24 C
São Paulo
sexta-feira, dezembro 2, 2022

A enfermeira que gravou áudio de Bolsonaro xingando ela foi demitida?

- Publicidade -

É verdade que a enfermeira que gravou o áudio do candidato à Presidência Jair Bolsonaro a xingando no hospital foi demitida?

A notícia apareceu nas redes sociais no dia 21 de setembro de 2018 e ganhou notoriedade através de milhares de compartilhamentos também através dos grupos no WhatsApp. De acordo com o texto, Conceição – a enfermeira que teria gravado o áudio em que Bolsonaro a chama de “puta”, foi demitida do hospital Albert Einstein onde o político estava internado!

A mulher, que teria vindo de Nova Guiné, teria afirmado que não se arrepende do que fez e que pretende continuar no Brasil.

Juntamente com o texto, uma foto mostra uma jovem mulher, segurando um aparelho que ela teria escondido no bolso do avental de enfermeira, enquanto gravava o áudio.

Será que essa notícia é verdadeira ou falsa?

Reprodução/Facebook

Verdade ou mentira?

Em algumas publicações, o assunto rendeu centenas de milhares de compartilhamentos no Facebook, mas só que essa notícia é totalmente falsa!

Em primeiro lugar, já mostramos aqui no E-farsas que o áudio mostrando uma voz parecida com a do Bolsonaro xingando uma enfermeira é falso. Para quem ainda não viu, fizemos aqui um vídeo analisando alguns pontos que denunciam a farsa.

Apenas com essa constatação, já podemos afirmar com certeza que ninguém foi demitido por causa disso. Afinal, essa história de áudio vazado é balela.

- Publicidade -

Quanto à foto, a moça nada tem a ver com nada e sequer mora no Brasil. Alguém pegou uma foto aleatória na web e a usou para tentar enganar as pessoas no Facebook.

Um detalhe na foto nos ajudou a desvendar a sua origem. Note nesse zoom o nome do bar:

Reprodução/Facebook

O bar, na verdade, se chama Cervejaria Fininho e fica em Luanda, em Angola. Veja as fotos da cervejaria na página do estabelecimento no Facebook! 

A moça realmente se chama Conceição e é uma linda estudante que mora na mesma cidade onde funciona a cervejaria. A foto foi tirada em agosto de 2018.

Conclusão

A notícia da enfermeira que teria sido despedida por ter gravado o áudio de xingamento do Bolsonaro é falsa!

- Publicidade -
Gilmar Lopes
Gilmar Henrique Lopes é Analista de Sistemas. Trabalha com PHP e banco de dados Oracle e é especializado em criação de ferramentas para Intranet. Em 2002, criou o E-farsas.com (o mais antigo site de fact checking do país!) que tenta desvendar os boatos que circulam pela Web. Gilmar também tem um espaço semanal dentro do programa “Olá, Curiosos!” no YouTube e co-apresenta o Fake em Nóis ao lado do biólogo Pirulla!

Últimas Atualizações

- Publicidade -

Ajude a Manter o E-farsas

- Publicidade -

Checagens Relacionadas

11 COMENTÁRIOS

  1. MINHA ANÁLISE DEFINITIVA EM RELAÇÃO AO EPISÓDIO DO SUPOSTO ÁUDIO GRAVADO DE BOLSONARO PERDENDO O CONTROLE E XINGANDO UMA ENFERMEIRA.

    Perceba que do nada, em meio a recuperação de Bolsonaro, surge uma gravação ao que dizem ser sua voz nela se descontrolando e xingando, inclusive uma das enfermeiras. Nesse mesmo áudio há outra que se acredita ser do Eduardo, seu filho, dizendo “calma, calma…”.

    Agora vamos analisar.

    O que se alega é que a enfermeira que foi supostamente agredida verbalmente por Bolsonaro é quem fez a gravação do áudio. Tanto que a notícia que circula é “AFINAL O ÁUDIO É VERÍDICO? ENFERMEIRA QUE GRAVOU ÁUDIO DE BOLSONORO FOI DEMITIDA.” Inclusive, essa mesma notícia diz que ela manteve o celular no bolso do avental de enfermeira, enquanto gravava o áudio.
    Então, não há o que se discutir quanto ao fato de que ela teria que estar no local, no mesmo ambiente onde toda a discussão ocorreu para conseguir captar o áudio e fazer a gravação.

    Agora vamos tratar da veracidade desta gravação.

    Bom, como já disse, para ela ter conseguido captar o áudio e gravá-lo em seu celular, ela teria que estar no mesmo ambiente em que ocorreu toda a cena de descontrole e xingamento, correto? Lembrando, mais uma vez que este celular estava dentro do bolso do avental de enfermeira.

    Agora note alguns trechos da gravação:

    “…Tá com medo do quê? Tá com medo do quê? Da enfermeira ouvir? AQUELA puta! Vagabunda!”
    “…Nem pra tirar uma injeção AQUELA puta sabe!”

    Notou a palavra “AQUELA” no áudio?

    Se a enfermeira estivesse no mesmo ambiente onde ocorreu toda discursão, por que então Bolsonaro usaria a palavra “AQUELA” a invés de usar “ESSA”?

    Se assim fosse, o diálogo deveria ser dessa forma:

    “…Tá com medo do quê? Tá com medo do quê? Da enfermeira ouvir? ESSA puta! Vagabunda!”
    “…Nem pra tirar uma injeção ESSA puta sabe!”

    Inclusive, ao dizer ““…Tá com medo do quê? Tá com medo do quê? Da enfermeira ouvir?”, só deixa mais claro que ela não se encontrava próximo a eles, no mesmo ambiente.

    E tem mais, para acionar a gravação e captar o áudio adequadamente, ela precisaria realmente estar próximo, no mesmo ambiente. E se realmente estivesse próximo, Bolsonaro não iria se referir como AQUELA, mas sim como ESSA. Além disso, como já dito, durante a suposta gravação, o celular estava no bolso do avental de enfermeira, segundo foi noticiado. Agora me diga, como seria possível ela conseguir esse nível de qualidade na gravação do áudio estando ela distante do local e ainda com o celular dentro do bolso do avental?

    Diante disse, conclua você se essa esparrela toda contra Bolsonaro é verdade ou mais uma FAKE NEWS contra ele.

    De uma coisa eu tenho certeza, a Esquerda e o PT vão lançar mão das mais sórdidas e absurdas mentiras para tentar derrubar Jair Messias Bolsonaro.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui