22.2 C
São Paulo
sexta-feira, dezembro 2, 2022

Corpo carbonizado por bandidos é o da policial Juliane! Será verdade?

- Publicidade -

É verdade que a Polícia encontrou o corpo carbonizado da policial Juliane dos Santos Duarte, desaparecida em Paraisópolis e que ela foi queimada pelos bandidos?

As imagens começaram a circular na segunda semana de agosto de 2018 e mostram um corpo carbonizado, no chão em meio a um matagal. De acordo com um áudio que se espalhou juntamente com a cena, o corpo seria o da policial Juliane dos Santos Duarte, que estava desaparecida desde o dia 2 de agosto de 2018.

O áudio, de um homem não identificado e aparentemente revoltado com o crime, fala que crimes com esse requinte de crueldade não ocorrem em outros países como nos Estados Unidos, Austrália e França, além de pedir para que “viralize” a foto para que todos fiquem sabendo.

Outros compartilhamentos cobram o mesmo empenho dado pela Polícia no caso da vereadora Marielle Franco ao crime contra a PM.

Será que essa história é verdadeira ou falsa?

Transcrição de trechos do áudio que se espalhou juntamente com a imagem:
“Tinha que pegar essas imagens aí e esfregar na cara (vocês me desculpem) desses filhos da p*** que ficam lá no Congresso, lá! Aqueles m****!
[…] Aí o bandido o que fez, olha: Tacou fogo na policial! […] nos Estados Unidos nunca iria acontecer uma coisa dessas! […] eu nunca vi tacarem fogo em policial nos Estados Unidos, na Austrália, na França…
Tem que viralizar essas imagens…” (fotos: Reprodução/WhatsApp)

Verdade ou mentira?

No dia 06 de agosto de 2018, a Polícia encontrou o corpo da PM Juliane dos Santos Duarte, morta aos 27 anos de idade. O corpo da policial estava no interior de um veículo Honda Civic, abandonado em uma rua da zona sul de São Paulo.

Juliane havia desaparecido após ser levada por homens encapuzados e armados depois que teve o seu celular roubado e ter se identificado como policial, em um bar em Paraisópolis.

Diferente do que se espalhou por aí, as polícias civis e militares deram atenção ao caso, vasculhando a região com carros e helicópteros.

A foto do corpo queimado

O corpo carbonizado não é da Juliane, mas de um homem que foi executado a tiros e carbonizado em Mairiporã (SP), em 2006. A identidade da vítima ainda não havia sido descoberta na época e, segundo a polícia, o desconhecido foi carbonizado e havia uma marca de perfuração à bala em sua cabeça. Se você tiver estômago forte, pode ver as imagens do crime nesse site!

Conclusão

- Publicidade -

A policial Juliane dos Santos Duarte foi morta a tiros e seu corpo foi encontrado após dias de um trabalho em conjunto das polícias militar e civil. A foto de um corpo carbonizado que se espalhou como se fosse o da PM é de um crime ocorrido em 2006, no interior de São Paulo!

- Publicidade -
Gilmar Lopes
Gilmar Henrique Lopes é Analista de Sistemas. Trabalha com PHP e banco de dados Oracle e é especializado em criação de ferramentas para Intranet. Em 2002, criou o E-farsas.com (o mais antigo site de fact checking do país!) que tenta desvendar os boatos que circulam pela Web. Gilmar também tem um espaço semanal dentro do programa “Olá, Curiosos!” no YouTube e co-apresenta o Fake em Nóis ao lado do biólogo Pirulla!

Últimas Atualizações

- Publicidade -

Ajude a Manter o E-farsas

- Publicidade -

Checagens Relacionadas

7 COMENTÁRIOS

  1. Na verdade, o que se espalhou não foi que as polícias não deram atenção ao caso, mas que os movimentos sociais que usaram a morte da Marielle para se promover (por ser negra, homossexual e etc) ignoraram a morte da Juliane (também negra e homossexual) por ela ser PM, ou seja, por não se encaixar na pauta deles. Não defendem vida, defendem a ideologia, apenas.

  2. Ate o momento, nenhum dos assassinos foi preso. Junto ao corpo de Rudimar, os bandidos fixaram uma placa escrita morreu porque e cagueta (giria para x9).

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui