Conecte com a gente

E-farsas – Desvendando fake news desde 2002!

E-farsas – Desvendando fake news desde 2002!

Foto mostra uma imigrante amamentando seu filho na fronteira dos Estados Unidos com o México?

Fora de Contexto

Foto mostra uma imigrante amamentando seu filho na fronteira dos Estados Unidos com o México?

Foto mostra uma imigrante amamentando seu filho na fronteira dos Estados Unidos com o México?

Na noite de ontem (25), nos deparamos com uma foto, no Facebook, que para algumas pessoas sequer precisaria de legenda ou rótulos. Segundo uma determinada publicação, a foto retrataria um casal mexicano na fronteira dos Estados Unidos com o México, sendo possível ver a mãe amamentando seu filho por trás de uma grade.

Publicação realizada ontem (25) no Facebook.

Essa foto também foi disseminada ontem, novamente no Facebook, mas sem qualquer tipo de legenda, através do perfil verificado de um humorista e ator italiano chamado “Natalino Balasso” (arquivo). Uma vez que não havia qualquer tipo de descrição, múltiplas interpretações e associações foram feitas pelos seguidores de Natalino. Já no Twitter, essa foto circulou na véspera do Natal (24) e foi associada a crise imigratória na fronteira dos Estados Unidos com o México.

Entretanto, será que a foto realmente retrata um casal mexicano? A mãe estava presa e amamentando seu filho atrás das grades ou do outro lado da fronteira? Descubra a verdade agora, aqui, no E-Farsas!

Verdadeiro ou Falso?

Fora de Contexto! Embora a foto seja verdadeira (no sentido de não ter sido manipulada digitalmente), não se trata de um casal de mexicanos, tampouco a foto foi tirada na fronteira dos Estados Unidos com o México! Segundo o site de notícias “Informate Acá”, essa foto foi tirada por um fotógrafo da rádio “FM de la Calle” na cidade portuária de Bahía Blanca, na Argentina, em 13 de janeiro 2013!

A foto foi tirada por um fotógrafo da rádio “FM de la Calle” na cidade portuária de Bahía Blanca, na Argentina, em 13 de janeiro 2013.

Naquela época, cerca de 50 famílias (algumas fontes citavam 250) ocuparam ilegalmente imóveis que estavam em construção com base no “Plan Federal de Viviendas” (um programa de provisão habitacional federal argentino que lembra o “Minha Casa, Minha Vida”) localizados no bairro Villa Delfina. Autoridades municipais haviam dado um prazo para que as pessoas desocupassem os imóveis e, alguns dias antes, a polícia cercou o local com um alambrado para impedir a entrada (o “ir e vir”) dos ocupantes. A energia elétrica e o abastecimento de água também foram cortados.

Portanto…

Assim sendo, podemos imaginar que o casal acabou sendo separado de forma “involuntária”. A mãe muito provavelmente foi impedida de entrar (o pai também não quis deixar o local), e acabou amamentando o filho através do alambrado. Enfim, não entraremos no mérito da ocupação dos imóveis, visto que esse não é o objetivo do nosso artigo. Contudo, de qualquer forma, o registro é evidentemente triste. A ocupação durou cerca de 12 dias.

Confira abaixo algumas reportagens e entrevistas com que foram feitas sobre essa situação (em espanhol):

Entre em contato com o E-farsas

(11) 96075-5663 - t.me/efarsas

Vale lembrar nesse ponto, que em 2013 a Argentina era governada por Cristina Kirchner (um governo considerado “de esquerda”). Atualmente, ela ocupa o cargo de vice-presidente do país.

Obras Retomadas e a Entrega das Primeiras Casas

As obras foram retomadas no fim de janeiro de 2013! Já os primeiros imóveis foram entregues as famílias previamente cadastradas/sorteadas do “Plan Federal” em julho daquele ano.

Novas casas foram construídas no bairro ao longo dos anos seguintes, mas sempre mediante avanços e paralisações nas obras. O principal motivo dos atrasos era a falta de verbas públicas. A qualidade das casas também se tornou um ponto questionável, visto que, numa notícia publicada no site de notícias “Canal Siete”, em junho de 2018, foram mencionadas que 33 casas tinham problemas estruturais (fissuras nas paredes).

Conclusão

Fora de Contexto! Embora a foto seja verdadeira (no sentido de não ter sido manipulada digitalmente), não se trata de um casal de mexicanos, tampouco a foto foi tirada na fronteira dos Estados Unidos com o México! A foto foi tirada em janeiro de 2013 durante uma ocupação ilegal de moradias populares em Bahía Blanca, na Argentina. Para forçar a desocupação dos imóveis a polícia cercou a área com um alambrado. Logo, podemos imaginar que o casal acabou sendo separado de forma “involuntária”. A mãe muito provavelmente foi impedida de entrar (o pai também não quis deixar o local), e acabou amamentando o filho através do alambrado.

Portanto, a foto não tem nada a ver com os Estados Unidos, o México ou qualquer crise migratória.

Continue lendo
5 Comentários

5 Comments

  1. Marcondes

    27 de dezembro de 2019 em 0:15

    Parabéns. Provastes imparcialidade, sucesso no combate a fake news

  2. Pedro Lucio Ribeiro

    27 de dezembro de 2019 em 6:36

    Não sei por que as pessoas dão importância para situações em que a mãe tem de amamentar em público. Para mim, é normal tanto quanto uma adolescente tomar um sorvete na rua, ou uma comer um doce na rua ou numa doceria… O povo tem a mente muito erotizada. Isto é doença! Será que Freud explica?

    • Cesar Crash

      1 de janeiro de 2020 em 11:55

      Neste caso, a questão na é amamentar em público, é ela estar separada da criança e precisar amamentar através da grade.

  3. Pedro Lucio Ribeiro

    27 de dezembro de 2019 em 6:38

    faltou uma palavra: ou uma SENHORA comer um doce na rua ou numa doceria…

  4. Carlos

    27 de dezembro de 2019 em 9:37

    Eu só gostaria de saber o que leva certas pessoas inventarem notícias falsas e ainda ter gente comentando como se fossem verdadeiras.É só ter um pouco de discernimento para saber que isso seria impossível acontecer numa fronteira tão vigiada como a dos EUA e México.

Deixe uma Resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mais Populares

Ajude a Manter o E-farsas!

Categorias

Parceiros

Voltando a Circular

Publicidade

Apoio técnico!

Topo