14.6 C
São Paulo
sexta-feira, agosto 12, 2022

O Professor Pardal previu a criação da Netflix?

- Publicidade -

Será verdade que uma publicação de 1972 feita em um livro infanto-juvenil da turma do Tio Patinhas teria previsto a invenção da Netflix?

A imagem com recortes do livro Manual do Professor Pardal, de 1972, surgiu no Twitter no final de dezembro de 2017 e rapidamente se espalhou nas outras redes sociais. Nela podemos ver que o personagem Professor Pardal, da turma do Tio Patinhas, prevendo que em um futuro as pessoas poderiam assistir a filmes em suas casas ao se conectar em uma “grande loja de videocassetes”, pagando apenas uma taxa mensal!

Os recortes sugerem que os autores do livro teriam previsto, décadas antes, a criação da Netflix.

Será que essa imagem é verdadeira ou falsa?

O Professor Pardal previu a criação da Netflix em 1972? (foto: Reprodução/Twitter)

Verdade ou farsa?

No dia 30 de dezembro de 2017, a meteorologista e divulgadora científica Samantha Martins publicou em seu perfil do Twitter as imagens curiosas. O personagem fictício teria previsto que, no futuro, iríamos alugar filmes sem sair de casa, tal como fazemos atualmente através dos serviços online como a Netflix e a Amazon Prime Video.

Sua postagem ganhou mais de 28 mil curtidas e teve mais de 12 retweets:

 

Acontece que as imagens são reais, como podemos ver aqui, na página 122 do livro Manual do Professor Pardal, de 1972. No entanto, a ideia de uma “locadora online” não é tão recente e tampouco foi uma ideia da Netflix!

Vídeo via streaming

- Publicidade -

A ideia inicial da Netflix não era a de alugar filmes para serem assistidos online. A empresa foi fundada em 1997, nos Estados Unidos, com o objetivo de oferecer filmes em DVDs pelos correios para seus clientes.

A ideia (que parecia ser ótima e que funciona até hoje) não deu muito lucro para a empresa, que acabou vendendo 95% de suas ações para a concorrente Blockbuster no ano 2000.

Somente em 2005 é que a Netflix anunciou o novo sistema que permitiria ao usuário assistir a filmes através de uma conexão de internet. A decisão da companhia foi tomada pouco tempo após a Amazon anunciar que iria oferecer esse tipo de serviço.

No mesmo ano, serviços como o Youtube já mostravam que era possível se disponibilizar vídeo online com uma qualidade razoável.

Aliás, o conceito de serviço de streaming é tão antigo quanto a própria internet. No início da década de 1920, já havia pedidos de patentes de distribuição e de transmissão de sinais através de linhas elétricas. Uma busca por patentes e encontramos registros antigos dessa tecnologia.

E o que dizer dessa ideia, de 1939, de uma estação de rádio que enviava as notícias para o “ouvinte” imprimir o seu próprio jornal no conforto do seu lar?

A estação enviava as notícias para serem impressas em um aparelho de FAX instalado no rádio! (foto: Reprodução)

“Previsões” na ficção

O Professor Pardal não foi o primeiro personagem a “prever” o futuro do cinema online. Escritores famosos já tratavam do assunto em seus romances futuristas. Um exemplo é o escritor britânico Geoffrey Hoyle, que escreveu escreveu em 1972 o livro 2010: Living in the Future , antecipando muito da tecnologia que só veríamos no século 21.

Hoyle descreve em seu livro os conceitos de webcams, compras pela internet, ensino à distância e bibliotecas digitais, como podemos ver nos parágrafos abaixo:

“Os livros, filmes e jornais estão todos armazenados no computador da biblioteca. Primeiro você acessa o índice de biblioteca. Este arquivo contém todos os livros que já foram escritos. Não importa se eles foram primeiro escritos em chinês ou francês. Eles vão estar aqui, traduzidos para o Inglês. Há também um índice de filmes e jornais. […] Enquanto você está na biblioteca, você pode querer ver alguns filmes de viagem para lhe ajudar a decidir para onde irá nas próximas férias.”

 

Conclusão

As imagens com recortes de um livro de 1972 mostram que, no futuro, as pessoas poderão assistir a filmes em suas casas através de conexões com uma “grande loja de cassetes” são reais! Elas foram publicadas na edição do livro Manual do Professor Pardal, mas a ideia de transmitir conteúdo remotamente é mais antiga do que a própria internet!

- Publicidade -
Gilmar Lopes
Gilmar Henrique Lopes é Analista de Sistemas. Trabalha com PHP e banco de dados Oracle e é especializado em criação de ferramentas para Intranet. Em 2002, criou o E-farsas.com (o mais antigo site de fact checking do país!) que tenta desvendar os boatos que circulam pela Web. Gilmar também tem um espaço semanal dentro do programa “Olá, Curiosos!” no YouTube e co-apresenta o Fake em Nóis ao lado do biólogo Pirulla!

Últimas Atualizações

- Publicidade -

Ajude a Manter o E-farsas

- Publicidade -

Checagens Relacionadas

5 COMENTÁRIOS

  1. No livro O Presidente Negro, Monteiro Lobato conta que um de seus personagens inventou o Porviroscópio, um instrumento que visualizava o futuro. Lá pelas tantas ele diz que no futuro o homem não irá mais ao teatro, e sim o teatro irá ao homem. Fala que tudo seria “radiado” às pessoas no seu lar.

  2. Se a foto é verdadeira então a previsão é verdadeira, vcs fazerem um puta texto só pra desmerecer a previsão dizendo que ñ foi a única é realmente ridículo.
    Méritos ao autor desse texto de 1972 e méritos a qualquer um que previu em qualquer outro lugar.
    Vcs foram ridículos.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui