vítima permanente dos mosquitos. Era fácil achar mosquitos em um ambiente. Estavam sempre próximos a mim. Como minha esposa havia comprado própolis recentemente, resolvi experimentar. No primeiro dia não notei diferença, mas no segundo dia achei bastante espantoso: Os mosquitos se aproximam, mas não chegam pousar na minha pele!
    Apesar de tantas negativas de entidades de respeito como a Fiocruz, por exemplo, achei que deveria fazer esse depoimento.

Deixe uma Resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mais Populares

Ajude a Manter o E-farsas!

Categorias

Parceiros

Voltando a Circular

Publicidade

Topo