Conecte com a gente

E-farsas – Desvendando fake news desde 2002!

E-farsas – Desvendando fake news desde 2002!

Frase sobre contagem de votos foi dita pelo ex-ditador Joseph Stalin?

Indeterminado

Frase sobre contagem de votos foi dita pelo ex-ditador Joseph Stalin?

Frase sobre contagem de votos foi dita pelo ex-ditador Joseph Stalin?

Inúmeras alegações infundadas e não comprovadas de fraude no primeiro turno (ou turno único dependendo da cidade) sobre as eleições municipais de 2020 foram disseminadas nas redes sociais, principalmente através do Twitter.

Interessante destacar que a lentidão e as constantes falhas no aplicativo e-Título, as enganosas alegações de que um suposto ataque hacker teria violado a segurança do sistema do TSE, e a lentidão no início da apuração dos votos foram os principais combustíveis para o comportamento caótico que vimos ontem. Associado a esses fatores a narrativa de fraude também foi perpetrada, principalmente, por candidatos sumariamente derrotados nas urnas, e por um determinado espectro político inconformado com a perda da influência e eleitores em diversos municípios considerados estratégicos.

Na esteira do que vimos ontem, o deputado federal Eduardo Bolsonaro mencionou uma suposta frase atribuída ao ex-ditador Joseph Stalin (arquivo):

Quem vota e como vota não conta nada; quem conta os votos é que realmente importa

Tuíte do deputado federal Eduardo Bolsonaro.

Desde então, a frase já obteve mais de 2,7 mil compartilhamentos e quase 10 mil curtidas.

Entretanto, será que Joseph Stalin disse ou realmente escreveu isso? Descubra agora, aqui, no E-farsas!

Verdadeiro ou Falso?

Indeterminado! Não encontramos evidências sólidas de que o ditador Joseph Stalin teria dito isso! Ao longo de nossa pesquisa encontramos apenas evidências meramente anedóticas de que Joseph Stalin teria dito uma frase semelhante a essa. Além disso, não há consenso sobre quando isso teria exatamente acontecido, nem quaisquer registros oficiais, tais como: documentos, discursos oficiais etc.

Independentemente de Stalin ter dito ou não essa frase, nada indica que ele tenha sido o autor original! Há um registro de 1871, por exemplo, de uma frase sendo utilizada para se referir ao político democrata William M. Tweed, que sucita esse mesmo sentimento. Logo, a única coisa que isso prova é que esse sentimento a respeito da confiabilidade sobre votações eleitorais é bem mais antigo que Joseph Stalin, e não foi utilizado apenas por um único “lado” do espectro político!

Um Livro Chamado “Memórias de um Secretário de Stalin” de Boris Bazhanov

Boris Bazhanov foi secretário pessoal do líder soviético Joseph Stalin de agosto de 1923 a 1925, e ocupou várias proeminentes posições de secretariado no Politburo até desertar da União Soviética em 1928. Posteriormente, ele recebeu cidadania francesa e sobreviveu às subsequentes tentativas de assassinato, escrevendo e publicando memórias sobre Stalin, e os segredos por trás do seu regime, ao longo da década de 1930.

Em 1980, Bazhanov publicou um livro chamado “Memórias de um Secretário de Stalin“, onde ele caracterizou a personalidade do ex-ditador, assim como seus métodos de alcançar o poder, além das intrigas políticas no Kremlin.

No livro há um trecho de uma situação, que Boris alegou ter presenciado numa reunião do Politiburo, em dezembro de 1923:

Na verdade, sua opinião sobre Zinoviev e Kamenev não é interessante. Eles estão convencidos que, sobre questões de estratégia política, Stalin não tem nenhum interesse.  Kamenev é muito educado e diplomático. Então, ele disse: ‘E você, camarada Stalin, o que pensa sobre esta questão?’ ‘Ah’, diz o camarada Stalin, que indaga: ‘Qual era a questão (de fato, muitas questões foram levantadas), Kamenev? Tentando condescender ao nível de Stalin, ele disse: ‘A questão de como ganhar a maioria no partido.’. Stalin respondeu: “Vocês sabem, camaradas, o que eu acho sobre isso: creio que, na verdade, não importa quem e como votará no partido; o que é extremamente importante é quem e como fará a contagem dos votos’“.

Trecho do livro “Memórias de um Secretário de Stalin” de Boris Bazhanov.

Embora muito próximo a Stalin, estamos diante de um relato meramente anedótico de um desertor. Não há nenhum outro depoimento nesse sentido. Para afirmamos de maneira categórica, que Stalin disse isso, teríamos que confiar plenamente numa única fonte. E, como bem sabemos, isso é altamente problemático.

Interessante destacar também que a frase de Stalin se refere a uma eleição partidária, não de uma eleição geral, até mesmo porque Stalin não era nada democrático.

O “Dicionário Enciclopédico de Palavras e Expressões de Serov Vadim Vasilievich”

Uma frase semelhante aparece atribuída ao ex-ditador Joseph Stalin no chamado “Вадим Васильевич Серов Энциклопедический словарь крылатых слов и выражений” (“Dicionário Enciclopédico de Palavras e Expressões de Serov Vadim Vasilievich”).

Eis o que é mencionado na página 378 desse dicionário:

“‘Não importa como eles votaram, o mais importante é como eles contaram.’

Acredita-se que essas palavras foram ditas por Joseph Stalin (1878-1953) em 1934, no 17º Congresso do PCUS, a respeito dos procedimentos sobre a eleição para Secretário Geral do PCUS, no qual ele venceu.

Trecho do “Dicionário Enciclopédico de Palavras e Expressões de Serov Vadim Vasilievich”.

No entanto, não foi oferecida nenhuma prova que Stalin realmente disse isso, ou seja, é uma alegação totalmente anedótica.

Entre em contato com o E-farsas

(11) 96075-5663 - t.me/efarsas

A Atribuição de uma Frase Semelhante ao Ditador da Nicarágua Anastasio “Tachito” Somoza Debayle

Há também uma frase que diz:

Na verdade, você venceu as eleições, mas eu venci a votação

Essa frase aparece atribuída ao ex-ditador da Nicarágua, Anastasio “Tachito” Somoza Debayle. A fonte indicada pelo “Dicionário de Citações de Columbia” aponta para uma matéria do jornal britânico “The Guardian”, de 17 de junho de 1977. Outros livros e dicionários de citações (1,2,3,4,5) tambem mencionam que o ex-ditador teria dito isso em resposta a um oponente, que o acusou de fraudar as eleições.

A matéria do “The Guardian” seria intitulada “The Spanish left settles down for the long haul“, e de autoria do jornalista britânico Richard Gott. Infelizmente, no entanto, não conseguimos encontrar uma cópia disponível publicamente para mostrarmos a vocês.

A Frase Não Teria Sido Originalmente Cunhada por Joseph Stalin!

Diante de um inconformismo político, essa frase sempre é usada para atacar regimes democráticos numa tentativa de associá-los com ditaduras. Nada melhor que a figura de Joseph Stalin para tentar implantar uma narrativa que as eleições seriam fraudadas ou manipuladas por uma “esquerda” totalitária.

Contudo, nada indica que Joseph Stalin foi a primeira pessoa a dizer algo semelhante.

Confira abaixo uma pequena lista!

Contanto que eu conte os votos, o que você vai fazer a respeito? Falar?

Essa frase aparece logo abaixo de uma charge do cartunista Thomas Nast, onde mostra William M. Tweed, um político norte-americano do Partido Democrata, apoiado em uma mesa de votação com os rótulos: “A cédula” e “Na contagem há força”. Aliás, a frase aparece atribuída ao político, mas não encontramos evidências sólidas que a frase tenha sido dita ou escrita por ele.

Quando e onde isso foi publicado? Numa revista política chamada “Harper’s weekly“, em 7 de outubro de 1871.

Trecho da revista política “Harper’s weekly”, em sua edição do dia 7 de outubro de 1871.

Não me importo com quem vota numa nação, desde que eu possa contar os votos

Essa frase apareceu no editorial do jornal “The New York Times” em 26 de maio de 1880! A frase foi atribuída a ninguém menos que Napoleão militar, líder político e imperador dos franceses. Contudo, não foi mencionada a fonte dessa citação!

Essa frase apareceu no editorial do jornal “The New York Times” em 26 de maio de 1880!

Uma eleição envolve mais do que mera votação, meu rapaz, pois, assim como um eminente americano disse uma vez: “Não me importo com quem vota numa nação, se me deixarem fazer a contagem.

Essa frase é mencionada num trecho de um romance escrito por George Creel, em 1922, chamado “Uncle Henry.

 “Não é poder votar que é a democracia, é a contagem

Essa frase aparece num diáologo de uma peça teatral chamada “Jumpers“, de Tom Stoppard, que foi encenada pela primeira vez em 1972. Ela explora e satiriza o campo da filosofia acadêmica, comparando-o a uma exibição de ginástica competitiva e pouco hábil.

Essa frase aparece num diáologo de uma peça teatral chamada “Jumpers”, de Tom Stoppard, que foi encenada pela primeira vez em 1972.

Conclusão

Indeterminado! Não encontramos evidências sólidas de que o ditador Joseph Stalin teria dito isso! Ao longo de nossa pesquisa encontramos apenas evidências meramente anedóticas de que Joseph Stalin teria dito uma frase semelhante a essa. Além disso, não há consenso sobre quando isso teria exatamente acontecido, nem quaisquer registros oficiais, tais como: documentos, discursos oficiais etc.

Independentemente de Stalin ter dito ou não essa frase, nada indica que ele tenha sido o autor original! Há um registro de 1871, por exemplo, de uma frase sendo utilizada para se referir ao político democrata William M. Tweed, que sucita esse mesmo sentimento. Logo, a única coisa que isso prova é que esse sentimento a respeito da confiabilidade sobre votações eleitorais é bem mais antigo que Joseph Stalin, e não foi utilizado apenas por um único “lado” do espectro político!

Continue lendo

Jornalista, redator, e pesquisador de comunicação social com foco no combate a disseminação de notícias falsas. Colaborador do site de verificação de fatos E-farsas.com desde janeiro de 2019. Entre junho de 2015 e abril de 2018, trabalhei como redator do blog AssombradO.com.br, além de roteirista do canal AssombradO, no YouTube, onde desmistificava todos os tipos de engodos pseudocientíficos, além de casos supostamente sobrenaturais.

4 Comentários

Mais Populares

Ajude a Manter o E-farsas!

Categorias

Parceiros

Voltando a Circular

Publicidade

Apoio técnico!

Topo