16.8 C
São Paulo
domingo, abril 18, 2021

A perícia confirmou que Maria Eduarda morreu com tiros de AK47?

- Publicidade -

Será verdadeira a notícia afirmando que o laudo da perícia constatou que a menor Maria Eduarda Alves da Conceição morreu com tiros vindos de uma AK47?

A história apareceu na web no dia 02 de abril de 2017 e rapidamente se espalhou através das redes sociais. De acordo com o rumor, a perícia teria constatado que Maria Eduarda Alves da Conceição – que foi vítima de uma bala perdida (aos 13 anos de idade) durante um confronto entre policiais e bandidos dentro de uma escola no bairro de Acari, na cidade do Rio de Janeiro (RJ) – teria sido morta por disparos vindos de um rifle fuzil AK47.

A manchete ainda diz que as balas encontradas no corpo da vítima teriam vindo desse tipo de fuzil, que não faz parte do armamento oficial da Polícia Militar do Rio de Janeiro.

Com isso, o texto dá a entender que algum traficante teria matado a menina e não a polícia!

O autor da matéria ainda chama a comunidade para fazer “protesto na boca-de-fumo” e pede ao Programa Fantástico e ao jornalista Willian Bonner para que ambos peçam desculpas à sociedade por terem “difamado” a polícia carioca!

Será que isso é verdade?

Laudo teria provado que a menor foi vítima de uma AK47 de traficantes! Será verdade? (foto: Reprodução/Facebook)

Verdade ou mentira?

O texto que foi amplamente compartilhado surgiu em blogs criados apenas para ganhar cliques e não citam nenhuma fonte!

Ao fazermos uma busca na web por essa suposta afirmação da perícia apenas encontramos publicações em sites e blogs que somente copiaram o mesmo texto. Nenhum jornal sério publicou a respeito!

Na verdade, não há nenhum laudo a respeito da morte da menor. Apenas foi divulgado um laudo preliminar apontando que Maria Eduarda morreu de “ferimentos transfixantes no encéfalo por projéteis de arma de fogo“. Essa constatação preliminar é feita para ser usada na declaração de óbito!

- Publicidade -

Segundo o jornal Extra, a perícia só afirmou até agora que os tiros vieram todos do mesmo lado, mas o laudo oficial da necropsia ainda levará cerca de 30 dias para ser emitido.

Em entrevista ao jornal O Dia, um investigador da Delegacia de Homicídios que acompanha as investigações afirmou que “somente o exame de balística e uma reconstituição poderão apontar a origem dos disparos“.

Atualização 08/04/2017

O laudo final diz que projétil que atingiu perna de Maria Eduarda foi disparado por cabo da PM. A GloboNews apurou no dia 07 de abril de 2017 que o projétil retirado da coxa da estudante saiu da arma que estava com o cabo Fábio de Barros Dias. A perícia também afirmou que os fragmentos retirados da cabeça da menina, que causaram sua morte, não puderam ser identificados.

Conclusão

Notícia falsa! Não se sabe quem matou a jovem Maria Eduarda! A perícia confirmou que os fragmentos retirados da cabeça da menina, que causaram sua morte, não puderam ser identificados. No entanto, o projétil retirado da coxa da estudante saiu da arma que estava com o cabo da PM Fábio de Barros Dias! 

- Publicidade -
Gilmar Lopes
Gilmar Henrique Lopes é Analista de Sistemas. Trabalha com PHP e banco de dados Oracle e é especializado em criação de ferramentas para Intranet. Em 2002, criou o E-farsas.com (o mais antigo site de fact checking do país!) que tenta desvendar os boatos que circulam pela Web. Gilmar também tem um espaço semanal dentro do programa “Olá, Curiosos!” no YouTube e co-apresenta o Fake em Nóis ao lado do biólogo Pirulla!

Últimas Atualizações

- Publicidade -

Ajude a Manter o E-farsas

Checagens Relacionadas

- Publicidade -spot_img

11 COMENTÁRIOS

  1. Em várias notícias dá globo se diz que os tiros partiram de baixo para cima, o que torna muito mais difícil que os tiros tenham partido de pessoas distantes dá garota. E a secretária dá educação disse que os PMs atiraram nos criminosos que estavam entre os alunos. Se esta preliminar dá necrópsia é verdadeira, quem atirou estava próximo e abaixo dá garota. Aguardemos a balística. E também a peritagem do filme.

    • E a PM não usa pistola também?

      Eu queria entender essa resistência em reconhecer a hipótese dela ter sido morta pela PM, pode ter sido por engano, por erro tático, por falha involuntária, por falta de treino dos PM’s, etc. Não seria a primeira vez que um inocente morre por erro ou engano da PM. Agora, insistir em teses e hipóteses pra negar peremptoriamente a possibilidade de erro/engano, isso é que eu não entendo, uma pessoa honesta precisa considerar TODAS as hipóteses possíveis, e não só as que lhe agradem por ideologia…

  2. Gilmar, antes de qualquer coisa: não dá pra saber de que arma partiu um projétil (uma bala), sem ter como comparar com o cano da arma. A perícia pode descobrir o calibre da arma, mas isso e nada é a mesma coisa, se não tiver um parâmetro de comparação. Assim, se dez caras tem fuzis diferentes calibre 7,62 e são suspeitos de atirar em alguém e a perícia descobre que a bala que atingiu a pessoa é calibre 7,62, continuamos no zero, se não pudermos comparar o projétil periciado com os canos das armas. Só essa comparação (projétil X cano) pode dizer exatamente de onde saiu a bala, pois cada cano tem uma espécie de “impressão digital” que deixa marcas únicas no projétil.

    Segundo, o AK-47 tem inúmeras versões, com calibres diversos. Existem versões com calibre 7,62 (o mesmo do FN-FAL e do ParaFAL, armas usadas pela PM do Rio de Janeiro), com calibre 5,45 e com calibre 5,56 (este é padrão da OTAN, é o mesmo calibre do AR-15 e do M-16A2, também usados pela PM/RJ). Ainda que Maria Eduarda tenha sido atingida por um tiro 7,62, ele pode ter saído de uma miríade de armas que usam esse calibre – inclusive de armas da PM…

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui