Conecte com a gente

E-farsas – Desvendando fake news desde 2002!

E-farsas – Desvendando fake news desde 2002!

Inventora cria o Rapex, preservativo feminino antiestupro!

rapex-condom

Saúde

Inventora cria o Rapex, preservativo feminino antiestupro!

Sonette Ehlers inventa uma camisinha feminina com farpas afiadas em seu interior que ficam presas no estuprador, dando a chance da vítima fugir! Será verdade?

A notícia apareceu no Facebook na penúltima semana de julho de 2012. Varias postagens na rede social afirmavam que a sul-africana Sonette Ehlers, preocupada com a grande quantidade de vítimas de estupros em seu país, teria inventado uma camisinha feminina diferente. O preservativo possuiria farpas pontiagudas em seu lado de dentro para se prender e causar dor no estuprador!

Tem até foto do produto:

rapex-condom

Rapex Condom – Verdadeiro ou farsa?

 

Será que isso é verdadeiro ou farsa?

É verdade. O produto existe mesmo!

De acordo com a rede de notícias CNN, a Dra. Sonnet Ehlers estava de plantão quando atendeu em seu consultório uma moça que acabara de sofrer um estupro. Muito assustada, a moça disse à doutora: “Se eu tivesse dentes lá em baixo…”. A doutora, então, prometeu a ela que um dia iria fazer algo para ajudar pessoas como aquela sua paciente.

40 anos depois, nascia o Rapex (algo parecido com “Estuprex”), um dispositivo parecido com um absorvente interno feito de látex e com farpas afiadas que se grudam à pele do agressor, dando à vítima tempo para fugir, além de ajudar a identificar os culpados.

Entre em contato com o E-farsas

(11) 96075-5663 - t.me/efarsas

Dra. Sonnet Ehlers e sua invenção

Dra. Sonnet Ehlers e sua invenção (reprodução)

O “rapex” também reduz bastante a possibilidade da mulher ficar grávida ou pegar Aids e outras doenças sexualmente transmissíveis, já que funciona como uma camisinha feminina.

Notícia antiga

Apesar da ideia ser muito boa, a invenção não é recente! Essa reportagem do UOL foi publicada em 2005 e, apesar da Dra. Ehlers afirmar à CNN que seriam dsitribuídas 30.000 camisinhas para a população mais pobre da África do Sul, até hoje não há nenhum indício de que o produto já esteja à venda ou distribuído gratuitamente para as africanas.

Veja algumas fotos do dispositivo aqui!

Conclusão

A camisinha antiestupro realmente existe. Mas até agora não está à venda.

Sites citados

 

Continue lendo
31 Comentários

31 Comments

  1. Aleister

    31 de julho de 2012 em 8:40

    Aposto que os estupradores espancarão as mulheres até a morte no instante seguinte a serem vítimas desse negócio.
    Acho que o caminho contra o estupro não é com a vítima revidando, isso é guerra.
    Deve haver investimento em prevenção (segurança), educação e punições severas.

    • Josenny

      1 de agosto de 2012 em 10:13

      concordo com voce, a mulher teria que usar isso todos os dias, ja que nao saberia quando o estrupador iria ataca-la, ate na sua propria casa, ou entao, deixando de usar justamente no dia que o mesmo a atacaria, sendo um verdadeiro azar, seriamos vitimas de qualquer forma, pois o estrupador ja sabendo deste produto em uso pelas mulheres, iria antes de praticar, dizer a mulher que iria mata-la com muito mais crueldade, ja que o bandido alem de ser um monstro tambem eh bem esperto, o mais certo seria capa-lo, olho por olho, dente por dente, mas ao inves disto, muitos continuam levando vantagens.

    • Lucky

      3 de agosto de 2012 em 23:54

      Prevenção na África? nascer mulher naquele lugar é uma desgraça querido, vc não tem ideia.

    • natalia

      9 de dezembro de 2012 em 11:20

      entao vc quer dizer que as vitimas nao têm o direito de revidar(é guerra) e o q vc acha que acontece na vida delas depois disso seu panaca? algumas chegam a se suicidar..

    • Cassia

      25 de junho de 2016 em 2:21

      Então é melhor morrer espancada que estuprada, meu filho. Se o homem ainda não satisfeito com estupro e ainda pensar em espancar, significa que ele virou um animal endemoniado sem salvação, que merece prisão perpétua e trabalhar todos os dias da sua vida enriquecendo a vítima de indenização (se a vítima sobreviver, senão, sua família serve). A melhor forma de punir um homem é aprender artes marciais, mas aprender pra valer mesmo. Eu indico jiu jitsu, kung fu, boxe, e muay thai, até mesmo karate eu indico. O kikyboxing, o Krav Maga, o Ninjutsu, e Wing Chun, quem tiver oportunidade que faça. Ou MMA pra quem quer ficar troncuda e quebra pau. Depois, é bom andar armada com porretes, e outras armas que arte marcial ninja usa. Essa camisinha é uma boa ideia e as mulheres devem se prevenir SIM! Se ficar pensando em ‘ah, vou apanhar do estuprador’, que pense, é melhor apanhar (pra quem não sabe se defender) que viver para o resto da vida com a dignidade, intimidade e sexualidade violada.

  2. Cesar

    1 de agosto de 2012 em 9:30

    Pedro Torres tem fundados motivos para sua preocupação. Lamentável a presunção de que a mulher seja sempre vítima. Em tempo: tenho 62 anos.

    • Marcos A.

      1 de agosto de 2012 em 13:44

      Se a mulher não deseja o ato sexual e é forçada a isso ela é sim e sempre será a vitima.

    • natalia

      9 de dezembro de 2012 em 11:21

      idade nao quer dizer lucidez

  3. francisco

    1 de agosto de 2012 em 10:53

    eu francisco,sou contra estrupador,sou a favor desse RAPEX q vai cometer ao vagabundo o q e dor e outro motivos,ref.comentario sob espancar até matar a mulher o q já é normal por eses pcopatas e xaropes q existem, a mulher tem q procurar a policia e outros meios, ok

  4. Alberto

    1 de agosto de 2012 em 13:05

    Para mim, a melhor colocação feita até agora foi da Maryna Antunes. Tô rindo até agora !!!! rsssssssss

    • Josenny

      1 de agosto de 2012 em 16:19

      eh, tem que rir pra nao chorar, pois nesse mundo tem gente e gosto pra tudo!

  5. Marcos A.

    1 de agosto de 2012 em 13:47

    Isso me lembra o filme “Vagina Dentada” de uma garota que tem dentes na vagina e literalmente corta o bilau de qualquer um que ela achasse que estava abusando dela, rs.
    Pra quem não viu aqui está o trailer:
    http://www.youtube.com/watch?v=JQq82cV4aGY

  6. Julio Costa

    1 de agosto de 2012 em 22:03

    A Dra. esperou 40 anos para colocar em prática a sua ideia?!

    • P

      2 de agosto de 2012 em 19:41

      talvez ela demorou 40 anos no desenvolvimento do produto… ou você acha que pesquisas, especialmente quando não há o interesse público (estamos falando da áfrica, continente onde violência sexual e/ou contra mulheres é tratado como algo normal e ninguém é punido), trazem resultados rápidos e sempre favoráveis?

      • Julio Costa

        4 de agosto de 2012 em 11:43

        Nada é desculpa para desenvolver um produto tão simples.

        • Vânia Pardal

          17 de agosto de 2012 em 10:00

          Desculpem, mas queixa-se de que ela demorou 40 anos a desenvolver o produto. Supondo que não foi a única médica/profissional a deparar-se com esse problema,pergunto: os outros, desenvolveram algum produto?
          É que, suponho, não é fácil ultrapassar questões monetárias, culturais e, principalmente políticas. Só o ato em si já demonstra uma mudança importante. Mesmo com 40 anos.

  7. Marcos A.

    3 de agosto de 2012 em 9:17

    Tinha que ter um que cortasse o pinto do estuprador.

  8. Marcos A.

    3 de agosto de 2012 em 9:17

    Tinha que ter um que cortasse o mal pela raiz.

    • natalia

      9 de dezembro de 2012 em 11:22

      concordo plenamente

  9. Pingback: Ouça a entrevista do E-farsas para a Rádio Hulha Negra! : E-farsas.com – 10 anos desvendando as farsas da web!

  10. Vitória

    25 de agosto de 2012 em 15:22

    Um estuprador merece muito mais que uma machucadinha no pênis , deveria ter ácido lá dentro do preservativo , e imediatamente o verme teria seu membro do mal destruído . ou quem sabe um veneno mortal de cobra … boas idéias hein ?

  11. lordy

    29 de agosto de 2012 em 0:17

    tinha que ser giletes.

  12. Pingback: Rapex: uma proteção que MORDE! | OdontoDivas

  13. Michele dos Reis

    8 de janeiro de 2013 em 19:10

    Sou a favor. E acho que é genial o cara vai sintir tanta dor no pênis que não vai ter forças nem condições pra espancala. E quem disse ai qe a mulher nao devia revidar é um machista,ja passou da hora das mulheres daquele lugar reagirem

  14. Thalita C.

    9 de março de 2013 em 16:32

    Eu acho que isso é em parte errado. Não tem que ensinar a nós mulheres como nos defendermos de um estupro, e sim ensinar essas pessoas, que eu me recuso a chamar de homens, a não estuprar. Será que é difícil entender que nós só queremos ser respeitadas? claro que ele não conseguir consumar o ato alivia um pouco a dor, mas só o fato de alguém tentar invadir seu corpo sem a sua permissão, já é algo traumatizante! Acho que pensar em uma punição mais severa seria mais Sensato !

  15. Thalita C.

    9 de março de 2013 em 16:32

    Eu acho que isso é em parte errado. Não tem que ensinar a nós mulheres como nos defendermos de um estupro, e sim ensinar essas pessoas, que eu me recuso a chamar de homens, a não estuprar. Será que é difícil entender que nós só queremos ser respeitadas? claro que ele não conseguir consumar o ato alivia um pouco a dor, mas só o fato de alguém tentar invadir seu corpo sem a sua permissão, já é algo traumatizante! Acho que pensar em uma punição mais severa seria mais Sensato !

  16. Professor PADilla Luiz Roberto Nuñes

    8 de abril de 2013 em 17:19

    Antes tarde do que nunca, essa invenção deveria ser mais divulgada entre adolescentes, até pelas escolas, não acham? E o que dizer de ser distribuído pelo Ministério da Saúde (uma unidade)?

  17. Lisa Henderson

    11 de outubro de 2015 em 17:41

    É né, mas na África, suponha que você tem 13 anos e tem medo de ser estuprada… Alguém já viu a profundidade desse treco? Uma pré-adolescente precisa romper o hímen apenas por medo de ser estuprada? Ok que em qualquer um dos dois já romperia, mas afinal, ambos podem fazer muito mal pra uma mulher..
    Idealizando o produto, eu faria algo que não penetrasse muito, e que segurasse caso a pessoinha fosse muito forte direto(O que também machucaria e deixaria o estuprador atônito), mas como não sou muito criativa, não saberia dizer o quê.

  18. Léia Oliveira

    17 de março de 2018 em 20:15

    E uma excelente idéia. Lamento não nos permitirem usufruir desse mecanismo de segurança uma vez que e melhor a morte do que um vagabundo destuprador abusando do nosso corpo que e um nojo.

  19. Eva Dias

    22 de abril de 2019 em 4:10

    E se a mulher usar isso num buraco e o estuprador preferir o outro? Se andar com os dois buracos tapados, vai parecer que estão caminhando dançando “pula boi, pula cavalo..”!!

  20. Angela Araujo

    24 de abril de 2019 em 8:18

    Pena que não foi a frente…. Muitíssimo útil

Deixe uma Resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mais Populares

Ajude a Manter o E-farsas!

Categorias

Parceiros

Voltando a Circular

Publicidade

Apoio técnico!

Topo