17.2 C
São Paulo
quinta-feira, setembro 16, 2021

Uma mulher engravidou após usar o sabonete do cunhado?

- Publicidade -

Será verdade que uma mulher de Camaçari, no Espírito Santo, teria engravidado ao usar o sabonete do cunhado? 

A notícia surgiu em diversos sites e blogs no final de maio de 2020 e fala sobre uma confusão que teria ocorrido em uma delegacia na cidade capixaba de Camaçari, há poucos dias.

Segundo o texto, o marido teria descoberto por meio de um exame de DNA que o filho do casal não era dele, mas do irmão e, ao questionar a esposa, esta lhe respondeu que nunca teve relações íntimas com o cunhado (um jovem de 17 anos de idade) e que possivelmente teria engravidado após usar um sabonete em comum.

Será que essa notícia é verdadeira ou falsa?

Mulher teria engravidado ao usar o sabonete do cunhado! Será verdade? (foto: reprodução/WhatsApp)

Verdade ou mentira?

Procuramos por essa notícia nos principais jornais sérios do Espírito Santo, como o Folha de Vitória, o Gazeta  e o ESHoje, por exemplo, e não encontramos nada a respeito.

Além disso, os sites que publicaram essa história em maio de 2020 afirmaram que o fato teria ocorrido recentemente, mas basta uma busca na web para descobrirmos que isso já circulou no começo de novembro de 2019 e, da mesma forma, sem nenhuma fonte.

Não há nenhum dado que comprove o ocorrido, como o nome do delegado ou em qual delegacia a briga teria ocorrido.

Conforme bem observado por nossos leitores, mais uma prova de que essa história é falsa é o fato de não existir uma cidade chamada Camaçari no Espírito Santo. Há uma cidade com esse nome apenas na Bahia!

Conclusão       

A história da mulher que teria engravidado ao usar o sabonete do cunhado tem todas as características de uma “fake news”, de uma notícia falsa!  

- Publicidade -
Gilmar Lopes
Gilmar Henrique Lopes é Analista de Sistemas. Trabalha com PHP e banco de dados Oracle e é especializado em criação de ferramentas para Intranet. Em 2002, criou o E-farsas.com (o mais antigo site de fact checking do país!) que tenta desvendar os boatos que circulam pela Web. Gilmar também tem um espaço semanal dentro do programa “Olá, Curiosos!” no YouTube e co-apresenta o Fake em Nóis ao lado do biólogo Pirulla!

Últimas Atualizações

- Publicidade -

Ajude a Manter o E-farsas

Checagens Relacionadas

14 COMENTÁRIOS

  1. Como postei naquela matéria da “Enfermeira flagrada transando”, sites e/ou jornais SÉRIOS não devem ficar “FLERTANDO” ou nem mesmo publicar algo a respeito dessas Fake News, leia-se: DAR PALCO, pois o “NÃO ENCONTRAMOS NADA A RESPEITO” muitas vezes ajuda e muito. A NÃO SER QUE tais sites sejam Agências de Fact-Checking, tenham alguma divisão dentro ou a Fake News tenha viralizado, polemizado a ponto de prejudicar e/ou enganar muita gente e, de preferência, mencionando alguma Agência de Fact-Checking que já tenha investigado. 😉

  2. Como postei naquela matéria da “Enfermeira flagrada transando”, sites e/ou jornais SÉRIOS não devem ficar “FLERTANDO” ou nem mesmo publicar algo a respeito dessas Fake News, leia-se: DAR PALCO, pois o “NÃO ENCONTRAMOS NADA A RESPEITO” muitas vezes ajuda e muito. A NÃO SER QUE tais sites sejam Agências de Fact-Checking, tenham alguma divisão dentro ou a Fake News tenha viralizado, polemizado a ponto de prejudicar e/ou enganar muita gente e, de preferência, mencionando alguma Agência de Fact-Checking que já tenha investigado. 😉

  3. Sérgio Boeck Lüdtke, editor do Projeto Comprova, relatou na CPMI das Fake News que teve muita dificuldade e ALTOS CUSTOS para desmentir uma das Fake News a respeito das queimadas na Amazônia. Na minha opinião, esse é um método “errado” ou, no mínimo, improdutivo e ineficiente pois ele arcou com os CUSTOS da investigação (links abaixo) que não será ressarcido. É mais fácil, eficiente e simples constatar e dizer que “NÃO ACHAMOS NADA A RESPEITO” e classificar como CONSPIRATÓRIO (custo praticamente ZERO e sem o perigo de levar Processos para as Agências de Fact-Checking). O sujeito que criou/espalhou o boato que SE VIRE para provar, arcando com TODOS OS CUSTOS. 😉

    https://senado.jusbrasil.com.br/noticias/777738426/cpi-especialistas-apontam-alto-custo-e-dificuldades-tecnicas-no-combate-a-fake-news

    https://politica.estadao.com.br/blogs/estadao-verifica/comprova-explica-aviao-nao-apagava-incendio-na-amazonia-brasileira-mas-sim-na-bolivia/

  4. Sérgio Boeck Lüdtke, editor do Projeto Comprova, relatou na CPMI das Fake News que teve muita dificuldade e ALTOS CUSTOS para desmentir uma das Fake News a respeito das queimadas na Amazônia. Na minha opinião, esse é um método “errado” ou, no mínimo, improdutivo e ineficiente pois ele arcou com os CUSTOS da investigação (links abaixo) que não será ressarcido. É mais fácil, eficiente e simples constatar e dizer que “NÃO ACHAMOS NADA A RESPEITO” e classificar como CONSPIRATÓRIO (custo praticamente ZERO e sem o perigo de levar Processos para as Agências de Fact-Checking). O sujeito que criou/espalhou o boato que SE VIRE para provar, arcando com TODOS OS CUSTOS. 😉

    https://senado.jusbrasil.com.br/noticias/777738426/cpi-especialistas-apontam-alto-custo-e-dificuldades-tecnicas-no-combate-a-fake-news

    https://politica.estadao.com.br/blogs/estadao-verifica/comprova-explica-aviao-nao-apagava-incendio-na-amazonia-brasileira-mas-sim-na-bolivia/

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui