11.9 C
São Paulo
quarta-feira, agosto 10, 2022

Falta de sexo pode provocar morte súbita?

- Publicidade -

É verdade que um estudo feito por universidades respeitadas nos Estados Unidos comprovou que a falta de sexo pode provocar morte súbita?

A notícia ganhou força na segunda quinzena de abril de 2018, sendo publicada em diversos sites e blogs e também bastante compartilhada nas redes sociais. De acordo com a manchete, uma pesquisa feita pela Universidade de Tufts em parceria com universidades de Boston e de outros locais dos EUA teria comprovado que a falta de sexo pode provocar morte súbita!

O estudo, que teria sido publicado no Jornal da Associação Médica Americana, teria revelado que atividade física e sexual mais frequente reduzem a incidência de ataques cardíacos e morte súbita!

Segundo que se espalhou, o risco de ataque cardíaco foi reduzido em cerca de 45 por cento e de morte súbita em 30 por cento por cada vez adicional por semana que a pessoa teve relações sexuais.

Será que isso é verdade mesmo?

Pesquisas comprovaram que falta de sexo pode causar a morte súbita? (Foto: Reprodução/Facebook)

Verdade ou mentira?

Reportagens como essas se apoiam em frases como “estudos comprovam” e “cientistas comprovaram“. Algo que a Ciência nunca faz. Ou seja, para a Ciência, nada é definitivo.

Um estudo feito em um local do planeta, com um determinado grupo de pessoas, pode ter uma certa validade até que outro grupo de pesquisadores refaça a mesma experiência e consiga falsear (ou comprovar) o resultado anterior.

Isso é o que faz a Ciência ser tão bacana!

Além disso, ao dizer a frase “estudos comprovam“, o autor se isenta de qualquer culpa nas afirmações e joga tudo nas costas desses supostos estudos (que podem ou não terem sido feitos).

Nesse caso específico, o estudo existiu mesmo, mas foi feito em 2011 com um grupo pequeno de casos (14 estudos médicos).

- Publicidade -

Pois bem, o estudo cruzou 14 estudos anteriores que continham dados de pacientes que praticavam atividades em intensidades e frequencias diferentes e chegou-se ao resultado que todos nós já sabemos: Quem faz mais exercícios (incluindo aí o sexo) tem uma vida mais saudável!

O estudo não levou em conta a alimentação e/ou outras variáveis de cada indivíduo e, de acordo com o resumo do artigo, os dados individuais incluiram mais homens do que mulheres e pacientes com idade entre 50 e 60 anos.

As duas pesquisadoras envolvidas no estudo – as doutoras Jessica K. Paulus Issa J. Dahabreh – concluíram a atividade física episódica e pouca atividade sexual estariam associadas a um aumento no risco de ataques cardíacos por um curto período de tempo – durante e logo após a atividade – mas que essa associação foi menos pronunciada entre pessoas com altos níveis de atividade física habitual.

Conclusão

Um estudo feito em 2011 cruzou dados de 14 estudos anteriores e concluiu que atividade física e sexual faz bem pra saúde! A falta de sexo não causa morte súbita, mas alguns sites deram mais importância para a parte do sexo no estudo para, com uma ajudinha do sensacionalismo, gerar mais cliques!

- Publicidade -
Gilmar Lopes
Gilmar Henrique Lopes é Analista de Sistemas. Trabalha com PHP e banco de dados Oracle e é especializado em criação de ferramentas para Intranet. Em 2002, criou o E-farsas.com (o mais antigo site de fact checking do país!) que tenta desvendar os boatos que circulam pela Web. Gilmar também tem um espaço semanal dentro do programa “Olá, Curiosos!” no YouTube e co-apresenta o Fake em Nóis ao lado do biólogo Pirulla!

Últimas Atualizações

- Publicidade -

Ajude a Manter o E-farsas

- Publicidade -

Checagens Relacionadas

3 COMENTÁRIOS

  1. Já sublimei totalmente o sexo por 11 meses. Entretanto, a mente não permite essa abstinência e termina provocando as compulsões noturna. Que não deixam de ser uma forma de fazer sexo, já que é prazeroso também.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui