Conecte com a gente

E-farsas – Desvendando fake news desde 2002!

E-farsas – Desvendando fake news desde 2002!

Análise de vídeo mostra que um míssil causou a megaexplosão em Beirute?

Falso

Análise de vídeo mostra que um míssil causou a megaexplosão em Beirute?

Análise de vídeo mostra que um míssil causou a megaexplosão em Beirute?

Para muitos em Beirute ainda é muito difícil assimilar tudo o que aconteceu na última terça-feira, 4 de agosto de 2020. Aos poucos a dor vai se transformando em revolta. A megaexplosão que o mundo inteiro viu através das redes sociais e noticiários na TV foi assustadora e, ao mesmo tempo, foi o reflexo de décadas de má administração, negligência e corrupção do sistema político.

Acredita-se que a megaexplosão tenha ocorrido devido a 2.750 mil toneladas de nitrato de amônio armazenadas em péssimas condições no porto desde 2014. O que deu origem ao incêndio, que precedeu a explosão, ainda é motivo de incerteza. Atualmente, sabemos mais sobre o que não aconteceu, do que aquilo que realmente aconteceu. No entanto, há quem insista que a megaexplosão tenha sido o resultado de um míssil, ou seja, que Beirute teria sofrido um ataque.

Nesse sentido, surgiu nas redes sociais a análise de um vídeo, com efeito de negativo (arquivo), onde um teria sido encontrado uma espécie de míssil camuflado!

Tuíte mostrando o usuário que disseminou o vídeo com efeito de negativo.

O vídeo já obteve mais de 50 mil visualizações, e vem sendo disseminado, primordialmente, por mero viés de confimação:

 

Entretanto, será que o vídeo é verdadeiro ou falso? Descubra agora, aqui, no E-Farsas!

Verdadeiro ou Falso?

Falso! O vídeo original foi altamente manipulado digitalmente. Além do evidente efeito de negativo, um míssil foi adicionado posteriormente a filmagem, ou seja, não havia nada na filmagem original. Portanto, ele não prova que houve qualquer ataque com míssil em Beirute que resultasse naquela megaexplosão!

E como sabemos disso? A seguir, vamos mostrar a vocês.

Uma Manipulação Grotesca

Em primeiro lugar, um outro usuário encontrou o vídeo original, adicionou o efeito de negativo, e comparou ambos. O resultado? O míssil não estava presente no vídeo original!

 

E por falar em vídeo original…

 

Uma Questão de Pressa

Em segundo lugar, provavelmente na pressa de desinformar, o responsável pela edição esqueceu de disseminar outros vídeos, de outros ângulos que mostrassem esse mesmo míssil. No entanto, basta pegar qualquer vídeo, entre dezenas ou centenas que se espalharam pelas redes sociais, aplicar o efeito de negativo e comparar. Não haverá nenhum míssil.

Entre em contato com o E-farsas

(11) 96075-5663 - t.me/efarsas

Em terceiro lugar, se estivéssemos falando de um míssil altamente tecnológico, não seria um mero efeito utilizado em qualquer programa de edição que o revelaria. Não faz o mínimo sentir investir milhões e anos de pesquisas para algo ser detectado pelo… Photoshop! Nesse sentido, um outro usuário pegou um frame do vídeo “analisado”, e o reverteu.

Reparem no míssil, que deveria ter sido visto por todos:

Um outro usuário pegou um frame do vídeo “analisado”, e o reverteu

Quem editou também se esqueceu de adicionar o chamado “motion blur”, que é o desfoque de objetos que se movem enquanto o obturador da câmera está aberto.

O míssil é extremamente “nítido” e destoa do cenário “embaçado” ao redor, uma vez que a qualidade da filmagem é diferente da resolução do objeto (míssil) adicionado posteriormente.

O míssil é extremamente “nítido” e destoa do cenário “embaçado” ao redor.

E, em quarto e último lugar, onde está o rastro deixado pelo míssil? Não há absolutamente nada. Isso sem contar, que teríamos milhares de relatos sobre a queda de um míssil, mas, novamente, não há nada nesse sentido.

Ironia do Destino

A agência de checagem “Aos Fatos” verificou hoje (6) um outro vídeo, que mostraria um suposto míssil caindo no porto de Beirute.

Eis o resultado da análise feita pela agência:

Foi inserido digitalmente o míssil que aparece em um vídeo gravado momentos antes da explosão no porto de Beirute, no Líbano. O projétil não consta na gravação original. Uma análise das imagens evidencia a montagem: o suposto foguete está em apenas dois frames e não completa a trajetória até o local da explosão

Assim como no nosso caso, o míssil não consta na filmagem original:

Conclusão

Falso! O vídeo original foi altamente manipulado digitalmente. Além do evidente efeito de negativo, um míssil foi adicionado posteriormente a filmagem, ou seja, não havia nada na filmagem original. Portanto, ele não prova que houve qualquer ataque com míssil em Beirute que resultasse naquela megaexplosão!

Continue lendo

Jornalista, redator, e pesquisador de comunicação social com foco no combate a disseminação de notícias falsas. Colaborador do site de verificação de fatos E-farsas.com desde janeiro de 2019. Entre junho de 2015 e abril de 2018, trabalhei como redator do blog AssombradO.com.br, além de roteirista do canal AssombradO, no YouTube, onde desmistificava todos os tipos de engodos pseudocientíficos, além de casos supostamente sobrenaturais.

6 Comentários

6 Comments

  1. Deucrécio Balla

    6 de agosto de 2020 em 19:57

    Sem zoeira, no momento da explosão há um flash vertical iluminando as nuvens na direção do centro da explosão.

    Quando eu olhei aquilo pensei em Arma de Energia Dirigida.

    Mas pausando em outros ângulos, no quadro-a-quadro dá pra ver que a direção da iluminação da nuvem vem de baixo.

  2. Alexandre Mendes

    7 de agosto de 2020 em 1:39

    “onde está o rastro deixado pelo míssil” se fosse verdade, realmente não deixaria rastro pois o que aparece na montagem é uma BOMBA guiada por laser Mk 86 ou seja de queda livre! Caso também fosse um missil hipersonico (a nova geração de misseis ja em introdução) sequer seria visto mas tb n deixaria rastro pois é de queda livre e ha mais de 6 a 7 vezes a velocidade do som! Sem falar que ha misseis que em sua trajetoria final ja estão sem combustivel em trajetoria de colisão! Ainda sim o video é realmente falso. o que me pergunto é,oque se ganha com isso

  3. Hugo

    7 de agosto de 2020 em 11:28

    nossa, que vídeo totalmente falso, o cara que fez foi bem burro

    • Lucho

      8 de agosto de 2020 em 9:03

      Ele fez isso porque sabe que o usuário médio da Internet é tão burro quanto. Especialmente o gado que segue blogueiros, jornaleiros, youtubeiros, podcasteiros e outros “eiros” políticos.

  4. A

    7 de agosto de 2020 em 13:31

    Anteontem eu comentei em outra postagem aqui no site que essa história iria gerar vários fakes. Está se cumprindo.

  5. Pingback: 7 Fake news envolvendo a explosão no Líbano!

Deixe uma Resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mais Populares

Ajude a Manter o E-farsas!

Categorias

Parceiros

Voltando a Circular

Publicidade

Apoio técnico!

Topo