Quadro com pedofilia e estupro estava na exposição Santander-Queermuseu?

Share Button

É verdade que um quadro mostrando estupro e pedofilia estava sendo exibido para crianças na exposição “Queermuseu – cartografias da diferença na arte da brasileira”?

A imagem começou a se espalhar através de diversas postagens no Facebook e em outras redes sociais no final da primeira quinzena setembro de 2017 e deixou muita gente indignada. De acordo com o texto amplamente compartilhado, um dos quadros da exposição apresentava um pequeno corpo nu em cima da cama e, sobre ele, um corpo maior – também nu – e em volta da cama, outras pessoas assistem à cena!

O quadro, segundo o texto, teria ficado em exposição durante o evento e claramente estaria mostrando uma cena de estupro em crianças.

E, por fim, a postagem ainda questiona como foi possível o promotor de justiça ter a coragem de afirmar que não havia nada de mais na exposição!

Será que esse quadro estava na mostra Santander-Queermuseu?

Quadro estaria em exibição no Queermuseu! Será verdade? (foto: reprodução/Facebook)

Verdade ou farsa?

A imagem, apesar de perturbadora, não faz parte da exposição Queermuseu!

O quadro foi pintado por Ria Pratt, uma das múltiplas personalidades da artista britânica Kim Noble.

Envie suas dúvidas e sugestões de pauta através do nosso WhatsApp pelo número (11) 96075-5663!

Ela virou notícia em 2011, quando seu transtorno de personalidade múltipla se tornou conhecido da mídia! Ela conta em sua autobiografia que foi repetidamente abusada sexualmente desde os 3 anos de idade e sua mente acabou criando múltiplas personalidades como um “escudo” para seus traumas.

Em 2016, algumas das perturbadoras obras de Ria Pratt/Kim Noble foram ligadas a um boato envolvendo uma pizzaria norte-americana que seria um centro de “amantes da pedofilia”. O boato apelidado de “Pizzagate” alegava que a então candidata à presidência dos EUA Hillary Clinton seria a líder de “clube secreto” e foi desmentido pelos jornais daquele país!

Artistas que participaram do Santander-Queermuseu

A exposição patrocinada pelo banco Santander contou com a participação de artistas brasileiros. A lista é essa:

São eles:

Adriana Varejão [Rio de Janeiro-RJ, 1964] Alair Gomes [Valença-RJ, 1921 – Rio de Janeiro-RJ, 1992] Alex Cerveny [São Paulo-SP, 1963] Alfredo Volpi [Itália,1896 – São Paulo-SP,1988] Almandrade [São Felipe-BA,1953] Amorim [Curitiba-PR, 1989] Ana Flores [Porto Alegre-RS, 1962] Ana Norogrando [Cachoeira do Sul-RS, 1951] André Petry [Porto Alegre-RS, 1958] Angelina Agostini [Rio de Janeiro-RJ, 1888-1973] Antônio Augusto Bueno [Porto Alegre-RS, 1972] Antônio Caringi [Pelotas-RS, 1905-1981] Antonio Obá [Ceilândia-DF, 1983] Armando Queiroz [Belém-PA, 1968] AVAF [ASSUME VIVID ASTRO FOCUS] [Eli Sudbrack, Rio de Janeiro-RJ, 1968 e Christophe Hamaide-Pierson, Paris-França, 1973] Beatriz Dagnese [Nova Bassano-RS, 1954] Bia Leite [Brasília-DF, 1990] Cândido Portinari [Brodowski-SP, 1903 – Rio de Janeiro-RJ, 1962] Célio Braga [Guimarânia-MG, 1963] Christus Nóbrega [João Pessoa – PB, 1976] Cibele Vieira [Porto Alegre-RS, 1973] Cibelle Cavalli Bastos [São Paulo-SP, 1978] Cintia Ribas [Curitiba-PR, 1979] Clovis Graciano [Araras-SP, 1907 – São Paulo-SP, 1988] Constance Pinheiro [Curitiba-PR, 1982] Daniel Lie [São Paulo-SP, 1988] Danillo Villa [Echaporã-SP, 1969] Deyson Gilbert [São José do Egito-PE, 1985] Didonet Thomaz [Bento Gonçalves-RS, 1950] Dudi Maia Rosa [São Paulo-SP, 1946] Edgard De Souza [São Paulo-SP, 1962] Eduardo Cruz [Ilhéus-BA, 1943] Efigênia Rolim [Abre Campo-MG, 1931] Efrain Almeida [Boa Viagem-CE, 1964] Erika Verzutti [São Paulo-SP, 1971] Fabio Del Re [Porto Alegre-RS, 1970] Farnese De Andrade [Araguari-MG, 1926 – Rio de Janeiro-RJ, 1996] Felipe Scandelari [Curitiba-PR, 1981] Fernando Baril [Porto Alegre-RS, 1948] Fernando Bini [Rio das Antas-SC, 1946] Flávio Cerqueira [São Paulo-SP, 1983] Flávio De Carvalho [Amparo da Barra Mansa-RJ, 1899 – Valinhos-SP, 1973] Gilberto Perin [Guaporé-RS, 1953] Gilda Vogt [Rio de Janeiro-RJ, 1953] Guignard [Nova Friburgo-RJ, 1896 – Belo Horizonte-MG, 1962] Guttmann Bicho [Petrópolis-RJ, 1888-1955] Hudinilson Jr [São Paulo-SP, 1957 – 2013] João Faria Vianna [Porto Alegre-RS, 1905 – 1975] José Antônio Da Silva [Sales de Oliveira-SP, 1909 – São Paulo-SP, 1996] Juliana Burigo [Curitiba-PR, 1981] Kika Costa [Porto Alegre-RS, 1961] Leandro Machado [Porto Alegre-RS, 1970] Leonilson [Fortaleza-CE, 1957 – São Paulo-SP, 1993] Luiz Fernando Borges da Fonseca [Rio de Janeiro-RJ, 1948-1990] Luiz Henrique Schwanke [Joinville-SC, 1951 – 1992] Lygia Clark [Belo Horizonte-MG, 1920 – Rio de Janeiro-RJ, 1988] Marcos Chaves [Rio de Janeiro-RJ, 1961] Mário Röhnelt [Pelotas-RS, 1950] Maurício Bentes [Rio de Janeiro-RJ, 1958 – 2003] Maurício Ianês [Santos-SP, 1973] Milton Kurtz [Santa Maria-RS, 1951 – Porto Alegre-RS, 1996] Montez Magno [Timbaúba-PE, 1934] Nelson Boeira Faedrich [Porto Alegre-RS, 1912-1994] Nino Cais [São Paulo-SP, 1969] Odires Mlászho [Mandirituba-PR, 1960] Otto Sulzbach [Palmeira das Missões-RS, 1969] Paloma Bosquê [Garça-SP, 1982] Paulo Osir [São Paulo-SP, 1890-1959] Pedro Américo [Areia-PB, 1843 – Florença, Itália, 1905] Roberto Cidade [Caçapava do Sul-RS, 1939 – Torres-RS, 2011] Roberto Winter [São Paulo-SP, 1983] Rodolpho Parigi [São Paulo-SP, 1977] Rogério Nazari [Araranguá-SC, 1951] Romanita Disconzi [Santiago-RS, 1940] Sandra Cinto [Santo André-SP, 1968] Sandro Ka [Porto Alegre-RS, 1981] Sidney Amaral [São Paulo-SP, 1973-2017] Silvia Giordani [Porto Alegre-RS, 1970] Suzana Lobo [Curitiba-PR, 1944] Telmo Lanes [Porto Alegre-RS, 1955] Téti Waldraff [Sinimbú-RS, 1959] Thiago Martins De Melo [São Luís-MA, 1981] Tony Camargo [Paula Freitas-PR, 1979] Willian Santos [Curitiba-PR, 1985] Yuri Firmeza [São Paulo-SP, 1982]
Fonte: Obvious         

Como podemos averiguar, nenhuma Ria Pratt ou Kim Noble!

Veja aqui e aqui algumas fotos das obras expostas!

Conclusão

A imagem do quadro que se espalhou nas redes sociais não fez parte da exposição Santander-Queermuseu! O quadro é de autoria de uma artista inglesa!

Share Button
Crimes, Falso
, , , , , , , , , ,
  • Mário Takazaki

    É triste ver como damos um passo rumo a um mundo mais tolerante e dois para trás. Dizer que a exposição promove a pornografia é pura desculpa. O que chocou é a referência à tolerância religiosa e a livre manifestação da sensualidade e sexualidade humana.
    Alguém percebeu que há muita semelhança com os eventos da exposição de arte moderna de 1917?
    só espero que que este vento conservador que tomou o mundo passe logo.

  • Vamos esperar o pessoal que lê a bosta do reaçonaria (também conhecido como retardonaria) dar diversas provas de que não é assim, que o texto do e-farsas está incompleto e colocar um monte de frases que teriam sido ditas pelos curadores da amostra (só as frases. Sem áudios ou vídeos que comprovem que eles realmente disseram esss frases). Curioso que esse mesmo pessoal fica irado – com razão – quando são frases (sem qualquer tipo de áudio ou vídeo que as comprove) que teriam sido ditas pelo bolsomito ou pelos filhinhos do bolsomito.

    Sempre digo digo, e como sempre o Lucho tem razão: Blogs políticos são uma bosta. Para que servem blogs políticos que não seja para espalhar mentiras e ódio e pedir esmola pela Internet? Fiz essa pergunta a vários deles (incluindo o retardonaria) e nada de respostas.

    Quanto mais blogs políticos sumirem, melhor para a Internet. Mais civilizada fica a Internet.

    E tô vendo que 2018 vai ser aquela baixaria.

  • Jefferson Jr

    Bem que o E-Farsas poderia ter Disqus aqui, é bem melhor pra comentar.

    • Eu já sugeri isso a ele. Além do que, os melhores blogs do mundo usam o Disqus.

      E o meu também.

  • Alexandre Silva

    Certo, não havia esse quadro, mas, havia desrespeito à fé popular (vilipêndio de objeto de culto religioso), imagem de zoofilia, imagem que poderia ser classificada como racista, pois era um negro fazendo sexo oral num branco, enquanto outro branco fazia sexo anal nesse mesmo negro… Ou também essa imagem era falsa?… E havia quadro onde se lia “criança viada, travesti da lambada”, um desrespeito claro às crianças…. Enfim, havia motivos mais do que suficientes para os democráticos protestos populares…