20.9 C
São Paulo
sábado, novembro 27, 2021

Vídeo mostra o MST destruindo torres de transmissão no Amapá! Será verdade?

- Publicidade -

Será que o vídeo mostrando a destruição de torres de transmissão é mesmo um flagrante de integrantes do MST acabando com a energia elétrica no Amapá?

O vídeo tem menos de 30 segundos e se espalhou nas redes sociais, e também em grupos de WhatsApp, na segunda quinzena de novembro 2020. Nele podemos ver um grupo de pessoas derrubando postes de transmissão de energia e, de acordo com o texto que acompanha essas imagens, o grupo de vândalos era composto de membros do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST) e que esses militantes foram flagrados destruindo uma estação de transmissão no Amapá

O texto também cobra a imprensa por não divulgar esse crime.

Será que esse vídeo é real? 

Será que isso foi filmado mesmo no Amapá e é uma prova de que o MST estaria envolvido no blecaute do Amapá?

Publicações associam o MST à depredações de redes de transmissão no Amapá! Será verdade? (fotos: Reprodução/Facebook e WhatsApp)

Verdade ou mentira?

O vídeo é real, mas ele não tem nenhuma relação com a falta de energia no Amapá e tampouco há provas de que o MST esteja envolvido com isso.

Em primeiro lugar, o vídeo compartilhado como sendo de novembro de 2020 é, na verdade, de novembro de 2017 e foi filmado na cidade de Correntina (BA). O grupo que aparece derrubando postes de energia era composto por moradores de uma área próxima do rio Arrojado e eles alegaram, na época, que a irrigação da propriedade era a responsável pela seca do rio.

Conforme apurado por diversos jornais na ocasião, a briga pelo uso da água do rio Arrojado se arrasta desde 2015, quando o Comitê da Bacia do Rio Corrente proibiu novas concessões para uso de recursos hídricos da bacia. 

No dia 06 de novembro de 2017, a Polícia Civil instaurou um inquérito para identificar as pessoas que estavam à frente da invasão à Fazenda Rio Claro. Como podemos verificar em várias reportagens feitas na ocasião, não há nenhuma menção ao MST. 

- Publicidade -

Vários grupos espalharam essa desinformação no WhatsApp

Aliás, essa não foi a primeira vez que esse vídeo foi atribuído injustamente ao Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra. Em dezembro de 2017, vários órgãos da imprensa ajudaram a desmentir a ligação entre esse vandalismo e o MST.

A causa do blecaute no Amapá

De acordo com o Ministério de Minas e Energia (MME), o Amapá passou por 22 dias de apagão, desde o dia 3 de novembro de 2020, quando a subestação de energia elétrica da capital Macapá pegou fogo e provocou um blecaute em 13 dos 16 municípios do estado. 

Em seu perfil no Twitter, a TV Brasil publicou uma nota do MME, explicando a causa do blecaute no Amapá: 

Conclusão

O vídeo mostrando depredações em uma rede de distribuição de energia é de 2017 e foi filmado na Bahia, quando um grupo de moradores ribeirinhos derrubou postes em uma fazenda sob a acusação de que a fazenda Rio Claro estaria secando o rio Arrojado. Não encontramos nenhuma ligação do MST com o ocorrido!

- Publicidade -
Gilmar Lopes
Gilmar Henrique Lopes é Analista de Sistemas. Trabalha com PHP e banco de dados Oracle e é especializado em criação de ferramentas para Intranet. Em 2002, criou o E-farsas.com (o mais antigo site de fact checking do país!) que tenta desvendar os boatos que circulam pela Web. Gilmar também tem um espaço semanal dentro do programa “Olá, Curiosos!” no YouTube e co-apresenta o Fake em Nóis ao lado do biólogo Pirulla!

Últimas Atualizações

- Publicidade -

Ajude a Manter o E-farsas

Checagens Relacionadas

3 COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui