29.8 C
São Paulo
sábado, fevereiro 24, 2024

Moradores de Nova Roma gastaram 6 milhões em reconstrução de ponte orçada em 22 milhões pelo governo?

- Publicidade -

População de Nova Roma teria feito vaquinha e reconstruído ponte com apenas R$ 6 milhões, cerca de16 milhões a menos do que governo havia orçado! Será verdade?

A colagem de fotos começou a circular através das redes sociais na segunda quinzena de janeiro de 2024, e mostra o antes e depois de uma ponte localizada em Nova Roma do Sul (RS). Segundo o texto que acompanha as imagens, a reconstrução da ponte, que havia sido derrubada pelas enchentes no Rio da Antas em setembro de 2023, teria sido orçada pelo governo em R$ 22 milhões e demoraria mais de um ano para ficar pronta. No entanto, a população teria feito uma vaquinha para arrecadar o dinheiro necessário para o restauro, somando um total de R$ 6 milhões.

O texto ainda explica que o valor arrecadado teria sido o suficiente para a obra de reconstrução da ponte e que ela teria sido reinaugurada 138 dias depois do início dos trabalhos!

Será que isso é verdade ou mentira?

Texto de uma das versões que se espalharam através de grupos do WhatsApp em janeiro de 2024: “Lembram da ponte de Nova Roma/RS que foi destruída nas cheias de setembro/23? O governo gaúcho prometeu a construção duma nova, ao custo de 22 milhões que poderia ficar pronta só em 2025. A população então fez uma vaquinha e construiu com menos de 6 milhões e em apenas 138 dias. Essa história é a prova viva do quanto os governos são ineficientes, incompetentes e irresponsáveis com o nosso suado dinheiro. Parabéns ao povo gaúcho! Que isso repercuta e seja replicado em todos os lugares do Brasil!” (foto: Reprodução/WhatsApp)

Verdade ou mentira?

No dia 20 de janeiro de 2024, a ponte que liga Nova Roma do Sul e Farroupilha, no Rio Grande do Sul, foi reinaugurada após 138 dias interditada depois de uma reconstrução feita paga pelos próprios moradores. A estrutura foi levada pelas águas do Rio das Antas, devido a enchentes ocorridas em setembro de 2023.

A população local se reuniu para arrecadar R$ 7 milhões entre os moradores para a reconstrução da ponte, que custou R$ 5,7 milhões. A via antiga suportava até 24 toneladas e a nova, que aproveitou as cabeceiras e o pilar central, passou a aguentar até 45 toneladas.

O prefeito da cidade de Nova Roma do Sul garante que não houve nenhum incentivo fiscal para quem fez doações para a obra, que foi gerenciada por uma associação de moradores.

Governo orçou em 12 milhões

Diferente do que foi espalhado, o custo para a construção de uma nova ponte sobre o Rio das Antas foi orçado pelo governo em R$ 12,3 milhões. A previsão do término do edital de licitação e de arrecadação da verba pública estava prevista para março de 2024.

Ainda assim, o orçamento do governo saiu pelo dobro do que a população fez. O prefeito da cidade explica que a ponte seria construída do zero, com alguns metros a mais para beneficiar os carros que chegam de balsa e mais alta que anterior. No entanto, ele defende que obras feitas pelo Estado poderiam ter um custo mais baixo.

- Publicidade -

Com a reconstrução da ponte, o Governo Federal retirou a obra da lista de obras emergenciais previstas no Orçamento. Em entrevista ao programa Gaúcha Hoje, da Gaúcha Serra, o governador Eduardo Leite (PSDB) disse que o estado vai manter o objetivo de reconstruir a travessia, mas que vai precisar buscar recursos em outras fontes:

“Por ter sido implantada a ponte de ferro, o Ministério da Integração, o governo federal, a Defesa Civil Nacional, que poderia aportar recursos, recusa esse aporte porque a implantação da ponte de ferro tira o caráter de emergencialidade de uma nova ponte. Então vamos buscar viabilizar essa travessia com os nossos recursos e, for caso, buscar também apoio da Bancada Federal para aporte. Nós estamos fazendo projetos e queremos, sim, encaminhar a execução.”

Leite também explicou que o Estado não poderia encaminhar a reconstrução da ponte nas mesmas características anteriores, como foi feita pela Associação Amigos de Nova Roma, pois o poder público poderia ser questionado legalmente por implantar uma estrutura igual à ponte que foi levada pelas águas.

Conclusão 

É verdade que os moradores de uma cidade gaúcha se uniram para reconstruir uma ponte pela metade de valor e por um quarto do tempo que o governo havia orçado! A nova ponte aproveitou pontos da antiga estrutura e foi construída para suportar até o dobro do peso da anterior!  

- Publicidade -
Gilmar Lopes
Gilmar Henrique Lopes é Analista de Sistemas. Trabalha com PHP e banco de dados Oracle e é especializado em criação de ferramentas para Intranet. Em 2002, criou o E-farsas.com (o mais antigo site de fact checking do país!) que tenta desvendar os boatos que circulam pela Web. Gilmar também tem um espaço semanal dentro do programa “Olá, Curiosos!” no YouTube e co-apresenta o Fake em Nóis ao lado do biólogo Pirulla! Autor do livro de ficção Marvin e a Impressora Mágica!

Últimas Atualizações

- Publicidade -Compre o livro Marvin e a impressora Mágica de Gilmar Lopes

Ajude a Manter o E-farsas

- Publicidade -

Checagens Relacionadas

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui