Conecte com a gente

E-farsas – Desvendando fake news desde 2002!

E-farsas – Desvendando fake news desde 2002!

O ex-ministro Sérgio Moro vendeu inquéritos da PF para João Doria?

Conspirações

O ex-ministro Sérgio Moro vendeu inquéritos da PF para João Doria?

O ex-ministro Sérgio Moro vendeu inquéritos da PF para João Doria?

Texto compartilhado através de grupos do WhatsApp revelam esquema recém-descoberto envolvendo o Ministério da Justiça e o governo de São Paulo! Será verdade?

As afirmações surgiram nas redes sociais na última semana de abril de 2020 e voltou a serem compartilhadas em grupos do Whatsapp no final do mesmo mês seguinte. De acordo com o texto, o ex-ministro Sérgio Moro teria vendido inquéritos da Polícia Federal para o o governador de São Paulo, João Doria!

Todo o esquema teria sido denunciado por jornais do mundo todo, dentre eles o Wall Street Journal of Americas e o Gazzeta delo Sport.

Será que isso é verdade ou mentira?

Texto compartilhado no final de maio de 2020: “Repasso, os podres de Sérgio Moro estão vindo à tona!
Talvez, isso explique a razão de Bolsonaro ter declarado a seguinte frase: ‘Se as pessoas soubessem o que aconteceu no Ministério da Justiça, ficariam enojadas’. Muitos brasileiros ficaram chocados e tristes pela saída de Moro do Ministério. Não deveriam. O que está exposto abaixo é a notícia em primeira mão que está sendo investigada por rádios e jornais de todo o Brasil e alguns estrangeiros, mais especificamente Wall Street Journal of Americas e o Gazzeta delo Sport e deve sair na mídia em breve, assim que as provas forem colhidas e confirmarem os fatos. Fato comprovado: O Moro VENDEU os inquéritos da PF para o Doria. Bolsonaro soube disso às 13:00 do dia 23 de Abril (dia antes da demissão de Moro), em uma reunião envolvendo o Sr. Chefe da Abin, Ramagem, o seu filho Carlos Bolsonaro, o Sr. Helio, supervisor da secretaria da Casa Civil, e o Sr. Ronald Rhovald, representante da CIA no Brasil. A princípio muito contrariados, Bolsonaro se recusou a trocar o Diretor da PF, Valeixo. A aceitação veio através do informação de que Moro estava recebendo o pagamento total dos prêmios, US$70.000,00 para cada inquérito vendido, mais um bônus de US$400.000,00 para todos os seus assessores e integrantes da comissão, num total de US$ 23.000.000,00 vinte e três milhões de dólares) por meio das empresas de João Doria e João Amoedo. Mesmo assim, o Diretor da Abin descobriu o esquema por meio de um delator, que era assessor de Moro e não concordou com a prática, o que o obrigou a pedir exoneração do cargo, dizendo que não estava junto com Moro (em primeira notícia divulgada às 13:30 no centro de imprensa). Assim, combinou-se que o Moro pediria demissão antes que Bolsonaro o demitisse para que a culpa ficasse com Bolsonaro e Moro pudesse ter a vantagem de dizer que não havia feito nada de errado. Por gentileza passem esta mensagem para o maior número possível de pessoas, para que todos possam conhecer a sujeira que ronda o Sr Sérgio Moro! Dr. Wagner Maia, denuncia que Moro fugiu do Governo porque foi descoberto que ele cometeu crime de alta traição: ‘A ABIN descobriu que o ex-diretor da PF(Valeixo, comparsa de Moro na ocultação dos patrões do Adélio e seus advogados) há muito estava escondendo os nomes, assim como crimes político-administrativos de Witzel e passando informações sigilosas  das investigações para Dória. Desde março que PR Bolsonaro foi alertado, mas aguardou que Moro lhe informasse sobre tudo. Como Moro fugia de reuniões e se omitia, e o Presidente também soube que Moro estava participando com FHC, Maia, Alcolumbre e Tofolli do plano para derruba-lo. PR Bolsonaro convocou pessoalmente Moro pra reunião na presença dos investigadores da ABIN, colocou o assunto na mesa e informou que seu protegido Delegado Maurício Valeixo era o principal informante da Esquerda. Moro empalideceu e, com a traição descoberta e sem outro jeito, resolveu, nas costas do PR Bolsonaro, fazer a coletiva de traição declarada. NOTA: Está confirmado oficialmente que o ex- diretor da PF, delegado Maurício Valeixo, protegido de Moro e demitido por PR Bolsonaro é o delegado  que foi infiltrado pra finalizar o inquérito sobre  Adélio Bispo, com ordens para esconder os nomes dos mandantes e pagadores dos milionários advogados, impedir a perícia dos celulares dos advogados e de Adelio, dizer que Adélio agiu sozinho e que tinha problemas mentais. O medo de Moro que Delegado Alexandre Ramagem assuma a diretoria da PF, é porque foi ele quem descobriu o crime de alta traição cometido pelo ex-ministro Moro, antigo aliado dos comunistas brasileiros e, cujo pai, o comunista Dalton Moro é fundador do PSDB e antigo comparsa de FHC, pai da  esquerda brasileira.” (foto: Reprodução/WhatsApp)

Verdade ou mentira?

Logo de cara, podemos notar que o texto não é datado, o que pode indicar que o assunto talvez seja antigo. Uma busca no Google nos mostra que texto semelhante já circulava no fórum Reddit em abril de 2020. Perceba que na versão de abril o ex-presidente Michel Temer é quem teria dito a frase: “Se as pessoas soubessem o que aconteceu no Ministério da Justiça, ficariam enojadas“.

Analisando trechos da “denúncia”

Logo no primeiro parágrafo, temos:

Entre em contato com o E-farsas

(11) 96075-5663 - t.me/efarsas

“Talvez, isso explique a razão de Bolsonaro ter declarado a seguinte frase: ‘Se as pessoas soubessem o que aconteceu no Ministério da Justiça, ficariam enojadas'”

Essa frase é semelhante a outros boatos digitais que já desmentimos aqui no E-farsas, como essa afirmando que o Brasil teria vendido a Copa do Mundo de 1998 e essa, que dizia que o lutador José Aldo teria vendido a luta para Conor McGregorComo já mostramos anteriormente, essa frase virou uma brincadeira entre os criadores de notícias falsas. Há várias versões espalhadas na rede e nenhuma delas foi dita pelo presidente Jair Bolsonaro. 

Mais adiante, texto afirma que:

“[…] a notícia em primeira mão que está sendo investigada por rádios e jornais de todo o Brasil e alguns estrangeiros, mais especificamente Wall Street Journal of Americas e o Gazzeta delo Sport e deve sair na mídia em breve, assim que as provas forem colhidas e confirmarem os fatos.”

Não encontramos nada a respeito no jornal Wall Street Journal e tampouco no Gazzeta delo Sport – que era de se esperar, visto que esse é um jornal de esportes.

Daí em diante, o autor desse texto mistura inúmeras teorias e acusações sem nenhuma prova, digna de um “bom” boato digital!     

Conclusão

A acusação de que o ex-ministro Sérgio Moro tenha vendido inquéritos da Polícia Federal para o governador de São Paulo é falsa! 

Continue lendo
16 Comentários

Mais Populares

Ajude a Manter o E-farsas!

Categorias

Publicidade

Parceiros:

Voltando a Circular

Publicidade

Topo