Droga que mata em 3 dias chegou no Brasil?

Share Button

É verdade que uma nova droga muito perigosa que chegou no Brasil mata o usuário em 3 dias?

A reportagem em forma de alerta começou a se espalhar na web no começo de março de 2017. De acordo com a matéria, uma droga chamada Krokodyl (apelidada aqui no Brasil “carinhosamente” de “a droga do apocalipse“) estaria chegando no nosso país e fazendo inúmeras vítimas!

O que diferenciaria essa droga das demais é que, além de ser muito mais barata que as outras drogas, ela possui um alto grau de toxidade, matando o usuário em apenas 3 dias!

O usuário dessa droga, de acordo com o texto bastante compartilhado, começa a ficar com a pele irritada e, em poucas horas, começa a apresentar sinais de gangrena e partes do seu corpo começam a apodrecer!

Será que essa história é verdadeira ou falsa?

Quando o efeito da Krokodil passa, as dores são terríveis! Será que essa droga chegou ao Brasil?

Verdade ou farsa?

A primeira questão que devemos levantar aqui nessa “notícia” é: Qual é a vantagem de se inventar uma droga que mata o usuário em tão pouco tempo? Os traficantes iriam falir em pouco tempo por falta de clientes…

A verdade é que droga Krokodyl existe, ou existiu, e é realmente terrível para o organismo conforme já mostramos aqui no E-farsas em 2013. No entanto, conforme apuramos na época, usuários dessa droga vivem em média 3 anos!

Criada em 2002 na Sibéria, a Krokodyl se espalhou pela Europa, mas até a publicação desse artigo não encontramos nenhum caso no Brasil.

Conclusão

A droga Krokodyl existe mesmo e é muito prejudicial para a saúde! O assunto fez um certo sucesso em 2010 e não houve casos confirmados de seu uso aqui no Brasil até a publicação desse artigo!

Share Button
Falso, Morte, Saúde
, , , , , , , , , , ,

Comente pelo Facebook

2 comentários

    • Alan Souza

      Cloud Nine não é nenhuma novidade. Está incluída na lista de drogas ilegais dos EUA e do Brasil desde 2011. É um estimulante sintético, de efeito similar ao ecstasy (mais potente), e cujo consumo inclusive vem decaindo há dois anos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *