20.1 C
São Paulo
segunda-feira, dezembro 6, 2021

Casal homossexual espancou o filho ao saber que ele é gay?

- Publicidade -

Notícia afirma que um casal de homossexuais teria espancado o filho adotivo ao descobrir que ele é gay! Será que isso é verdade ou mentira?

Essa história apareceu com força em diversos sites e blogs na segunda quinzena de abril de 2016 e foi bastante compartilhada nas redes sociais. De acordo com o texto, Luciano Vieira Fontes e Roberto Martins Fontes – pais do menor – teriam sido presos em flagrante pelo delegado Jefferson Bernardo após espancar o filho adotivo de 16 anos!

O casal teria tomado essa atitude quando descobriu que o rapaz também é homossexual através de um “aplicativo de encontro gay”. O fato teria ocorrido no interior de Pernambuco no fim da tarde da última segunda-feira.
O adolescente, segundo o texto, se encontra hospitalizado em estado grave.

A reportagem vem acompanhada de fotos do pobre rapaz todo machucado!

Será que essa notícia é verdadeira ou falsa?

Filho teria sido espancado pelos pais gays após se declarar homossexual! Será? (foto: Reprodução/Facebook)
Filho teria sido espancado pelos pais gays após se declarar homossexual! Será? (foto: Reprodução/Facebook)

Verdadeiro ou falso?

A notícia – que não foi publicada em nenhum jornal sério de Pernambuco ou de qualquer outro estado – possui várias características de um boato digital:

  • Trata de um assunto que chama a atenção do leitor;
  • Cita nomes de pessoas que não existem;
  • Não é datada;

Podemos perceber que o fato teria ocorrido “na última segunda-feira”, mas não diz de qual mês ou ano! Dessa forma, esse mesmo boato poderá ser “reutilizado” novamente em outras ocasiões e quem o ler poderá achar que se trata de algo recente.

Uma busca pelo nome dos pais do adolescente não retorna nenhum resultado (além dos sites e blogs que apenas copiaram essa mesma “notícia”. O mesmo vale para o “delegado Jefferson Bernardo”.

A fotografia do filho espancado

Quem inventou essa história usou uma foto para ilustrar a matéria que nada tem a ver com pais gays que teriam batido no filho. O rapaz da foto era Gleison Vieira da Silva, que estava preso no Centro Educacional Masculino (CEM), em Teresina (PI) por ter participado de um estupro coletivo juntamente com outros 3 menores.

- Publicidade -

O caso ocorreu em maio de 2015 e voltou aos noticiários em julho daquele ano, quando Gleison foi morto a socos e pontapés (além de ter a cabeça batida contra o chão até a morte) por outros presos do CEM.

Notícia pode ter “inspirado” o boato

Em março de 2012, um caso de agressão de uma criança de 5 anos pelos pais adotivos (e homossexuais) pode ter “inspirado” a criação desse boato. Segundo o Portal de Notícias R7, a empregada do casal estranhou que o filho adotivo do casal aparecer com ferimentos pelo corpo e não querer sair do quarto nem para ir à escola e o levou ao hospital, onde a criança deu entrada com sintomas de desidratação, desnutrição e pneumonia. O casal desapareceu após a internação do menino.

Conclusão

A notícia do casal de gays que teria espancado o filho após descobrir que ele era homossexual é falsa!

- Publicidade -
Gilmar Lopes
Gilmar Henrique Lopes é Analista de Sistemas. Trabalha com PHP e banco de dados Oracle e é especializado em criação de ferramentas para Intranet. Em 2002, criou o E-farsas.com (o mais antigo site de fact checking do país!) que tenta desvendar os boatos que circulam pela Web. Gilmar também tem um espaço semanal dentro do programa “Olá, Curiosos!” no YouTube e co-apresenta o Fake em Nóis ao lado do biólogo Pirulla!

Últimas Atualizações

- Publicidade -

Ajude a Manter o E-farsas

Checagens Relacionadas

6 COMENTÁRIOS

  1. Desde quando gay iria espancar alguma criança adotada por ser gay? A pessoa leva 20 anos para se aceitar e sair do armário, daí outros 10 para conseguir casar e adotar. Gay que adota é sobrevivente.

  2. Seara mesmo que esse foi o motivo ou sera mesmo que e verdadeiro acho que hoje ainda existe muito preconceito ocultado na sociedade otima materia esclarecedor

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui