Conecte com a gente

E-farsas – Desvendando fake news desde 2002!

E-farsas – Desvendando fake news desde 2002!

Vídeo mostra o MST destruindo torres de transmissão no Amapá! Será verdade?

Crimes

Vídeo mostra o MST destruindo torres de transmissão no Amapá! Será verdade?

Vídeo mostra o MST destruindo torres de transmissão no Amapá! Será verdade?

Será que o vídeo mostrando a destruição de torres de transmissão é mesmo um flagrante de integrantes do MST acabando com a energia elétrica no Amapá?

O vídeo tem menos de 30 segundos e se espalhou nas redes sociais, e também em grupos de WhatsApp, na segunda quinzena de novembro 2020. Nele podemos ver um grupo de pessoas derrubando postes de transmissão de energia e, de acordo com o texto que acompanha essas imagens, o grupo de vândalos era composto de membros do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST) e que esses militantes foram flagrados destruindo uma estação de transmissão no Amapá

O texto também cobra a imprensa por não divulgar esse crime.

Será que esse vídeo é real? 

Será que isso foi filmado mesmo no Amapá e é uma prova de que o MST estaria envolvido no blecaute do Amapá?

Publicações associam o MST à depredações de redes de transmissão no Amapá! Será verdade? (fotos: Reprodução/Facebook e WhatsApp)

Verdade ou mentira?

O vídeo é real, mas ele não tem nenhuma relação com a falta de energia no Amapá e tampouco há provas de que o MST esteja envolvido com isso.

Em primeiro lugar, o vídeo compartilhado como sendo de novembro de 2020 é, na verdade, de novembro de 2017 e foi filmado na cidade de Correntina (BA). O grupo que aparece derrubando postes de energia era composto por moradores de uma área próxima do rio Arrojado e eles alegaram, na época, que a irrigação da propriedade era a responsável pela seca do rio.

Conforme apurado por diversos jornais na ocasião, a briga pelo uso da água do rio Arrojado se arrasta desde 2015, quando o Comitê da Bacia do Rio Corrente proibiu novas concessões para uso de recursos hídricos da bacia. 

Entre em contato com o E-farsas

(11) 96075-5663 - t.me/efarsas

No dia 06 de novembro de 2017, a Polícia Civil instaurou um inquérito para identificar as pessoas que estavam à frente da invasão à Fazenda Rio Claro. Como podemos verificar em várias reportagens feitas na ocasião, não há nenhuma menção ao MST. 

Vários grupos espalharam essa desinformação no WhatsApp

Aliás, essa não foi a primeira vez que esse vídeo foi atribuído injustamente ao Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra. Em dezembro de 2017, vários órgãos da imprensa ajudaram a desmentir a ligação entre esse vandalismo e o MST.

A causa do blecaute no Amapá

De acordo com o Ministério de Minas e Energia (MME), o Amapá passou por 22 dias de apagão, desde o dia 3 de novembro de 2020, quando a subestação de energia elétrica da capital Macapá pegou fogo e provocou um blecaute em 13 dos 16 municípios do estado. 

Em seu perfil no Twitter, a TV Brasil publicou uma nota do MME, explicando a causa do blecaute no Amapá: 

Conclusão

O vídeo mostrando depredações em uma rede de distribuição de energia é de 2017 e foi filmado na Bahia, quando um grupo de moradores ribeirinhos derrubou postes em uma fazenda sob a acusação de que a fazenda Rio Claro estaria secando o rio Arrojado. Não encontramos nenhuma ligação do MST com o ocorrido!

Continue lendo
3 Comentários

Mais Populares

Ajude a Manter o E-farsas!

Categorias

Publicidade

Parceiros:

Voltando a Circular

Publicidade

Topo