Vídeo “Vacuna Show” prova que a vacina é uma fraude! Será verdade?

4
10742
A cena foi retirada de um episódio de Os Simpsons

Vídeo mostra que a vacina contra o novo coronavírus é uma fraude total! Será que os dados mostrados são verdade mesmo?

As imagens começaram a circular nas redes sociais e em grupos do WhatsApp na última semana de dezembro de 2020 e mostram uma série de provas de que as vacinas contra o novo coronavírus são todas falsas e que tudo não passa de encenação. Ao som da música Eyes of the Tiger, da banda Survivor, o vídeo chamado “vacuna show” (algo como “vacina show”, em espanhol) mostra diversas pessoas sendo vacinadas com agulhas falsas e políticos sendo vacinados com seringas sem agulhas, além de mostrar que a vacina desenvolvida pela Pfizer é feita na China!

Será que os dados apresentados nesse vídeo são reais?

Verdade ou mentira?  

O “vídeo-denúncia” espalhado nas redes sociais é assinado por um grupo chamado Despertando de La Matrix, que possui vários simpatizantes e até vários canais com o mesmo nome no YouTube, Instagram e Facebook (esse último se define como “oficial”). Como podemos ver, os esforços desse grupo – que se especializou em espalhar material sobre teorias conspiratórias – se concentraram nas últimas semanas em desinformar sobre vacinas.

Como já mostramos há tempos aqui no E-farsas, uma das características de um boato digital é que ele se aproveita de assuntos do momento para conseguir mais engajamento e a vacinação contra o novo coronavírus é, sem dúvida, um tema que está “na moda”.

Analisando o vídeo

O vídeo “Vacuna Show” começa com uma cena do 6º episódio da 16ª temporada do seriado Os Simpsons, quando o personagem Dr. Hibbert aparece em uma propaganda de remédio. Sob o título de “O Expresso Homer” aqui no Brasil, o enredo do episódio começa com o personagem Sr. Burns cancelando o plano de saúde dos funcionários da usina nuclear de Springfield, fazendo com que Homer tente contrabandear remédios do Canadá.

A cena foi retirada de um episódio de Os Simpsons

A cena, inclusive, já havia se espalhado semanas antes, juntamente com a alegação de que Os Simpsons teria previsto que o laboratório Pfizer ia criar uma vacina contra o novo coronavírus, o que não verdade, visto que no clipe não é mencionado nenhuma vacina (as seringas são de remédios e não de vacinas)

O trecho abaixo foi retirado do episódio em questão:

 

Vacina da Pfizer “made in China”

A seguir, o vídeo vacuna show mostra uma embalagem de uma vacina da Pfizer que teria sido fabricada na China:

Já mostramos aqui no E-farsas que essa foto é falsa e que não existe nenhuma vacina contra o coronavírus inalável. No final de dezembro de 2020, essa mesma imagem se espalhou como sendo de vacinas que supostamente estariam sendo vendidas no centro da cidade de São Paulo.

Ministra da Saúde de Ontário toma vacina sem agulha

A seguir, o vídeo mostra a Ministra da Saúde de Ontário, Christine Elliott, recebendo uma dose de uma vacina. O vídeo dá a entender que ela estaria tomando a vacina contra o novo coronavírus e que a seringa usada não tem agulha.

Acontece que o vídeo usado como “prova” é de outubro de 2019, e a ministra está sendo imunizada com a vacina contra a gripe. No próprio material usado como “prova” é possível ler que a Sra. Elliot está tomando uma “flu vaccine” (ou “vacina contra a gripe”, em inglês):

Além disso, nesse outro vídeo com uma qualidade melhor podemos ver que a seringa utilizada tem agulha:

Homem tomando vacina várias vezes

Nesse trecho do “vídeo-denúncia”, um homem vestindo camisa cinza aparece tomando a mesma vacina várias vezes, o que comprovaria a farsa da encenação em torno da vacinação. A verdade é que  essas cenas fazem parte de um vídeo maior, de um israelense que teve a sua vacinação repetida para uma segunda foto a pedido dos fotógrafos.

Repare que no próprio vídeo “vacuna show” é mostrado que a vacina não é aplicada na segunda vez e, através do vídeo completo, perceba que as cenas foram cortadas apenas para se encaixar na narrativa dos conspiracionistas:

Homem recebendo a vacina da COVID com tampa 

A seguir, o vídeo mostra um homem sendo imunizado contra o novo coronavírus por um agente de saúde que utiliza uma seringa com a tampa. O homem é o prefeito de Londres, Sadiq Khan, que está, na verdade, recebendo a vacina contra gripe em setembro de 2020.

No dia 28 de setembro de 2020, ele mesmo publicou essa foto em seu perfil no Twitter e convidou a todos os londrinos a se vacinarem também. Não temos como saber se ele realmente tomou a vacina contra a gripe ou se apenas posou para a foto (com a seringa tampada):

De acordo com um porta-voz da Prefeitura de Londres à agência de notícias Reuters, o prefeito tomou a vacina contra a gripe em setembro de 2020, aplicada por um farmacêutico local. Quanto à foto, o porta-voz explicou que ela foi tirada antes da vacina ser aplicada, o que explica a agulha ainda estar com tampa.

O prefeito de Londres também aparece tomando vacina contra gripe (e chamando os moradores da sua cidade para serem imunizados também) em uma campanha de 2016.

Seringa falsa

O vídeo prossegue mostrando uma enfermeira simulando a aplicação de uma vacina no braço de uma pessoa, pois a agulha parece não entrar na pele do paciente e se esconder dentro da seringa.

As imagens são reais de um vídeo do estado norte-americano do Alabama e a agulha dessa seringa é, de fato, retrátil! No entanto, não se trata de encenação. 

De acordo com o que é explicado nessa matéria da BBC, as seringas com agulha retrátil são utilizadas há mais de uma década em todo o mundo e servem, principalmente, para proteger os profissionais de saúde e pacientes de lesões e infecções.

Em 2015, a Organização Mundial da Saúde publicou um documento sugerindo que esse tipo de seringa fosse mais utilizado pelo mundo, pois ela aumenta a segurança dos profissionais de saúde além de impedir a reutilização da agulha.

Nesse vídeo da empresa SOL-Millennium South America é mostrado como funciona esse tipo de seringa:

 

Enfermeiro recebendo apenas um pouco da vacina

Na sequência o vídeo vacuna show mostra um enfermeiro “recebendo” a vacina da Pfizer contra a COVID-19. As imagens dão a entender que o homem teria recebido apenas uma pequena (ou nenhuma) dose do imunizante, mas isso também não é verdade! 

O enfermeiro se chama Ricardo Martínez, um dos cinco primeiros a serem imunizados no Hospital Universitário de El Paso, no estado norte-americano do Texas, em dezembro de 2020.

Em nota, o Hospital Universitário de El Paso explicou que, após espectadores levantarem a hipótese de que Martínez não havia tomado dose alguma da vacina, resolveram repetir a vacinação dele no dia seguinte.

Vice-presidente eleita dos EUA e a seringa falsa

Aos 2 minutos do vídeo que se espalhou nas redes sociais, surge a “denúncia” de que a vice-presidente eleita dos Estados Unidos, Kamala Harris, recebeu uma dose falsa com uma seringa falsa de uma vacina falsa! No entanto, essa afirmação é inverídica e já vamos explicar o porquê.

Nesse vídeo publicado pela agência Reuters podemos ver que a seringa possui agulha:

No vídeo a seguir, vemos como essa seringa funciona:

Outra seringa “sem agulha”

A essa altura das nossas análises, sabemos que você já deve ter se convencido de que o vídeo chamado “vacuna show” é um grande embuste, mas vamos prosseguir (já passamos da metade do vídeo).

Dando prosseguimento ao “vídeo-denúncia”, chegamos a mais uma suposta aplicação da vacina com uma agulha invisível e com a enfermeira “aplicando a vacina em seu polegar”. Trata-se da primeira pessoa a ser vacinada contra a COVID-19 na Argentina, Macarena Barrios. A funcionária da limpeza da UTI do Hospital Iriarte – em Buenos Aires – recebeu a vacina russa Sputnik V, no dia 29 de dezembro de 2020. Como podemos ver no vídeo abaixo, ela recebeu uma vacina, de fato:

No YouTube, outro vídeo do acontecimento:

Troca de braços

Aos 3 minutos, o vídeo mostra o diretor do Instituto Nacional de Alergias e Doenças Infecciosas dos Estados Unidos, Anthony Fauci, recebendo a vacina em um braço e, em outro vídeo, reclamando em um programa de televisão que sentiu desconforto no braço errado. 

De fato, Anthony Fauci recebeu uma dose da vacina contra a COVID-19 no dia 22 de setembro de 2020, e disse em entrevistas no dia seguinte que seu braço ficou meio dolorido após a aplicação, mas que isso não é incômodo nenhum e tampouco um obstáculo para vacinação em massa.

Um possível motivo para ele ter mostrado o braço errado na TV é que, como o braço esquerdo ainda estava dolorido, ele tenha preferido (até mesmo de forma inconsciente) tocar no outro braço. Meses antes, em julho de 2020, o doutor Fauci passou por uma vergonha em campo, quando arremessou uma bola de beisebol, antes de uma partida. Questionado o motivo do arremesso tão desastroso, o diretor do Instituto Nacional de Alergias e Doenças Infecciosas dos Estados Unidos disse que havia deslocado o braço durante um treino dias antes, após 30 anos sem jogar. 

Será que esse machucado o fez ficar sempre se referindo ao braço ferido? Nunca saberemos… mas o fato é que essa falha não prova que as vacinas sejam falsas!

Por via das dúvidas, veja o momento em que ele foi imunizado no vídeo abaixo:

Homem recebendo vacina falsa

A seguir, o vídeo mostra Anthony Moore, um dos primeiros homens a serem vacinados no Reino Unido. Na verdade, a imagem é uma foto e mostra apenas a enfermeira indicando o local onde a vacina vai ser aplicada.

Nancy Pelosi e a vacina sem agulha

Novamente, aos 3:24 do vídeo, uma “denúncia” de que vacinas estariam sendo aplicadas falsamente com seringas sem agulha. Dessa vez, quem aparece no vídeo é a presidente da Câmara dos Representantes dos Estados Unidos, Nancy Pelosi. E mais uma vez, estamos diante de uma seringa com agulha retrátil.

Nessa foto, com melhor resolução, podemos ver que a seringa usada na imunização da parlamentar tem agulha, sim:

No dia 18 de dezembro de 2020, Pelosi tuitou sobre a sua imunização:

Cristina Kirchner sem máscara tomando vacina sem agulha

Aos 3:27 do vídeo (calma que tá acabando), é mostrada uma foto da vice-presidente da Argentina, Cristina Kirchner, recebendo uma dose falsa da vacina com uma seringa sem agulha. A verdade é que essa acusação está completamente errada, visto que a imagem é de março de 2013, quando a então presidente havia recebido uma dose da vacina contra a gripe!

A mesma foto foi publicada no seu perfil do Twitter, no dia 21 de março de 2013:

CEO da Pfizer não quis aplicar a própria vacina

Aos 3:35 do vídeo podemos ver uma manchete do jornal Clarín, afirmando que o diretor da Pfizer, Albert Bourla, havia se recusado a usar sua própria vacina. Essa, sem dúvida, é uma acusação grave e a manchete foi, de fato, publicada pelo jornal Clarín no dia 17 de dezembro de 2020. No entanto, a fala do executivo foi distorcida, como podemos ver na própria matéria do Clarín.

Em entrevista à CNN dias antes, Bourla disse que não vai cortar a fila imposta pelo Centro para Controle e Prevenção de Doenças (CDC) dos Estados Unidos, que dá prioridade aos profissionais de saúde e residentes de casas de repouso.

“Não, ainda não tomei e estamos tendo um comitê de ética para lidar com a questão de quem está recebendo”, disse Bourla em sua primeira entrevista desde que a vacina contra o coronavírus de sua empresa foi autorizada pela Food and Drug Administration dos EUA para uso emergencial.

Perceba que na reportagem da CNN, a manchete é bem clara: 

“O CEO da Pfizer diz que ainda não tomou a vacina contra o coronavírus de sua empresa”

Vacina Bluetooth

A seguir, o vídeo mostra imagens de alguém sendo vacinado à distância, no que é chamada no vídeo de “vacina bluetooth”. 

A verdade é que o vídeo de 8 segundos foi tirado de um vídeo maior de um canal de notícias da televisão alemã. O vídeo da WELT é de 5 de dezembro de 2020 (antes das vacinas serem aprovadas na Europa), e mostra testes de segurança nos centros de vacinação alemães. Ou seja, trata-se apenas de um ensaio:

Primeira-Ministra da Austrália recebendo vacina com a agulha tampada

Pertinho do final, o vídeo mostra a primeira-ministra de Queensland, na Austrália, Annastacia Palaszczuk sendo vacinada com uma agulha encapada, o que provaria de uma vez por todas que toda essa história de vacinação contra a COVID-19 é uma farsa!

No entanto, a verdade é que o vídeo de onde essas imagens foram tiradas é de abril de 2020, quando Palaszczuk foi vacinada contra a gripe. Como acontece em eventos assim com pessoas públicas, os fotógrafos pediram para a enfermeira encenar uma nova aplicação (pois a imunização foi muito rápida). A profissional utilizou uma seringa com a proteção na agulha para evitar acidentes. No vídeo abaixo, a primeira-ministra fala para a enfermeira “Nossa, foi muito rápido!” e, em seguida, volta a se sentar para posar para as fotos:

Aqui, um vídeo publicado no perfil de Annastacia Palaszczuk, no dia 27 de abril de 2020

Ator sendo vacinado de mentirinha várias vezes

A última “denúncia” do vídeo mostra que um mesmo homem havia sido vacinado várias vezes. Seria um ator que foi contratado para enganar a população?

A verdade verdadeira é que nenhuma dessas fotos foram retiradas de coberturas jornalísticas sobre vacinações contra o coronavírus. Trata-se de um conjunto de fotografias retiradas do banco de imagens Shutterstock. As demais fotos podem ser conferidas nesse link.

Como é explicado em seu site, a Shutterstock é uma empresa que vende fotografias profissionais para diversos usos, como em publicidade, por exemplo.

Conclusão

Todos os elementos mostrados no “vídeo-denúncia” chamado “vacuna show” como provas de que a vacinação é uma fraude são falsos e/ou tirados de contexto. O vídeo engana o espectador usando imagens reais e distorcendo seus verdadeiro significados! Não compartilhe esse lixo!  

4 COMMENTS

  1. É Gilmarzão mas denúncias de falsas aplicações no Brasil Huehue estão aí, sendo investigadas pelo MP de diversos estados, tem que deixar o alerta pra quem recebe a vacina ficar de olho 👍🏼

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here