16.9 C
São Paulo
quinta-feira, setembro 16, 2021

A vacina contra a febre amarela é um veneno mortal?

- Publicidade -

Texto que circula através das redes sociais afirma que depois de vacinarem 40 milhões de pessoas, descobriram que a vacina contra a febre amarela é um veneno mortal! Será?

Um alerta começou a ser amplamente compartilhado na web no final da primeira quinzena de março de 2017. De acordo com o texto, após o Governo já ter vacinado 40 milhões de pessoas é que se descobriu que a vacina contra a febre amarela ataca diretamente o sistema nervoso, causando problemas de respiração, paralisia e pode até levar à morte.

A reportagem ainda denuncia que na própria bula é revelado que a vacina nunca foi submetida a ensaios clínicos científicos: “Não houve estudos controlados que demonstrem adequadamente uma diminuição na doença influenza após a vacinação com Flulaval”, é o que se pode ler no folheto informativo num texto minúsculo que ninguém lê.

Será que esse alerta é real? A vacina contra a febre amarela é um veneno?

Após vacinarem 40 milhões de brasileiros é que descobriram que a vacina contra a febre amarela é um veneno mortal! Será verdade? (foto: Reprodução/Facebook)

Verdadeiro ou falso?

Sempre que o assunto “vacina” fica popular, aparece alguém espalhando notícias falsas sobre supostos perigos da vacinação para os menos esclarecidos!

Já mostramos aqui no E-farsas, em 2010, que boatos a respeito do “perigo da vacina” (seja ela qual for) são disseminadas por desocupados na rede apenas para gerar caos e barulho na web, além de atrapalhar as campanhas do Governo para imunizar a população.

Na época, outros sites também entraram na briga para tentar desmistificar essa história de que vacina faz mal e também consultaram especialistas para explicar tudo diretinho.

Voltando ao rumor infundado, pra começo de conversa, esse texto foi publicado pela primeira vez (em 2017) no site Saúde Vida e Família, que – é claro – não cita nenhuma fonte:

Um dos primeiros blogs a espalhar essa mentira!

- Publicidade -

Além disso, uma busca na web nos revela que esse mesmo texto já circula há anos por aí. Em 2016, o alvo dessa e-farsa era a vacina contra a H1N1. O texto é o mesmo, só que a quantidade de pessoas vacinadas teria sido 48 milhões.

Perceba que, nesse alerta falso (tanto o de 2016 quanto esse de 2017) é afirmado que o nome da vacina seria “Flulaval” quando, na verdade, esse é o nome da vacina contra a gripe H1N1.

Procuramos em diversas bulas da vacina contra a febre amarela e em nenhuma delas está escrito que o medicamento não foi testado. Pode conferir aqui, aqui e aqui!

Efeitos adversos

De acordo com o Centro de Vacinação de Adultos (CVA), as reações adversas à vacina contra a febre amarela são raras, mas podem ocorrer na seguinte proporção (aproximadamente):

  • Reação alérgica grave (anafilática) – 1 em cada 131.000 doses aplicadas
  • Reações no sistema nervoso central – 1 caso para cada 250.000 doses
  • Comprometimento de múltiplos órgãos com o vírus vacinal da febre amarela – 1 caso para cada 200.000 – 300.000 doses (para os maiores de 60 anos é de cerca de 1 caso para cada 40.000 – 50.000 doses)

Em março de 2017, 4 adultos e 3 crianças apresentaram febre em decorrência da imunização com a vacina contra a febre amarela no Rio de Janeiro, mas foram atendidos em um hospital local e não correm risco de morte!

Conclusão

A vacina contra a Febre Amarela não é um veneno mortal! O texto que se espalhou em março de 2017 é um versão reformulada de uma corrente falsa que surgiu em 2016.

- Publicidade -
Gilmar Lopes
Gilmar Henrique Lopes é Analista de Sistemas. Trabalha com PHP e banco de dados Oracle e é especializado em criação de ferramentas para Intranet. Em 2002, criou o E-farsas.com (o mais antigo site de fact checking do país!) que tenta desvendar os boatos que circulam pela Web. Gilmar também tem um espaço semanal dentro do programa “Olá, Curiosos!” no YouTube e co-apresenta o Fake em Nóis ao lado do biólogo Pirulla!

Últimas Atualizações

- Publicidade -

Ajude a Manter o E-farsas

Checagens Relacionadas

9 COMENTÁRIOS

  1. A típica má intenção fica clara na citação de informações falsas:
    “A reportagem ainda denuncia que na própria bula é revelado que a vacina nunca foi submetida a ensaios clínicos científicos: “Não houve estudos controlados que demonstrem adequadamente uma diminuição ***na doença influenza*** após a vacinação com Flulaval”, é o que se pode ler no folheto informativo num texto minúsculo que ninguém lê. ”

    Influenza é gripe e não febre amarela!

  2. Obrigada por analisar esse boato! Espero que agora mais pessoas tomem consciência, porque a febre amarela continua avançando por aqui. Esses boatos infundados acabam atrapalhando as campanhas e é isso que favorece o avanço da doença!
    Vou mostrar seu site à todos que disserem que estão com medo da vacina!

  3. O pior é que mesmo em sites que esclarecem estes boatos encontramos muitas pessoas atacando os sites e reforçando a crença de que a vacina mata. É por causa dessa ignorância que a doença avança, pois um doente vira foco de contaminação pra toda sua vizinhança, quando é picado pelo mosquito transmissor. Me vacinei contra febre amarela três vezes nos últimos 20 anos, nunca senti nem sequer uma coriza. Minha esposa e meus três filhos já se vacinaram duas vezes e nunca sentiram nem dor de cabeça…

  4. Não precisa nem pensar muito pra ver que essa história realmente não faz sentido. Foram 40 milhões de vacinados, se realmente a vacina tivesse todo esse potencial para matar ou deixar o sujeito muito doente não haveria nem maneira de acobertar isso. Considerando que o Brasil tem 200 milhões de habitantes, seria quase 1/4 da população envenenada. Qualquer um conheceria alguém que teria sido contaminado ou no mínimo algum parente.

    É muito estranho que as pessoas não consigam chegar a esse raciocínio básico depois de ler o boato. Só posso acreditar em duas coisas: ou nossa educação é muito ruim (mais do que eu imaginava) ou as pessoas tem uma profunda necessidade de acreditar em tudo o que aparece. As duas hipóteses são assustadoras.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui