Connect with us

E-farsas

Um hoax quebrado em apenas 26 minutos!

Professor de História T. Mills Kelly

Um hoax quebrado em apenas 26 minutos!

Descubra conosco como um professor universitário conseguiu enganar a internet por um ano e por que ele foi desmascarado em apenas 26 minutos após lançar mais um boato na rede 4 anos depois.

O professor T. Mills Kelly há anos leciona História na Universidade George Mason, em Virginia (EUA). Em seu curso chamado Mentir sobre o Passado, Mills ensina aos alunos que não se deve acreditar em tudo o que se lê sobre o passado e que muita coisa que aprendemos sobre a história pode ser farsa.

Professor de História T. Mills Kelly

Professor de História T. Mills Kelly

E para provar como é fácil criar provas e documentos históricos falsos, T. Mills Kelly instrui seus alunos, a cada inicio de semestre, para que eles criem algum hoax, alguma história falsa sobre o passado e essa mentira tem que alcançar o maior número de pessoas possível.

O último pirata americano

Em 2008, por exemplo, os alunos criaram a fabulosa história do lendário Edward Owens, o último pirata americano que teria vivido entre 1852 e 1938. A turma de 2008 conseguiu espalhar falsos documentos por toda a web através de vídeos no Youtube, entrevistaram especialistas e até criaram uma página completa sobre ele na Wikipédia (a página atualmente foi alterada e há um alerta de que tudo não passou de um boato).

O fato é que a página criada no Wikipédia enganou várias mídias pelo mundo e, inclusive, algumas redes de TV dos Estados Unidos falaram sobre o personagem inexistente como se Edward Owens fosse real.

O Net Work World listou em janeiro de 2011 os 10 maiores enganos postados na Wikipédia e a fraude criada pela turma da turma de 2008 do professor T. Mills Kelly está entre eles.

A farsa do Último Pirata Americano só foi descoberta no final do curso, em dezembro de 2008, depois que os próprios alunos entregaram o jogo, revelando todos os truques usados para a confecção do hoax.

Tentativa da turma de 2012

Agora, em 2012, o professor T. Mills Kelly sugeriu – como faz todos os anos para seus alunos – que fosse criado algum hoax mais forte, mais curioso do que o dos anos anteriores e que esse boato histórico se espalhasse pra muito mais gente.

As ideias dos alunos foram:

A)     Uma receita de uma cerveja encontrada nos escombros de uma cervejaria onde teria sido confeccionada a primeira bandeira americana;

B)      Uma mulher encontra em um baú antigo alguns documentos que seriam indícios de que um tio morto há muito tempo poderia ter sido um serial killer que fez várias vítimas famosas em Nova York, no final do século XIX.

Falso recorte de jornal sobre o serial killer Joe Scafe

Falso recorte de jornal sobre o serial killer Joe Scafe

A falsa notícia da cerveja ninguém deu muita atenção, mas a do Joe Scafe (o serial killer) acabou ganhando a web e o hoax começou a se espalhar. O plano de ação dos alunos, a princípio, foi o mesmo dos anos anteriores: criação de documentos falsos mesclados com recortes de jornais reais, inserção de vídeos no Youtube, criação de verbetes falsos no Wikipedia e ampla divulgação nas redes sociais. O erro da turma de 2012 foi incluir o Reddit entre as ferramentas para espalhar o rumor. Em apenas 26 minutos, a farsa foi descoberta.

Para quem não conhece, o Reddit é um serviço que funciona da seguinte maneira: os usuários sugerem algum link e os demais votam e comentam sobre o que foi postado. Os links mais votados ganham destaques na página inicial do site. 26 minutos após ser postado no Reddit, um usuário percebeu que o verbete sobre o tal serial killer havia sido incluído há poucos dias no Wikipédia e que várias das imagens mostradas como sendo documentos antigos eram, na verdade, montagens grosseiras.

Estamos ficando mais espertos?

Como já mostramos aqui no E-farsas, antigamente era muito mais difícil se pesquisar a respeito de uma história que circula pela web do que hoje em dia. Além disso, os usuários dessa tal de internet já estão mais descolados no assunto (já era tempo, hein?)

Na opinião do jornal The Atlantic, o internauta ainda não está tão esperto como imaginamos (basta dar uma olhada naquela falsa notícia que dizia que o ex-presidente Abraham Lincoln seria o inventor do Facebook).

Segundo o Atlantic, a forma como cada comunidade funciona determina um sucesso ou um fracasso de disseminação de um hoax. A Wikipédia – diz o Atlantic – tem uma comunidade fraca, porém centralizada enquanto que em outras comunidades [Facebook] vários usuários podem repassar as informações de formas diversas e até alguém descobrir a farsa demora um tempo.

Conclusão

É… Parece que os alunos do professor T. Mills Kelly não irão passar de ano!

Sites pesquisados

 

Gilmar Henrique Lopes é Analista de Sistemas e, em 2002, criou o E-farsas.com (o mais antigo site de fact checking do país!) que tenta desvendar os boatos que circulam pela Web. Gilmar é o autor do livro "Caçador de Mentiras" pela Editora Matrix e da aventura de ficção infantojuvenil "Marvin e a Impressora Mágica"!

Comentários

Mais Checagens em

To Top