Conecte com a gente

E-farsas – Desvendando fake news desde 2002!

E-farsas – Desvendando fake news desde 2002!

O TSE entregou os códigos de segurança das urnas eletrônicas para a Venezuela?

Conspirações

O TSE entregou os códigos de segurança das urnas eletrônicas para a Venezuela?

O TSE entregou os códigos de segurança das urnas eletrônicas para a Venezuela?

É verdade que o Tribunal Superior Eleitoral entregou os códigos de segurança das urnas eletrônicas para a Venezuela e negou para auditores brasileiros?

A notícia surgiu em diversos sites e blogs no dia 17 de setembro de 2018, logo após uma publicação feita no site Jornal da Cidade Online, e se espalhou através das redes sociais.

De acordo com a reportagem, o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) teria dado todos os códigos de segurança das urnas eletrônicas para a Venezuela, através do edital 106/2017, e teria – ao mesmo tempo – negado o acesso para auditores brasileiros!

O texto ainda afirma que um professor de Ciência da Computação da UNB teria afirmado que entregar essa chaves criptográficas para a Venezuela fere a soberania nacional, algo muito sério!

Será que essa história é verdadeira ou falsa?

O TSE entregou as chaves criptográficas das urnas eletrônicas para a Venezuela? (foto: Divulgação/TSE)

Verdade ou mentira?

No dia 17 de setembro de 2018, uma matéria assinada apenas como “da Redação” foi publicada no site Jornal da Cidade Online e o texto mistura dados antigos com dados inexistentes e desencontrados. A intenção parece ser a de gerar pânico na população (que já vive em estado de desconfiança em relação às urnas eletrônicas).

Já fizemos aqui uma matéria, em 2014, explicando que as urnas não são 100% seguras, como também não eram quando as eleições eram feitas em cédulas de papel.  

Voltando ao texto alarmista, o autor anônimo da matéria fala do Edital 106/2017 do TSE, mas o link referenciado é o 16/2018, que podemos conferir aqui. Essa licitação foi aberta no dia 08 de março de 2018 e foi encerrada no dia 20 de março do mesmo ano.

As empresas interessadas deveriam apresentar no prazo indicado o menor orçamento para as seguintes solicitações:

  1. Produção, fornecimento e garantia técnica de 30.000 (trinta mil) Conjuntos de Impressão de Votos
  2. Desenvolvimento de firmware (com entrega do código-fonte)
  3. Desenvolvimento dos modelos de Engenharia, Qualificação e Produção de Conjuntos de Impressão de Votos
  4. Produção, fornecimento e garantia de 25.300 (vinte e cinco mil e trezentas) Cabinas de Votação
  5. Produção, fornecimento e garantia de 66.000 (sessenta e seis mil) bobinas de papel
  6. Elaboração de Documentos Técnicos de Produção

Como podemos conferir no site do TSE, a licitação foi encerrada com a empresa brasileira CIS Eletrônica – empresa brasileira com sede em Manaus, ao valor total de R$ 57.488.694,99

Ou seja, apenas com essa busca, toda a teoria da entrega das chaves criptográficas para a Venezuela cai por terra… Afinal, além da “reportagem” do Jornal da Cidade Online, não há nenhuma notícia a respeito em sites de notícias!

Entre em contato com o E-farsas

(11) 96075-5663 - t.me/efarsas

Quanto ao pregão eletrônico da licitação 106/2017, citada na “reportagem”, o Diário Oficial da União publicou em maio de 2018 a sua revogação:

“Confusão” envolvendo a Venezuela

Em agosto de 2017, um boato se espalhou pela web afirmando que a empresa Smartmatic que, segundo o texto inverídico compartilhado na época, teria sido a empresa responsável por uma fraude de desvio de mais de 1 milhão e votos em uma eleição presidencial naquele país.

Na ocasião, o TSE emitiu uma nota explicando que a Smartmatic não é (e nunca foi) responsável pela confecção das urnas eletrônicas e que:

“[…]o sistema eletrônico de votação adotado no Brasil foi concebido – e é gerido inteiramente – pela Justiça Eleitoral do país. Ele utiliza meios próprios e criptografados de comunicação e transmissão de dados, não tendo qualquer contato com redes públicas, como a Internet.”

O Tribunal Superior Eleitoral também explicou que a empresa citada atuou nas eleições de 2014 como recrutadora e treinadora de 14 mil profissionais que trabalharam nas eleições de 2014:

“O contrato que foi celebrado entre a Justiça Eleitoral brasileira e a empresa Smartmatic, citado na nota, tinha como escopo o recrutamento, a contratação e o treinamento de aproximadamente 14 mil profissionais, que trabalharam exclusivamente no suporte técnico-operacional das eleições de outubro de 2014. Coube a esses profissionais o trabalho de preparo e de manutenção das urnas, assegurando que todas estivessem em perfeito estado de funcionamento no dia das eleições.”

O TSE aproveitou para lembrar que foi feita uma auditoria no resultado das eleições de 2014 a pedido do PSDB e que não foi encontrada nenhuma irregularidade:

“Por fim, vale lembrar que o resultado das eleições de 2014 foi objeto de auditoria solicitada pelo PSDB, na qual não foram encontradas irregularidades que comprometessem a fidedignidade do resultado divulgado.”

Perdão pelo vacilo

No dia da publicação dessa nossa pesquisa, o site Jornal da Cidade Online fez uma atualização em sua reportagem, reconhecendo que a tal licitação foi revogada!

Poucas horas após a publicação dessa nossa pesquisa, o Tribunal Superior Eleitoral emitiu uma nota esclarecendo que nunca entregou códigos-fonte da urna eletrônica para nenhuma empresa privada, seja ela estrangeira ou nacional!

Atualização 20/09/2018

Recebemos uma nota da área de comunicação da Smartmatic, afirmando que a empresa vem sofrendo uma onda de fake news envolvendo o seu nome desde 2014, mesmo sem ter fornecido urnas para o TSE.

A empresa também explicou que a Smartmatic foi criada nos Estados Unidos e hoje tem sede em Londres, portanto é um erro afirmar que a empresa seja venezuelana.

Conclusão

A notícia afirmando que o TSE deu as chaves criptográficas das urnas eletrônicas para a Venezuela é falsa!

Continue lendo
46 Comentários

46 Comments

  1. Anderson

    18 de setembro de 2018 em 16:44

    E antes que algum idiota fale, não, o Brasil, não é o unico pais que usa a urna eletronica. Mais de 30 outras nações tb a usam, incluindo Suiça,Canada, Australia etc.

    • Gilmar Lopes

      18 de setembro de 2018 em 17:24

      Estou produzindo um vídeo sobre isso! Vai sair essa semana ainda!

      • Alexandre Pizzo

        18 de setembro de 2018 em 19:20

        Boa noite. Onde postará o vídeo? Se no youtube, qual seu canal?

        • Gilmar Lopes

          18 de setembro de 2018 em 19:49

          • Max

            23 de setembro de 2018 em 23:18

            Vou me inscrever no canal.
            É muito interessante esse site, pois há vários sites de informações que ficam espalhando notícias falsas a respeito das urnas. Tudo que envolve esse assunto me deixa desesperado.

      • Diego Aranha

        20 de setembro de 2018 em 9:02

        Não esquece de lembrar no vídeo que essencialmente todos esses outros países usam alguma forma de registro físico do voto.

        • Gilmar Lopes

          20 de setembro de 2018 em 9:15

          Verdade! Mas estou curioso para ver como é a votação nesse sistema!

        • Gilmar Lopes

          20 de setembro de 2018 em 9:20

          Minhas dúvidas são:
          Quando é feita a impressão?
          O eleitor chega a pegar o voto impresso nas mãos?
          E se caso o eleitor não esteja de acordo com o que foi impresso, ele tem como cancelar o voto para votar de novo? Digo isso porque esse ano teremos que votar para vários cargos. Nesse caso, a impressão seria uma para cada cargo?
          Qual voto tem mais “valor”, o impresso ou o digital? (no caso de falha na urna)
          E, por último, apenas o voto impresso já resolveria todos os problemas de segurança?

          • Luís Henrique Donadio Baptista

            24 de setembro de 2018 em 21:33

            A mim parece claro que só há duas possibilidades de “voto impresso”: ou ele é destacável, e nesse caso o sigilo do voto corre risco por que o eleitor pode levar o voto com ele, ou ele fica numa fita, sem poder ser fisicamente manipulado pelo eleitor – e nesse caso o sigilo do voto corre risco por que a ordem dos votos é a que aparece na fita… se o presidente da mesa anota a ordem de chegada dos eleitores, a identificação está feita.

        • Gilmar Lopes

          20 de setembro de 2018 em 9:50

          Prof. Diego, te mandei um e-mail nesse endereço que você indicou aqui! Pode verificar pra mim, por favor?

    • BRUNO CESAR GRECCHO CASAGRANDE

      18 de setembro de 2018 em 18:37

      Usar é uma coisa, ser confiável é outra bem diferente!

    • Marcio

      19 de setembro de 2018 em 15:36

      Não é o único que usa urna eletrônica, mas é o único que não gera registro físico do voto, o único em que a auditoria dos votos é impossível. Lhe desafio a apontar um único país que use urna eletrônica e não se imprima o voto.

  2. Maria do Rolário

    18 de setembro de 2018 em 18:09

    Em contrapartida, tudo que se vê e ouve por aqui é motivo de muita desconfiança. Boa sorte ao povo de bem brasileiro que sabe votar.

    • Ele™

      19 de setembro de 2018 em 9:24

      E nenhuma refutação das matérias do Gilmar você foi capaz de fazer até agora. Só falácias.

  3. alexandre

    18 de setembro de 2018 em 19:41

    todos paises usam urnas eletronicas mas so no brasil que nao se usa a via impressa sendo assim e impossivel a recontagem de votos por outro meio, nossa urna é ultrapassada e de primeira geraçao isso e fato

    • Lucho

      19 de setembro de 2018 em 11:30

      E se colocar voto impresso e a contagem dos votos impressos e o informado pela máquina forem diferentes. Qual que valerá?

  4. Erica

    19 de setembro de 2018 em 10:21

    A verdade está aqui! O contrário do que diz o e-farsas… Duvido que publiquem o meu comentário!

    • Gilmar Lopes

      19 de setembro de 2018 em 10:58

      O que você quis dizer com esse comentário? Não entendi!

      • Erica

        19 de setembro de 2018 em 15:02

        Não entrou o link do vídeo, mas está em outro comentário meu acima!

  5. Danilo

    19 de setembro de 2018 em 14:01

    As urnas eletrônicas não são o problema: O problema está em quem manipula as urnas. As urnas não são enviadas par ao TSE para apuração, mas os dados nos cartões que são retirados das urnas para serem levado aos TRE.. Sem nenhuma segurança no trajeto!… As urnas ficam nas Zonas eleitorais para recolhimento posterior. Quem garante que os cartões entregues nos TRE são os mesmos retirados das urnas? Outra coisa: por questões “de segurança” os dados não são enviados diretamente para o TSE, mas para a smartmatic, que faz o envio para os servidores do TSE. E quem garante que a smartmatic envia para o TSE os dados que recebe dos TRE?

    • Gilmar Lopes

      19 de setembro de 2018 em 14:12

      Não tenho certeza que a smartmatic tenha participação nessa eleição. Quanto à sua dúvida, quando a urna é finalizada ela gera um boletim com o resumo de todas as votações feitas nela naquele dia e os fiscais de partido vão somando tudo através daqueles boletins. No final tem que bater.
      Na realidade, o que falta mesmo é pensarem numa forma de imprimir os votos. O que nos leva a outras dúvidas:
      Como essa impressão funcionaria? O eleitor vai ver o voto impresso? E se caso o voto impresso não esteja de acordo com o que o eleitor desejava votar, ele vai poder cancelar essa impressão e votar de novo?

      • Ramilo

        21 de setembro de 2018 em 14:46

        Existe uma teoria de que tudo já está acertado e que as urnas já estão configuradas pra eleger algum esquerdopata da linhagem do Haddad. Querendo ou não essas urnas são absolutamente passíveis de adulteração! Não sejamos inocentes!! E, CLARO, que a Smartmatic está por trás de tudo isso! E, CLARO, que o fato dela não ser a produtora das urnas, isso não impede que essa empresa nefasta, adultere os votos NA HORA DA VOTAÇÃO!! NÃO É DEPOIS!! É NA HORA QUE VOCÊ ESTIVER VOTANDO!!! OS CARTÕES DE REGISTRO DE VOTOS QUE SÃO RETIRADOS DAS URNAS JUNTAMENTE COM UM B.U. NO FINAL DAS ELEIÇÕES JÁ ESTARÃO ADULTERADOS!! E ESSE É O MOTIVO PRINCIPAL DO PORQUE QUE A PSDB NÃO ACHOU NADA NAS AUDITORIAS! Eu fico aqui imaginando os bandidos rindo e muito da cara dos idiotas do PSDB que acharam que auditando as urnas depois das eleições iriam encontrar alguma coisa. Aliás, aquilo tudo do PSDB, pra mim, foi jogo de cena! Tenho absoluta certeza de que a Dilmanta não chegou nem em terceiro naquelas eleições, nas quais eu trabalhei!! Portanto, meu caro Gilmar, não se engane! A Smartmatic é parte integrante dos planos dos quadrilheiros para se perpetuar no poder.

        • Eu™

          21 de setembro de 2018 em 17:09

          E existe uma teoria onde o Obama seria um reptiliano, outra que diz que o Elvis e Michael Jackson estão vivos, outra onde a Rainha Elizabeth II seria canibal e outra onde a NASA saberia da existência de dois sóis no Sistema Solar… como ninguém consegue apresentar nenhuma evidência para corroborar estas “teorias”, elas são apenas curiosamente bizarras. Como esta das urnas. 😉

  6. José Carlos Rocha Ramalho de Azevedo

    19 de setembro de 2018 em 14:14

    E-farsas deveria apurar melhor as coisas antes de querer desmentir uma notícia com base apenas na resposta do próprio órgão que é acusado de expor o sistema eletrônico de votação a riscos.
    A matéria é, pelo menos em parte, verdadeira. O e-farsas inicia dizendo que se trata de um “texto alarmista de autor anônimo”. Qualquer um sabe que é algo totalmente normal em publicações jornalísticas as matérias não serem assinadas. Neste caso, quem põe a credibilidade em jogo é o próprio jornal que a publica.
    continua

    • Gilmar Lopes

      19 de setembro de 2018 em 15:17

      Quem faz as acusações é quem tem que provar. Mostrei nesse artigo que as “provas” apresentadas pelo jornal não servem, pois o edital já foi revogado! Apenas isso já mata toda a teoria conspiracionista do jornal.

  7. José Carlos Rocha Ramalho de Azevedo

    19 de setembro de 2018 em 14:14

    Não vou entrar na questão do edital e se as acusações são, ou não, verdadeiras por dois motivos: não acompanhei os diversos editais publicados pelo TSE para a contratação de serviços e produtos e não entendo nada de informática.
    Contudo, qualquer avaliação honesta dos fatos tem de ir as fontes primária da informação, que no caso é o Dr. Pedro Dourado de Resende, Professos de Ciências da Computação da UNB que, acompanhado de diversos outros especialistas da área compareceu a audiência pública no Senado e fez as acusações que constam na matéria.
    Como já disse, não tenho condição de fazer juízo de valor sobre suas afirmações nem as dos demais professores da UNB, Unicamp, USP e da Associação dos Peritos da Polícia Federal que colocam sobre suspeita as urnas brasileiras.
    As acusações do Professor Pedro podem ser ouvidas diretamente de sua boca no link abaixo:
    https://www.youtube.com/watch?v=kq5kSmNuKeQ

    • Gilmar Lopes

      19 de setembro de 2018 em 15:23

      Com relação às afirmações atribuídas ao professor da UNB, a Aos Fatos entrou em contato com ele que explicou que trechos de suas afirmações foram distorcidas pelo jornal.
      Trecho retirado da apuração feita pelo Aos Fatos:
      “[…]Em resposta ao Aos Fatos nesta terça-feira (18), Pedro Rezende confirmou ser incorreta a informação de que foram entregues dados de votação a venezuelanos, como sustenta o Jornal da Cidade Online. Segundo o professor, o certo seria dizer que “poderiam ser entregues ‘dados sensíveis do sistema de segurança do processo de votação a uma empresa cujos proprietários são três venezuelanos e um português’”, como foi dito por ele na audiência pública no Senado, caso a licitação tivesse sido efetuada.”

  8. Roberto Pesserl

    20 de setembro de 2018 em 8:38

    Leiam esta página. Acho que ali tem o suficiente em termos de diversas denuncias de diferentes origens sobre as urnas. então não venham com esse lenga-lenga de segurança por que isso não existe! E a empresa que as fabrica, já foi multada em 112 milhões de dólares pelos EUA por Corrupção!!!!! Então……https://folhapolitica.jusbrasil.com.br/noticias/112550662/grupo-hacker-diz-que-urnas-eletronicas-do-brasil-sao-propositalmente-falhas-e-acusa-vulnerabilidades

    • Gilmar Lopes

      20 de setembro de 2018 em 8:42

      Não estamos dizendo que as urnas são à prova de falhas, no entanto é bom deixar claro que o artigo citado da Folha política é de 2014 e que de lá pra cá muita coisa mudou. Acreditamos que a impressão do voto poderá ajudar ainda mais na confiança das urnas!

  9. Claudio

    20 de setembro de 2018 em 14:22

    Então Gilmar, com relação a sua dúvida se a Smartmatic terá ou não participação nessa eleição como você aponta em resposta ao Gilmar… o que posso dizer que possivelmente sim, na matéria você faz a justificativa considerando a divergência dos números e ano dos editais sic (Voltando ao texto alarmista, o autor anônimo da matéria fala do Edital 106/2017 do TSE, mas o link referenciado é o 16/2018) porém, existe correlação entre os numero e esses editais, houve de fato a publicação do edital 106/2017 que pode ser consultado no mesmo link que vc disponibilizou para consulta do 16/2018, sendo que o primeiro foi revogado, mas antes disso teve inclusive lista de presença publicada em arquivo zip que está a disposição para quem queira ver… nessa lista, assinaram pela SMARTMATIC duas pessoas, o Sr. Vanderlei Boschetto e o SRº Ie Chul Oh que é também Industrial Director at CIS Eletronica, que você mesmo apontou como vencedor da licitação desse segundo edital. Se há fraude, se o sistema é ou não confiável, tudo é suposição, porém, ser uma empresa Venezuelana a responsável pelo equipamento, ser o vencedor da licitação uma empresa cujo diretor assina lista de presença representando essa mesma empresa venezuelana, me parece no mínimo estranho para não dizer suspeito.

  10. Pingback: Códigos de urnas eletrônicas não foram entregues a venezuelanos

  11. Pingback: Códigos de urnas eletrônicas não foram entregues a venezuelanos – Extra Jurídico

  12. Ramilo

    21 de setembro de 2018 em 15:00

    Estamos prestes a ser testemunhas presenciais da maior fraude eleitoral do planeta desde que o homem deixou de ser das cavernas. E isso tudo na cara desse povo extremamente ignorante no sentido da palavra. É tão claro e cristalino que eles, os ptralhas, vem usando esse brinquedinho desde o segundo mandato do molusco! E com o tempo eles aperfeiçoaram. Amealharam muitos milhões (nossos, diga-se de passagem!)e derramam essa infinidade de recursos em, PRIMEIRO, Institutos de pesquisa abertamente corruptos (vide datafolha!)para que eles ‘corroborem’ com a fraude ao esfregar na cara do brasileiro pesquisas fajutas(por exemplo essa última que mostra que o haddad pulou mais de 15 pontos em uma semana!!! Ridículo!), SEGUNDO, na maldita Smartmatic (processada e condenada nos EUA em mais de 100 milhões de dólares por corrupção e fraude!). Essa empresa é a “pedra de toque” dos petistas. Sem ela, nesse tripé, nada funciona e, por isso, outros tantos milhões estão a encher as burras dela. E, TERCEIRO, o brinquedinho predileto dos bandidos: URNAS ELETRÔNICAS TOTALMENTE FRAUDADAS. Quem viver verá! E nessa enorme dança existem figurões da Justiça e vários políticos envolvidos! Claro!
    Presenciaremos uma nação inteira ser enganada no momento mais importante dela.

    • Gilmar Lopes

      21 de setembro de 2018 em 15:23

      Algumas questões:
      1) Você tem alguma prova dessas acusações?
      2) O PT não quis usar esse “poder de fraudar as urnas” nas eleições para governador, senador, prefeito e deputados? Digo isso poque nem sempre o PT ganha, né?
      3) Como a Smartmatic vai garantir a fraude nas eleições se ela não vai fornecer as urnas nesse ano?
      4) O que as pesquisas eleitorais tem a ver com a fraude nas urnas eletrônicas?

      • Eu™

        21 de setembro de 2018 em 17:10

        Faltou falar que a primeira pesquisa que apontou o salto no crescimento do Haddad foi do IBOPE, não da Datafolha.

        O cara tá 140% errado.

      • Cláudio

        25 de setembro de 2018 em 14:23

        E sobre as minhas ponderações você não vai se manifestar?

  13. Ramilo

    21 de setembro de 2018 em 15:01

    Entendi. Você não vai publicar minha opinião. Por que será?

  14. Vladimir

    9 de outubro de 2018 em 20:17

    Site DESINFORMANTE! São BANDIDOS, assim como o sistema eleitoral Brasileiro!
    Sobre os códigos, é verdade sim que foram entregue, não à empresas Venezuelanas. Foram entregues a 2 Venezuelanos e 1 Português, com domicílios em seus países.
    Isso não seria a mesma coisa que entregar os códigos à Venezuela? CAMBADA DE IMBECIS, COMUNISTAS, CORRUPTOS!
    Sugiro ao povo que não dê IBOPE à este site comunista! E as urnas são sim 100% inseguras, fraudáveis. Venho denunciando isso desde a implantação das urnas, e o tal professor deu uma declaração no Senado federal sobre o fato, e que o TSE não entregou as chaves à técnicos Brasileiros, foi negado.
    Brasileiros, esse site e-farsas deve ser pago pelo governo, pois tudo que analisam, principalmente sobre assuntos governamentais, em que são contraditos, este site desmente, favorecendo o governo.
    Já venho acompanhando este site há anos, e é sempre a mesma coisa. Ele basea-se em informações de publicações da mídia comprada, as Fake News Oficiais Brasileiras, e informações de quem não deveriam obter.
    Saibam que sempre estaremos atentos para alertar a população sobre as FARSAS da internet, principalmente sobre este site FARSANTE, COMUNISTA!

    • Agente da Polícia Federal - Crimes Digitais

      10 de outubro de 2018 em 9:55

      Calúnia é crime previsto pelo art. 138 do Código Penal

      Seu endereço IP foi registrado e encaminhado às autoridades.

    • ELENAO

      10 de outubro de 2018 em 9:56

      Falou o cara que coloca como link a página “https://www.facebook.com/intervencaoregimemilitarnobrasil/”.

      Seems legit.

Deixe uma Resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mais Populares

Ajude a Manter o E-farsas!

Categorias

Parceiros

Voltando a Circular

Publicidade

Topo