21.6 C
São Paulo
quarta-feira, outubro 27, 2021

O uso de camisinha não evita a AIDS?

- Publicidade -spot_img
- Publicidade -

Artigo que circula pela web afirma que um estudo norte-americano provou que os preservativos possuem poros que deixam passar o vírus da AIDS! Será que isso é verdade?

A notícia apareceu em diversos sites e blogs na segunda semana de fevereiro de 2015 e alerta para a ineficácia do uso da camisinha para evitar o contágio do vírus da AIDS. Segundo o texto, um estudo provou que o condom de látex possui microporos que deixariam “vazar” o vírus HIV entre os parceiros.

Será que isso é verdadeiro ou falso?

Estudo provaria que o HIV pode vazar pela camisinha! Será verdade? (foto: Reprodução/Facebook)
Estudo provaria que o HIV pode vazar pela camisinha! Será verdade? (foto: Reprodução/Facebook)

 

Verdadeiro ou falso?

Mais uma vez estamos diante de um desserviço, de um boato perigoso que pode desestimular milhares de pessoas quanto ao uso do tão eficaz preservativo! Sites e blogs que espalham esse tipo de desinformação deveriam responder criminalmente por espalhar esse rumor sem o menor fundamento!

É sabido que nenhum método é 100% eficaz na proteção contra o contágio de doenças sexualmente transmissíveis. No caso da camisinha, o contágio pode ocorrer devido ao uso incorreto do preservativo e não por causa de possíveis poros que poderiam existir no látex! Por exemplo, algum contato íntimo antes ou depois do uso do preservativo onde ocorra alguma troca de fluidos corporais.

O FDA (órgão que regula e monitora os alimentos e remédios vendidos nos Estados Unidos) explica que a camisinha é eficaz na prevenção da transmissão de doenças sexualmente transmissíveis, desde que seja usada corretamente!

Boato antigo

De acordo com uma matéria publicada em 2007 na Revista Galileu, essa história sobre os possíveis poros no látex das camisinhas não passa de um boato que surgiu em 1992, mas que foi desmentido no ano seguinte pelo Instituto Nacional de Saúde dos EUA. Na ocasião, foram feitos diversos testes para verificar essa suposta porosidade, ampliado-se 2 mil vezes o látex e o observado em um microscópio eletrônico e nenhum poro foi encontrado.

Além disso, outro estudo feito na mesma época examinou as principais marcas comercializadas no mundo todo. Ampliando-as 30 mil vezes – a mesma ampliação que possibilita a visão do vírus – e, de novo, nenhum poro foi encontrado.

camisinha

Em uma carta enviada ao jornal Whashington Post, em 1992, o alerta sobre a alegada porosidade das camisinhas deixou muita gente preocupada. No entanto, Mike Roland – o autor do aviso – explicou que, em primeiro lugar, realizou seus testes com luvas cirúrgicas de borracha e não com camisinhas. Além disso, ao contrário do que muito se falou na época, Roland afirmou em sua carta que o uso da camisinha é aconselhável, pois ela protege 3 vezes mais do que quem não a usa.

Mesmo que a camisinha possuísse poros menores que o espermatozoide, é bom deixar claro que as chances de vírus passarem por eles são quase nulas, pois o HIV não se espalha sozinho (pelo ar, por exemplo). Ele precisa de algum fluído para ser transportado para o corpo do parceiro e esse fluído aglomerado, é lógico, é maior que o HIV.

Testes de qualidade

Como podemos ler aqui, todas as camisinhas passam por uma série de testes de qualidade ainda na fábrica. Um dos testes realizados é o elétrico, que consiste em enviar uma corrente elétrica através da borracha de cada preservativo. Caso haja algum furo no látex, a eletricidade “vaza” e a unidade é descartada (um bastão de metal é recoberto pelo preservativo e inserido em uma solução aquosa. Os íons presentes nesta solução são impedidos de transitar para o metal pela camisinha. Apesar de um íon ser muito maior do que um elétron, ele ainda é bem menor do que um vírus).

O portal de Saúde do Governo voltado para a AIDS explica também que as chances de ser contaminado aumentam milhares de vezes em quem não usa o preservativo!

Em uma matéria de 2011, o jornal O Globo mostrou que é grande a preocupação das empresas em relação à qualidade dos preservativos.

Mesmo nos estudos feitos em 1992 (que foram derrubados no ano seguinte), já havia o cuidado de alertar que o uso de preservativos evita 10 vezes mais o contágio do que quem não os usa!

A seguir, um vídeo que mostra a resistência de uma camisinha:

[iframe width=”600″ height=”450″ src=”https://www.youtube.com/embed/60DaLc9EZ5U” frameborder=”0″ allowfullscreen]

 

Nesse vídeo de 2013, a fábrica de preservativos Rilex mostra todas as etapadas da fabricação dos preservativos:

[iframe width=”600″ height=”450″ src=”https://www.youtube.com/embed/Jfwr8heSnzs” frameborder=”0″ allowfullscreen]

 

Para provar a total vedação de uma camisinha, encontramos diversos vídeos como esse a seguir, que mostram como deixar o seu smartphone à prova d’água:

[iframe width=”600″ height=”450″ src=”https://www.youtube.com/embed/UH1aDGOHLjQ” frameborder=”0″ allowfullscreen]

 

Conclusão

Não existem método 100% eficaz no combate à proliferação de doenças sexualmente transmissíveis, mas não deixe de usar camisinha só porque você leu em algum site que ela possui poros! Em caso de dúvidas, procure um médico.

Sugestão do leitor Filipe Cavalcanti, através do Twitter!

- Advertisement -spot_imgspot_img
Gilmar Lopes
Gilmar Henrique Lopes é Analista de Sistemas. Trabalha com PHP e banco de dados Oracle e é especializado em criação de ferramentas para Intranet. Em 2002, criou o E-farsas.com (o mais antigo site de fact checking do país!) que tenta desvendar os boatos que circulam pela Web. Gilmar também tem um espaço semanal dentro do programa “Olá, Curiosos!” no YouTube e co-apresenta o Fake em Nóis ao lado do biólogo Pirulla!
Últimas Checagens
Related news
- Publicidade -

9 COMENTÁRIOS

  1. Se o pessoal prefere acreditar em “artigos” existentes na Internet (e certamente compartilhados em blogs e no facebosta) e não vai mais usar camisinha, que não use oras.

    E que Darwin faça o seu trabalho.

  2. Essa história não é um boato, mas fruto de um estudo científico: http://www.94fmdourados.com.br/noticias/saude/uso-de-camisinha-s-protege-70-contra-aids-diz-pesquisa

    Esse estudo é de mais de 20 anos atrás, mas mesmo hoje o risco de contágio do HIV com o uso da camisinha hoje é de 5%: http://www.mdsaude.com/2011/03/como-se-pega-aids.html

    Além disso, o princípio de contágio da AIDS é o contato sanguíneo, que pode ser oriundo do contato de fissuras geradas pela fricção nas peles dos que estão se relacionando. Obviamente a pele do aparelho reprodutor é mais fina, mas a fricção e seus efeitos não se limitam a essas partes do corpo. A questão é mais estatística, porque o risco de contágio é de 5% em caso de relacionamento com um aidético, mas os aidéticos não chegam a 21 em cada 100.000 habitantes no Brasil, por exemplo: http://www.aids.gov.br/pagina/aids-no-brasil

    Saindo da estatística, não se pode ignorar o viés ideológico da propagação dos preservativos, cuja verdadeira função maior é o controle de natalidade visando a redução populacional do planeta. Creio ser esse o motivo mais importante hoje, dado que para proteção de doenças ela não ser tão eficiente: http://sustentabilidade.estadao.com.br/noticias/geral,onu-sugere-controle-de-natalidade-para-combater-aquecimento,468339

    Para encerra, fazendo uma comparação com a Segurança do Trabalho, o importante é combater o comportamento inseguro, não distribuir equipamentos de proteção individual.

    Espero ter ajudado nesse debate.

    • Pedro, sua contribuição foi mais que perfeita. Parabéns por sua colocação, com fontes comprobatórias, e por seu olhar crítico e atencioso que aponta para o verdadeiro motivo dessa discussão acerca do uso de preservativos. Como ainda tem gente que leva gato por lebre, e se acham tão espertos. Um abraço.

  3. camisinha não impede a transmissão, apenas faz diminuir a chance do contagio.

    basta interpretar o testo da matéria: “o uso de preservativos evita 10 vezes mais o contágio do que quem não os usa”

    e até no seriado friends num episódio fala que a camisinha é somente 97% eficaz

    _______

    estranho abordar um assunto que já até pararam de discutir a tempos… como se tivesse sido “pago”

  4. O e-farsas é uma grande farsa ,convido o e-farsas a vir ao meu laboratório para eu lhes provar essa matéria no meu microscópio electrónico ,todos os preservativos têm poros relativamente grandes em comparação com os vírus .

  5. O Tiago está certo, pois há estudos que PROVAM SIM que as camisinhas falham, e muito. É que lucra-se muito com a venda de preservativos, então muitos querem tapar o sol com a peneira e fingir que tá tudo bem, tá tudo legal. Tá dando dinheiro, tem muita gente comprando, e é isso que querem. Pode até atrapalhar o contágio, mas dizer que evita, isso sim é uma FRAUDE, UMA FARSA.

    http://www.altheal.org/overview/condoms.htm

    http://www.aids.gov.br/noticia/mau-caminho

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui