Conecte com a gente

E-farsas – Desvendando fake news desde 2002!

E-farsas – Desvendando fake news desde 2002!

O PT está formando um exército de 20.000 haitianos no Brasil?

Falso

O PT está formando um exército de 20.000 haitianos no Brasil?

Será verdade que mais de 20.000 haitianos com idade militar estão invadindo o Brasil com a intenção de montarem uma guerrilha no país?

A notícia, acompanhada de fotos, apareceu nas redes sociais no final de maio de 2014 e afirma que milhares de jovens haitianos invadiram o norte do Brasil e estão sendo enviados para São Paulo com o claro intuito de criar uma guerra civil dentro das nossas terras. O alerta ainda avisa que o grupo seria formado em sua grande maioria por milicianos que atuavam no Haiti e que algo muito sério está para acontecer!

Será que isso é verdadeiro ou falso?

20.000 haitianos estariam invadindo o Brasil a mando do PT! Verdade ou farsa? (fotos: reprodução/Facebook)

20.000 haitianos estariam invadindo o Brasil a mando do PT! Verdade ou farsa? (fotos: reprodução/Facebook)

 

Verdadeiro ou falso?

A notícia com um alto teor alarmista, por não ser datada, dá a entender que o fato estaria ocorrendo atualmente. As fotografias dão um toque de realismo ao texto, mas o autor desse boato misturou notícias reais com falsas!

O texto já inicia com algumas das características usadas em quase todos os hoaxes:

MISTÉRIO PREOCUPANTE!!!!

Do nada, simplesmente aparecem mais de 20 mil haitianos no Brasil. E notem que 99% deles, são homens em idade de serviço militar entre 17 aos 45 anos.

O uso de títulos alarmistas, em CAIXA ALTA, dão um tom de urgência ao que se quer transmitir. No caso, o “MISTÉRIO PREOCUPANTE!” não é tão misterioso assim, mas não deixa de ser preocupante, como veremos mais a seguir.

O autor desse alerta diz que “do nada” apareceram mais de 20.000 haitianos no Brasil e que 99% deles estão em em idade militar. Só que quem publicou isso não deu nenhuma prova do que está afirmando (além de 3 fotos) e nem de quando o fato teria ocorrido.

Como já dissemos várias vezes aqui no E-farsas, a maioria do boatos começa assim, sem data. Dessa forma, ele poderá voltar a reaparecer novamente em outras épocas como se fosse algo recente.

De fato, milhares de haitianos atravessaram (e ainda atravessam) as fronteiras e vieram parar aqui no Brasil. Mas isso vem acontecendo há anos, depois que um terremoto assolou o Haiti, em 2010.

Mais adiante, o texto afirma que:

São 20.000 haitianos, sem qualificação formal que estão invadindo o Brasil pelas mãos do PT.

Entraram pelo Acre, estado governado pelo PT, foram para a cidade de São Paulo, cidade administrada pelo PT.

De acordo com essa reportagem publicada no jornal O Globo, em janeiro de 2012, já havia cerca de 1400 imigrantes ilegais morando na época em Brasileia (AC), cidade governada por um prefeito do PMDB e que a tendencia era a de que esse número iria aumentar (e aumentou, mas não chegou a 20.000). A reportagem ainda enfatizou que os haitianos não eram considerados refugiados no Brasil, pois não estavam sendo perseguidos políticos em seu país de origem. Além disso, a grande maioria deles possui qualificações profissionais (engenheiros, professores, advogados, pedreiros etc.), mas não havia como a cidade absorver todas essa mão-de-obra.

Entre em contato com o E-farsas

(11) 96075-5663 - t.me/efarsas

A origem das fotos

As fotos usadas para ilustrar essa falsa notícia foram retiradas do blog Fotos Publicas, que as fornece gratuitamente (desde que sejam dados os devidos créditos, o que não ocorreu nesse caso), e foram feitas pela fotógrafa Angela Peres no dia 11 de abril de 2013 em Brasileia. As fotografias mostram a situação deplorável em que se encontravam os haitianos abrigados pela ONG Conectas. Depois de uma enorme temporada de chuvas, que destruiu muitos dos acessos à cidade, os imigrantes ficaram com dificuldades em conseguir comida, roupas e água.

A estimativa na época, segundo reportagem do UOL, era que havia mais de 1.100 imigrantes na cidade, em 2013. Isso em um abrigo projetado para apenas 250 pessoas!

O portal IG informou no dia 15 de abril de 2013 que o Governo Federal pediu ajuda aos países vizinhos para ajudarem no combate ao surto de imigrantes ilegais no Brasil. De acordo com a Agência Estado, em uma reunião convocada pelo ministro das Relações Exteriores, Antonio Patriota, com os embaixadores do Haiti, Peru, Equador e Bolívia, foi solicitado que esses países intensifiquem a fiscalização nas suas fronteiras “para impedir a ação dos chamados coiotes, os intermediários que trazem os haitianos até a fronteira com o Brasil”.

A Situação dos Haitianos só Piorou em 2014

A situação dos imigrantes haitianos aqui no Brasil parece ter ficado pior depois do anúncio do fechamento do abrigo da ONG Conectas, no dia 18 de abril de 2014. De acordo com matéria divulgada no portal de notícias da Band, mais de 20.000 haitianos já passaram pela ONG (mas que fique bem claro que não foram todos de uma vez. Até mesmo porque, como já mostramos nos parágrafos acima, o abrigo foi projetado para abrigar 250 pessoas, chegando a abrigar 800 de uma vez!).

Voltando ao texto, nos próximos parágrafos, temos:

O Prefeito de São Paulo, já tinha o local para receber os haitianos, enquanto em São Paulo, existem milhares de moradores de rua sem um teto.

Essa reportagem da Rádio CBN – do dia 25 de abril de 2014, mostrou que houve, sim, uma migração de haitianos do Acre para São Paulo e que, segundo o governo acriano, de todos as cidades brasileiras, apenas o prefeito Fernando Haddad (do PT) se ofereceu para ajudar. Talvez seja daí que o autor desse boato tenha tirado essa ideia de que 20.000 haitianos estariam vindo para São Paulo.

No entanto, em uma matéria veiculada no site G1, o prefeito de São Paulo apontou falhas na conduta do governo do Acre ao mandar 700 (setecentos e não vinte mil como está sendo espalhado por aí!) haitianos em direção à capital. A Prefeitura Paulistana, junto com a Superintendência Regional do Regional do Trabalho de São Paulo, trabalharam para emitir carteiras de trabalho para esses imigrantes. Do dia 25 ao dia 28 de abril de 2014, foram emitidas 90 carteiras! Na mesma reportagem do G1 podemos ler uma nota da SMDCHC a respeito da situação dos haitianos.

Conquistando o leitor pelo medo

O autor do boato ainda levanta outra questão:

“E como se deslocaram do Haiti até o Perú, que faz divisa com o Acre? Alguma estrutura forte foi direcionada para isso. Qual será o objetivo?”

Desconsiderando o fato irrelevante de que a palavra “Peru” não tem acento (tudo bem que quem escreveu essa “notícia” deveria se informar melhor, mas isso não vem ao caso), o autor ainda questiona a razão dos haitianos estarem atravessando pelo Peru e insinua que alguém (ou alguma organização) aqui do Brasil esteja facilitando isso. A explicação para esse itinerário haitiano pode ser lida num artigo publicado no Epoch Times no dia 14 de abril. De acordo com o repórter Alberto Fiaschitello, o Peru era a rota mais fácil para os haitianos chegarem à cidade de Brasileia, mas que a quantidade de imigrantes ilegais começou a cair depois da inativação do abrigo da ONG Conectas.

Por fim, o autor do falso alerta compara essa migração em massa com grupos milicianos, misturando guerrilha, Lamarca e Coluna Prestes. Tudo isso com o intuito de tentar “conquistar” o leitor através do medo.

Convém ressaltar aqui uma excelente observação publicada no dia 25 de abril de 2014, no site do Centro de Diretos Humanos e Cidadania do Imigrante:

“Resta perguntar mais uma vez: qual o perfil de imigrante desejado pelo Brasil? No mesmo período em que chegam os haitianos, outros grupos de estrangeiros com perfil eurocêntrico e branco por aqui desembarcaram em número muito maior e não são chamados de invasores ou problema.”

Conclusão

História falsa! Não há nenhuma invasão de 20.000 guerrilheiros haitianos ao Brasil! Essa história surgiu numa dessas fanpages sensacionalistas do Facebook que misturam fatos com boatos para tentar conquistar o seu like e as suas compartilhadas. Antes de repassar esse tipo de história, dê uma pesquisada.

Continue lendo
33 Comentários

33 Comments

  1. Marcos A.

    27 de maio de 2014 em 10:32

    Realmente a história é falsa, mas é estranho a quantidade enorme de haitianos aqui em Curitiba, sei que muitos deles vieram servir de mão de obra barata para as obras da copa, já que aqui é uma sede, mas e agora que não tem mais obra? O que vai acontecer com essa massa de haitianos que não possuem qualificação mínima?

    • Maycon Cruz

      1 de julho de 2014 em 11:08

      Por mais estranho que soe pra gente, o Brasil é visado como referencia imigratória para os países vizinhos ao nosso. Se achamos o Brasil ruim, imagina no resto da América Latina…

  2. Marcos A.

    27 de maio de 2014 em 10:45

    Um país tem que selecionar sim quem entra. Os haitianos não possuem qualificação e virão fazer o que aqui? Aumentar nossas favelas? Pedir esmolas? Primeiro temos que resolver os problemas internos do nosso povo e não aceitar uma massa de pessoas de países vizinhos miseráveis. Já temos emprego sobrando, mas não temos gente qualificada para preencher as vagas e isso aí só vai agravar o problema. Não tenho nada contra os haitianos, mas tem muita gente em situação semelhante a deles aqui mesmo dentro do nosso território.

    • CIRO ELLENBERGER

      28 de maio de 2014 em 21:04

      Aprendam ser solidários, o mundo não tem fronteiras, na questão humanitária, se acontecer uma tragédia como no Haiti, e dependermos dos países próximos, como será? Haiti já teve um tempo de vacas gordas. Pensem um mundo alternativo, não nessa lógica preconceituosa,egoísta, odiosa, de acúmulo de riquezas somente, aprendam partilhar em nível macroeconômico, na lógica da Economia Solidária, isso deve ser o futuro das nações meus amigos.

      • Marcos A.

        29 de maio de 2014 em 9:39

        Eu concordo com a ajuda ao Haiti, mas não adianta traze-los para cá. Até parece que não tem brasileiros que sofrem da mesma miséria que eles sofrem lá. Eles não são mão de obra qualificada, aqui morarão em favelas e apenas engrossarão o cinturão de pobreza do Brasil. Nosso país é pobre, não tem condições de bancar a mãe da América Latina.

        • Clayton

          12 de junho de 2014 em 13:03

          “Além disso, a grande maioria deles possui qualificações profissionais (engenheiros, professores, advogados, pedreiros etc.)”

          • Diego Silva

            15 de junho de 2014 em 10:10

            Infelizmente, esta informação NÃO É VERDADEIRA! A Grande maioria dos haitianos NÃO É composta por pessoas com qualificação profissional formal. A maioria deles é pedreiro, e o motivo é simples de entender: – assim como no Brasil, quem não tem boa escolaridade tem que pegar no pesado, e é isso que ocorre com os haitianos lá no Haiti. A MAIORIA DELES não sabe ler e/ou escrever o francês, língua oficial do país. O Creole ou crioulo, segunda língua falada pela maioria dos haitianos, tem como falantes pessoas que não são capazes de ler ou de escreverem nesta língua, que teoricamente seria “mais fácil” que o francês.

            Então, se qualificação profissional é declarar-se “pedreiro”, por falta de opção e escolaridade, qualquer um que souber bater um prego na parede e misturar cimento com areia e cal, já é profissional. Até onde eu sei, ser pedreiro não é tão simples.

            Eu percebo que há toda uma tentativa IRRESPONSÁVEL e INCONSEQUENTE de justificar a entrada dos haitianos no Brasil, que ao meu ver, devem ser ajudados SIM, mas não em detrimento dos brasileiros que ainda vivem aos milhares em situação semelhante a dos haitianos ou quem sabe, pior.

    • Mariana Lima

      29 de outubro de 2014 em 10:26

      Conheces algum Haitiano?
      Trabalho com vários aqui no RS e trabalham bem melhor que muitos brasileiros, muitos falam até 3 línguas (Espanhol, Ingles e Francês) e o melhor nunca dão o “Jeitinho Brasileiro” no serviço e para complementar ínumeros trabalham em dois empregos…
      Acredito que o trabalho deve ser dado a quem QUER trabalhar independentemente de seu local de nascimento…
      E sobre eles virem para virar marginais… Na cidade que eu moro tem MUITOS imigrantes e com uma consulta na policia não há NENHUMA ocorrência de algo ilícito vindo deles apenas eles sendo vitimas de roubo, preconceito, etc…

      • leoncio

        5 de julho de 2015 em 18:54

        daqui ums anos a coisa vai ferver e a sua propria filha vai querer te matar por escrever tais palavras voce pode nao ter probremas mas seu filhos vai paga um alto preço

  3. Ambrosio Guedes

    27 de maio de 2014 em 12:59

    Estou com você Marcos, além dos haitianos não terem qualificação, deve haver no meio deles muitos desajustados que como você disse , vão aumentar as favelas e o crime.

    • Gilmar Lopes

      27 de maio de 2014 em 15:15

      Notei um pouco de preconceito nos comentários?

      • Bruno

        27 de maio de 2014 em 16:04

        Não é preconceito Gilmar, é um fato. Na verdade, é uma tendência. Quanto mais gente desempregada, existem mais chances de ingresso no crime e no tráfico de drogas.

      • Diego Silva

        15 de junho de 2014 em 10:41

        Gilmar, parabéns por sua atitude de desmascarar o autor sensacionalista e mentiroso, que o levou a escrever este post.

        Toda forma de racismo deve ser execrada da sociedade. E o que a grande maioria das pessoas não conseguem ver, é que a questão racial é a que menos importa. A mais importante de todas é a segurança e controle das fronteiras, afim de evitar a entrada de foragidos e a assistência aos próprios brasileiros que ainda vivem na extrema pobreza.

        Não sei se lhe é possível, mas se for, proponho que elabore um artigo destacando os riscos e os erros de se manter as fronteiras sem vigilância e controle. Você tem uma excelente capacidade redacional e de articulação das ideias, certamente prestará um grande serviço.

      • Rafael

        11 de julho de 2014 em 13:27

        O cara foi realista, e você supõe que ele é preconceituoso, na tentativa de desqualificá-lo, fica difícil levá-lo a sério.

      • Ozeas

        28 de julho de 2014 em 18:05

        Essas pessoas não sabem o que dizem. O governo brasileiro não é como certo grupo que se apropriou de terras indígenas lá no norte do continente, roubando geral. Essas pessoas vieram por vontade própria. Eu vi muitos deles em Manaus, uns em um albergue e muitos no centro de manaus, ja totalmente integrados a econimia informal, vendedores ambulantes, de picolé e outros… O Brasil ainda será um país muito avançado e rico. Esperem e verão

    • Clayton

      12 de junho de 2014 em 13:04

      “Além disso, a grande maioria deles possui qualificações profissionais (engenheiros, professores, advogados, pedreiros etc.)”

  4. Carlos

    27 de maio de 2014 em 19:27

    Sinto muito mas não concordo com esses comentários, em minha cidade em Santa Catarina por ser cidade portuária, está recebendo muitos haitianos, todos trabalhadores que por mais que sejam tratados como mão-de-obra barata estão muito felizes com os salários recebidos, também em minha cidade há muitos pedintes nos semáforos e até hoje nunca ví um haitiano pedindo esmolas, só brasileiros mesmo.

    • Marcos A.

      28 de maio de 2014 em 13:29

      Mas a mão de obra barata mantém os salário baixos para todos.

      • Ozeas

        28 de julho de 2014 em 18:12

        Meu caro, a indústria não cresce, o comércio está a reboque da indústria. Sabe o que mantém esse país firme economicamente? a construção civil. A construção civil contrata o zé, pedreiro analfabeto, e o chico, carpinteiro que mal sabe ler. Essas pessoas jamais teriam oportunidade de emprego na indústria e no comércio. E esse papo de que todo mundo deve estudar é lorota de quem nao tem argumento, se assim quiserem refutar. O bom da coisa é que esses pequenos salários do zé e do chico, são gastos nas feiras e lojas, e com isso aquecem a economia do país. Nem precisa ser economista para manjar desse assunto: qualquer economês e bom observador dirá isso.

  5. Lucho

    27 de maio de 2014 em 19:40

    [politiCUzinho retardado de Internet]

    Esse Gilmar nunca me enganou, é um petrlaha.

    Só escreveu esse texto porque fala do PT.

    Esse blog é um blog petralha.

    Quando você vai falar do PSDB?

    Esse blogueiro recebe dinheiro do mensalão.

    Tchau. Tô indo embora. Nunca mais vou acessar seu blog, seu feio-chato-bobo-cara-de-mamão.

    [/politiCUzinho retardado de Internet]

  6. Marcos A.

    28 de maio de 2014 em 13:27

    Não chegamos a esse patamar, mas imagine os EUA abrindo passagem para qualquer imigrante. Não iriam dar conta do número de pessoas pobres que iriam surgir. Não tem nada a ver com preconceito e sim uma questão de lógica. O fato de que não se pode querer cuidar do próprio povo e do povo dos outros também, ainda mais em um país cheio de problemas como o nosso. Além do mais a própria mão de obra barata mantém os salário mais baixos no mercado de trabalho.

    • Diego Silva

      15 de junho de 2014 em 10:29

      Marcos, PARABÉNS!!! Você escreveu pouco, mas disse muito! Os críticos precisam entender que as questões raciais são e precisam ser secundárias. O problema é que tudo está sendo feito da maneira mais irresponsável possível, tanto para os haitianos, que estão sendo vitimas de coites, quanto para o Brasil e sua segurança nacional. Não está havendo nenhuma criação de uma exercito haitiano liderado pelo PT, mas temos que saber quem passa pela fronteira, se é gente de bem ou se são foragidos, e isso não está sendo feito. Gosto do PT e da Dilma, mas se esta é a politica imigratória que vão adotar, não terão meu voto.

      No norte do Brasil, região notoriamente marcada pela desigualdade, abandono e falta de informação, algumas brasileiras foram contaminadas com o vírus HIV, por haitianos. Alguém poderia dizer que isso acorreria em qualquer parte do mundo,e é verdade, mas não na escala que está acontecendo por lá.

      Esse país é uma piada! Lembro que o meu chefe, que é americano, demorou para conseguir entrar no Brasil, por não conseguir comprovar que já era vacinado contra algumas doenças, talvez porque ele se dirigiria aos ricos de São Paulo. Mas como os haitianos se dirigem ao Norte do país, onde a maioria é pobre, ninguém se importa que eles estejam expostos a violência e doenças.

      Esta situação não pode continuar!

  7. Alexandre Aguiar

    28 de maio de 2014 em 18:24

    Acho que os caras, primeiro desconhecem a realidade e depois não leram o texto. Estes haitianos são qualificados, sim, e com uma bagagem muito boa. Ocorre que o Haiti está falido e não conseguem emprego por lá.
    Portanto, essa “mão-de-obra” não é barata e pode ser muito bem aproveitada.

    • Marcos A.

      29 de maio de 2014 em 9:42

      Então confira a realidade dos haitianos, aqui em Curitiba existem vários e eles ganham muito menos do que os trabalhadores brasileiros simplesmente por falta de opção, pois tem que aceitar qualquer serviço ou morrem de fome.

      • Clayton

        12 de junho de 2014 em 13:08

        Aí o problema não é mais os haitianos. É a má fé do povo brasileiro que gosta de levar vantagem em tudo.

    • Diego Silva

      15 de junho de 2014 em 10:12

      Infelizmente, esta informação NÃO É VERDADEIRA! A Grande maioria dos haitianos NÃO É composta por pessoas com qualificação profissional formal. A maioria deles é pedreiro, e o motivo é simples de entender: – assim como no Brasil, quem não tem boa escolaridade tem que pegar no pesado, e é isso que ocorre com os haitianos lá no Haiti. A MAIORIA DELES não sabe ler e/ou escrever o francês, língua oficial do país. O Creole ou crioulo, segunda língua falada pela maioria dos haitianos, tem como falantes pessoas que não são capazes de ler ou de escreverem nesta língua, que teoricamente seria “mais fácil” que o francês.

      Então, se qualificação profissional é declarar-se “pedreiro”, por falta de opção e escolaridade, qualquer um que souber bater um prego na parede e misturar cimento com areia e cal, já é profissional. Até onde eu sei, ser pedreiro não é tão simples.

      Eu percebo que há toda uma tentativa IRRESPONSÁVEL e INCONSEQUENTE de justificar a entrada dos haitianos no Brasil, que ao meu ver, devem ser ajudados SIM, mas não em detrimento dos brasileiros que ainda vivem aos milhares em situação semelhante a dos haitianos ou quem sabe, pior.

  8. Diego Silva

    15 de junho de 2014 em 9:35

    Sim, a matéria é alarmista e falsa! Mas, ao deixar as fronteiras irresponsavelmente abertas, sem fazer o controle de quem entra no país, o governo federal, expõe os brasileiros ao perigo, uma vez que não sabemos exatamente quem está entrando LIVREMENTE no Brasil. Será que são todos trabalhadores? Alguém já questionou se no meio destes há criminosos e foragidos da própria justiça haitiana? Pelo visto não! É preciso ajudar não só o Haiti, como todo e qualquer povo que precise de ajuda, mas não da forma que tem sido feito. Além do mais, aqui há milhões de brasileiros em situação de extra pobreza, beirando a fome e o abandono. Quem será por eles? Bem próximo ao local onde os haitianos estão sendo recebidos e alimentados, há dezenas de brasileiros morando de baixo de lonas, expostos à violência e alimentando-se de resto de comida. Por que não se faz a mesma coisa com eles, dando-lhes carteira de trabalho, comida, proteção? Até agora só tenho visto pessoas MUITO, MUITO interessadas em proteger os haitianos, mas não levantam o mesmo tom de voz para socorrer seus próprios compatriotas. Devemos ajudar o Haiti SIM, mas PRIMEIRO, devemos ajudar os BRASILEIROS!

  9. Julio Luiz G. Campos

    25 de junho de 2014 em 13:27

    Observem que na reportagem feita pelo coordenador da ONG em questão, João Paulo Charleaux, já em 2013 a estimativa era de que 18 mil haitianos já haviam passado pela cidade de Basileia no Acre.
    Vale conferir: http://www.vice.com/pt_br/read/o-haiti-e-aqui-v5n2
    Então, pode haver exageros e alarmismos sobre este assunto, porém não há inverdades sobre o caso dos haitianos no Brasil… deem uma pesquisada.
    É sempre bom lembrar: “É preciso estar atento e forte, não temos tempo de temer a morte.” “CUIDADO!!! Há um abismo na porta principal!”

  10. Ricardo Manevski

    31 de outubro de 2014 em 23:09

    Haddad, você que quiz ajudar os haitianos, leve-os para a sua casa, filho da puta!!!!

  11. Lourdes+de+Lima

    6 de novembro de 2014 em 15:54

    Quem é verdadeiramente cristão não fala palavrões. Quem é verdadeiramente cristão acolhe seu irmão que está sofrendo, seja lá de que país ele é. Isto esta nos evangelhos. As palavras do Papa Francisco não podem só ficar no ar.

  12. pinheiro

    12 de maio de 2015 em 13:44

    Por que o lula e a Dilma não levam eles para casa, a responsabilidade dos haitianos é do Haíti e não do Brasil já temos muitos problema aqui.

  13. adalberto

    21 de janeiro de 2016 em 11:28

    Debates muito inteligentes e edificantes, é uma pena ter pessoas com o tal de “Leoncio” participando, quem ainda não sabe pronunciar a palavra problema não merece tantos créditos, supõe se que este não é bem preparado para tais questões .

  14. Pingback: Um mundo sem imigrantes, sem refugiados e… sem inovações na ciência e tecnologia – - Sei Tudo

Deixe uma Resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mais Populares

Ajude a Manter o E-farsas!

Categorias

Parceiros

Voltando a Circular

Publicidade

Apoio técnico!

Topo