20.6 C
São Paulo
sexta-feira, maio 27, 2022

Uma professora foi despedida por não miar para um aluno que se identifica como gato?

- Publicidade -

É verdade que uma escola despediu uma professora que se recusou a miar de volta para um aluno que se identifica como gato?

A notícia surgiu em diversos sites e blogs na segunda quinzena de janeiro de 2022 e afirma que uma professora teria sido demitida por uma escola após se recusar a miar de volta para um aluno que se identifica como um gato.

Será que essa história é verdadeira ou falsa?

Professora teria sido despedida de uma escola por se recusar a miar para um aluno que se identifica como gato! Será verdade? (foto: Reprodução/Twitter)

Verdade ou mentira?

A notícia que também foi bastante compartilhada nas redes sociais é bem vaga e não cita dados importantes para a averiguação, como o nome da professora ou o nome da escola onde o fato teria ocorrido. Em algumas versões, o texto  cita o link de um vídeo do TikTok, em inglês, de uma mulher falando sobre o caso, mas sem citar a demissão.

Como encontramos poucas informações sobre isso em português, passamos a buscar sobre o assunto em outros idiomas e descobrimos que essa história começou em inglês – no dia 11 de janeiro de 2022 – quando uma mulher que se apresenta como professora substituta em seu perfil do TikTok publicou um vídeo contando que havia se recusado a miar para um de seus alunos:

@crazynamebridgetmichael

a typical day of subbing! can’t make this up . #substituteteacher #substitute #teachers #crazy #studentslife #classroomcraziness #lovinglife

♬ original sound – bridget

“[…]Então ouço ‘miau!’ Eu estou tipo, ‘Ok, o que há com isso? Quem está fazendo isso?’ E essa garotinha na primeira fila diz: ‘Você tem que miar de volta para ele; ele se identifica como um gato.’ Você está brincando comigo?”, diz a mulher no vídeo

De acordo com outros vídeos publicados pela mulher – que se chama Bridget Maas – ela é professora substituta no ensino médio e essa história sobre o miado do aluno é falsa. Foi criada por ela justamente como um exercício para “criar consciência” do que as crianças estão passando na escola.

A mulher disse que, dias depois de publicar o vídeo, encontrou vários meios de comunicação reproduzindo a história sem sequer entrar em contato com ela para confirmar os fatos.

Nessa outra postagem, a mulher mostra canais do YouTube que reproduziram a sua criação:

@crazynamebridgetmichael

#greenscreen Crazy times to be a substitute teacher. #substituteteacher #substitueteachers #genxkid #genxtiktokers #over50andfabulous

♬ Oh No – Kreepa

- Publicidade -

Em outro vídeo, publicado no dia 24 de janeiro, a professora explicou que tudo não passou de uma invenção dela, que nunca foi demitida e que pode ver como as fake news são criadas:

@crazynamebridgetmichael

#greenscreen Crazy times to be a substitute teacher. #substituteteacher #substitueteachers #genxkid #genxtiktokers #over50andfabulous

♬ Oh No – Kreepa

“Sou grata pelas pessoas que me procuraram e me perguntaram sobre isso, mas estou decepcionada… como são feitas as fake news. Não fui demitida”, disse a mulher em um vídeo.

Conclusão

A história afirmando que uma professora teria sido demitida por não miar para um aluno que se identifica como gato é falsa! Tudo começou com um vídeo fictício de uma professora norte-americana que foi espalhado com um texto afirmando que ela havia sido demitida!

- Publicidade -
Gilmar Lopes
Gilmar Henrique Lopes é Analista de Sistemas. Trabalha com PHP e banco de dados Oracle e é especializado em criação de ferramentas para Intranet. Em 2002, criou o E-farsas.com (o mais antigo site de fact checking do país!) que tenta desvendar os boatos que circulam pela Web. Gilmar também tem um espaço semanal dentro do programa “Olá, Curiosos!” no YouTube e co-apresenta o Fake em Nóis ao lado do biólogo Pirulla!

Últimas Atualizações

- Publicidade -

Ajude a Manter o E-farsas

Checagens Relacionadas

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui